História Procurando o Menino do Acre - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Lendas Urbanas, Lukas Marques & Daniel Mologni (Você Sabia?), Pink Floyd
Personagens David Gilmour, Nick Mason, Personagens Originais, Richard Wright, Roger Waters, Syd Barrett
Tags Daniel Molo, David Gilmour, Dorgas, Gilmaters, Kurt Cobain, Lukas Marques, Nick Mason, Pink Floyd, Rick Wright, Ringo Starr, Roger Waters, Syd Barrett, The Beatles, Voce Sabia, Watermour
Visualizações 10
Palavras 1.293
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Fluffy, Magia, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas do Autor


OSLÁ
Eu nem sei pq eu tô continuando isso pq tá uma disgraça com D maiúsculo MAS TÁ AÍ

E sobre as comidas: NAO PERGUNTEM EU TAVA COM SONO :')

Capítulo 4 - Boys Don't Cry


Lucy POV
Acordámos por volta das 09:00 da manhã e fomos tomar a primeira refeição do dia a um café.

- MENU -
Eu pedi uma tosta-mística e iogurte vaporizado (o meu favorito) e dividi algumas gomas arco-íris e marshmallows com o Syd, que comeu panquecas super açucaradas.
A Emily pediu apenas uma omelete de cogumelos (��) e uma barra energética "nitro", porque ela tá na mania da dieta.
Os outros viados psicodélicos apenas pediram ostras abissais, de todas as maneiras possíveis e chá de ervas (��).
Rick preferiu uma sandes de ostra e limonada com leite condensado.
Nick pediu uma tarte de frutos vermelhos SEM CROSTA e leite.
Para o gato do Rick, atum.

- Então... Dormiram bem, hoje?

Ninguém respondeu.

- Aham... Eu fiz uma pergunta.

Penso que ouvi uma mosca.

- NICK! - berrei e ele quase deu um pulo de susto - Como dormiste?

- Anh... Dormi bem... Sei lá...

- Boa. E tu, Emily?

- Dormi bem.

- Syd?

- Sonhei que jogava dominó com uma bola de espelhos, ou seja, dormi bem.

- Ahm... Fixe! Gilmour?

- Eu dormi... bem...

- Caval-... Digo... Roger?

Ele deu-me um olhar mortal.

- Horrivelmente.

- E tu, Ricky?

- Se não fosse o barulho de vozes DE DUAS PESSOAS AQUI NESTA MESA de madrugada eu teria dormido mais. De resto dormi normalmente.

- Uhhh... Duas pessoas? - perguntei

- Ah ya, também ouvi... Parecia a voz do Gilmour, uma delas... Não tenho a certeza. - disse Nick - Foste dormir a que horas, Dave?

- Uh... Bastante tarde. Estava a fazer um puzzle com a Lucy até que ela se foi deitar, mas eu continuei. - ele respondeu, saboreando as suas ostras.

- Penso que a outra voz era a do Waters, se bem me lembro... Não sei... Estava com sono.

- Hmmm.... Suspeito �� - comentei, num tom igualmente suspeito e olhei para Rick que também olhava para mim com aquela carinha ��
Mais tarde estávamos todos a olhar assim uns para os outros e dirigimos os olhares para a dupla Gilmaters.

Rogério pareceu começar a ficar incomodado e começou por pedir mais uma porção de ostras.

Quando o garçom veio, ele pareceu-me peculiar. Na plaquinha do seu nome lia-se "Richard S.".

Oh boa... Dois Richard.

- Hey, garçom... Poderias dar-nos uma informação? - perguntei

- Depende. Sobre o que é?

- Menino do Acre. Já alguma vez ouviste falar?

- Ah, sim! Eu...

- RINGO! - ouvimos alguém gritar lá do fundo. Quando nos virámos para ver quem era, vimos que um rapaz de cabelo quase ruivo, óculos redondos e nariz grande se aproximava a rápido paço. Na plaquinha dele estava "John L.".

- Ups, é o gerente... Tenho de ir andando! - mas antes que ele pudesse fazer alguma coisa, ele tinha sido bloqueado pelo mesmo rapaz.

- O que é que já te disse sobre falares com clientes sobre coisas que não deves?

- M-mas...

- Não há mas, nem meio mas! Já para o trabalho! 

- Ok... - e assim Richard ou Ringo ou seja lá o que for, retirou-se tristemente.

- Mas veja lá como fala com as pessoas! - Roger disse, levantando-se.

- O quê?! Ousas por-te ao meu nível?!

- Aqui não há níveis, meu amigo... Tudo se trata de uma ilusão...

De alguma forma Roger em poucos minutos conseguiu colocar o senhor a chorar e a contar toda a sua vida com os seus pensamentos filosóficos e conceituais.

- Olha... a minha vida é uma tristeza. A minha mulher separou-se de mim e desde então eu não consigo demonstrar amor por ninguém. Eu protejo-me dessa forma. - dizia John, em lágrimas - Eu só queria que alguém voltasse a se apaixonar por mim... Eu seria o homem mais feliz à face da Terra.

- Olha, veio mesmo a calhar. Vês aquela dama? - perguntou Waters apontando para umas mesas atrás de nós.

- Quem? A minha mãe?

- Não, não... A duas mesas atrás dessa.

- A Yoko? Ah, ela sempre cá vem. Ela tem uma loja de doces aqui perto e ela sempre trás-me alguns... E eu adoro doces.

- Mas tu andas a dormir? Não vez que ela está caídinha por ti? Olha a maneira que ela olha pra ti!

- Achas? - John pensou melhor - É, e ela até é bonita e adoro conversar com ela, quase tanto quanto gosto dos doces.

- Faz-te a ela, homem!

- Ok, lá vou eu. - disse John um bocado sem confiança, dirigindo-se para a mesa da dita cuja.

Alguns minutos depois John voltou e parecia outro. Sorria e andava leve como um anjo.

- Como correu?

- Foi maravilhoso! Ela gosta de mim e eu dela! Ela deu-me o seu número!! Quando lhe ligarei? - John foi contando tudo como uma menininha de ensino médio falando sobre um senpai (sim 'senpai'... pq aqui é otaku mermo) - o que posso fazer para te agradecer??

- Que tal dar-nos algumas informações simples? - Rogério disse, com um olhar inocente (oh certamente).

- Ah sim, vocês estavam a falar sobre o Menino do Acre com o Ringo, certo? Bom... Um dia entrou aqui um menino a dizer que vinha do Acre e estava numa missão para saber a verdade e que havia deixado não sei quantos livros encriptados, visto que ele era descendente de um filósofo qualquer...
Sabem... Eu não sei muito bem, era de manhã e eu tinha acabado de abrir o café. - John contava, tentando lembrar-se.

- É exatamente esse! Viu para onde ele foi? - perguntei, também me levantando.

Esperança bateu...
#yay

- Hum... Não... Não faço a mínima... - respondeu

A desilusão bateu...
#ouch

- Mas... ele pediu-me para fazer uma ligação.

A esperança voltou...
#yay

- Achas que poderíamos ver o destinatário da ligação? - Roger perguntou

- Duvido muito... O telefone tem estado estragado estes últimos dias, então vamos substituí-lo.

Desilusão...
#ouch

- E quando o vão trocar? - Emily perguntou

- Em umas semanas... Sabem como aqueles serviços são lentos.

- Não podemos esperar tanto! - Gilmour protestou

- E acho que depois de o trocarem não daria para ver os dados deixados pelo outro... - Nick completou

Mais desilusão...
#ouch

Depois disso pegámos no gato, pagámos o senhor e fomos embora, um tanto quanto desiludidos.

Subimos para o busão novamente. Depois eu fui para o fundo juntamente com a Emily e Barrett - este ficou a tocar guitarra e eu a desenhar.

- Hey, porque estão com essas caras? - Roger perguntou, entrando - Não me digam que estão desiludidos...

- NaAaOoO, qUe IdEiA aBsUrDa! cLaRo QuE nÃo EsTaMoS dEsiLUdiDos! - Nick respondeu

- Claro... Só estamos super contentes com as informações que obtivemos! - David completou no mesmo tom sarcástico

- Oh, vá lá! Deviam estar contentes sim! Ao menos sabemos que ele aqui esteve, ou seja, estamos no caminho certo!

Eu desviei o olhar do meu caderno para encontrar Waters, em pé a dar o seu sermão.
Ok, ele tinha razão.

- Sim, Waters, tens razão... - admiti

- Hey, será que dá para levar-me a sério por uma vez na vida?! - ele protestou

- Sim, eu já entendi! Eu estou a concordar contigo! Não estou a ser sarcástica! Estou a falar a sério!

- Ah... Uau... Não estava preparado para esta situação... #ke

- Sim, estás certo... - Syd também concordou

Em pouco tempo todos nós já estávamos a concordar com o Rogério e a desilusão passou... Continuámos a nossa viagem alegremente como dantes.

Sabem? Nunca pensei que o Roger pudesse demonstrar alguma emoção que não fosse raiva ou ódio, mas hoje a minha ideia à cerca dele mudou, tanto naquele momento com o John ou agora mesmo...


Notas Finais


Eu acho que eu usei demasiadas expressões portuguesas desta vez, mas voceix entendem neh ;u;

Tá aí. Diverti-me muito a escrever este ;w;


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...