História Prisão do amor - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Dramas, Romance
Visualizações 1
Palavras 2.726
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


desculpa a demora **
eu tô aqui e tô viva :v

Capítulo 19 - Particularmente... Odeio o álcool!


Fanfic / Fanfiction Prisão do amor - Capítulo 19 - Particularmente... Odeio o álcool!

"O que foi dito bêbado, foi pensado sóbrio".

__________________________________________________________________________________________

 - Eu não faço a menor ideia do que você estava fazendo, do que aconteceu agora a pouco com a sua prima ou aonde você queria ir... Bom, eu tenho a impressão que não vai gostar de acordar no lugar que vou te levar. - Disse o garoto ligando o carro e dando a ré. - Então já peço minhas sinceras desculpas por isso. - Concluiu o moreno, saindo do estacionamento e indo em direção á algum lugar...

NARRADORA POV

 

~~~~~~~~~ QUEBRA DE TEMPO ~~~~~~~~~~

Mikoo havia dormido profundamente e nada aparentava ter o poder de despertar a menina. O garoto ficou com pena de acordar a garota sem a mesma querer isso, então deixou a mesma dormindo até tarde. O anjo acordou ás 13:27 da tarde, assustada sem saber onde está.

- Que lugar é esse? - Perguntou a morena, assim que terminou a frase sentiu uma pontada forte na cabeça, a menina estava vivendo o momento ridículo na sua opinião, que no caso é a ressaca. A mesma levantou e saiu do quarto que não sabia a quem pertencia. Percebeu que estava com as mesmas roupas da noite passada e desceu as escadas, procurando alguém que a pudesse explicar o motivo de estar onde está. Que era a casa do garoto que havia conhecido noite passada. Foi em direção á uma porta onde conseguia escutar o barulho de ovos sendo fritos, abriu a porta de madeira que já se encontrava um pouco aberta e viu o garoto no fogão. Mikoo estava confusa, observava o garoto e prestava atenção até nos menores detalhes, até que o mesmo percebeu sua presença, olhou pra trás e sorriu, desligando o fogão.

- Olha quem acordou... - Falou sorrindo, pegando a frigideira onde estava os ovos e colocando os mesmos dentro de um prato. Pegou o prato de porcelana branco com as bordas azuis com um garfo, foi em direção ao anjo e entregou o mesmo para a morena, que o olhava perplexa. - Toma... Seu café da manhã. 

- Como posso comer isso? Nem saber o seu nome eu sei! - Falou Mikoo com o mesmo olhar e voz desconfiada de sempre. O garoto deu um riso nasalado.

- Meu nome é Troy, prazer... Qual o seu nome? - Perguntou Troy com os olhos brilhando.

- Melissa. - Respondeu a garota olhando os ovos no prato. - Onde eu como isso? - Perguntou ao mais alto, Mikoo se sentia deslocada ao saber que está na casa de alguém que não conhece, nem ao menos sabe como chegou ali, mas uma coisa ela tinha certeza: Estava com fome!

- Pode ir comer no sofá da sala, se quiser ligar a TV, fica a vontade! A casa é sua. - Após a resposta de Troy, Mikoo foi em direção a sala que basicamente ficava no mesmo cômodo que a cozinha, a casa era muito pequena e muito simples, mas o anjo não ligou muito, até porque desde quando a garota liga pra isso? A mesma se sentou no sofá com receio e começou a comer. Troy fez os mesmos ovos para ele mesmo, pegou o prato com qualquer garfo que estava por perto e foi em direção a Melissa se sentando ao lado da mesma. Mikoo terminou de comer o café da manhã e olhou em direção ao garoto.

- Obrigada pelo café. - Começou Mikoo, Troy apenas assentiu com a cabeça. - Mas como vim parar aqui? - Perguntou a garota.

- Hum... - Murmurou o moreno, após engolir o pouco de comida. - Ontem á noite... Você tinha ido para a balada onde eu trabalho como bar-man, você pediu e eu fiz várias bebidas diversas para você tomar, até que chegou o final do meu horário de trabalho, eu tinha que ir embora e pelo o que eu tinha visto, você tinha saído de perto da bancada do bar. - Explicava o moreno enquanto Mikoo prestava muita atenção nas palavras do mesmo. - Eu saí e quando estava indo em direção ao estacionamento, esbarrei em você... Ou melhor, você esbarrou em mim! - Acusou o garoto apontando o indicador na direção do anjo, enquanto a mesma só revirava os olhos, indicando impaciência. - Você estava completando bêbeda, você dizia coisas estranhas, tipo... "Minha prima saiu daqui e me deixou sozinha.", "Com certeza ela está magoada com um garoto imbecil que ela ama porque ele beijou uma garota que ela odeia agora a pouco, me ajuda cara". - Falou Troy tentando imitar a voz engraçada da garota, logo se acabando de rir lembrando da situação. Mikoo já cansada da risada do garoto, deu um tapa fraca em seu braço e o mesmo parou de rir, continuando. - Bom... - Começou o garoto novamente respirando fundo. - Você acabou desmaiando nos meus braços e como não sabia onde morava, te trouxe pra minha casa. - Concluiu o moreno voltando a comer os ovos. 

Mikoo estava fazendo de tudo para lembrar o que carambas aconteceu na noite anterior, mas não conseguia lembrar e para ajuda-la mais ainda, sua cabeça começava a doer toda a vez que tentava forçar a sua memória. A garota desistiu de tentar lembrar e se levantou.

- Obrigada por ter me ajudado, mas eu preciso voltar pra casa. - Falou a garota, fazendo Troy levantar o olhar para a mesma.

- Mas você nem comeu os ovos que eu fiz. - Comentou o moreno com um pouco de comida na boca. Causando uma voz engraçada.

- Obrigada, mas eu realmente preciso voltar para casa. - Mikoo não se lembrava de nada, mas pelo o que Troy disse para a mesma parecia que Thomas tinha feito algo ruim e Ranielly não gostara, então o anjo precisava ficar ao lado da mesma para protege-la e não deixa-la fazer nenhuma besteira. Troy assentiu com a cabeça, levantou e levou os dois pratos, o seu e do anjo, até a cozinha e voltou.

- Vamos então. Te levarei para a sua casa e você vai estar me devendo favores. - Assim que o moreno terminou de falar, foi em direção á porta da sala que dava acesso a sua pequena garagem, o anjo apenas o seguiu. O garoto destrancou o carro e os dois entraram no mesmo, Troy deu a partida no Dogde 70, Mikoo deu o endereço e o mais alto dirigiu até a casa da garota.

~~~~~~~~~~~~

Chegando a casa da garota, Mikoo tirou o cinto e se virou para Troy.

- Obrigada de novo. - Sorriu a menina, já abrindo a porta para sair.

- De nada. Sinto que a gente vai se ver mais vezes, até porque agora eu sei onde você mora. - Troy retribuiu o sorriso da menina, antes da mesma sair do carro e fechar a porta. O garoto deu a partida e saiu de perto da casa enquanto Mikoo tocava a campainha da casa, já que não tinha a chave da casa e não tinha como entrar. Depois de alguns segundos a porta de madeira foi aberta pela mulher mais velha, cujo seria Monica.

- Mell? Onde estava? Entra. - Monica deu espaço para o anjo entrar na casa e foi o que a mesma fez. Monica fechou a porta e voltou a sua atenção a morena. - Onde estava? Fiquei preocupada com você.

- Desculpa tia. Eu meio que desmaiei nos braços de uma amiga conhecida da escola durante a balada e ela não sabia onde eu morava, então ela me levou pra casa dela onde eu dormi. Ela que me trouxe de volta, me desculpe por preocupar você tia, sinto muito mesmo. - Falou a garota olhando nos fundos dos olhos da mulher que sorriu, sim o anjo estava mentindo, era a sua primeira vez mentindo em uma missão na terra.

- Bom... O importante é que está bem, graças a Deus. - Respondeu Monica sorrindo, a mais velha sabia que Mikoo estava mentindo, mas não cobrou nada, se a mesma não lhe contou a verdade é porque não está a vontade de contar a verdade para a mulher, assim que a mesma pensava. - Está com fome? - Perguntou a mulher.

- Não, eu comi na casa da minha amiga antes de vir pra cá. Onde está Ranielly? - Perguntou o anjo.

- Aaa, sim! Ela está trancada no quarto, eu estranhei, até porque eu bati na porta da Elly e a mesma não abriu, ela não desceu para comer nem nada, eu pensei que era melhor não incomodar, mas eu realmente estou preocupada. Hoje de madrugada, ela chegou fazendo barulho e eu acordei com barulho de choro da mesma, sabe o motivo da minha filha estar derrubando lágrimas? - Perguntou a mãe de Ranielly preocupada novamente.

- Sei. - Antes de Monica fazer mais perguntas para a morena, a mesma saiu em disparada para o quarto das duas subindo as escadas pulando de graus várias vezes. Quando chegou em frente ao quarto bateu na porta duas vezes seguidas e chamou o nome da mais nova. - Ranielly? Posso entrar? - O anjo esperou a resposta da garota, mas como esperado não escutou nada. Estralou os dedos e a porta abriu por pura mágica do anjo. Adentrou o cômodo e avistou Ranielly deitada de barriga para cima da cama de seu quarto. Mikoo respirou aliviada ao perceber que a garota estava bem, apenas o seu rosto que se encontrava um pouco inchado por com certeza a mesma estar chorando. Nenhum corte, nenhum arranhão, era isso que estava preocupando Mikoo, mas o anjo relaxou pelo menos por uns cinco segundos.

- Pensou que eu havia me cortado? Pensou que iria me matar somente por causa de um garoto tão inutil como o Thomas? - Perguntou Ranielly com uma certa voz de choro, ao perceber que Mikoo estava aliviada ao ver ela deitada ali apenas observando o teto com a aparência física quase intacta. - Eu pensei em me cortar, como você fez... Mas daí lembrei do que você me disse na ultima vez que tentei isso... Sobre a sua mãe, seu pai, sua madrasta, o bullying que você sofria e percebi... - Ranielly se sentou no centro da cama e começou a encarar Mikoo, olhando no fundo dos olhos profundos do anjo. - Que se eu me matasse agora eu seria uma tremenda fraca e covarde, você aguentou bem mais que eu... Eu parei pra pensar e acho que também percebi o motivo de você estar aqui, sendo o meu anjo da guarda... É por causa do câncer da minha mãe e da minha decepção com o Thomas, certo? Você sabia que tudo isso aconteceria... Estou errada? - Perguntou Ranielly.

- Sinceramente... Eu jurava pra mim mesma que você era uma garota patética, frágil e imbecil. Mas eu pude ver que estava errada. Você não é assim, é inteligente e corajosa, e eu fico totalmente feliz por isso. - Comentou Mikoo indo em direção a Ranielly e se sentando ao lado da mesma na cama.

- Bom... Mudando um pouco de assunto Mikoo... Onde você estava? Demorou pra voltar. Pensei que Arantxa iria vir te trazer, mas pelo visto ela não fazia ideia onde você estava tanto quanto eu... Onde tava? - Perguntou Ranielly se deitando novamente na cama da casal.

- Na verdade... Eu não lembro... - Respondeu Mikoo, fazendo Ranielly fazer uma cara confusa. O anjo forçou a memória e a cabeça não doía mais quando tentava fazer isso como uma hora atrás.

MIKOO ON

 

FLASHBACK ON

O garoto do bar havia me colocado em um carro e me levado para um casa simples pelo o que eu pude ver através da janela. O mesmo se levantou saindo do assento do motorista e abrindo a porta do passageiro de trás onde eu estava. Quando o mesmo abriu a porta e me olhou, eu levantei os meus braços em sua direção. Minha cabeça estava ardendo. 

- Você estava acordada? - Perguntou o menino, que por sinal era muito lindo. CALA BOCA MIKOO! O ÁLCOOL NÃO TEM PODER SOBRE VOCÊ!

- Me leva logo! - Continuei com os braços erguidos, o mesmo sorriu e me pegou no colo, me levando para dentro da casa. Quando entramos, ele me colocou no sofá onde eu pude perceber que era uma sala. 

- Você lembra onde mora? - Ele me perguntou, agachando para poder olhar diretamente nos meus olhos. Apenas neguei com a cabeça.- Okay, então! - Comentou ele se levantando e saindo de perto de mim. Por um maldito impulso em segurei em teus pulsos, impedindo o mesmo de ir embora me olhando incrédulo.

- Não me deixa sozinha, eu tenho medo do escuro! - Falei ainda segurando o pulso dele firmemente. O moreno deu um riso nasalado.

- Não está escuro e eu não vou embora, vou tentar achar algum remédio pra você, sua cabeça deve estar doendo. Não vou te deixar sozinha, vou ir pra cozinha e voltar. Vai ser rápido, não se preocupe! -  Me respondeu sorrindo, eu soltei o pulso dele e o mesmo foi em direção a uma porta, acho que dava a cozinha, sei lá.

Ele é tão lindo, tão fofo, é uma gracinha. Eu gostei dele, não para namorar, eu acho! Até porque não acho que me apaixonaria tão fácil em forma humana, ou me apaixonaria? Credo Mikoo para de ser fácil, tem que ser difícil para ele começar a gostar de você, ninguém gosta de rabo da saia grátis. ELE VOLTOU! 

- Olha eu tenho esse remédio, mas eu acho que é fraco, não sei se vai servir para você. - Falou chegando perto com um comprimido na mão e um copo de cheio d'água. Me levantei e peguei o copo e o comprimido de suas mãos. Coloquei o comprimido na boca e engoli o mesmo com a ajuda da água. Assim que terminei, coloquei o copo na mesinha de centro e voltei a encarar o garoto que conheci noite passada. - Olha, como eu disse, não tenho muita certeza se esse comprimido vai funcionar, mas eu esper... 

Eu o interrompi puxando o colarinho de sua blusa o puxando e o derrubando no sofá de três espaços da sala, fazendo eu ficar por cima. O mesmo me encarava com os olhos arregalados, mas logo os olhos começaram a se fechar lentamente junto com os meus, quando eu chegava perto de seu rosto com o objetivo de beija-lo. Nossas respirações se encontrava misturadas e eu estava prestes a beija-lo, mas...

FLASHBACK OFF

 

NARRADORA ON

- Mas... O quê? Eu não me lembro do resto... - Falou o anjo virando o seu corpo na direção de Ranielly que encarava a mesma com uma feição perplexa no rosto. O anjo estava enlouquecendo a pensar que havia beijado um garoto cujo conhecera a menos de um dia. "Eu pirei, fiquei louca", pensava a morena a tentar lembrar do final da cena, mas sem sucesso. - Eu não me lembro se beijei ele ou não Elly! 

- Beijou quem Mikoo? - Perguntou Ranielly assustada se sentando ao lado do anjo.

- Ah! - Gritou o anjo se deitando frustrada. - Que ódio. - Esbravejou o anjo novamente. - Particularmente Elly, eu...

- Odeia o álcool? - Chutou Ranielly se deitando novamente ao lado de Mikoo, a encarando.

- Eu odeio o álcool. - Afirmou Mikoo ainda frustrada. Causando risos em Ranielly.

- Nunca mais vamos em uma balada combinado? - Perguntou Ranielly lembrando do ódio que sentiu vendo a cena do beijo de Thomas e Emma, e o ódio que ainda sente em apenas lembrar a cena. A mais nova estendeu o mindinho de sua mãe esquerda para a mesma e a Mikoo realmente fazer a promessa.

- Mais que combinado. - Mikoo estendeu o mindinho de sua mão esquerda, as duas entrelaçaram os mindinhos e selaram os dedões.

Era oficial, nunca mais iriam colocar o pé dentro de alguma balada, dentro de qualquer balada, nunca mais!

Essa promeça fez Mikoo se lembrar:

"- De nada. Sinto que a gente vai se ver mais vezes, até porque agora eu sei onde você mora."

A voz do moreno chamado Troy que o anjo conhecera noite passada não parava de se repetir em sua cabeça e ela não parava de se perguntar... "Eu beijei ou não beijei aquele cara?".

 

 

 

 

 

 

Até o próximo capitulo


Notas Finais


"EU ODEIO ÁLCOOOOLL" rsrs

O que acham? Realmente rolou beijo? huummm.... rsrsrs
Foi isso :v Se você leu até aqui, muito obrigada eu te amo muito S2
Me desculpe qualquer erro que eu cometi e me perdoa...


** Recomendação musical... É música velha, mas é legal rs
>> https://www.youtube.com/watch?v=2zwTaT0JeOY


Outra história de minha autoria cujo nome é "Where Is The Love??"
>> https://spiritfanfics.com/historia/where-is-the-love-8059252


Bom, é só isso amores...
Me perdoe novamente caso tenha algum erro neste capitulo.
Até o próximo e de novo MUITO OBRIGADO se leu até aqui.
Beijoss I te Love todos vocês S2.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...