História Private Lessons (One Shot) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Visualizações 408
Palavras 3.169
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Chemistry


Lauren Jauregui's point of view

Era o início do primeiro tempo e eu estava atrasada como sempre, mas dessa vez não foi culpa minha. Eu havia marcado com Ariana, minha melhor amiga desde o primário, para me encontrar na lanchonete em frente ao colégio onde estudávamos e até agora aquela cabeçuda não chegou. A bruxa da professora de matemática vai me matar e eu vou fazer o mesmo com Ariana se ela não chegar em 5 minutos.  

Mas pra variar ela sempre se safava dos meus esporros. Em questão de poucos  minutos vi o carro de seu pai estacionar a minha frente e aquela anã sair de lá de dentro. Cumprimentei seu pai que permaneceu no carro pela janela aberta e ele seguiu caminho. 

-Onde você estava? - perguntei com pressa. 

- Foi mal Laur, esqueci o livro de química quando já tinha saído e tive que voltar para buscar. 

- Ok, tudo bem. Mas agora vamos ou aquela mulher corta nossas cabeças. - Ari soltou uma risada quando eu a puxei pelo braço, atravessando a rua e correndo para dentro da escola.

[...]

Estávamos agora no finalzinho do terceiro tempo. Apesar de ter recebido olhares de reprovação daquela megera, assistimos a aula normalmente. Sentamos uma ao lado da outra e, para não perder o costume, conversamos durante toda a aula, mas sem perder a concentração. 

Agora tínhamos o intervalo. Estávamos a caminho do pátio onde ficavam várias turmas juntamente da nossa e meu deus, como aquilo era cheio. Assim que chegamos logo podemos ver nossos amigos conversando em uma roda animada. Era ali que meu dia começava. 

-Mas olha só quem chegou, a branca de neve e a anã de jardim. - disse Dinah, sempre muito atenciosa.

-Sua delicadeza me comove Jane. - falei, tirando uma risada de Ari e Mani que já estavam sentadas a nossa frente. 

- Ela faz pra provocar Laur, não ligue. - falou Ally de um jeito despreocupado, se juntanto a nós.

-Já estou acostumada, Allycat. Mas me falem, quero saber das novidades. - disse me dirigindo ao resto do grupo.

- Dinah e eu fomos à uma festa esse fim de semana, bebi tanto que lembro de pouca coisa, mas tenho certeza que coisa boa não fizemos. - disse soltando uma gargalhada junto da mais alta.

- Com toda certeza não fizemos, Mani. - Dinah e a morena eram as mais velhas, já cursavam o ensino médio e sempre tinham algo para contar das festas que iam juntas. Uma dupla e tanto.

- Fala ae sapatão. - esse foi Harry, meu melhor amigo, que veio me pegando pelo ombro de surpresa. 

-Impressionante como são parecidos. - disse apontando para ele e Dinah ao mesmo tempo provocando. Os dois estavam de birra a algum tempo por um motivo que nem eu lembro mais.

-Vai se fuder Jauregui. - soltei uma gargalhada. - Vem cá, vocês duas não aula daquela professora de química que a Lauren fica babando que nem cachorrinho agora? - ele completou. 

-Puta merda. - disse. - Vem Ari, vamos logo. - Saímos andando apressadas para a aula quando o ouvi gritar:

-Corre vadia! 

-Vai à merda Harry! 

Enquanto andávamos apressadas pelos corredores, eu pensava em Karla Camila, minha professora de química e minha paixão platônica desde sempre. Essa mulher me tira o chão só com um olhar e hoje eu teria minha sessão de prazer (ou sofrimento) assistindo sua aula. Camila Cabello era a mulher mais doce que conheci. Atenciosa, paciente e linda, muito linda. A beleza daquela mulher era sufocante, tirava qualquer um de órbita, mas apesar de todas as qualidades não tolerava atrasos. Ao me lembrar disso apertei o passo junto de minha melhor amiga e por sorte chegamos bem na hora.

-Bom dia Sra. Cabello. - falamos quase em coro.

-Bom dia Stas. bem na hora, sentem-se, vamos começar a aula. - disse olhando diretamente em meus olhos com aquele maldito sorriso. Senti meu coração errar algumas batidas pelo norvosismo.

Nos sentamos, sendo acompanhadas em todo o trajeto pelo olhar da mulher. Quando estávamos devidamente em nossos lugares, deu início à aula. Assim que começou a lecionar e ditar os trabalhos a serem feitos, meu sofrimento também havia começado. Era impressionante como me sentia hipnotizada por ela, por seu jeito, sua voz, o modo como seus cabelos longos e ondulados caíam por suas costas e como balançavam com leveza a cada movimento. Eu me perdia sempre que a via. E o mais louco é que as vezes parecia que ela sabia que estava sendo observada por mim, pois de repente ela olhava em minha direção e sorria docemente, me fazendo desviar o olhar e ficar da cor de um tomate. Camila era nova, aparentava ter por volta de 25 anos, talvez 27, nada muito além disso.

[...] 

O quarto tempo chegava ao fim e aula de Camila também. Saíamos da sala quando ouvi sua voz não muito alta, porém firme.

-Lauren? Espere um pouco, gostaria de falar com você. 

Lancei um olhar nervoso a Ariana que já estava do lado de fora, mas acenti dizendo que podia ir, afinal eu não poderia simplesmente fingir que não ouvi a professora.

-Sim? - respondi.

- Percebi que suas notas caíram desde o último bimestre. Está acontecendo alguma coisa? 

-Ando um pouco distraída, nada demais. Não se preocupe. - disse de forma nervosa, querendo sair de perto, mas ela tocou meu braço calmamente pedindo pra que ficasse. Estremeci.

-Eu quero te ajudar Lauren. - falou olhando em meus olhos. - Escute, por que não fica depois da aula e estudamos um pouco, hum? - disse calmamente. 

-Só nós duas? - perguntei um pouco ansiosa, não conseguindo conter o pequeno sorriso no canto dos lábios.

-Sim, acho que seria melhor para você. Se concentraria mais rápido. 

-Não quero atrapalhar. 

-Você nunca atrapalha, Lauren. -ela disse tocando meu braço novamente. - Faça assim, venha aqui ao final da aula, eu estarei te esperando. Quero que saia daqui sabendo de tudo. - sorriu de canto ao final da frase me deixando confusa. Eu apenas acenti e me retirei, torcendo pra que as horas passem realmente rápido. 

[...]

E por sorte, as horas voaram. Quando me dei conta o último tempo já havia acabado e estávamos todos juntos novamente. Eles esperando para ir embora, eu enrolando para ir à sala onde Camila me esperava.

-VOCÊ VAI O QUE? - Harry literalmente gritou sem a menor noção depois de saber sobre minha "aula particular" 

-Para de gritar! Tá com o pau do Louis no ouvido? - falei um pouco alterada tentando calar aquele escroto sem o menor juízo. - Ela vai apenas me ajudar Harry, eu preciso de nota. - falei mais baixo. 

-Mas sozinhas Jauregui? - eu acenti. - Foi você quem pediu? 

-Ela me ofereceu.

-Meu deus! É a tua chance mulher, cai de boca naquela perdição. - ele disse num tom sério, o que me fez gargalhar ainda mais.

-Não me faça pensar nisso, sabemos que não tenho a menor chance com ela.

-Isso é você quem diz, eu não sei de nada. As coisas mudam Jauregui.

-Não acho que mudaram. - dei de ombros. - Aquele ali parado não é o Louis? - falei tentando mudar de assunto.

-É ele sim. Já vou indo. Divirta-se amor! - disse irônico.

-Vai se foder. - falei sorrindo arrancando uma risada dele e caminhando para sala onde minha maior tentação provavelmente estaria me esperando. 

Cheguei à porta da sala um tanto nervosa. A ansiedade fazia minhas mãos suarem. Eu cairia dura a qualquer instante. 

-Calma Lauren, respira...

Falei para mim mesma, movendo minha mão à maçaneta e tomando impulso para girá-la. Assim que abri a porta pude perceber minha professora sentada à sua mesa, concentrada na correção que fazia de algumas provas. Me aproximei. Acabei esbarrando em uma mesa, fazendo um barulho não muito alto, mas o suficiente para que notasse minha presença ali. Merda Lauren. 

-Desculpa... eu não queria... - as palavras saíram emboladas de minha boca. Eu estava nervosa. Acalme-se Lauren. 

-Tudo bem, eu estava te esperando. - ela sorriu abertamente para mim, mandando-me sentar a seu lado em sua mesa e logo levantando para fechar a porta, me dando a bela visão de sua bunda. E que bunda. Logo ela voltou e sentou-se novamente a meu lado, trazendo de volta meu nervosismo evidente. 

-Quer uma água? Parece um pouco nervosa. - disse levantando-se novamente apenas para pegar um copo com água e me entregar, me fazendo ficar vermelha. - Não se preocupe Lauren, serão apenas algumas horas, prometo que não lhe prenderei aqui. - falou risonha.

-Me desculpe, não estou muito acostumada a ter aulas particulares, ainda mais com a senhora. Eu nunca tinha...

-Ficado tão perto de mim? - ela falou firme me interrompendo, mas mantendo a doçura na voz. - Esse foi um dos motivos de ter te chamado aqui. Quero conversar um pouco antes de começarmos, Lauren. - eu estava realmente uma pilha de nervos agora.

-S-sim, claro... P-pode falar. - gaguejei. 

Merda. Merda.

-Acalme-se, hum? - tocou meu rosto. - Venho percebendo seu comportamento a algum tempo... Por que me olha tanto, Lauren?  Por que fica alterada como está agora quando fica perto demais? 

Eu engoli em seco pela forma direta com que ela disse aquilo. Eu não estava preparada, eu não esperava por isso. E agora? O que vou dizer? "Ah sim, é que sou apaixonada por você desde a sétima série e hoje não consigo mais esconder." ? Não, isso não pode estar acontecendo. 

-Eu... ham... e-eu não sei explicar...

-Não precisa explicar, Lauren, eu já entendi tudo. - disse se aproximando. - Eu dou aula a algum tempo e já percebi esse comportamento em outros alunos, mas você é a primeira por quem me interesso.

Disse calmamente, como se não estivesse fodendo com a minha cabeça e me fazendo fervilhar por dentro. Maldita. 

-Você é linda, Lauren. - falou me rodeando. - Seus olhos... eu sou hipnotizada por eles... - continuou, agora parando às minhas costas e colocando suas mãos sobre meus ombros em uma lenta massagem que me fez fechar os olhos. - Sua pele é tão macia, Lauren... Eu adoraria beijá-la. - sussurrou a última parte perto o suficiente de meu ouvido para mordiscar o lóbulo de minha orelha ao terminar a frase.

-Camila... - falei num fio de voz.

-Shii... Você quer, Lauren? Eu posso te deixar bem relaxada se quiser. - continuou sussurrando, ainda mantendo a massagem em meus ombros. - Diga-me. Quer que eu te faça relaxar? 

-Quero... quero muito... - sussurrei de volta.

-Ótimo. Então se entregue, seja uma boa garota para mim Lauren. 

Em um solavanco Camila me puxou da cadeira onde estava sentada e me prensou contra a parede pálida, posicionando sua coxa direita entre minhas pernas, fazendo uma pressão ali.

-Eu serei.

Em questão de segundos senti os lábios da mulher colidirem com os meus, macios e delicados, mas com movimentos fortes e quase desesperados. Camila pediu passagem contornando meu lábio inferior com a ponta da língua e eu logo a concedi, soltando um lufada forte de ar assim que senti sua língua serpentear sobre a minha de forma gostosa, chupando devagarinho e me fazendo suspirar pesado. Ela estava me deixando louca. 

As mãos de Camila passeavam livremente sobre meu corpo, me tocando com fome e pressa, quase em desespero na tentativa de alcançar tudo de mim, tentando aproveitar ao máximo tudo que eu oferecia a ela. Uma de suas mãos pousou sobre meu seio esquerdo, iniciando uma massagem lenta e forte ali, me obrigando a segurar um gemido que lutava para sair de minha boca. Senti suas mãos irem para a barra de minha blusa, a levantando na intenção de tirar. Desgrudei minha boca da sua apenas para erguer os braços e tirar a camiseta, logo voltando minhas mãos aos cabelos da latina, unindo nossas bocas novamente. 

Senti suas mãos irem ao fecho de meu sutiã, o abrindo e me libertando da peça. Camila soltou minha boca apenas para observá-los, mordeu o lábio inferior e foi em direção a meu pescoço, onde chupou, lambeu e mordeu de forma tão gostosa que não pude conter um gemido, arrancando imediatamente um sorriso da mulher. 

-Isso Lauren, geme pra mim como uma boa garota, eu quero te ouvir. 

Aquelas palavras me fizeram pegar fogo, meu corpo estava em chamas. Camila foi descendo com os beijos por pescoço, busto, até chegar em meu seio direito, mordiscando o mamilo rígido pela excitação. Gemi mais alto, levando uma de minhas mãos até seus cabelos, precionando sua cabeça ali, a impulsionando a continuar o trabalho e me chupar de uma maneira que me fez ver estrelas. Se continuássemos naquele ritmo eu gozaria mais rápido do que gostaria, meus gemidos foram ficando mais altos e fortes, mas como se soubesse, a mulher soltou meu seio, voltando à minha boca e ao mesmo tempo levando suas mãos aos botões de minha calça, os abrindo com facilidade. Ao mesmo tempo, levei minhas mãos à blusa de Camila, a tirando rapidamente e logo depois seu sutiã, a deixando na mesma situação que eu. Capturei seus seios com as mãos em uma massagem gostosa e firme, arrancando gemidos baixinhos da latina. Ela outra vez me puxou de surpresa, abaixando minha calça junto da calcinha até o meio de minhas coxas e me obrigando a sentar na mesa, terminando de tirar minha roupa e arrancando a sua do corpo. Estávamos as duas completamente nuas naquela sala agora. Aquilo era mais excitante do que se pode imaginar. 

A mulher voltou a beijar minha boca, tocando meus seios com uma mão e descendo a outra até o meio de minhas pernas, me fazendo abri-las mais para recebê-la melhor. Ao alcançar meu sexo, Camila começou uma massagem torturante em meu clitóris, rodeando de forma lenta e constante onde eu mais sentia prazer, me arrancando gemidos sofridos.

-Você vai me deixar louca fazendo assim... - sussurrei.

-E o que você quer? Fala pra mim, Lauren. - disse maliciosa, aumentando o ritmo em meu clitóris, me fazendo mexer o quadril em busca de mais contato.

-Me chupa... - falei baixinho. - Me chupa, por favor...

Camila sorriu de canto, descendo com os dedos de meu clitóris até minha entrada, os molhando com meu líquido vissoso e voltando ao meu ponto de prazer, me deixando cada vez mais fora de mim. Soltou minha boca e foi descendo com os beijos, obrigando-me a deitar na mesa, distribuindo chupões e leves mordidas por meu corpo até chegar onde eu mais queria. Camila lambeu a parte interna de minhas coxas, fazendo-me remexer em ansiedade ao sentir uma lufada de ar bem perto de meu sexo, me fazendo estremecer. 

-Você é linda até aqui, Lauren. E tem um cheiro delicioso. - outra lufada de ar. - O gosto deve ser maravilhoso também. 

Eu estava aflita, me remexia a todo instante.  Eu precisava dela e precisava agora.

-Camila, eu preciso de você... por favor...

E não precisou pedir duas vezes. No segundo seguinte senti a língua da latina percorrer toda a extensão de minha boceta, fazedo-me soltar um gemido alto e rouco. Aquilo era maravilhoso. Camila sabia exatamente onde tocar para me deixar louca. Ela me chupava com fome, sugando tudo que eu dava a ela. Chupou meu clitóris e fez uma pressão com a língua ali, logo descendo para minha entrada e forçando a língua naquele ponto. Eu não aquentava mais. Mexia meu quadril desesperadamente buscando mais contato, enquanto segurava em seus cabelos, forçando sua boca naquela região. 

-Oh meu deus, eu vou gozar.  Não pare, por favor, oh não pare.

E ela não parou. Me chupou com ainda mais gana me levando ao precipício, me fazendo sentir espasmos fortes e logo depois meu corpo convulsionando de maneira desesperada, me levando a um orgasmo avassalador, arrancando gemidos altos, não só meus, mas dela também. Ela havia gozado sem eu ao menos tê-la tocado.

Camila sugou até minha última gota, erguendo seu corpo e me puxando para um beijo faminto, me fazendo sentir meu próprio gosto. Eu ainda não estava satisfeita, precisava senti-la, precisava dar a ela o prazer que recebi.

-Eu quero te tocar, Camila. Eu preciso...

Falei a puxando para cima da mesa, deitando seu corpo ali e pondo o meu sobre o dela, beijando e chupando seu pescoço enquanto massageava seus seios.

-Oh porra, assim Lauren, assim...

Disse botando suas mãos sobre as minhas e ajudando nos movimentos. Nossos corpos se roçavam provocando um atrito gostoso entre nossos sexos, eu já estava em chamas de novo. Desci com a boca de seu pescoço para seus seios, capturando o esquerdo e chupando feito uma felina faminta. Camila era só gemidos enquanto forçava mais meu corpo ao seu, fazendo com que o atrito ficasse mais forte.

Continuei descendo com os beijos até chegar onde queria, afastei mais suas pernas, dando-me uma visão que fez minha boca salivar. Não perdi a oportunidade de provocá-la, lambendo a parte interna de suas coxas, mas aquilo não durou muito. Logo eu passei minha língua bem em cima de seu clitóris, fazendo uma pressão gostosa ali, o que a fez soltar um gemido alto e arrastado, me impulsionando a continuar. "Abri" com dois dedos as dobras de seu sexo e a chupei com força, indo até sua entrada e a penetrando com a língua, depois voltando a seu clitóris e sugando forte, recebendo suas mãos em meus cabelos. Camila estava perto, logo ela gozaria. Penetrei sua entrada com a lingua e senti as paredes se fecharem em pequenos espasmos. Aumentei o ritmo, agora a penetrando e estimulando seu clitóris com dois dedos. Não demorou nada e Camila gozou forte, seu corpo convulsinava desesperado e eu sugava tudo que me era dado até a última gota.

Estávamos exaustas. Subi meu corpo e desabei sobre o seu, sentindo seus dedos finos em meus cabelos. Ficamos assim por um tempinho até eu me pronunciar.

-Isso foi incrível. 

-Foi sim. Acho que foi uma das melhores da minha vida. - ela disse sorrindo.

-Obrigada por isso.

-Sou eu que agradeço, Lauren. Obrigada por confiar em mim. - olhei no fundo de seus olhos por alguns minutos, apenas curtindo o momento. A única certeza que eu tinha naquele instante, era que eu nunca mais esqueceria aquilo. Olhei para o relógio e já estava ficando tarde, achei melhor ir embora. 

-Bom... já está ficando tarde. Acho melhor eu ir... - disse um pouco sem graça.

-Ah, sim... claro. Não quero que corra perigo. - ela disse se levantando junto comigo. -  Lauren, acho que não preciso dizer para mantermos isso em segredo, certo? 

-Não, claro que não. Fique tranquila, não vou falar nada. - ela apenas sorriu e eu fui em busca de minhas roupas jogadas no chão. 

Enquanto eu me vestia Camila apenas me observava ainda nua, me fazendo perder totalmente a vontade de ir embora, mas infelizmente era necessário. Devidamente vestida, me despedi já na porta.

-Até mais Sra. Cabello.

-Até a próxima aula Srta. Jauregui. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...