História Prison Of Sex 4 - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags 5sos, Adam, Alex, Alex Høgh Anderson, Ashton Irwin, Calum Hood, Cashton, Drama, Fuck, Gay Sex, Harry Styles, Jail, Jasper Madison, Larry Stylelinson, Lemon, Liam Payne, Louis Tomlinson, Luke Hemmings, Michael Clifford, One Direction, Sex, Zayn Malik, Ziam
Visualizações 8
Palavras 3.900
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Lemon, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Final da temporada, tristizinho eu sei.

Capítulo 24 - No Corredor Ao Lado Há Um Motim (2)


N.A.R.R.A.D.O.R.

Na prisão pública de Londres, vive um monstro. Um monstro do tipo que mata pessoas, lhes rouba e tortura. Ninguém jamais viu seu rosto e sobreviveu para contar como ele é. Muitos não sabem, mas este mostro já caminhou entre eles, disfarçado. Mas naquela noite de Natal, ele irá atacar e fazer todos os outros se perguntarem:

"Quem criou esse monstro? Porquê um homem seria capaz disso? Só para ter poder?"

A resposta é simples, monstros são criados por outros. Às vezes, ainda piores.

Jasper estava com um sorriso de orelha à orelha, só de ver o rosto de Michael, lhe lançando olhares maldosos, o ruivo já sentia invejável. Mas algo lhe chamara a atenção, era o cheiro que vinha do forno ao lado de Liam. Caminhou até lá em passos largos; olhou para Liam e sorriu.

— Estamos em uma maldita prisão! Como conseguiu fazer a comida daqui cheirar tão bem?

— É simples, eu só sou muito bom na cozinha. — Liam respondeu. Estava batendo uma massa marrom em uma bacia redonda. A mistura, apesar de crua, também cheirava muito bem.

Jasper desviou seus olhos para os arredores da pia e em cima do fogão. Havia tantas panelas e pratos sujos, coisas assando, cozinhando, fritando. Eram tantas as comidas, que Jasper já nem queria saber o que eram, somente comê-las. Estendeu sua mão para pegar, uma das muitas, cerejas que estavam descansando em uma vazilha cheia de água; Liam deu um tapa forte na mão do garoto e fez com que ele recuasse choramingando.

— Você vai comer quando for a hora! — Liam falou friamente. Jasper pela primeira vez não retrucou.

— Eu posso pelo menos te ajudar? — questionou o ruivo.

— Tudo bem. — Liam respondeu depois de longos segundos. — Mas se ver uma migalha sequer na tua boca, lhe tinjo os cabelos de louro.

— Deus me livre. — Jasper respondeu se afastando dos pratos.

— Pegue aquela forma ali — e apontou para um pequeno balcão perto da porta da despensa. — E traga para mim. — Jasper fez o que lhe fora instruído. — Eu não me lembro quando foi que comecei a cozinhar, mas depois que aprendi, nunca consegui parar. Bom, exceto desde cinco anos atrás em que não fiz nada.

— Você foi preso há cinco anos atrás? — Jasper perguntou. Se aproximou da pia, se preparando para começar à lavar à louça.

— Não, bem antes disso na verdade. Acho que já tem bem uns sete anos.

— Wow! Que diabos tu fez para ainda estar aqui? — exclamou Jasper, que quase derrubara o copo de vidro ensaboado preso em sua mão.

— Bem... — Liam parou de mexer a massa por um instante, apenas observou os grandes olhos castanhos de Jasper. — Eu matei minha namorada. — Os dois ficaram ali se encarando por um tempo, todos os outros rindo e conversando, mas Liam e Jasper estavam sérios.

— Isso é foda... Posso perguntar porquê?

— Acho que já perguntou.

— Desculpe, eu não...

— Jasper pedindo desculpas — Liam indagou cortando o mesmo. —, isso deve ser mesmo um milagre de Natal. — Jasper sorriu e revirou os olhos. — Mas respondendo sua pergunta, eu fiz isso porque eu era meio perturbado na época. Tinha problemas de saúde, um pouquinho de bipolaridade. Eu era muito nervoso. Um dia, não me lembro quando, tudo ao meu redor começou a desmoronar e, eu não estava aguentando ficar embaixo de todos aqueles entulhos. Eu comecei a ter problemas em casa, e então, uma coisa leva à outra. Eu peguei ela com o próprio primo, fazendo sexo.

— Com o primo? — Jasper fez uma cara de nojo.

— Exato! Aquilo foi o suficiente para me fazer explodir de raiva. Naquele dia eu decidi não me segurar mais, eu me deixei levar... O que eu fiz foi errado, eu sei disso agora e me arrependo muito. Até mesmo minha mãe me abandonou naquela época, e eu não a culpo. Mas se eu pudesse fazer tudo de novo, acredite Jasper, eu faria.

Liam encarou Jasper, que estava com uma expressão muito confusa. Respirou fundo e sorriu, olhou ao redor da cozinha e depois voltou-se para o ruivo.

— E sabe porquê? — Jasper abriu a boca mas Liam não lhe deu tempo para responder. — Por que graças a isso hoje eu sou uma pessoa muito feliz. Não me entenda mau, eu sei que o que fiz foi completamente errado. Mas por conta disso, hoje eu tenho amigos de verdade, e isso inclui você; sou casado com um homem, coisa que eu nunca imaginei que faria; e minha mãe me perdoou. Sem falar que posso vê-la todos os dias. Se você não sabe, ela é a enfermeira que trabalha aqui.

— Isso é... Liam... — Jasper estava se perdendo em suas próprias palavras. — Você me considera um amigo? — Seus olhos se encheram de lágrimas rapidamente. — Um amigo mesmo? De verdade?

— Claro que sim! No começo eu te odiava, mas...

— Eu também odiava você, eu achava seu cabelo gorduroso. Você caminhava estranho, eu também te acahava feio.

— Olha, só por que somos amigos agora, não quer dizer que isso ainda não me machuque. — Liam falou e Jasper sibilou um "me desculpe". — Se não fosse Natal eu teria de batido.

Jasper sorriu e tratou de fazer aquelas lágrimas sumirem em segundos. Ele queria continuar aquela conversa sentimental com Liam, mas não pôde, Louis chegou ao seu lado e também tentou pegar uma cereja, e assim como ele, também levou um tapa forte de Liam na mão.

— Não toca na minha comida seu traste! — Bradou Liam.

— Do quê merda estão falando? — Louis falou enquanto chacoalhava a mão que, agoras estava vermelha como pimentão.

— Nada demais. — Liam respondeu.

— Ele só estava me ensinando alguns truques para fazer um bom bolo. — disse Jasper, logo voltando para sua louça suja.

— AH! — Louis exclamou arregalando seus olhos azuis. — Agora que você está bem novamente, poderia voltar a ser o chefe! Aposto que eu não sou o único que sente falata da sua comida. — Louis fez Jasper se vira bruscamente para Liam.

— Você era o cozinheiro daqui? — questionou.

— Eu era. — Liam respondeu sem jeito. — Antes de acontecer o acidente.

— Aquele que te deixou de cadeira de rodas? Sinto muito tocar nesse assunto.

— Jasper, se você se desculpar mais uma vez, eu juro que vou pedir para a minha mãe te examinar. — Liam disse, os fazendo rir.

— E a comida dele é ótima, espere até provar. — Louis acrescenteou. — Você está melhor, não está?

— Sim, eu me sinto melhor. Mas não sei se seria uma boa ideia voltar agora. — Liam respondeu. Seus olhos baixos e fixos na massa que voltara a mexer.

— Eu poderia ajudar com isso. — falou Jasper.

— Você sabia que a primeira vez que Zayn e ele fizeram sexo, foi aqui mesmo nesta cozinha? — Louis disse próximo ao ouvido de Jasper. O mesmo abriu a boca chocado com a informação.

— Isso é piada! — Jasper exclamou incrédulo.

— É verdade. — Louis e Jasper soltaram risadinhas. — E também foi nesta cozinha que quase morri em uma explosão. E você Louis, quase morreu também. — Liam lhes calou a boca.

— De qualquer modo, foi só uma ideia. — Louis falou rapidamente. Pegou uma esponja e logo começou a ajudar Jasper com à louça.

— Não fiquem irritados, é Natal. — Liam acrescentou depressa. Percebeu que havia sido grosseiro. — Vamos apenas falar de coisas boas.

— Tipo o quê? — Louis perguntou. Mas antes que alguém pudesse responder; Chester, o coelho de Calum, saltou dentro da pia espirrando água em Jasper e Louis.

Os dois gritaram alto e se afastaram, Jasper até mesmo caiu no chão. Havia escorregado na poça de água que acabara de derrubar. Todos os outros riram alto daquela cena. Calum se apressou e pegou Chester ainda em cima da pia, agora quase que completamente enxarcado.

— Ai meu Deus! — Calum disse enquanto gargalhava. — Eu sinto muito, vocês estão bem?

— Sabe Liam, qual é mesmo o nome daquele peru que se assa no Natal? — Jasper disse enquanto se levantava. Um tom de voz rouco e irritado.

— É Chester. — Liam respondeu encarando o coelho gorodo e marrom nos braços de Calum.

— Coincidência? Acho que não. — Louis indagou.

— Não cheguem perto dele, seus monstros! — Calum disse apertando o coelho ainda mais em seus braços.

Os minutos se arrastaram, os garotos se divertiam contando histórias do passado e fazendo jogos. O jantar ainda não estava pronto e Ashton já estava chapado. Mas não era o único, Zayn estava lhe fazendo companhia, ambos rindo muito e com os olhos vermelhos. Liam obrigou todos a arrumarem à pequena mesa que havia ali, colocaram todos os pratos e sobremesas ali em cima, deixando à mesma tão enfeitada que quase não teve espaço para mexer os garfos nos pratos.

— Esperem! — Berrou Liam.

— E o quê o foi agora? — Zayn choramingou, deixando sua voz embolada transparecer. — Estamos morrendo de fome!

— Acho que devíamos agradecer por tudo o que já houve este ano. — Liam disse. Lançou um olhar desdenhoso para Zayn.  — Nós chegamos até o fim e, infelizmente, um de nós não pôde estar aqui hoje. — Liam estava claramente falando de Alex. Michael ficou cabisbaixo, Louis tomou suspirou deixando seus olhos marejarem. — Ainda é difícil para mim acreditar que o Alex não está mais aqui. Ele esteve com a gente desde o começo e agora... — Todos se calaram por quase dois minutos. Louis chorou em silêncio, Harry segurando em sua mão. — Mas também tivemos coisas boas. Começando por mim voltando a andar. — Liam sorriu convencido, mesmo ainda estando com o rosto escorrendo algumas lágrimas.

— Eu parei de beber. — Louis disse.

— Eu voltei a falar com vocês. — falou Luke. Encarou cada um ao seu redor naquela mesa pequena.

— Eu cheguei aqui para alegrar a vida de vocês. — Disse Jasper, fazendo todos sorrirem. — Eu sei, nem precisa agradecer.

— Eu acordei do coma. — Harry falou. Louis apertou ainda mais sua mão na do garoto embaixo da mesa.

— Ué, pensei que estávamos falando só das coisas boas que aconteceram este ano. — Zayn zombou.

— É por isso que eu não te deixo fumar mais. — Liam respondeu.

— Foi só uma brincadeira. — Zayn disse lentamente. — Eu estou muito feliz que você voltou, Harry! — E abraçou Harry ao seu lado fortemente.

Harry abriu a boca para dizer algo mas não teve chance. Um barulho explosivo fez todos eles se virarem bruscamente para à porta . O barulho se repetiu, estava claro que aquilo era a explosão de uma bomba. Eles se entreolharam, Jasper foi o primeiro a se levantar, os outros logo em seguida. Todos correram para fora e tiveram uma das mais belas visões de suas vidas.

Pelas Janelas de vidro eles viram à neve caíndo mais rápido do que nunca, e entre á neve tinha as bombas, os fogos de artifício explodindo em cores e formas diversas. Eles sorriram. Jasper correu para à janela mais próximae abriu a mesma. Uma jarrada de vento invadiu o lugar, mas ninguém se importou com o frio, todos foram para mais perto e soltaram vários suspiros de satisfação, enquanto davam risadinhas animadas.

— Feliz Natal, seus filhos da puta. — Jasper disse.

E ali eles ficaram por alguns minutos, apenas rindo e conversando. Tudo estava perfeito, o Natal estava perfeito. Eles voltaram e comeram o máximo que puderam, gritavam e gargalhavam alto. Pouco se importavam se algum guarda iria lhes ouvir. O que era estranho, pois com aquele barulho todo que eles estavam fazendo, já era para alguém ter aparecido lá.

Eles já tinham limpado tudo. O relógio marcava mais de uma hora da madrugada. Jasper trancou a porta e guardou a chave no bolso de trás de sua calça.

— Você vai devolver as chaves agora? — Louis perguntou começando a andar em direção as escadas.

— Eu faço isso depois, agora eu só quero dormir e... — Jasper se calou naquele momento. Eles pararam no meio do caminho. Todas às luzes tinham se apagado.

— Que merda! — Ashton disse.

— Caralho! Estão vendo alguma coisa? — Michael perguntou.

— Um pouco. — A voz de Harry respondeu. A luz era pouco, apenas as que vinham do lado de fora e adentrava o lugar pelas janelas.

— O que será que foi isso? — Zayn perguntou.

— Um apagão não foi, os postes estão acesos do lado de fora. — Jasper explicou.

De repente, uma gargalhada assombrosa soou. Fora tão alta que nenhum deles conseguiu localizar da onde vinha.

— É melhor ficarmos próximos. — Disse Harry.

Todos eles foram para perto da janela no fundo do refeitório, ali havia mais claridade. Outro barulho foi ouvido, mas desta vez não fora uma risada e sim algo bem mais alto. Um barulho que todos eles já conheciam. 

— Isso foi um tiro? — Liam perguntou já assustado.

—  Se eu conseguir chegar ao meu dormitório... — Jasper disse entredentes.

— Não! E se for algum louco querendo atacar todos? — Harry disse.

— Merda... — Jasper indagou. — Eu posso me defender, eu tenho uma arma.

— Você tem uma o quê?! — Luke falou incrédulo.

— Falem baixo seus pestes! — Liam ordenou.

— Por que você tem uma arma? E por que nunca me disse nada? — Harry sussurrou.

— Não é nada demais, é só para me defender. Foi o Adam quem tinha conseguido para mim.

— Jasper... — A voz de Harry foi abafada por outro tiro.

Desta vez, todos eles de fato se assustaram. Chester que estava no colo de Calum, saltou para a frente e saiu saltitando no escuro.

— Chester! — Calum gritou e saiu correndo atrás do mesmo.

— Calum! Não! — Liam gritou também. Saiu correndo atrás do mesmo

Calum tentando alcançar Chester, mas era difícil enxergar um coelho marrom naquele lugar pouco iluminado. Liam atrás do mesmo.

— Eu vou atrás deles. — Jasper disse sumindo, deixando apenas seus passos distantes claros.

— Aonde vocês vão?! Voltem aqui! — Louis falou.

— Malditos sejam! — Harry bufou.

Eles saíram atrás dos outros três, mas não lhes encontraram.

— Calum! —Liam berrou, finalmente alcaçando o menino.

— Eu tenho de achá-lo. Ele vai acabar se perdendo. — Calum disse desesperado. Olhando em todos os lugares possíveis. Já estava bem longe do refeitório.

— Calum, ele é só um coelho. Vamos, é melhor voltarmos para lá, antes que algo aconteça. — Liam disse.

— Ele não é só um coelho! — falou Calum com raiva. — Ele é o meu coelho! — Os olhos de Calum brilharam no escuro. Liam não disse mais nada, se agachou e começou a olhar ao redor tentando encontrar Chester também. — Vmaos Chester, apareça.

— Encontrei! — Liam saltou por cima de um móvel e conseguiu agarrar o coelho.

Calum suspirou alíviado. Correu para perto de Liam e pegou Chester em seu colo. Quando eles levantaram suas cabeças, viram que Jasper estava vindo em sua direção, era um corredor longo. Aquela gargalhada foi escutada ali. Jasper encarou Liam e Calum de olhos arregalados.

Liam sibilou um "vá embora!"; Jasper negou com a cabeça, mas Liam insistiu. Jasper olhou ao redor. Passos vindo para lá. Seja lá quem fosse, estava chegando. Jasper correu para a parte mais escura daquele cômodo e se escondeu atrás algo que, com aquela iluminação, parecia ser um sofá.

— Vem! — Liam sussurrou para Calum.

Eles se agacharam e ficaram escondidos no escuro. Dali eles tinha a visão da parte do corredor onde estava um pouco mais claro. A risada ficou mais alta juntamente com o barulho dos passos. Os dois então viram algo assustador. Se tratava de um grupo de quatro pessoas, todas estavam usando máscaras, uma delas era de palhaço. Calum guinchou e Chester saltou novamente.

— Nãooo! — Calum sussurrou roucamente. Tentou se levantar mas Liam o puxou de volta. O garoto caiu sentado, Liam o puxou para perto de si e tapou sua boca.

Calum tentou de tudo para se soltar, mas Liam era mais forte. Chester saiu saltitando até o grupo de pessoas. Calum começou a chorar, pequenos ruídos agudos escapavam por entre os dedos de Liam presos na boca do mesmo.

— Fica quieto, vão nos achar! — sussurrou Liam ao ouvido de Calum.

— Olhem só! — Um dos máscarados berrou. — Veja o que temos aqui, um pequeno coelhinho, fofinho. — Sua voz era estranhamente grossa e assustadora.

— Acho que vou ficar com ele. — Outro mácarado disse.

Calum conseguiu dar uma cotovelada na barriga de Liam. Este soltou Calum que, se levantou de um salto só e correu até o grupo.

— Não toque nele!

O grupo olhou para Calum que vinha correndo. O que estava de palhaço apontou sua arma para Calum.

— Fique parado! — gritou. Mas Calum não lhe deu atenção, ele só queria salvar o seu bichinho.

O homem então atirou, acertando em cheio o ombro esquerdo de Calum. O mesmo caiu com um baque forte no chão. Um dos quatro gargalhou alto. Jasper ouviu o tiro e ficou de pé. Assustado com nunca antes. Liam murmurou um "porra!".

— Ele é amigo dele. — Um deles disse.

— É mesmo? — O que estava vestido de palhaço indagou. Calum gemendo de dor no chão. — Então ele virá atrás dele. Peguem-no.

Com lágrimas nops olhos, Jasper e Liam tiveram de assistir aquela cena. Calum sendo arrastado por aqueles homens para longe enquanto sangrava. Jasper correu para mais perto sem chamar atenção. Calum lhe viu e Jasper sussurrou um "tudo vai ficar bem!". Mas nem ele estava acreditando naquilo.

— Jasper. — Liam falou saindo da escuridão.

— Vá encontrar os outros. Eu vou pegar minha arma e encontro vocês aqui. — Jasper disse calmamente, como se já tivesse passado por aquilo antes.

— Eles levaram ele. Jasper, ele levou um tiro. — Liam falou já começando à chorar. 

— Ele vai ficar bem. Agora seja forte e vá chamar os outros. Rápido! — Jasper disse. Liam concordou com a cabeça, suas mãos estavam tremendo. Ele começou a se afastar, mas Jasper gritou seu nome. — Liam! — este olhou para trás. — Cuidado. — Liam concordou e voltou a correr.

Jasper foi em direção às escadas e as subiu depressa. Apesar de não demonstrar, ele estava para lá de assustado, mas bem lá no fundo ele tinha uma ideia do que estava acontecendo ali. E tinha uma grande suspeita de aquilo tinha dedo de Adam envolvido.

Liam voltou para onde os outros estavam , eles ainda estavam ali com medo.

— Liam! — Zayn exclamou indo abraçar seu marido.

— Precisamos ajudá-lo! — falou Liam depressa.

— Ajudar quem? Aonde estão Jasper e Calum? Ouvimos um tiro. — disparou Harry.

— Eles levaram o Calum. Ele levou um tiro. — Os garotos se entreolharam apavorados. — Eu não sei o que está acontecendo. Mas precisamos ajudar ele. — Liam deixava suas lágrimas rolarem.

— Jasper foi pegar sua arma, certo? — Louis questionou. Liam concordou desesperadamente. — Vamos fazer assim, alguns de nós tenta encontrar o padrão de energia para ligá-lo de novo, enquanto os outros vão atrás de Jasper. Ele vai precisar de ajudar.

— Nos separarmos? — Michael indagou.

— Vamos ajudar o Calum! Eu não vou deixar mais nenhum de nós morrer sem fazer nada a respeito.

— Luke, Ashton e eu vamos encontrar o padrão. — disse Harry. Louis abriu a boca para contra-argumentar sobre aquilo. — Você — Harry pegou as mãos de Louis e deixou um rápido beijo nas mesmas. — Vá com Michael, Zayn e Liam atrás do Jasper. Agora vamos.

Em segundos eles se separaram, não tinham tempo para pensar no que estava havendo, só sabiam que um deles tinha sido atingido por um tiro. O motivo? Ninguém fazia ideia. Por que estavam sendo atacados? Ninguém fazia ideia. Mas eles sabiam que precisavam ficar juntos agora. Louis olhou para trás, mas a única coisa que viu foi as costas de Harry sumir na escuridão ao lado de Luke e Ashton.

— Ele acha que me engana? — Jasper falava sozinho enquanto adentrava seu quarto. Foi direto para sua bolsa. Em bolso secreto ele pegou sua arma, checou e a mesma estava carregada. — Ele contou. Mas não vai conseguir matar nenhum de nós. — Jasper se levantou e saiu para fora, olhou para os dois lados do corredor, ele estava sozinho.

Jasper não precisava ser um gênio para saber que aquilo estava acontecendo porque Adam havia mentido para Pazzo, aumentando a história da morte de Mark. Era a única explicação. Pazzo sabia aonde eles estariam e que horas nenhum guarda poderia lhes ajudar. Então existia mesmo alguém que mandava naquele lugar, alguém que eles não conheciam.

O coração de Jasper disparou. Quando o garoto estava perto das escadas, a porta de um dos quartos se escancarou e o puxou para dentro de um só vez. Jasper não viu mais nada. Só conseguiu enxergar a pequena claridade do lado de fora sumir diante de seus olhos, no instante seguinte ele ouviu a porta se fechar com força. Ele estava preso naquele quarto escuro com mais alguém.

Luke qubrou uma janela, assim eles pularam para o lado de fora, caindo em um monte de neve.

— O padrão de luz fica perto da horta, eu me lembro! — disse ele.

Os três caminharam lado a lado até a horta, tremendo de frio e indo o mais rápido que conseguiam.

— Quem atacaria uma prisão em plena madrugada de Natal? — Harry disse.

— Eu espero que não seja o que eu estou pensando. — Luke falou.

Eles chegaram na entrada da horta. O padrão ficava dentro da estufa, que por sinal estava com a porta derrubada no chão. Estava fácil demais. Eles entraram, mas nem tiveram chance de encontrar o padrão; a luz de várias lanternas se chocaram com seus olhos. Assim eles viram que, bem ali na sua frente tinha dois homens, um deles com uma arma direcionada para eles e uma máscara de boneca sobre o rosto. Já o outro, era o guarda peralta, estava morto. Seu cadáver caído aos pés do mascárado, seus olhos ainda abertos porém sem vida, saía sangue de seu peito.

— Puta merda. — Ashton falou. O homem destravou sua arma se preparando para atirar.

Dentro da prisão, Zayn, Liam, Louis e Michael estavam caminhando pelo corredor, na esperança de encontrarem Jasper.

— Alguém viu ele? — Zayn perguntou.

— Não. Está escuro, talvez a gente pode estar no corredor errado. — Michael falou, a aflição em sua voz.

Antes que mais alguém dissesse algo, eles ouviram passos vindos da escadas. Depois gritos. Os quatro correram para  final do corredor, aonde estava mais escuro.

— Não façam barulho. — Zayn sussurrou.

Outro tiro foi disparado. Eles se assustaram, Louis até mesmo deixou um grito escapar. Masi passos e mais medo.

Eles estavam sozinhos, não podiam fazer nada. Separados e correndo perigo. No momento, nehum deles poderia se ajudar, poderia ajudar uns aos outros. Eles estavam encurralados, completamente perdidos. Desta vez, algo muito sério estava acontecendo. Homens maus estavam tomando o lugar.

— Vamos ficar juntos! — Zayn disse. Puxou Liam para trás de si, Louis ao seu lado e Michael mais para trás. Um homem alto e com algo no rosto vinha subindo para aquele corredor; carregava um corpo sobre os ombros.

Luke e os meninos não sabiam o que fazer, Jasper não sabia o que fazer, muito menos Zayn e os outros. E Calum, estava agora em algo parecido com uma sala, jogado no chão gelado enquanto sentia um dor aguda em seu ombro direto. Sim, homens maus tinham tomado a prisão pública de Londres, o problema era que eles não iriam embora, afinal sempre estiveram ali.


Notas Finais


Sim, esse foi final da temporada, bem aberto deixando todo o mistério no ar. O pobre do Calum levou um tiro, e algo me diz q ele não será o único. Enfim, vão ter q esperar pra ver! Não tirem a fic da biblioteca pq eu venho AQUI avisar assim q tiver postado a quinta e nova temporada. E aí gente? Gostaram desse final? O q acharam? Estão aflitos? Preocupados? POR FAVOR NÃO
ME IGNOREM E COMENTEM ALGO. NÃO PRECISA TER VERGONHA, COMENTAR NÃO VAI MATAR VCS TÁ BOM? Sério gente, eu demoro pra postar às vezes por conta dessa insegurança, se pelo menos uma pessoa comentasse sua opinião, já me deixaria mais calmo. Eu tbm sou inseguro, como sei q muitos de vcs tbm são, por isso pessoa ajuda de vcs. Mas vcs vão acabar me ignorando como sempre.... Só mais uma coisa, não se enganem com essa de que "é uma fic Larry, Louis e o Harry não podem morrer." Acho q já deu pra notar q eu gosto de matar personagens. Não estou dizendo q viu matar eles dois, mas eles têm tanta chance quanto os outros personagens. Enfim.... Até breve, amo vcsss meus bbs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...