História Prisoners Of Fate - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Originals, The Vampire Diaries
Personagens Alaric Saltzman, Bonnie Bennett, Caroline Forbes, Damon Salvatore, Davina Claire, Elena Gilbert, Elijah Mikaelson, Enzo, Esther Mikaelson, Finn Mikaelson, Freya Mikaelson, Hayley Marshall, Hope Mikaelson, Jeremy Gilbert, Josette "Jo" Laughlin-Saltzman, Katherine Pierce, Klaus Mikaelson, Kol Mikaelson, Lucas "Luke" Parker, Malachai "Kai" Parker, Marcellus "Marcel" Gerard, Matt Donovan, Rebekah Mikaelson, Stefan Salvatore, Tyler Lockwood
Tags Danielle Campbell, The Originals, The Vampire Diaries
Visualizações 18
Palavras 1.193
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Fantasia, Luta, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Quanto mais sangue melhor


Fanfic / Fanfiction Prisoners Of Fate - Capítulo 4 - Quanto mais sangue melhor

Pov Beatrice

Eu estava a caminho da escola, Bonnie me falou sobre alguns registros do meu pai de alguns antigos. Isso eu não sabia, ele já morou aqui quando jovem, do ondem conheceu minha mãe. Já estava noite quando cheguei a escola, ok meus pais me educavam em casa nunca frequentei uma sala de aula com outros alunos, corredores escuros e silenciosos realmente escolas são assustadores, como não conheço nada por aqui, abri todas as porta até encontrar aquela que a Bonnie estava. Não posso negar que uma boa parte de mim estava com medo, aquele garoto que encontrei hoje me deixou ainda mais amendrontada, nos seus olhos refletiam algo que eu já conhecia, o assassino cruel, o sociopata que teve prazer no que fez com a sua família, isso era o de menos no que vi nele, uma maldade desigual em seu olhar, uma faísca praticamente saiu de nós quando ele pegou na minha mão.

Uma força descomunal me empurrou para uma sala aonde fui jogada com força sobre algumas mesas, tentei me levantar mas não conseguia, senti uma for na minha testa coloquei a mão sobre o local dolorido e senti o sangue, de repente a pressão sobre o meu corpo sumiu e eu consegui levantar, me virei vendo o Kai parado na porta com um sorriso vitorioso

-Belo encontro docinho- Disse ele levantando a mão me fazendo cair ainda mais longe

Fechei os olhos me concentrando tentando acumular minhas forças.

-Perdeu a fala?- Falou debochado

Levantei ainda de costas pra ele, agora minha magia tinha que ser mais forte, já sei que mesmo durante tanto tempo ainda tenho magia, mas preciso de mais. Olhei pra ele com um sorriso falso, levantei minha mão em sua direção e tudo na sala voava na sua direção

-Vatos!-Digo e e ele se abaixou se protegendo com o braço- Quem perdeu a fala foi você agora Malachai

Ele certamente exalava fúria, seus olhos em chamas por raiva, provavelmente ele não gostava do próprio nome, sorri era exatamente isso que eu queria, ver sua raiva. Ele levantou limpando o canto de sua boca sujo de sangue,

-A mocinha do surto de magia se acha mais forte que eu- Ele fala desacreditado

-Mais forte do que eu mocinho que precisa sugar magia de outros lugares com certeza- Rebati

Mexo com os meus dedos e ele cai de joelhos na minha frente com dor, mas algo me fez cair também e não foi ele. Frente a frente com ele ajoelhados.

-A bruxinha não aguentou?- perguntou debochado

Me levanto com esforço, vendo o seu sorriso maldoso crescer. Ergo meus dedos e os vidros das janelas se quebram, caindo todos perto dele. Me aproximo olhando firmemente em seus olhos assim como ele.

"Malachai Parker e Beatrice Lancaster. A eternidade espera vocês dois, suas almas ligadas até o fim. Nada nem ninguém poderá separa aquilo que o destino irá unir"

A voz da minha mãe recuou na minha mente, mas não me lembro de ter ouvido isso dela. Seus olhos se estreitam talvez ele também sentiu o mesmo que eu.

-Você- Falamos em uníssono

-Você sabia meu sobrenome, como?-Pergunto

-Minha família antes de morrer falava na sua- Diz ele

-Antes de você matar-Corrijo

-Pode ser isso também- Ele não esconde o deboche no seu tom de voz

-Você é desprezível-Sussurro

Ele levanta seu tamanho era visivelmente maior que o meu. Me afastei tentando sair dali mas a porta é fechada.

-Quero te matar- Diz ele como se fosse natural

-Bem normal dizer isso a alguém- Falo

-Quer que eu diga o que? " Você daria a permissão para mim te matar?

-Tudo bem, então pegue aquele pedaço de madeira jogado ao seu lado e crave no meu peito- Desafio

Seus olhos colam direto nos meus por alguns segundos antes da porta ser aberta.

-O que não conseguiu?- Pergunto debochada- O assassino cruel da família não conseguiu cravar um pedaço de madeira em mim?

O silêncio reinou ali, assim que sai pela porta corri para qualquer canto menos perto daquela sala, do lado de fora da escola, minha respiração já estava mais tranquila, meu coração batendo normalmente. Longe dele senti falta de alguma coisa, mas sem explicação. Com isso até esqueci da Bonnie, ou do que quer que seja que ela queria me mostra. O que a minha mãe quiz dizer com aquilo que ouvi dela, no momento tive a sensação de que ele também ouviu o mesmo que eu.

Cheguei na pensão e subi rapidamente as escadas, aquilo não foi nenhum pouco de esforço do que já fiz hoje, minha cama praticamente implorava por mim, nem as roupas tive a vontade de tirar, minha testa doía mas o sangue já estava seco, olhei no espelho e não acho que precisará de pontos, lavei meu rosto tirando o sangue no meu machucado. Ficará um cicatriz pequena, mas acho que seria praticamente invisível. Fui pra cama, meus olhos pesavam eu realmente precisava dormir

(...)

No caminho para o cemitério tentei ignorar olhares de pessoas que estavam no bar no dia em que cheguei, acelerei meus passos, cemitério era o único lugar que sabia com precisão sobre a localização. Um névoa assustadora cobria o local, alguns túmulos abandonados outros muito bem cuidados. Passei meu olhar por todos os túmulos vendo seus nomes algo em mim esperava encontrar um em especial, talvez alguém com o meu sobrenome, a maioria das lápides com nomes apagados, mais dois túmulos eram afastados dos outros em um canto excluído dos outros. Olhei para eles foram literalmente os únicos que chamaram minha atenção

"Emanuel Lancaster e Lúcia Lancaster"

Meus avós, por isso nunca achei eles no cemitério de Portland, me agachei na frente das duas lápides, passei os dedos sobre os nomes. Agora entendi porque meu pai tinha registro na escola daqui, sua família inteira é de Mystic Falls. Todos da minha família são bruxos e minha avó Lúcia tinha surtos de magia, foi exatamente como ela morreu. A energia daqui começou a pesar um vento forte começou do nada, levantei olhando para todos os lados, mais afastado eu vi uma silhueta de um homem, me aproximei, talvez isso seja um péssima ideia. Meus irmão todos estavam ali, minha mãe, tios, todos que eu matei estavam bem ali na minha frente, deu alguns passos pra trás, eles caminhavam na minha direção, falando coisas que não conseguia entender. Olhei pra baixo e vi minha blusa manchada de sangue, é uma fisgada no mesmo local

-Quanto mais sangue melhor, filha- Minha mãe diz num tom de desprezo

Fechei os olhos e assim que abri de novo eu continuava na frente do túmulos e minha roupa limpa.

-Sua magia está fraca- Ouço uma voz já conhecia por mim

-A não... sério?-Reviro os seus olhos

-Minha presença é amável-Ele fala

-Não tem alguém pra matar não?-, Perguntei irritada

-Pode ser você mas não consegui- Ele responde

-Porque?- O olhei curiosa

- Vamos descobrir

 Um homem alto de cabelos pretos ao lado da Bonnie crava uma lança na perna do Kai, vejo o sangue escorrer dele é uma dor insuportável surge em mim, olho pra baixo e vejo também minha perna sangrando no mesmo lado que do Kai, nós vamos juntos, Bonnie levanta o dedo fazendo eu e Kai fecharmos os olhos.


Notas Finais


Voltei rapidinho!

Bem não estou fazendo muita integração do Kai com a Bea mas nos próximos eles estarão mais próximos..

Até o próximo ❤😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...