História Procura-se uma Namorada - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jungkook, Personagens Originais, Suga, V
Tags Bts, Elychanx, Jungkook, Vhope
Visualizações 328
Palavras 3.127
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Escrevi esse capítulo na pressa hoje, espero que tenha ficado bom porque eu fui expulsa da sala de aula por estar mexendo no celular.

Afim... Tenham uma boa leitura!

Capítulo 2 - Temos um Acordo


Fanfic / Fanfiction Procura-se uma Namorada - Capítulo 2 - Temos um Acordo

Que comece a caça "uma namorada para o Jungkook".

Pode se dizer que dias de segunda feira são os piores dias da semana, principalmente em ter de ir a escola. E eu passando por uma situação ruim como essa, não deveria ter vindo, mas infelizmente os meus pais me obrigaram. Agora o que me resta é andar pelos os corredores como eu fazia, de cabeça abaixada, olhando somente para o piso, ouvindo todas as piadinhas à cada centímetro que andava e as risadinhas das garota, tirando sarro com a minha cara. Ignorar era a melhor opção, porém em uma situação como aquela, estava impossível fingir que não ouvia nada do que eles diziam em relação a mim.

Bufei ao mesmo tempo em que revirava os olhos e entrei no segundo corredor do enorme colégio aonde ficava os armários. Pela a pouca sorte que tinha, naquele corredor não havia nenhum vestígio de aluno por ali, até porque metade deles estavam na sala de aula ou no outro corredor fofocando sobre a minha vida. Retirei as chaves do meu armário do bolso de lado da mochila e o abri rapidamente, joguei com raiva todos os livros que ocupavam a minha mochila e em seguida bati a porta com força de propósito, fazendo um estrondo do barulho alto ecoar pelo o corredor. Me encostei sobre o armário e cruzei os braços, tentando buscar forças para entrar na sala de aula já que o sinal havia tocado assim que pisei os pés na escola.

Não sei se iria aguentar um horário inteiro de aula com todo mundo olhando pra mim de forma debochada, o melhor à se fazer seria matar o primeiro horário e só comparecer no segundo. Me mantive ali parado, escorado no armário e observando o corredor habitado por somente eu, enchi minhas bochechas de ar e o soltei para fora, cansado e derrotada após toda a minha popularidade ter sido destruída. Não sei se aguentaria por muito tempo essa pressão toda. Continuei olhando em volta até avistar uma garota mediana de cabelos loiros e longos, pele meio pálida, vindo na minha direção.

Abaixei a cabeça já sabendo que provavelmente ela viria aqui para tirar sarro comigo já que não teve a oportunidade, mas por incrível que pareça, ela não veio falar comigo ou me cumprimentar, ela somente me ignorou e abriu o seu armário que ficava ao lado do meu. Lentamente ergui minha cabeça e a olhei de canto, logo assumindo uma expressão de perplexidade ao notar que aquela era a mesma nerd que se sentava atrás de mim em todas as aulas e que tinha o seu armário colado ao meu. Mas ela estava completamente mudada, não usava mais aqueles óculos estranhos e nem tinha aparelhos nos dentes que fazia com que ela falasse cuspindo. Na verdade ela estava irreconhecível e uma completa gata.

Tudo nela havia mudado; o seu corpo que a deixou muito gostosa, sua aparência, seus cabelos, o seu olhar do qual antes era um alegre agora era um de frieza e seriedade. Mas afinal o que havia acontecido para ela ter mudado radicalmente?

— Ouvi os boatos sobre você. — Ela falou comigo pela a primeira vez, encontrando o seu olhar sério com o meu.

Foi estranho ouvi-la falando comigo, ela nunca tinha trocado uma sequer palavra com a minha pessoal desde que eu comecei a estudar nesse colégio cheio de norte americanos — algo que foi há vários anos atrás.

— Boatos não, mentiras isso sim! — Uma raiva me invadiu e tudo que pude fazer foi assumir um olhar raivoso, sentindo minhas bochechas ficarem vermelhas de raiva.

— Hum… — Ela riu baixinho e desviou o seu olhar do meu, levando-o para qualquer canto do corredor. — Eu sinto muito pelo o que aconteceu com você, ser motivo de piadas não deve ser nada legal.

— Não mesmo. — Sussurei enquanto via Hoseok correndo de maneira apressada até a gente.

Hoseok quando nos alcançou, parou respirando ofegante na frente da garota e apoiou uma mão no ombro dela, durante o tempo em que respirava cansado, com a sua outra mão apoiada sobre o peito que provavelmente o seu coração deveria estar batendo forte pelo o seu cansaço.

— Megan… — Chamou pela a garota que ajudou o amigo a se apoiar nela. Então esse era o nome dela? — Estamos atrasados pra próxima aula.

— Não tô afim. — Revirou os olhos, falando com desânimo.

— Ah não Megan, essa é a terceira vez que você escapa das aulas de história.

Os dois começaram a iniciar uma discussão como se eu não estivesse aqui, com Hoseok insistindo para que a tal Megan fosse assistir a aula e ela se negando à qualquer custo, demostrando a sua pose de garota durona e mandona.

— E ai, Jungkook.— Hoseok parou de discutir dando-se por vencido e finalmente percebeu a minha presença.

— E ai. — Respondi olhando-o de canto.

— Como vai o Taehyung? — Seus olhos ganharam um brilho intenso e o seu sorriso tornou-se abertamente exposto no exato momento em que ele perguntou sobre o meu amigo.

Hoseok também era gay e tinha uma grande paixonite pelo o Taehyung desde o dia em que ele assumiu que era gay para toda a escola. No entanto, Taehyung sempre o ignorava e se fazia de difícil para cima do Hoseok, mesmo com isso ele continuava apaixonado pelo o Tae.

— Ele vai bem, mais chato impossível. — Retruquei sorrindo sem graça, Hoseok riu e soltou um suave suspiro.

— Ah, que bom. — Ele desmanchou o sorriso evidente e se voltou para a amiga que me olhava de forma curiosa, como se estivesse analisando cada detalhe meu.

A encarei de volta e exibi um sorriso sem emoção para a mesma, ela revirou os olhos outra vez e virou o rosto de lado, me ignorando completamente. Franzi o cenho me sentindo confuso e coloquei uma outra alça da mochila caída sobre o meu ombro, tratei de ignorar os amigos que voltaram a discutir e me afastei deles, andando à caminho de qualquer lugar daquela escola que não tivesse ninguém para me tirar dos meus desvaneios. Parei no mesmo corredor de antes e olhei em volta, checando para ver se não tinha ninguém à mais. Suspirei aliviado pelo o corredor está totalmente vazio e voltei a andar com o destino ao patio da escola.

Quando cheguei lá encontrei os meus dois melhores amigos sentados no banco, um ao lado do outro e analisando vários papéis em suas mãos. Aqueles papeis só podiam ser fichas das alunas do colégio, mas o que eles estavam fazendo com aquelas fichas e como conseguiram? Aquilo não estava me cheirando bem. Caminhei até eles e me sentei bem no meio dos dois que permaneciam com os olhos vidrados nas fichas que mexiam. Peguei um dos papéis das mãos grandes de Taehyung e ele resmungou pelo o que fiz. Simplesmente o ignorei e fixei meus olhos na ficha escolar da mesma garota que eu havia me deparado agora a pouco e trocado algumas palavrinhas.

Nome: Megan Rosalie Cooper

Idade: 17 anos

Aluna nota 10

Faltas: 0

Parece que ela tinha uma ficha limpa na escola, mas havia algo de ruim na sua ficha; uma foto dela de quando ela era nerd e usava óculos, tinha uma monte de espinhas na cara e também usava um aparelho que se destacava no sorriso de sua foto. Passei para uma outra folha de sua ficha mais recente, encontrando outra foto sua da qual ela estava mudada como a vi no corredor. Na sua foto o seu sorriso era o que mais ganhava destaque com os seus dentes livres de qualquer aparelho, brancos e brilhantes, seu rosto impecável, seus olhos verdes com a luz da câmera sendo refletida, seus cabelos loiros bem arrumados e a sua pose chamativa que poderia atrair qualquer garoto.

Incrível como aquela garota mudou tanto do dia para a noite. Há alguns dias atrás ela era só uma nerd sem graça e muito tímida, agora é uma gata, gostosa e com aquela pose de garota mandona que sabe dominar direitinho.

— Cara eu sou gay sim e com muito orgulho. — Exclamou Taehyung, vendo a foto chamativa de Megan. — Mas puta que pariu, essa garota tá muito gata!

— E gostosa. — Proferiu Jimin, sorrindo malicioso.

— Muito gostosa. — Concordei mantendo os meus olhos fixados na foto dela. — Será que ela tem namorado? — Um sorriso maldoso e repleto de malícia brotou em meus lábios.

Inesperadamente Taehyung deu um grito alto, assustando a mim e Jimin na mesma da hora. Ele sorriu expectativo e tomou a ficha de Megan das minhas mãos, levantando-se do banco em que estava sentado num só pulo. Olhei desconfiado para ele que estava diante de mim, lendo algo na ficha da garota. Ele parou de imediato e olhou-me de volta, aumentando cada vez mais o seu sorriso.

Pelos os anos que eu o conhecia já podia saber o que aquele sorriso significava. Taehyung estava aprontando algo e isso não me cheirava nada bem.

Vai dar merda.

— Qual é a ideia dessa vez, hein? — Questionei arqueando as sombrancelhas, Jimin riu e voltou a fuçar a ficha das garotas.

— Acho que encontramos a garota perfeita pra ser a sua namorada. — Disse e eu arregalei os olhos, logo discordando com a cabeça a sua outra ideia maluca.

— Não Taehyung, ela nem vai aceitar isso.

Ele riu como se estivesse acabado de ouvir uma piada.

— Querido melhor amigo Jeon Jungkook… — Começou o seu pequeno discurso, andando de um lado para o outro. — Eu sou Kim Taehyung, um coreano de sangue puro assim como você e o Jimin, moro nessa porra de país há anos, sou popular nessa merda de escola e sempre consigo o que quero!

E não era mentira, Taehyung é um tipo de pessoa da qual tudo dava certo para ele, era como se a sorte estivesse a seu favor ou ele só poderia ser um duende do trevo de quatro folhas.

— Relaxa cara, se ela não aceitar eu já conheço uma pessoa que eu posso usar para convencê-la. — Sorriu convencido e alisou os dedos nos cabelos, arrumando os fios fora do lugar.

— O Hoseok? — Perguntei rindo. Hoseok era o melhor amigo daquela garota e além de ser louco por Taehyung, fazer tudo que ele mandar como um cãozinho adestrado, ele também é um coreano que vive entre esse bando de americanos.

— É, o Hoseok.

Apesar de pertencer a um outro país, eu não me sentia como um estrangeiro vivendo em Los Angeles nos Estados Unidos, muito pelo o contrário, eu me sentia realmente na minha casa dado que, eu nasci na Coréia do sul, mas cresci aqui nos estados unidos e considero esse país como o meu segundo país de origem. Por mais vergonhoso que fosse admiti isso, não conhecia nada sobre o país de onde vim, não sabia falar uma sequer palavra em coreano e a única vez que eu fui para lá foi quando eu tinha 4 anos de idade. Nem ao menos me lembro disso.

— Hora de pôr o plano em ação! — Taehyung pronunciou determinado, digitando algo no celular.

— O que você vai fazer?

— Mandar uma mensagem pro Hobi... — Tossiu fraco, pigarreando alto. — Hoseok — Corrigiu a si mesmo. — dizendo para ele encontrar a gente na sua casa, e irei pedir para ele levar a Megan.

— Tem certeza que isso vai dar certo? — Questionei com uma certa insegurança.

— Cara é melhor você relaxar, o Taehyung sabe o que faz. — Jimin pediu, batendo de leve as minhas costas.

— Você ouviu né? O gostoso fodão do Tae-Tae aqui sabe o que está fazendo. — Ele se gabou batendo no peito, com muito orgulho de si mesmo.

Deixei um suspiro baixo me escapar e passei a observar Taehyung que digitava rápido, mandando uma mensagem para o Hoseok. Era tudo ou nada, o que me restava era só vê aonde tudo isso poderia chegar, no entanto a minha maior aflição naquele momento seria o preço que eu teria de pagar, já que aquela garota com certeza iria me cobrar algo em razão de que nada nessa vida sai de graça, nem mesmo as coisas ruins.

Tudo tem um preço e esse preço vai me sair muito caro.

                 […]

Terminei de arrumar tudo desorganizado da sala para quando o pessoal chegasse e encontrasse a sala de estar arrumada como a minha mãe deixa, olhei as horas no relógio checando pra ver quanto tempo faltava para os meus pais irem trabalhar e quando o tempo marcou a hora certa, tratei de apressar os dois para o trabalho que eles tinham no hospital como médico e enfermeira, disse que eu mesmo ia ficar encarregado de deixar a casa limpa e arrumada já que os dois teriam um plantão hoje e tentei fazer com que eles saíssem o mais rápido o possível, achando as coisas que eles perdiam como a gravata, o sapato, a bolsa, a camisa favorita e mais coisas que eu fiquei responsável de achar para os dois.

No fim de todo aquele trabalho que eu tive para achar as suas roupas e objetos perdidos, meu esforço valeu a pena e finalmente eles saíram de casa e foram para o trabalho. Me joguei no sofá cansado e estiquei os meus braços, aliviando a dor que eu sentia após tê-lo esticado tanto para pegar algo de baixo da cama. Depois de dez minutos esperando o som da campainha ecoou e eu fui atender com muita disposição. Abri a porta e dei de cara com todos eles no pé da porta esperando para entrar, saí da frente e deixei que eles entrassem na casa. Meus olhos correram direto para Megan que usava uma calça jeans apertada rasgada nos joelhos, uma blusa regata branca e um blazer preto por cima. Ela estava mais gata que antes naquela roupa.

— Por que me trouxeram aqui? — A garota perguntou em disparada, me encarando seriamente.

— Eles precisam de você. — Hoseok sussurrou no ouvido dela com o propósito de quem ninguém ouvisse, mas isso falhou e eu acabei ouvindo.

— Precisam de mim pra quê? — Megan respondeu no seu tom de voz em impaciência.

Um silêncio se fez presente e ela bufou mais impaciente.

— Digam logo, não posso deixar a minha mãe sozinha em casa. — Ela disse eu franzi o cenho sem entender a última parte que ela falou.

Talvez a sua mãe estivesse doente, por isso ela disse aquilo. Faz todo o sentido.

— Tá bom! — Elevei as mãos para o alto. — Eu vou dizer, mas só senta aí, beleza? — Pedi e ela se sentou confortavelmente no sofá, cruzando os braços.

— Diga!

Suspirei. Como eu ia começar isso? É melhor ser direto e não fazer suspense, mulheres odeiam quando o homem faz suspense pelo que a minha mãe me explicou.

— Preciso que você seja a minha namorada durante seis meses. — Fui curto e rápido pelo o nervosismo que me atingiu subitamente.

Prendi o olhar nela para ver a sua reação e como havia esperado ela estava com uma expressão assustada, cenho franzido, cara de confusa e sem conseguir pronunciar uma palavra. Acho que fiz merda em ser direto demais.

— E o que eu vou ganhar com isso? — Ela mudou rapidamente de reação para uma risonha que me pegou de surpresa.

Mulheres e suas mudanças repentinas.

— Se você quiser dinheiro eu pago. — Propôs Taehyung e ela o fuzilou com o olhar, ficando vermelha de raiva.

— Escuta aqui o fado madrinho, eu por acaso tenho cara de mendiga? — Perguntou raivosa. Ela com certeza se ofendeu com isso. Porra Taehyung!

— Sexo então? — Sugeriu num tom brincalhão e ela rangeu os dentes cheia de fúria, prestes a partir para cima de Taehyung, porém Hoseok a segurou.

— Tá me achando com cara de prostituta? — Taehyung riu.

— Era só brincadeira. Desculpa. — Ele fez uma referência, curvando-se minimamente.

Ela respirou fundo e Hoseok a soltou, depois da garota se acalmar.

— Está bem. — Disse Megan.

— O que? — Ergui as sombrancelhas.

— Eu aceito a proposta.

Isso foi mais fácil do que eu pensava.

— Mas… — Desmanchei o sorriso que sustentava. Tinha que ter um "mas". Porra Megan!

— Pode dizer. — Exclamei entediado.

— Para que esse acordo seja selado eu quero sim algo em troca.

— E o que você vai querer?

— Quero que você — apontou rigidamente para mim. — faça absolutamente tudo que eu mandar nesses seis meses enquanto eu fingo ser a sua namorada e me comporto feito uma patricinha apaixonada.

— Como assim tudo que você mandar? — Questionei confuso. Será que eu terei de virar o subordinado dela?

— Tudo que eu for pedir você vai ter que fazer; se eu quiser que você faça as minhas tarefas da escola e as de casa, você fará.

— Tudo mesmo? — Ela acenou positivamente com a cabeça.

Eu já estava mesmo na merda, perdi minha popularidade, virei o meme da escola, levei um pé na bunda da Mandy, fui trocado por um outro cara e nem escolhas eu tinha mais, o jeito era aceitar e me tornar empregado dela para tê-la com a minha namorada nem que fosse só de mentira. Totalmente sem escolhas e decidido, apertei a sua mão que estava estendida e juntos olhamos um para o outro enquanto apertavamos as nossas mãos, selando um acordo. Um acordo que mudaria as nossas vidas daqui em diante.

— A partir de agora nós dois temos um acordo. — Falamos ao mesmo tempo.

— É melhor eu ir agora. — Soltei minha mão da sua, a americana me olhou sorrindo e lançou-me uma piscadela. — Esteja pronto para atuarmos amanhã.

— Atuar? — Indaguei. Ela esboçou um sorriso de canto junto a uma risadinha maléfica.

— É Coréia, será preciso nós dois fingir na frente de todo mundo e para isso você tem de se preparar para não fazer feio.

— Pode deixar com a gente, EUA. — Taehyung se manifestou, envolvendo o seu braço em volta do meu ombro.

— Se depender da gente esse cara aqui vai até virar ator. — Jimin disse por segundo, colocando o seu braço em volta do meu ombro esquerdo.

— Também não exagerem. — Retirei brutalmente os seus braços dos meus ombros e me afastei dos dois manés.

— É bom saber. — Megan puxou o amigo – que praticamente encontrava-se imóvel babando por Taehyung – pela a gravata do uniforme e saiu com ele, desaparecendo de nossas vistas.

Fechei a porta após eles terem saído e suspirei em alívio. Voltei à olhar os meus amigos que se jogaram no meu sofá, acomodando os pés na mesinha de centro da minha mãe. Revirei os olhos presenciando aquela mania folgada que os dois tinham e joguei-me no meio deles. Amanhã seria um novo dia, estava saindo de pouco a pouco da merda e talvez em breve eu iria recuperar a minha popularidade. Além do mais eu tenho um novo acordo com aquela garota, seria somente isso.

O que mais poderia dar errado? Nada!


Notas Finais


Quero lhes avisar que essa fanfic vai ter muito sexo🌚

Até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...