História Problemas e sentimentos - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Jungkook, Sugakookie, Yoongi, Yoonkook
Visualizações 90
Palavras 3.178
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


A continuação chegou!

Já me adianto aqui e peço desculpas pelos erro que eu sei que vocês vão encontrar (eu não aprendo a revisar).

Esse capitulo estava metade pronto, desde a semana passada, e o resto terminei, tipo, AGORA e já to aqui jogando na cara de vocês.

Tô feliz com os favoritos que chegaram durante a semana, vocês são demais! <3

Capítulo 8 - Quarta-feira - pt.2


O clima estava péssimo, tão tenso que estava quase palpável. Yoongi estava puto, Jungkook, irritado, e Hoseok apenas ria da situação toda que causou.

 

- Você ainda pretende se manter perto desse cara? Ele é um maníaco

 

- Ele só está brincando, Yoongi – Jeon tentou apaziguar, porém deu tudo errado.

 

- Porra, deixa de ser idiota!

 

- Meninos, não precisam brigar por minha causa – Hoseok sorria descaradamente e ouviu os dois gritarem “cala a boca” em uníssono.

 

- Por que está me tratando assim? Me chamando de idiota? – Jungkook disse um pouco irritado. Sentia pressão da faculdade, pressão do estágio, e pressão de Yoongi o julgando daquela meneira. Embora tentasse levar tudo numa boa, Jungkook estava passando por um momento complicado, tudo começou a dar errado ao mesmo tempo e quando achou que o trem voltaria para os trilhos, a convivência na casa se torna assim, incomoda. Yoongi o tratava bem, se acostumou com o jeito tranquilo do mais velho, e agora receber xingamentos o tirava do sério.

 

- Por que você é! Eu te falei sobre esse cara, mas você ainda trouxe ele pra cá e vocês estariam gozando por todo o meu sofá se eu não tivesse chegado na hora – Yoongi devolveu mais irritado.

 

- O que? Você não pode estar falando sério! Eu nunca faria isso... Aqui, no meio da sala, no sofá, e ainda mais com ele! – Jungkook apontou para Hoseok – Ele é quase um irmão

 

- Tá vendo, por isso você é idiota! Ainda acha que esse infeliz é como um irmão?! Ele só falta lamber sua cara. Quando ele arrancar sua calça e te chupar, tu vai entender?

 

- Para de ser escroto, Min Yoongi! – Jungkook não saberia dizer de onde subiu toda aquela irritação, mas estava exalando por todo seu corpo conforme ouvia o Min. Milagrosamente Hoseok estava calado.

 

- Eu sou assim, não posso mudar. Você se enfiou na minha casa sabendo como sou desde o início, se eu te pedir para deixar de ser idiota, você vai conseguir? Claro que não, porque eu peço isso desde o dia que nos conhecemos e você ainda é o mesmo! – Yoongi falou mais alto do que esperava e marchou para longe de Jungkook. Estava sentindo o corpo ferver de raiva, raiva de Hoseok por ser um descarado e tentar alguma coisa com Jungkook, e sentia raiva do mais novo por ser tão conivente com o outro achando que está tudo bem, dando-lhe espaço e liberdade para ser mais invasivo. Yoongi foi parar do outro lado da sala, não queria ficar perto de Jeon aquele momento. – Vai ficar aí parado até quando? Se manda, babaca. – O mais velho falou com Hoseok, não viram quando aconteceu, mas ele já havia guardado o material na mochila e a pendurou nas costas.

 

- Eu vou nessa, a tensão sexual aqui está demais. Vocês podem se virar sozinhos, mas a minha proposta ainda está de pé – Ele foi falando conforme seguia para a porta. Antes de sair, em um movimento rápido se esticou todo e acertou um beijo no canto dos lábios de Jungkook que estava olhando tudo paralisado. Yoongi quis socar a cara de Hoseok por ter feito aquilo e quis socar Jungkook por não ter feito nada para impedir, mas antes que pudesse sair do lugar, o outro saiu e fechou a porta trás de si e o deixou a sós com Jeon.

 

- Puta que o pariu! – O mais velho exclamou jogando as mãos para o alto.

 

- O que? – Jungkook reagiu se virando para Yoongi.

 

- Você viu o que ele acabou de fazer ou além de idiota é cego também??? – O mais velho olhava para ele com olhos grandes, gesticulando enquanto falava.

 

- Foi só um beijo. Aliás, nem foi tudo iss-

 

- Caralho, deixa de ser-

 

- Idiota? – Jungkook completou a frase, interrompendo Yoongi. – Por que você tá me culpando? Quem agiu foi ele

 

- Justamente! Porque você deixou! Como posso culpar outra pessoa, sendo que é você o culpado? Você deu liberdade, você permitiu que ele te beijasse!

 

- Qual o problema? Por que está desse jeito? – Jeon estava sentindo vontade de socar a cara de Yoongi. O mais velho apenas reclamava de tudo o culpando por isso e aquilo. Nem de longe ele queria alguma coisa com Hoseok, mas como uma criança birrenta e de cabeça quente, ele quis provocar o mais velho, só de raiva. – Se eu quiser beija-lo também, o que você tem a ver com isso? Não é da sua conta! – Ele soltou só para alfinetar, viu o rosto de Yoongi ficar cada vez mais vermelho. O mais velho estava autoritário demais e Jeon jogou baixo para mostrar que ele sabe da própria vida. Ou pelo menos acha que sabe.

 

Yoongi engoliu as palavras por um minuto ou dois, encarando o mais novo com o olhar fuzilante - Você é assim mesmo, não é? Enquanto tiver alguém para te bajular, você aceita. Foi assim com o Taehyung, mesmo sem sentimentos, você ficou com ele. E agora com esse cara, mesmo sem gostar dele, você deixa que ele se aproxime com bem quiser. Você o usa ou deixa que ele te use, como vai funcionar dessa vez? – O Min sentiu vontade de gritar. Sua garganta estava coçando, ele não queria falar daquele jeito com Jungkook, mas estava possuído por sentimentos ruins. Yoongi cuspiu as palavras como se fossem abelhas prontas para o ataque. Jungkook ouviu com atenção o que o outro lhe dizia e sentiu um aperto no peito quando ouviu aquelas palavras. Instantaneamente sentiu os olhos arderem e prendeu a respiração para não chorar.

 

- Vai para o inferno, Yoongi! – Esbravejou e saiu da sala, Jeon foi direto para o quarto e bateu a porta com força. Yoongi não ficou muito tempo ali sozinho, ele seguiu para o próprio quarto e também bateu a porta. Jogou a mochila em um canto e ficou andando pelo quarto, de um lado para o outro, como um animal enjaulado. Ele xingou mil e um palavrões e amaldiçoou Deus e o mundo, por tudo. Seu peito subia e descia com força, respirando fundo e tentado inutilmente se acalmar. Estava possesso. Ele sentia vontade de xingar Jungkook, gritar com ele, expulsá-lo de casa. Mas no fundo (nem tão fundo assim) tudo o que Yoongi queria era dizer para Jeon que ficou puto desse jeito porque não aguentou quando viu Hoseok em cima dele. Ciúmes? Muito provavelmente, e descobrir esse sentimento deixou o Min ainda mais irritado. Ele se esforçou muito para não se prender a Jeon, mas bastou ver alguém o atacando para sentir vontade de pega-lo para si e protege-lo com todas as forças.

 

O que raios é isso?

 

Que sentimento é esse que te faz agir por impulso e falar o que não deve? Que te move a falar e fazer tudo ao contrário, da pior maneira possível, e magoar a quem na verdade quer cuidar? Que porra é essa que mexe tanto com a mente de Yoongi, mexe com os seus sentidos e principalmente com seu coração?

 

Num impulso repentino, Yoongi escancarou a porta do quarto e saiu para o corredor. Ele foi até o quarto de Jungkook e para sua surpresa, a porta estava parcialmente aberta. Yoongi ponderou se devia abrir totalmente ou não, mas empurrou a porta e encontrou o quarto vazio. Parou por alguns segundos e tentou forçar a audição, procurando algum sinal de Jeon pela casa, porém não teve resposta. Yoongi saiu vasculhando cada canto em busca do mais novo e não o encontrou. Seu coração saltava rápido e com força, parecia estar abrigando cavalos de corrida dentro do peito. O mais velho voltou para o quarto e vasculhou a mochila em busca do telefone, com o aparelho em mãos ligou para Jungkook seis vezes seguidas e não foi atendido. Na sétima vez, o a ligação caiu em uma mensagem automática dizendo que o telefone estava desligado. – Você tá brincando comigo, garoto! Puta que o pariu

 

Yoongi se sentiu arrasado ao se dar conta de que ficou sozinho. Ele perambulou pela casa e pensou se deveria sair ou não, procurar por Jeon em qualquer canto, mas acabou sem ideias sobre onde procurar. Quando Jeon saiu? Yoongi não lembrou de ter ouvido qualquer barulho ou passos ou portas abrindo e fechando. Jungkook saiu silenciosamente de propósito. O Min respirou fundo e pesado, esfregou o rosto se sentindo culpado e largou o peso no sofá. Ele não sabia se sentia raiva por Jungkook ter saído escondido sem avisa-lo ou se sentia medo do que poderia acontecer. Pensava nas piores situações possíveis, desde Jeon ter ido encontrar Hoseok, ou ser atropelado por um ônibus, ou simplesmente ter ido para outro lugar e na manhã seguinte mandaria alguns carregadores buscarem sua mudança por que não voltaria mais.

 

Esse último pensamento só não foi pior do que imaginar Jungkook ser atropelado por um ônibus, afinal nas duas hipóteses ele ficaria sem Jeon e isso o deixou inquieto. Não queria mais pensar na casa sem aquele corpo mais alto andando de um lado por outro, ou tomar café da manhã sozinho, ou não sentir o cheiro do sabonete do mais novo pela casa depois do banho dele. O silêncio no momento estava lhe deixando nervoso, sentia as mãos suando e a respiração ainda estava agitada. Yoongi tentou ligar para Jungkook novamente, precisava ouvi-lo para saber que estava tudo em, que ele ainda vivo, e que não estava com Hoseok, mas o telefone sequer chamava, apenas caia na caixa postal por estar desligado. Saber que Jungkook estava ignorando-o machucava um pouco também. Incomodado, o mais velho levantou do sofá e foi ao quarto buscar mais um casaco, resolveu que iria para a rua, ficar ali dentro estava deixando-o sufocado, não sabia para onde ir exatamente, mas só precisava sair dali e tentar encontrar Jeon.

 

Mas seus planos foram frustrados quando abriu a porta e deu de cara com um Jungkook choroso, de olhos vermelhos e fungando feito uma criança em uma tentativa falida de parar de chorar.

 

Min Yoongi o puxou pelo pulso e o fez entrar, empurrou a porta para fechar e num impulso abraçou Jeon com força. O mais novo desatou a chorar ainda mais, molhando o casaco do Min com suas lágrimas salgadas. Jungkook estava se sentindo o pior dos piores, havia saída sem pensar, só queria ficar longe de Yoongi, estava com raiva dele, queria socar aquela cara redonda e branquinha, mas assim que se viu sozinho andando pelas ruas, sentiu um aperto enorme no peito e uma vontade sufocante de voltar para casa. Precisava vê-lo, mesmo com raiva, precisava ficar perto do outro. Jeon não foi muito longe em sua fuga, parou em um parque perto do prédio e ficou pensando em tudo o que aconteceu, em tudo que ouviu e disse. Se arrependeu por ter provocado Yoongi, mas também estava triste por tudo o que ouviu do mais velho. Queria saber, precisava saber, se o Min realmente acredita em tudo que lhe disse, mas antes que pudesse perguntar, Jeon sentiu um carinho na nuca e a voz rouca do menor bem perto do ouvido.

 

- Desculpa, Jeon – ele falava baixinho, apertava Jungkook com seus braços, uma mão espalmada nas costas dele e a outra na nuca, deixando que os dedos se misturassem aos fios dos cabelos do mais alto. – Eu não quis dizer aquelas coisas, você... Eu... Me desculpa, por favor

 

Em resposta, Jungkook fungou e moveu a cabeça, assentindo. – Me desculpa também? Eu sou um idiota mesmo – E abraçava Yoongi com a mesma força, envolvendo o corpo menor em seus braços e apertando aonde as mãos tocavam. Nunca trocaram um abraço assim, nem entre si e nem com nem com outras pessoas. – Eu juro, eu não sabia que o Hoseok ia fazer aquilo, se jogar em cima de mim. Pra mim ele estava brincando o tempo todo, eu não percebi que ele estava

 

- Não fala daquele cara, por favor. – Yoongi tentou se afastar do abraço, mas Jeon o puxou de volta e encaixou o queixo sobre o ombro do Mi. – Jeon... Jeon? – O mais velho o chamou, precisava olhar para o mais novo. Relutante, Jungkook afrouxou os braços um pouquinho. – Aonde você se meteu? Por que desligou o telefone? Eu fiquei preocupado com você – Falou tudo de uma vez, um pouco agitado. – Você não tem mesmo nem um pingo de juízo nessa cabeça, não é? – Era para ser uma bronca, mas não soava assim. Jungkook ainda mantinha Yoongi por perto, o segurando pela cintura. – Não faça mais isso. Eu fiquei sozinho, sem saber o que fazer, eu estava prestes a sair para te procurar, mesmo sem saber por onde começar, só queria sair desse apartamento silencioso e... Estranho – Soltou a última palavra e se afastou. Jungkook o deixou ir, não sabia se devia tentar se aproximar ou não. Mas achou estranho o que o mais velho lhe disse.

 

- O que você tá dizendo? Esse é sua casa, como pode se sentir estranho aqui?

 

- Você não estava aqui – Confessou baixinho, esfregando o rosto com as duas mãos. – Me senti estranho sozinho, a casa em silêncio, senti falta da sua presença, do cheiro do seu sabonete, senti falta do seu- - Antes que Yoongi pudesse completar, sentiu um corpo se chocando contra o seu, o peito de Jungkook colado nas suas costas e braços ao redor do seu corpo, lhe segurando com força. O rosto de Jeon foi parar na curva do seu pescoço e no mesmo segundo um arrepio percorreu todo seu corpo. – Jeon...

 

- Shiiiiu – O mais novo pediu, movendo os lábios contra a pele sensível do pescoço de Yoongi. – Não fala nada... – Depositou um beijinho no pescoço do mais velho quando sentiu as mãos dele sobre as suas, não para afasta-las, mas para entrelaçar os dedos.

 

Jungkook sorriu contra o pescoço de Yoongi e o apertou um pouquinho mais, esfregando a pontinha do nariz naquela região. Yoongi precisou de uma força de vontade gigante para se manter firme ali e não se render completamente. Perguntou ao mais novo o que ele estava fazendo e ouviu Jeon dizer que não sabia, só estava fazendo o que sentia vontade, vontade essa que lhe consumia todos os dias, vontade de sentir o corpo de Yoongi colado no seu, bem pertinho, lhe permitindo alcança-lo também com os lábios. E essa exatamente o que Jungkook estava fazendo, saciando sua vontade de Yoongi. O beijo no pescoço, depois na nuca, até alcançar o outro lado. Subiu com beijou até a orelha do Min e deu uma mordidinha leve e suave no lóbulo. Sentiu o menor estremecer em seus braços, mas antes que pudesse continuar, Yoongi girou naquele abraço para ficar de frente.

 

- Vai com calma – Pediu baixinho, a voz rouca. Olhar para Jungkook estando naquela posição, era simplesmente deslumbrante. O viu abrir um sorriso e sentiu vontade de beija-lo. Levou os braços ao redor do pescoço dele e o abraçou de volta, sentindo toda a extensão do corpo de Jeon colado no seu. – Não acha que a gente precisa conversar? – Viu o outro apenas balançar a cabeça, negando, com um sorrisinho nos lábios. Jungkook não queria conversar, ele queria outra coisa. Queria beijar Yoongi, leva-lo para o sofá mais próximo e enche-lo de beijos, o corpo inteiro, e depois toma-lo para si até o corpo não aguentar mais.

 

- Não podemos deixar a conversa para amanhã? – pediu manhoso, e beijou a testa de Yoongi num gesto demorado. O menor sorriu, impossível resistir.

 

- Por que não podemos conversar agora? – Ele sabia, sentia, as intenções de Jungkook, embora não fosse deixar nada acontecer, queria saber o que o mais novo estava pensando.

 

- Eu quero fazer outras coisas com você, na horizontal, em um lugar confortável – Respondeu e olhou para o lado, apontando o sofá com o queixo – Pode ser ali

 

- Você se recuperou rápido – Implicou, lembrando que há minutos atrás Jungkook estava chorando feito uma criancinha.

 

- É difícil resistir aos pensamentos pecaminosos com você assim, tão perto de mim – Confessou baixinho, aproximando o rosto em tentativa de alcançar os lábios de Yoongi. Seria o segundo beijo, algo tão desejado por ele desde a primeira e última vez que seus lábios tocaram os do Min. Yoongi sabia o que ele queria, era o mesmo sentimento que tinha, mas não deixou que acontecesse. O menor o chamou e arrastou Jungkook pela mão, com dedos entrelaçados, até seu quarto. O mais novo ficou todo animadinho, mas sua onda foi cortada por um Yoongi resistente demais. – O que vamos fazer? Você não quer me beijar? – Seu tom foi manhoso mais uma vez, acompanhado por um bico ao final da pergunta.

 

Min Yoongi sorriu e lhe deu um beijo na bochecha. – Eu quero. No momento, é o que eu mais quero. Mas eu também quero conversar com você, mas podemos deixar para amanhã, a conversa e os beijos. Por hoje eu deixo você dormir comigo, se prometer não me atacar

 

- Preciso prometer mesmo? – Jungkook tentou mais uma vez, segurou Yoongi pela cintura e beijou o pescoço do menor. Ele foi empurrado para se afastar e resmungou como um cachorrinho. – Você é irredutível, não é?

 

- Você não imagina o quanto estou me esforçando aqui, e você me beijando e me olhando desse jeito, não está me ajudando em nada. – Confessou num riso. – Por favor, tente me entender, ok? Antes que alguma coisa mais séria aconteça, eu realmente preciso pensar e conversar com você

 

- Mudei de ideia, vamos conversar então, e depois a gente se beija muito – O mais novo sorria arteiro e foi a fez de Yoongi negar com a cabeça. Ele bufou e se rendeu, se jogou na cama e abriu os braços, esperando o menor. – Pelo menos me deixa te abraçar essa noite, prometo não tentar nada – Pediu sincero. Yoongi pensou um pouco, se fez de difícil, mas resolveu se deitar ao lado de Jeon, bem pertinho, com a cabeça apoiada no ombro dele, sendo abraçado. Jungkook depositou um beijinho na cabeça do Min e o ouviu resmungar e se aconchegar mais ao seu corpo, jogando um braço por cima do mais alto, o abraçando de volta. Jungkook os cobriu com a coberta e ficaram quentinhos. Na cabeça do mais novo corria um turbilhão de pensamentos, mas por hora resolveu se concentrar no meio abraço que recebia. Na cabeça de Yoongi também corria mais uma milhão de pensamentos, mas ao contrário de Jeon, ele demorou a dormir porque não conseguia se desligar do que a sua mente estava pensando. Tentou organizar os pensamentos e os sentimentos, e quando se deu conta, estava concentrado demais no perfume de Jungkook, tanto que não se deu conta quando subiu um pouco mais no corpo dele e encaixou o rosto no pescoço do mais novo, só para ficar mais pertinho e sentir mais daquele cheiro. Jeon parecia sonolento, mas puxou Yoongi para seu corpo, o colocando em cima de si. O mais velho não lutou contra, se ajeitou sobre o maior e relaxou o corpo, entregando-se ao sono.

 

 

 

 

 


Notas Finais


E aí, tudo bem até aqui?
Foi difícil segurar o limão, mas não pude deixar rolar agora, vai acontecer no momento certo :3

Obrigada a você que chegou até aqui! <3


PS: hoje postei uma oneshot bad vibes, olha só https://spiritfanfics.com/historia/forever-and-always-9971872


Bye!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...