História Problemas: a história de uma emo - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 17
Palavras 742
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Violência

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Aqui está mais um capítulo de "Problemas: a história de uma emo". Espero que gostem😘

Capítulo 2 - A nova cidade


Anteriormente:

Quando Luany entrou na escola, algumas garotas estavam a encarando, mas ela as ignora, e parece que isso só faz com que as garotas só comentem mais dela.

Luany (pensando): Incrível! Mesmo mudando de escola, ninguém me aceita.

Luany ouvi algumas garotas falarem:

????: Nossa! Que garota estranha!

????: Que falta de moda!

????: Aquela garota não tem noção do que está vestindo?!

O sinal toca, e todo mundo entra em suas salas. Na sala de Luany...

Professora: Bom dia alunos!

Todos (menos Luany): Bom dia!

Luany (pensando): O que tem de bom nesse dia?

Professora: Eu estou MUITO feliz de estar com vocês mais esse ano! Olhem só! Estou vendo uma carinha nova na minha sala! Qual seu nome linda? (Diz se direcionando à minha cadeira).

Luany: Luany.

Professora: Nossa! Parece que alguém acordou com preguiça hoje!

Luany suspira.

Professora: Qual a sua idade?

Luany: 15.

Professora: Está gostando da escola?

Luany: Tediante, como todas as outras.

Professora: Por que você acha as escolas entediantes?

Luany: Porque me fazem muitas perguntas.

Professora: Há... Tá!... Vamos começar a aula... Meu nome é Cláudia.

Luany: Hm...

[Garota do minha sala]: Agr... Que arrogante! Você não precisava falar assim!

Luany: Puf...

[Garota desconhecida]: Não diga "Puf" pra mim!

Luany: Puf...

[Garota desconhecida]: Ora sua...

Profa Cláudia: Lorena! Chega!

Lorena: Mas, professora... 

A garota respira fundo, e se senta. Essa daí gosta de chamar atenção.

????(pensando): Que garota estranha é essa Luany... Não sei porquê, mas gosto do jeito dela.

No intervalo, fui até a cantina, o almoço era lasanha de carne com requeijão, peguei minha comida e fui para o terraço, já que iria comer sozinha, seria melhor comer em paz!

Pós as aulas, fui direto para o hospital onde fica internada a minha mãe, ele fica ao lado de um abrigo para idosos, a minha mãe tem um tumor no pulmão, o que é bem comum naquele hospital, ele exclusivo para pessoas com câncer.

Entrando lá vejo pessoas de diversas idades, com a mesma doença, é mesmo muito triste; algumas pessoas ficam assustadas ao me ver, normal, as pessoas me julgam por meu estilo, mas eu seria incapaz de fazer mau à alguém. Então. Passo direto e vou até o quarto de minha mãe, mas...

Doutor: Com licença, você é filha de Mary, não é?

Luany: Eu mesma.

Doutor: A senhorita pode esperar um pouco? Nós vamos fazer alguns exames agora.

Luany: Sim claro!

Volto para a sala de espera um pouco desapontada, chegando lá todos começam a me estranhar de novo, então apenas pego um livro esaio, me direcionou ao jardim dos idosos parece ser tranquilo, chegando lá ninguém me percebe, fico aliviada.

??????: Vai jogar isso de novo?! Ric!

??????: Claro que sim! Xadrez é meu jogo predileto! Não gostaria de jogar comigo?

??????: Claro que não! Ric! Não sei como funciona!

??????: Isso não é desculpa! Já disse que lhe ensinaria! Velho bêbado!

??????: Velho albino!

??????: Velho rabugento!

??????: Velho gagá!

Luany: Com licença!

Os dois velhos: Hm?

Luany: Se não encomda... Poderia jogar com o senhor?

??????: Claro que sim, querida! Qual seu nome?

Luany: Luany. E o dos senhores.

??????: O meu é Cícero! E o desse velho bêbado ao meu lado se chama Kabuto.

Kabuto: Há! Há! Há! Ric! Muito engraçado!

Luany: Kabuto? (Digo me sentado na cadeira)

Cícero: É de origem Oriental!

Luany: Haaa sim! Então, já comeu sushi sr. Kabuto? (Digo mexendo uma peça do xadrez).

Kabuto: Sim! Foi quando eu descobri que era alérgico a frutos do mar. Ric!

Cícero dá uma risada enquanto mexe uma peça.

Luany: Que coisa! (Mexo uma peça).

Cícero: O que uma garota tão jovem como você faz no abrigo dos idosos? ( Mexe uma peça).

Luany: Na verdade estou esperando terminar o exame de minha mãe (mexo uma peça).

Kabuto: Então sua mãe tem câncer?!

Luany: É... (Suspira)

Cícero: Eu acho câncer uma doença muito triste (mexe uma peça).

Kabuto: Pois é! Ric!

Cícero: Quando uma pessoa morre bêbada também é muito triste.

Kabuto: Hm... -_-

Luany ri um pouco.

Doutor: Luany, sua mãe já está liberada.

Luany: OK. Obrigada Cícero, obrigada Kabuto.

Me despeço e logo depois entro no hospital, lavo bem minhas mãos e entro no quarto de minha mãe.

Luany: Oi mãe!

Mary: Oi querida! Como você está?

Luany: Como sempre, e a senhora?

Mary: Como sempre! Como foi na escola?

Luany: Normal! O que poderia acontecer?

Mary: E seus amigos?

Luany: Bem... (Minto)

Mary: Luany... Está sozinha?

Luany: (suspira) Muito! Mas vai ficar tudo bem!

Mary: E seu pai? 

Luany: por que você quer saber? (Digo um pouco estressada)

Mary: Ele já tem outra não é?

Luany: Como ele pode?

As duas ficam em silêncio...

Doutor: Luany, o horário de visita acabou.

Luany: OK.

Luany sai da sala e espera o doutor sair, quando ele sai, Luany lembra de como seu pai deixou sua mãe depois de saber sua doença, Luany desmorona no chão e começa a chorar!



Notas Finais


Espero que tenham gostado! Até a próxima!😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...