História Prison days - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Mutilação, Originais, Policial, Sexo
Exibições 5
Palavras 969
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Poesias, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Bem, olá, essa é a minha primeira fanfic, e acho que é a primeira vez que eu escrevo alguma coisa que eu queira continuar como um livro... Bem, vamos lá, espero que gostem e acho que é só...
~Tô nervosa.

Capítulo 1 - O diário de uma prisioneira...


Fanfic / Fanfiction Prison days - Capítulo 1 - O diário de uma prisioneira...

"Bem, vamos lá, ganhei essa droga de livro hoje no meu momento de visita, foi minha mãe que me deu, disse que eu deveria escrever algumas coisa aqui para ajudar passar o tempo, ah, ela não vem mais me visitar aqui. Claro, eu entendo que ela não esperava que a "doce filha" dela virasse uma criminosa... Admito que nem eu esperava por isso, eu tinha outros planos para quando eu fizesse vinte anos, nenhum deles envolvia ser jogada num buraco.

Bem, como não tenho, exatamente, porra nenhuma para fazer vou escrever alguma merda aqui e depois vou fazer os exercícios quando a vadia daquela guarda maldita mandar, ela acha que é alguém só porque tem uma arma e um bastão, bem... Ela ainda é alguém pode bater em mim sem a menor justificativa.

Acho que vou escrever sobre minha vida: A biografia de Hailey Hill Jones, a garota que tinha tudo para ser alguém... O mundo não sabe como eu era, as pessoas acham que eu era perfeita só por ter um cabelo loiro, olhos verdinhos, puta merda, nunca julgue uma livro pela capa, pode dar merda... Todo mundo dizia que eu ia ser um sucesso, que eu ser linda, que eu ia ser alguém, mas eu não queria. Uma vez na vida eu quis ser eu, então tirei o vestido de boa moça e coloquei um bem curto e vermelho, me envolvi com vários caras, me prostitui para pagar a porra do meu aluguel e mandei um foda-se para minha família, a faculdade e os antigos amigos, tudo em troca de diversão. Resumindo: Virei uma vadia.

Mas eu nunca tive o que eu deveria, podem dizer que eu não dava valor ao que eu tinha, mas agora que perdi por favor não quero de volta. Na minha infância eu não entendia as coisas, bem normal, mas quando fiz dez anos e passei a entender um pouco mais do que realmente se passava na minha vida, possa-se dizer que virei uma revoltada. Minha mãe era uma alcoólatra secreta e fumante nas horas vagas, sei disso porque várias vezes eu voltava mais cedo para casa e encontrava ela embriagada, não tem moral para me julgar. Meu pai, era um cafajeste qualquer, trabalhava como contador numa empresa quase falida especializada em vender peças de automóveis, mas ganhava um bom dinheiro, e em seu tempo livre o que mais gostava de fazer era trair minha mãe, em uma dessas traições eu acabei ganhando um irmão, na verdade a mulher que teve meu irmão era nossa vizinha, casada também, ela e o meu foi embora quando Dennis nasceu, nunca conheci esse menino, e eu fiquei com minha mãe, e como as contas da casa estavam muito altas, tivemos que mudar para uma menor em Camden em Nova Jersey, minha mãe arrumou emprego, mas metade do dinheiro que ganhava era para comprar comida e pagar as contas, e a outra metade bebidas e cigarros.

A cidade de Camden foi boa, apesar da violência que havia por lá, e as treze vezes que fui assaltada. - Puta merda, minha mão está doendo. - Minha mãe teve um caso lá, um cara era um marginal, na verdade recém-reabilitado, ele dormiu com ela uma noite e no outro dia a TV da sala tinha sumido e o cara nunca mais apareceu... Depois de um longo tempo conseguimos comprar um nova e até melhor que a outra, e então minha mãe falou que tinha que viajar por causa do trabalho dela, e não poderia me levar, eu já tinha quase treze anos na época, eu fiquei com minha avó, eu só a via em reuniões familiares.

Quando minha mãe me deixou na casa da minha avó descobri que ela tinha um sobrinho, ele devia ter mais de vinte anos, mas não chegava a ter a idade da minha mãe, aquele homem era nojento, o nome dele era Robert, não tinha emprego, perdeu a esposa e a casa e foi morar com minha avó. Desde o dia em que pus os pés na casa (velha e mal cheirosa) da minha avó aquele cara não parou de tentar me comer, mas ele nunca o fez, mas eu detestava quando minha avó saía, ele aproveitava para me molestar, eu lembro bem de quando ele me obrigava a ficar sem calcinha e me forçava a assistir vídeos pornô, o único motivo que eu tinha para que eu deixasse ele fazer isso é que ele tinha uma arma que escondia em algum lugar do quarto dele, então quando eu não queria que ele me tocasse ele ameaçava me matar, matar minha mãe e minha avó, eu tinha medo...

Por sorte minha mãe voltou dois meses depois, apenas para me buscar, mudamos de novo, dessa vez para uma casa um pouco melhor em Philadelphia, minha mãe encontrou uma casa legal e por um preço bem baixo, por um tempo eu até achei que casa era assombrada, mas não cheguei a chamar os caça fantasmas, era só medo de ter um monstro em baixo da cama. Parecia que tudo ia dar certo, mas então eu fui para a escola, e foi aí que eu virei o que sou hoje"

- Ei patricinha, tá na hora do exercício! - disse a guarda batendo na porta minha cela. - fechei o livro e escondi o livro em baixo da cama. - Por que a demora vadia? Anda, pra fora.

Nesse lugar eu já fui agredida, xingada, humilhada, bem é uma prisão, não vim aqui para fazer amigos ou tirar férias. Se passaram apenas duas semanas desde que pus os pés aqui e posso dizer que faço sucesso na ala masculina e até mesmo com algumas lesbicas, faço tudo para conseguir um cigarro, ou uma bebida ou apenas me livrar de uma surra, o que vier primeiro.

Continua...


Notas Finais


Se você leu até aqui, muito obrigado, eu não sabia ao certo o que escrever, a capa da fic foi eu que fiz talvez não esteja muito, espero que vocês tenham gostado da protagonista... comente o que achou, favorite a fanfic, muito obrigado se fizer isso... E até o próximo capítulo, porque eu tô muito afim de continuar... beijos do meu coração escuro <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...