História Prism - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias NU'EST
Personagens Jason, Ren
Tags Jaren, Jason, Jasren, Love Paint, Nu'est, Nu'est-m, Ren
Exibições 22
Palavras 1.634
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá~Bem, eu sabia que essa fic i flopar :,)
Pois além de ser do NU'EST, é uma Jasren e,e o que não é muito conveniente pra um fandom de Jren's shippers e.e E eu shippo Aren, but essa fic ia ficar mais fofa com o Jason dsnfjnsf Então aceitem e,e É para todos os shippers viu/ u-u ?
Se souberem de amiguinhos l.o./\.e.s não esqueçam de divulgar a eles~ Ficarei extremamente agradecida ^^
Boa leitura, espero que gostem, desculpe se tiver algum errinho <3

Capítulo 2 - Someone to play with me


Fanfic / Fanfiction Prism - Capítulo 2 - Someone to play with me

 

 

A luz clara e morna do sol invadia o quarto de Jason pela janela, fazendo-o despertar. Ainda com sono sentou-se e esticou os braços enquanto um bocejo escapava de sua boca.

Rumou ao banheiro e fez sua higiene. Olhou-se no espelho e fitou-se por um breve segundo. Suas olheiras já não estavam tão visíveis e sua cor não estava tão pálida quanto antes. Em outras palavras, ele estava se recuperando... Pelo menos fisicamente.

Sua avó praticamente o obrigava a comer, dormir e sair de casa. Só assim Jason estava naquela situação. Por contrário seria incapaz de sair da cama por dias e dias.

Olhou em seu celular e percebeu ser segunda-feira. Jason já estava faltando aula desde que chegou ali. Não queria interagir, não queria ter que iniciar uma conversa com outras pessoas de sua idade, despertar novos interesses... Mas já estava na hora de tomar uma nova atitude.

Pôs seu uniforme e arrumou suas coisas na mochila. Desceu as escadas e deparou-se com sua avó, que sorria alegremente ao ver a iniciativa do neto.

Tomou seu café da manhã e escovou os dentes.

Até mais, vovó. – beijou a bochecha da senhora e saiu sem pressa.

(...)

 

O lugar era movimentado, corredores cheio de adolescentes e conversas aleatórias que deixavam Jason desconfortável.

Procurou um lugar quieto para ficar, porém, sentia-se sempre rodeado. Principalmente pelas alunas. Podia-se dizer que Jason estava em um nível alto no padrão de beleza, foi inevitável não chamar atenção.

Era intervalo, estava inquieto. Resolveu andar pelo colégio sem rumo, já que o mesmo mal sabia os locais dali.

Continuou andado pelo corredor longo e movimentado até achar a saída, indo para o pátio.

Era mais tranquilo ali, porém havia um grupo de garotos ali. Despertou curiosidade no chinês, parecia uma briga, aproximou-se e espantou-se com a situação.

Três garotos empurravam a pessoa do meio para o lado e para o outro, puxando o seu cabelo e jogando suas coisas no chão. Junto de palavrões e palavras ofensivas... Aquela pessoa era Ren.

Jason correu até o trio e empurrou um deles, fazendo-o cair bruscamente no chão.

- Hey, covardes. Por que não brigam com alguém do seu tamanho? Tem medo? – arqueou a sobrancelha em modo provocativo, escondendo Ren em suas costas.

- Quem é você? – perguntou o maior entre eles, um pouco mais alto que Jason.

- Isso não vai mudar muita coisa. – o chinês avançou e o socou no rosto.

- Ora seu bastardo! – gritou o de cabeça raspada, indo para cima de Jason, que desviou prontamente. Seus reflexos eram extremamente avulsos.

- Honestamente... Vocês estão ferrados. – subiu em cima do que estava no chão e o encheu de socos, enquanto um deles chegou por trás e o chutou várias vezes nas costas.

Ren não sabia o que fazer, então começou a gritar por ajuda. E logo dois monitores da escola chegaram e separaram os dois.

- Você vai lamentar por isso, novato! Escreva o que eu disse!

 

(...)

 

Na diretoria, Jason, Ren e os três garotos já com o rosto e corpo ferido com vários hematomas e manchas de sangue, esclareciam o acontecimento.

- Terei de chamar os pais de vocês... – a mulher do outro lado da mesa dizia com o telefone nas mãos.

- Por favor, professora... Não faça isso. Meu pai vai me matar. – disse o de cabelo raspado.

- Devia ter pensado nisso antes de se meter em confusão. – ela fitou Jason – Você novato, está se achando não é? Mal entrou na escola e já agrediu nossos alunos e arrumou confusão? Seus pais devem ter desgosto de ter um filho encrenqueiro assim – Jason calou-se. Aquilo o doeu profundamente. – Dê-me o número de seus pais. – fitou o telefone esperando a resposta de Jason, que emudeceu com os lábios trêmulos. – Não está me ouvindo?

- Os pais dele morreram! – Ren exclamou, chamando a atenção dos presentes.

- Oh... – murmurou a professora – Sinto muito... – pigarreou – Então diga-me o contato de seu responsável. – disse em tom baixo.

- Professora... A vó dele não está muito bem de saúde. Poderia poupá-lo desta vez? Prometo que ele não fará isso novamente. – Ren se pronunciou novamente – Este só não foi um bom dia pra ele. Ele pedirá desculpas à escola e aos três... – fitou Jason e ele fez o mesmo.

A professora olhou para o moreno pensando sobre o pedido do rosado. Jason tinha um olhar triste nos olhos, de culpa e angústia.

- Desculpe por isso, professora... Nunca irá se repetir outra vez. – disse de cabeça baixa – A professora suspirou.

- Okay, eu espero que cumpra sua palavra, meu jovem. Estão todos liberados. Ren sorriu em mínimo até sair da sala. Assim que chegaram ao ado de fora, abraçou o maior sorrindo.

- Obrigado. – disse apenas e Jason ficou paralisado. Os abraços de Ren até então eram como um remédio para si.

Os três garotos saíram logo em seguida e fitou Jason e Ren.

- Você tem sorte novato, terá uma hora que não vai poder defender seu namoradinho. Terá uma hora que não estará perto dele pra protege-lo ... Melhora não baixar a guarda, rosinha. – disse olhando com nojo para os dois indo embora dali.

- Não se preocupe Ren. Eu vou te proteger sim! – Jason disse segurando nos ombros do garotinho, que por sinal estava em um tom vermelho, quase chegando a cor de seus fios de cabelo rosa claro.

Ren balançou a cabeça e gritou para os três que estavam prestes a sumir de sua visão.

- NÃO SOMOS NAMORADOS! – disse já em lágrimas. Jason ficou confusio com a reação do menino.

- Ren. Não ligue para o que eles dizem.  Somos amigos, e você sabe disso... Não precisa ficar explicando nada pra ninguém, okay? – escondeu o rosto corado nas mãos, respondendo o maior com a cabeça.

Ren era pequeno, frágil, delicado, carinhoso... Jason sentia que podia protegê-lo, como protegia Yani.

- Vamos sair daqui... Eu levo você em casa. – sorriu e segurou nas mãos do menino, puxando-o até a saída.

 

(...)

 

Chegando na simples e simpática casa onde Ren morava com sua avó e sua mãe, os dois entraram. Sua avó estava sentada em frente à televisão assistindo ao sua novela. Assim que viu Jason o cumprimentou sorrindo.

- Fico feliz que sejam amigos... – disse aos dois garotos.

- Vamos subir vovó. – anunciou Ren – Mamãe ainda está no trabalho? – perguntou e a senhora Choi anunciou com a cabeça. Ren não disse mais nada e subiu com Jason para seu quarto.

Não tinham muito o que fazer ali, por isso Ren subiu em um caixote para alcançar um jogo de tabuleiro em cima de seu armário. Estava empoeirado e velho. Ren o limpou e pôs no chão por cima do tapete verde macio.

- Que jogo é esse? – perguntou Jason.

- Ludo. – Ren disse organizando os peões em seus devidos lugares – Serei o amarelo e o vermelho. Você o verde e o azul. – Disse pegando os dados e balançando nas mãos, Jason ficou totalmente confuso.

- Como se joga isso? – perguntou encarando o estranho tabuleiro colorido, Ren sorriu.

- Bem, basicamente você tem que jogar os dados, precisa ter sorte em dar um número grande, e precisa comer minhas peças antes que eu chegue na torre. – Ren explicou todos os detalhes a Jason até que ele o entendesse. Então começaram a jogar.

Uma rodada, duas, três, quatro... Ren ganhou a todas. Ria da cara do maior. Parecia frustrado, prestes a desistir. Ren o deixaria ganhar desta vez.

E assim foi. Na quinta rodada Jason finalmente havia ganhado, levantou-se e gritou de felicidade.

- FINALMENTE! – esticou os braços em forma de campeão, fazendo o rosado cair na risada.

- Sorte de iniciante... – sorriu de canto – Okay, vamos dar uma pausa, estou com fome.

Os dois desceram e foram até a cozinha. Ren preparava ramén enquanto Jason esperava calado no balcão.

A porta de entrada se abriu e uma linda mulher entrou. Tinha os lábios e os olhos de Ren. Era a senhorita Choi.

Colocou suas compras na mesa e Jason prontamente a ajudou.

- Obrigada meu jovem. – Ren virou-se e olhou para a mãe.

- Oi, mamãe. – voltou a focar no alimento.

- Oi, filho. – olhou para Jason – Quem é seu amigo? – perguntou sorrindo para o rapaz alto.

- Ele é filho da amiga da vovó. Saímos cedo da escola hoje, ele veio até aqui jogar. – A mulher cumprimentou o moreno sorrindo.

- Seja bem-vindo. Venha quando quiser. É raro Ren trazer amigos, você é especial. – Ren corou com as palavras da mãe. Ren na verdade nunca teve amigos. Todos os achavam estranho e se afastavam. Ele era sempre sozinhos... Jason salvou sua vida. – Fiquem à vontade. Irei descansar...

A mulher de cabelos longos e castanhos subiu as escadas.

- Ren, posso te perguntar algo? – perguntou Jason perguntou após um breve tempo de silêncio.

- Diga.

- Porque seu cabelo é rosa. – Ren arregalou os olhos.

- Bem... – desligou o fogo e serviu o ramén em duas tigelas. – dois garotos me obrigaram... Desde então eu mantive eles assim. – sentou-se de frente para Jason.

- Te obrigaram? – franziu o cenho – Quer que eu dei um jeito neles? – Ren sorriu tímido. Sorriu confortável pela maneira que Jason o tratava, era cuidadoso como ninguém.

- Não se preocupe, eu gosto dele assim ... – os dois se calaram e comeram o macarrão.

 

(...)

 

- Então, nós nos veremos amanhã. – disse Jason na porta.

- Sim... – emudeceu e fitou o maior – Jason, obrigado por hoje. Sério. – disse o olhando com carinho.

- Eu é que agradeço... Achei que o dia fosse ser chato. Se quiser passar lá em casa amanhã depois da escola fique a vontade. – os dois sorriram – Leve o jogo, farei chá chinês para você. – bagunçou carinhosamente os cabelos do pequeno, que retribuiu com um sorriso meigo.

- Até amanhã.

- Até.

 

(...)

 

 


Notas Finais


Então, espero que tenham gostado, meus bebês~
Bem, o próximo é o ultimo... Não vou desanimar pelos poucos favoritos, até por que eu to amando escrever PRISM e,e
Beijaum no coraçaum~ <3 Fiquem bem ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...