História Privileged - Newtmas fic - Season 2 - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Gossip Girl, Pretty Little Liars, Skins, Teen Wolf, The Maze Runner
Personagens Allison Argent, Anthony "Tony" Stonem, Aris, Cassandra "Cassie" Ainsworth, Elizabeth "Effy" Stonem, Eric van der Woodsen, Erica Reyes, Ezra Fitzgerald, Gally, Isaac Lahey, Jenny Humphrey, Liam Dunbar, Lydia Martin, Malia Tate, Minho, Natalie Martin, Newt, Scott McCall, Serena van der Woodsen, Sonya, Thomas
Tags A Cura Mortal, A Garota Do Blog, Adolescência, As Delícias Da Fofoca, Drama, Dylan O'brien, Dylmas, Effy, Eu Quero Tudo, Fanfic, Fofoca, Gossip Girl, Jovens Ricos, Livro, Livros, Maze Runner, Muito Romance Gay, Muito Sexo, Newt, Newtmas, Privileged, Prova De Fogo, Relações Amorosas, Riqueza Upper East Side, Romance Gay, Saga, Segunda Temporada, Sexo, Skins, Teen Wolf, Temporada, Teresa, The Fever Code, The Maze Runner, Thomas, Thomas Sangster, Você Sabe Que Me Ama, You Know You Love Me
Exibições 38
Palavras 2.141
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Ficção, Lemon, Mistério, Orange, Romance e Novela, Saga, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa noite amores,

Eu demorei pra atualizar pq eu sou uma viada preguiçosa e sem vergonha;

Esse capítulo trará algo que talvez seja inesperado no final, leiam e verão.

Beijos

Capítulo 19 - O perigo está rondando


Fanfic / Fanfiction Privileged - Newtmas fic - Season 2 - Capítulo 19 - O perigo está rondando

Thomas quase se atrasou para o teste do time de lacrosse, ele acelerou o carro a toda velocidade, e como não teria tempo de deixar Teresa no prédio dela, a levou junto. Ele correu para o vestiário e se trocou, vestindo o uniforme do time de lacrosse do St. Jude’s, e foi para o campo, onde os inscritos para o teste já se encontravam esperando, também estavam lá alguns jogadores do time, como Minho e Scott.

Teresa ficou nas arquibancadas, assistindo tudo, muito entediada.

– Pensei que não viria, cara. – Minho disse, chegando e cumprimentando Thomas. Scott viu e se aproximou.

– Hey, Scott, esse é o Thomas, ele vai fazer teste pro time. – Minho apresentou os dois.

– Boa sorte, cara. – Scott disse.

– Vamos lá, rapazes, o teste vai começar. – o técnico gritou, e Thomas foi para o local onde os outros que também fariam o teste estavam.

E que os jogos comecem.

 

 

* * *

 

Aris correu para alcançar Liam, que estava indo a pé para casa, ele morava em uma residência na 5th Avenue, mas antes de Aris abordar Liam, ele se ajeitou, para não parecer que estava correndo atrás dele, e também relembrou as coisas que Erica havia lhe dito. Quando se sentiu seguro e pronto, ele chamou Liam.

– Hey, Liam. – disse Aris, fingindo estar calmo.

Liam ficou surpreso por ver Aris ali, chamando o nome dele. Para esclarecer um pouco as coisas, Liam também tinha ficado envergonhado e com medo depois do que rolou na festa de Aris, então decidiu não falar nada e esperar que Aris falasse com ele. Obviamente que o jogo de ficar esperando que um falasse com o outro não funcionou.

– Oi, Aris. Tudo bem? – respondeu Liam, ainda caminhando, Aris se colocou do seu lado, afinal não queria ficar longe dele.

– Sim, eu tô legal. – Aris ainda estava sem jeito de estar ali falando com Liam. – Eu queria saber se está tudo bem entre a gente.

Liam não respondeu de imediato, ele olhou pro chão e se perguntou se estava tudo bem entre ele e Aris. Por que não estaria?

– Hm, eu acho que sim. – Liam respondeu, rindo em seguida. Rindo de nervoso.

Aris também riu de nervoso, mas tentou manter a calma.

– Ok, então. – Aris disse, o celular dele tocou e ele teve que atender. – Ah, era minha mãe, eu tenho que ir. Vejo você na aula. – Aris se despediu, depois que desligou o celular.

Se a amizade entre Aris e Liam realmente não havia sido abalada, isso só o tempo poderia dizer, e logo isso aconteceria.

 

 

* * *

 

Newt estava no seu apartamento, no seu quarto, com o laptop em seu colo. A volta as aulas o lembrou de que ele deveria escrever um conto para enviar a Brown, como parte do processo para ser aceito naquela universidade. Ele queria fazer Jornalismo lá, mas agora estava decidido a estudar Literatura, e ele sabia que seu pai odiaria essa decisão, assim como odiou Jornalismo.

Mas Newt não se importava, tinha decidido que faria o que ele realmente queria da sua vida, e não o que seu pai queria que ele quisesse. Então ele começou a escrever o bendito conto antes que ficasse muito tarde, mas a campainha tocou, o interrompendo. Ele decidiu ver quem era.

– Hi, Newt, que bom que está aqui. – era Lydia.

– Oi, Lydia. O que faz aqui? – Newt perguntou.

– Eu vim pegar umas coisas que eu deixei aqui e minha mãe esqueceu de levar na mudança. – ela explicou.

– Então esse divórcio é real mesmo? – Newt perguntou.

– Sim, muito real. – ela se dirigiu até seu antigo quarto. – Minha mãe descobriu que ele a estava traindo com uma vagabunda qualquer.

– Nossa, que barro. – Newt disse, era só o que ele poderia dizer.

– Pois é, ela não sabe a quanto tempo ele a traia, mas ela se cansou dele e da forma como ele é controlador e ridículo. – Lydia pegou algumas coisas que estavam no armário e colocou em uma mala, depois desceu as escadas e se dirigiu para a porta, então Lydia se virou para Newt e fez um último comentário.

– Você e Thomas faziam um casal tão bonito, uma pena que terminaram. – ela disse, e saiu.

É, apesar de tudo, ela continuava sendo uma bad bitch.

 

* * *

 

Mais uma semana tinha se passado. Thomas tinha sido aceito no time de lacrosse, depois dos ótimos lances que ele havia feito no teste, Teresa continuava indo ao centro de reabilitação duas vezes por semana, e sua mãe ainda não a liberara do castigo, portanto, naquele sábado, para se encontrar com a pessoa com quem ela estava saindo, ela precisou de ajuda, e Thomas foi novamente o escolhido.

– Me desculpe, mas eu não vou ajudar dessa vez. – Thomas respondeu, quando Teresa ligou para ele implorando por ajuda.

– Como é? Ah, por que não, Tom? – Teresa fez manha no telefone, mas parece que Thomas não compactuaria com o que ela estava fazendo.

– Tess, não tem nada sobre esses encontros que você queira me contar? – Thomas queria que ela confessasse a ele que estava se encontrando com quem ela estava se encontrando, mas ela não faria isso, em hipótese alguma.

– Não há nada que eu queira contar. Eu queria a sua ajuda, mas já que se recusa a fazer isso, então foda-se. – ela desligou, brava.

Em seu quarto, Teresa pensou e pensou. A quem mais ela poderia pedir ajuda? E então a resposta veio a sua mente como num passe de mágica.

 

* * *

 

Lydia e Allison estavam fazendo compras e conversando. Allison comentou como achou engraçado o fato da Gossip Girl espalhar pra todos que ela e Scott tinham terminado, quando na verdade eles simplesmente não terminaram, e também fofocavam sobre a volta dos Van der Woodsen da Europa e sobre a briga entre Eric e Serena.

– Pera aí, a Serena disse que o Eric a fotografou e mandou a foto pra Gossip Girl? Mas que filho-da-puta. – Lydia disse.

– Pois é, parece que foi isso mesmo. Eu gostaria de saber com quem foi que ele aprendeu esse tipo de coisa. – comentou Allison.

– Aposto que foi com a Jenny Humphrey. – Lydia respondeu.

De repente, Allison se lembrou de algo que ela havia ouvido nos corredores da Constance naquela semana.

– Falando nela, você sabia que ela se candidatou a presidência do grêmio estudantil? – Allison sabia que Lydia ficaria irritadíssima quando descobrisse que teria concorrência aquele ano.

– Como é que é? – Lydia quase gritou.

Allison quase se arrependeu de ter falado, mas já que havia começado, então tinha que terminar.

– E não é só isso, aquela garota, a Teresa…

– Não me diga que ela também se candidatou? – Lydia gritou, interrompendo Allison.

– Sim. – Allison respondeu, já percebendo que Lydia teria um ADP ali.

– Não, isso não é possível. Essas vadias querem bater de frente comigo?

– Lydia, calma. Você vence essas eleições desde o primeiro ano, e não será diferente esse ano. – Allison tentou tranquilizá-la.

Lydia respirou fundo e se lembrou da terapia.

– É verdade, eu já venci antes e vou vencer novamente agora.

Sim, Lydia, você venceu antes, mas agora a competição é mais pesada. Prepare-se.

 

 

* * *

 

 

Depois da ligação de Teresa, Thomas se concentrou no que realmente interessava, se arrumar para ir ao cinema. E com quem ele iria? Com Newt Sangster.

Os dois tinham decidido, depois de horas de conversa, que não reatariam nada por enquanto, mas que poderiam sair juntos e ir mais devagar dessa vez. E era isso o que estavam fazendo agora.

– Onde você vai, filho? – Marissa surgiu do nada, assustando Thomas.

– Mãe, você apareceu do nada. – Thomas disse.

Ela riu.

– Desculpe, eu não queria te assustar. Então, com quem vai sair? – ela insistiu.

– Bom, eu vou responder a primeira pergunta: eu vou ao cinema. E com quem eu vou? Eu vou com o Newt. – Thomas respondeu.

– Newt? Ah, vocês não tinham terminado? Até onde me lembro, você estava um trapo aqui dentro de casa por causa dele. – Marissa disse, incomodada. Ela tinha um senso de proteção materno bastante forte que fazia com que ela passasse a odiar qualquer um que causasse mal a Thomas, mesmo que isso não fosse intencional.

– Mãe, a bad que eu fiquei não foi culpa dele, eu que não soube lidar com a situação, como no caso da… – antes que ele citasse Brenda na conversa, Marissa o interrompeu.

– Já disse pra não citar o nome dela aqui em casa. – Marissa disse.

– Ok, me desculpe. – Thomas respondeu.

– Vou te deixar se arrumar. – Marissa disse, por fim, e saiu do quarto, deixando-o a vontade.

Depois de ter sido deixado em paz, Thomas voltou a se arrumar, pois ele queria ficar muito bonito para Newt.

 

 

* * *

 

Newt também estava se aprontando, havia tomado um banho demorado, lavado seus cabelos loiros, secado, passado muito gel e spray pra ficar com um penteado decente, escolheu um jeans rasgado e justo, uma camiseta preta e cinza estampada com pequenos desenhinhos de tubarão. Depois que já havia terminado, checou a hora no celular e então desceu para comer alguma coisa antes de sair, pois estava com fome e não conseguiria esperar.

Quando desceu, se deparou com seu pai na sala, assistindo ao noticiário na TV, as malas estavam em um canto, ele havia acabado de chegar de viagem.

– Newton, que bom ter ver. – Janson disse. – Sua viagem a Londres foi boa?

Newt não acreditava na cara de pau de seu pai em falar com ele como se nada tivesse acontecido.

– Foi ótima. – respondeu Newt, secamente.

– Como sua mãe está?

Newt suspirou, Janson ficaria mesmo lhe perguntando coisas?

– Ela está ótima, casada, tem um filho. – Newt estava desconfortável e Janson percebeu isso, então se levantou do sofá e caminhou até ele.

– Newton, nós precisamos conversar sobre o que aconteceu, eu preciso explicar algumas coisas. – Janson disse.

– É mesmo? Eu não sei se há algo que possa explicar. – Newt rebateu.

– Newton, por favor. – Janson insistiu. – Eu não pretendia usar aquele dossiê, eu o destruiria, mas você o viu antes que eu o fizesse.

O dossiê, o maldito dossiê que revelou o passado de Thomas a Newt.

– Eu não sei se eu ainda acredito em você, pai. – Newt respondeu.

É, Janson, não vai ser fácil para você.

– Nem se eu me desculpar? Newton, eu sou seu pai, e eu cometi um erro, um grande erro, mas você precisa entender algumas coisas sobre como a vida funciona quando se é alguém rico e poderoso como eu. – Janson argumentou.

Newt não queria mais conversar, portanto decidiu se esquivar de qualquer diálogo.

– Ok, pai. Nós conversaremos, mas não agora, eu tenho um compromisso. – disse Newt.

– Sim, eu também tenho. – respondeu Janson, saindo da sala e subindo as escadas da cobertura em seguida.

Sem apetite, Newt ainda foi para a cozinha, onde encontrou uma fatia de torta de chocolate na bancada, ele decidiu comê-lo todo, já que conversar com seu pai sempre seria algo desagradável, ainda mais depois do dossiê.

 

 

* * *

 

 

Teresa fez a ligação, se aprontou, colocando um vestidinho amarelo que a fazia parecer comportada, foi até a sala de seu apartamento e esperou, sentada no sofá.

– Vai sair para algum lugar? – Catherine perguntou.

– Ah, sim, mãe. Me desculpe não ter te falado, estive tão ocupada com as coisas do colégio que eu realmente me esqueci de te pedir permissão. – Teresa estava atuando muito bem como a filha que ficava cada dia mais comportada.

– Permissão para que? – perguntou Catherine, surpresa.

– Para que eu saísse com meu novo amigo do centro de reabilitação. – respondeu Teresa, sorrindo.

Catherine foi pega desprevenida e ficou alguns segundos em silêncio, olhando incrédula para Teresa.

– Um amigo? É sério? – perguntou ela, ainda muito surpresa.

– Sim, mãe. – Tess respondeu, sorrindo continuamente.

– Bom, o que vocês combinaram? – perguntou Catherine, então. Ela precisava se recompor e voltar a controlar a situação com sua filha.

– Ele vem me pegar aqui, já deve estar chegando. – respondeu Teresa.

E como se aquilo tivesse sido combinado, a campainha do apartamento tocou.

– Ah, deve ser ele. – disse Teresa, se levantando do sofá e caminhando até a porta e a abrindo em seguida.

– Aaah, chegou bem na hora. – ela disse, sorrindo e fazendo sinal para ele entrar.

O rapaz alto, com um físico que podia ser notado através de sua camisa, calças jeans e cabelo alinhado com ajuda de algum produto, entrou no apartamento e ficou parado, ao lado de Teresa, sorrindo.

– Mãe, eu quero te apresentar o meu amigo, que conheci no centro de reabilitação, Benjamin, ou Ben, como preferir.

Catherine sorriu, ao ser apresentada ao novo amigo de Teresa, e Ben também sorriu, como um bom rapaz que estava pretendendo ser.

– Boa noite, sra. Scodelario. – cumprimentou ele, sorrindo.

– Boa noite, Ben. É um prazer conhecê-lo. – Catherine disse. – Acho melhor vocês irem logo, ou vão se atrasar.

Os três riram.

– É mesmo, vamos então, Ben? – Teresa disse.

– Vamos sim, Tess. – ele respondeu, e os dois saíram, juntos.

 


Notas Finais


TEFFY, CUIDAAAAAAAAAAAAAAAAADOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...