História Problematic Girl - Capítulo 4


Escrita por: ~, ~Ken-The-Psycho e ~Min_Nochu

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Auto-mutilação, Incesto, Orange, Yuri
Exibições 24
Palavras 1.647
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Orange, Romance e Novela, Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 4 - Capítulo 0.3


P.O.V Kylie

[...]

Acordei ás 07:40 da manhã com a Mika me ligando .  

  Ligação  [ON]

- O que foi?

- Nossa, Ky, que mal humor.

- Você me acordou, queria que eu agradecesse?

- Na verdade, sim.
Você vai se atrasar se não levantar. De nada.

- É. Foi mal.

- Se arruma, daqui a pouco passo aí.

- Vai passar aqui para quê?

- Para a gente ir para a escola né, criatura.

- Ah, o.k então.

- Tchau.

  Ligação  [OFF]

Terminei de falar com ela e fui fazer minha higiene matinal.

Desci para a cozinha e minha vó e Luna estavam tomando café.

- Bom dia, família.

- Bom dia. - Disseram em uníssono.

Preparei um toddy e me sentei para tomar.

- Kylie, vou pegar minhas coisas para a gente ir para a escola. Não demore, pois já estou saindo. - Diz Luna.

- Não precisa me esperar, vou ir com a Mika hoje. - Falo e volto a tomar meu toddy.

- Por quê?

- Preciso de um motivo para ir à escola com minha melhor amiga?

- Sim?

- Não, não tem um motivo. Ela me ligou e disse que vai passar aqui, então vou ir com ela.

- Tudo bem. Já estou indo então. - Ela fala e dá um beijo na minha bochecha e na da minha avó.

- Tchau - Falamos.

- Está melhor? - Pergunta vovó quando Luna sai de casa.

- Sim, não precisa se preocupar.

- Tudo bem então.

Ficamos em um silêncio confortável por alguns minutos.

- OI FAMÍLIAAAA - Mika chega gritando e batendo palma, me fazendo assim dar um pulo e engasgar com o leite, com tamanho o susto.

- Meus Deus, menina Mika! Uma hora você ainda me mata com esses sustos. - Diz minha avó com a mão no peito.

- Concordo - digo tossindo.

- Desculpa, vovó Maya - Ela diz rindo.

- Não me nota mais, Mikaelly? - Digo e dou um tapa nela pelo susto.

- Oi meu amorzinho. - Ela diz e me dá um beijo na bochecha - Por que me deu um tapa? - Fala fingindo inocência e fazendo um bico.

- Porque você me assustou, sua idiota. Não apenas isso, você quase me matou engasgada! E desfaz esse bico - Falo e pressiono o dedo indicador sobre os lábios dela.

- Hm... Não. - Ela fala e depois morde o meu dedo.

- Aí, sua cadela.

Dou um tapa nela e ela me da outro.

- Meninas,  parem com isso. Vão logo para a escola ou vão chegar atrasadas - Vovó fala e vem até a gente nos dar um abraço.

- Tudo bem, vovó, até depois. - Falo e retribuo o abraço.

- Tchau, vovó Maya. - Mika fala e também retribui o abraço.

Vou até meu quarto buscar minha mochila e saio de casa. Na entrada da escola eu vejo Luna encostada na moto de Nick conversando com o mesmo. Penso em ir falar com ela mas decido continuar andando já que estou com Mikaelly.

- O que foi? - Me pergunta Mika.

- Nada, por quê?

- Você ficou parada aí encarando a Luna com o Nicolas.

- Ah, não é nada. Só fiquei curiosa para saber o que eles tanto conversam.

- Entendi. Não deve ser nada de mais, eles sempre ficaram assim.

- É, mas antes a Luna não me escondia as coisas.

- Como você sabe que ela está escondendo as coisas de você?

- Ultimamente ela está estranha, e esses dias eu peguei ela chorando no banheiro da escola.

- Como assim ela está estranha? - Ela diz e me faz parar no pátio da escola para podermos conversar melhor - E por que ela estava chorando?

- Ela está mais agressiva, não sei explicar. Luna nunca foi de gritar comigo e ontem ela o fez só porque eu queria saber onde ela esteve o dia todo, já que a mesma não deu sinal de vida. E ela também não me diz o motivo pelo qual ela estava chorando. Ela me mandou esquecer e disse que não queria que eu me metesse nos problemas dela.

- Isso é estranho. Luna realmente nunca foi de gritar com você, ela sempre foi paciente e nunca te escondeu as coisas.

- Pois é, você não sabe o quão frustada eu estou com tudo isso.

- Eu imagino, Ky, vocês sempre foram muito ligadas e sinceras uma com a outra e agora a Luna está te escondendo coisas. Eu ficaria tão frustada quanto você se fosse comigo.

- Pois é, mas gora chega desse assunto. Vamos para a sala? - Falo e saio puxando ela.

- Eu tenho escolha?

- Não. - Falo e começo a rir.

- Imaginei - Ela ri também.

Nós vamos para a sala e chegamos junto com a professora de sociologia.

- Bom dia, professora - Falamos enquanto adentramos a sala.

- Bom dia, meninas. - Ela entra na sala e fecha a porta.

Entramos na sala e fomos sentar no fundo. Sinceramente, a aula da professora Ashley é a melhor, ela é divertida e explica a matéria super bem, é meio que impossível ficar entediada na aula dela.

  P.O.V Luna

[...]

  Achei estranho o fato da Kylie ter decidido ir com a Mikaelly para a escola hoje, mas decidi ignorar e fui para a escola. No meio do caminho recebo uma mensagem do Nick.

   Whatsapp [ON]

(Nick) - My angel, onde você está?

(Luna) - Estou indo para a escola.

(Nick) - Ah sim. Podemos nos encontrar?

(Luna) - Podemos sim, ainda tenho algum tempo antes do sinal bater. Mas por qual motivo, razão, circunstância você quer me encontrar?

(Nick) - Nada de mais ue. Me espera em frente a sua escola, daqui a pouco chego aí.

(Luna) - O.k então. Até daqui a pouco.

(Nick) - Até.

   Whatsapp [OFF]

Chego na escola e fico esperando o Nick até que depois de uns 5 minutos ele chega.

- Hey, anjo - Falo e abraço ele.

- Oi, pequena - Diz e me dá um beijo na bochecha.

- Tudo bem?

- Sim, e você?

- Yeah.

- Tem certeza?

- Sim, eu estou bem. - Digo desviando o olhar.

- Sei. Agora que tal você me contar o que aconteceu? - Diz e eu bufo.

- Eu meio que "briguei" com a Kylie ontem - Digo fazendo aspas com os dedos.

- Como assim meio que brigou com a Kylie ontem?

- Ela ficou puta porque eu fiquei o dia todo fora e não liguei para avisar onde eu estava.

- Você sabe que ela está certa em se preocupar com você, né?

- Eu sei, mas eu não quero que ela se preocupe.

- Então não dê motivos para isso.

- É, eu sei que errei e já expliquei para ela, mas digamos que ela não entendeu muito bem e acabamos por discutir.

- Por que você não pediu desculpas ao invés de discutir com ela?

- Eu não sei, Nick. Ela começou a falar que eu me meto na vida dela e que ela também tem o direito de se meter na minha, então eu perdi a paciência e acabei gritando com ela.

- Nossa. Mas ela meio que está certa, você vive se metendo na vida dela. E ela é sua irmã, é normal ela querer saber das coisas. Você sabe disso, não sabe?

- Sei. Mas eu não posso falar sobre isso com ela e você sabe.

- Sim. Mas se você ficar mal, tenta disfarçar se estiver perto dela, se não ela vai acabar achando que você não confia mais nela.

- É, você tem razão. Vou tomar mais cuidado a partir de agora.

- Mas, e então, vocês já se acertaram?

- Eu achava que sim, mas hoje ela não quis vir comigo para a escola, disse que iria vir com a Mika e então eu vim sozinha.

- Ela não veio com você? Nossa, acho melhor você falar com ela, ela pode estar magoada ou algo do tipo.

- Eu sei, eu me sinto bem idiota, não deveria ter gritado com ela.

- É, você é bem idiota mesmo.

- Cala boca, idiota. - Falo rindo e dou um tapa nele - Eu vou falar com ela no intervalo.

- Ei! Não me bate sua má, você me machucou - Diz ele fazendo drama.

- Para de ser dramático, Nicolas, eu nem encostei em você direito. - Falo revirando os olhos.

- Shiu, sua idiota.

- Babaca.

- Posso até ser babaca, mas você me ama.

- Nem se acha né, Nick?

- Nem - Fala e ri.

- Boo, está ótimo ficar aqui com você, mas agora eu tenho que ir para a aula.

- Tudo bem, anjo. Quer que eu passe aqui depois para te buscar?

- Não precisa, eu vou ir com a Ky, assim eu aproveito e converso com ela sobre ontem.

- O.k então.

- Me liga depois?

- Ligo.

- Tchau, Boo. - Falo dando um abraço nele

- Tchau, pequena - Diz e retribue o abraço.

  Espero Nick dar a partida na moto e entro para o colégio.

No caminho para a sala eu acabei me encontrando com Kristen - Uma amiga minha de infância.

- Hey, Kristy - Falo e abraço ela.

- Heeeey, Lunny 

- Que felicidade, tudo isso é por me ver?

- Hahahah, engraçadinha. - Fala forçando uma risada.

- Me ame, Kris.

- Amo, sua ridícula.

- Eu sei, eu sei, eu sou irresistível.

- Deixa de ser ridícula, garota - Fala rindo - Vamos para a sala?

- Temos que ir, né?

- Infelizmente sim.

Fomos para a sala e assistimos a aula super tediosa de geometria. Sério, não existe pessoa mais chata que a professora Elisabeth.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...