História Profetas Modernos (Interativa) - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Bíblia, Deus, Fanfics Interativas, Projeto Cristão
Exibições 13
Palavras 1.138
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Luta, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oi gente! Tudo bem? Dando uma passadinha básica aqui, a fic não pode ficar travada o tempo todo né?

Capítulo 2 - O que é uma prostituta?


Fanfic / Fanfiction Profetas Modernos (Interativa) - Capítulo 2 - O que é uma prostituta?

 E Josué, filho de Num, enviou secretamente, de Sitim, dois homens a espiar, dizendo: Ide reconhecer a terra e a Jericó. Foram, pois, e entraram na casa de uma mulher prostituta, cujo nome era Raabe, e dormiram ali.

 

​Eh? Você acha mesmo que é só isso a minha história? Que eu era uma safada qualquer que hospedou dois israelitas? Ok, você é bobo até demais.

​Cidade de Jericó

"Em cada 8 de 10 casas existe uma prostituta na ativa" Diz o IDIDJ ( Instituto de Informações de Jericó).

Pode até ser verdade, mas a maioria é como eu, é forçada a fazer isso.

-Mana. Aoliabe , meu irmão mais novo me chamou- O que é uma prostituta?

Como responder uma pergunta como aquela?

-Vem, nós vamos nos atrasar para a escola. Disse a ele.

O peguei pela mão e me aproximei até a porta de casa e a abri, mas quando vejo, Aoliabe não está no meu lado.

-Aoli....Quando fui terminar, já tinha visto onde ele estava.

-Por favor , aceite um pouco desse pão que mamãe fez hoje, está bem fresquinho, ok, Nossa Senhora? Ele dizia com um sorriso nos lábios antes de beijar o pé daquela estátua empoeirada.

-Podemos ir? Perguntei tentando esconder a voz de nojo

-Sim, podemos! Ele respondeu- Tchau , Nossa Senhora! Não faça muita bagunça ai, se não a minha mãe vai ficar brava com agente!

Fechei a porta quase em seguida. Aff, como a Nossa Senhora vai comer pão, se ela é uma estatua, e nem se mexe?

Mas não fique chocado. Afinal, aqui em Jericó tudo é baseado nisso. Fazemos tudo por essas estatuas ambulantes idiotas.

Entrei em meu carro com meu irmão.

-Posso ir na frente? Ele perguntou

-Você é novinho de mais pra isso. Respondi rindo

Aoliabe fez bico

-Vou pedir para a Aserá me deixar mais velho!

-Peça com fé, pra ver se ela te escuta...Resmunguei pra mim mesma

-O que você disse mana?

-Nada não. Respondi dando partida no carro.

Todo dia era assim. Minha mãe era uma das servas da Rainha de Jericó, e meu pai era um Oficial de extrema confiança do rei. Meu irmão estudava na academia de religião de Jericó. Lá, os meninos aprendiam a manejar a espada e lutar como guerreiros, mas se quisessem poderiam cursar os ensinamentos de sacerdotes. As meninas também podiam escolher entre o sacerdócio ou a prostituição. Existiam casos mais raros em que as mulheres participassem de um movimento chamado " Um morra para que todos vivam" essa mulher era queimada em sacrifício total aos deuses. O pior dia da minha vida foi quando eu me formei naquele lugar. Eu não queria dedicar a minha vida em lealdade aos deuses, mas meus pais escolheram isso pra mim. Foram eles que escolheram que eu fosse prostituta. E em  minha suposta "Carreira", eu fui promovida para servir os altos oficiais do rei, me tornei uma das suas favoritas, Mas eu tenho nojo de tudo isso. Estou a temer pelo futuro de meu irmão, indo a guerras perigosas, ou servir pelo resto da vida a esculturas de gesso. Mas, novamente, eu não posso ter um papel fundamental na educação de meu irmão, por isso são meus pais que irão escolher.

Estacionei o carro na frente do portão da escola de meu irmão.

-Boa aula. Desejei a ele

-Obrigado Mana! Ele respondeu me dando um beijo na bochecha.

Observei ele carregando sua mochilinha até os arredores da escola. Uma criança, tão doce, tão pura...Por que?

Enxuguei as lágrimas que caíram involuntariamente e dei partida no carro novamente. Próxima parada? Trabalho.

Estava quase chegando quando olho no relógio. Estou meia hora adiantada. Não quero chegar antes do meu turno naquele lugar nojento. Paro, então, num bar.

Me sento num dos bancos e vejo o menu com o Barman.

-Eu recomendo este daqui. Disse um homem que se sentou ao meu lado.

Olhei para onde o menu indicava.

​3g de Heroína por 3,00

​-Tá na promoção, Gata. Ele disse sorrindo-Ajuda a superar os problemas.

Pedi para o Barman 3 gramas de Heroína.

-Se isso não me ajudar você é um homem morto. Respondi

-Pode crer, gata! Ele gargalhou.

Peguei a sacola de heroína e entrei no carro novamente e dirigi até o meu local de trabalho.

-Raabe , você está 1 minuto atrasada! Meu chef disse, mirando um revolver na minha direção-Onde esteve?

Mostrei a sacola para o mesmo, que abriu um sorriso macabro.

-Heroína? Agora eu entendi. Você precisava de um estimulo a mais para trabalhar, certo?

Ele deu um tapinha em meu ombro e continuou:

-Tome isso antes do seu expediente.

Minha mente girava num ciclo infinito. Era só heroína, como poderia me deixar mais "Feliz"?

Começamos a ensaiar as coreografias que seriam passadas hoje, e depois que terminamos recebemos os nossos figurinos para hoje. Dobrei meu figurino e o coloquei dentro da sacola da heroína, até por que eu não tinha nenhuma outra sacola, e já faltavam 10 minutos parra meu irmão sair da escola, e eu precisava buscá-lo.

  -Raabe. Chamou uma das minhas colegas- Não roube todos os clientes pra você essa noite.

-É a minha cara. Respondi irônica

Entrei no carro novamente. Por que todo mundo estava dizendo que meu desempenho hoje seria bom? Essa heroína tem tanto poder assim?

Escondi a sacola dentro do porta luvas do carro e estacionei novamente perto do portão da escola. Aoliabe entrou no carro, parecia deprimido.

-Oi Aoliabe! Exclamei lhe dando um beijo na bochecha

-Oi. Ele respondeu, e uma lágrima caiu dos pequenos olhinhos azuis dele.

-O que houve? Perguntei enxugando as lágrimas dele

-Mana, você se lembra daquela pergunta que eu te fiz mais cedo?

-Que pergunta?

-O que é uma prostituta.

-Ah, sim.

-É que você não quis me responder, então eu perguntei pra professora o que era. Isso é horrível! Coitadas das moças!

Depois disso Aoliabe começou a chorar.

Tentei me manter firme naquele momento, mas era difícil, por que mal sabia ele que estava falando com uma prostituta. Não disse nada, apenas o abracei e esperei ele se acalmar para dar partida no carro novamente.

Quando chegamos em casa, já de noite, coloquei Aoliabe para dormir. É agora que vem a pior parte do meu dia. Peguei secretamente a sacola com meu figurino, e comecei a vestir. Quando eu terminei, m olhei no espelho e fiquei me perguntando como eu havia me tornado, num piscar de olhos, aquela pessoa tão imunda. Como existem pessoas que gostam dessa profissão de merda?

Segurei as lágrimas, afinal, eu não podia borrar a maquiagem.

Olhei para a sacola novamente, e comecei a me recordar das palavras daquele homem.

"Isso vai te fazer esquecer de todos os problemas."

Peguei o pacote de heroína, e cortei um pedaço da droga. Na hora que eu fui colocar na boca...

-Mana?

~Fim do capitulo~

 

 

 

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado desse cap, e não se esquecem de que as vagas ainda estão abertas, eu pretendo fazer 30 fichas, então...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...