História Profundo Oceano - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Mistério, Revelaçoes, Romance, Sereias
Exibições 29
Palavras 1.612
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Heterossexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


OIE AMORES
Cheguei com mais um capítulo
Espero que gostem
Boa leitura
Obs: Leiam as notas finais.

Capítulo 11 - Uma longa noite


Fanfic / Fanfiction Profundo Oceano - Capítulo 11 - Uma longa noite

Senti minhas pernas ficando fracas e minha mente pensando mil coisas de uma vez. Não poderia acreditar naquilo que David dizia. Como? Como eu iria fazer parte da família real dos mares? Não era possível.
-David, você está ficando louco só pode ser. -
-Kathe, eu sei que é difícil de entender e de acreditar. Mas você precisa tentar, é a verdade. - disse pegando na minha mão carinhosamente.
       Eu olhei para ele, tentando assimilar tudo. Como? Como isso seria possível? Minha vida sempre foi normal até essa transformação acontecer. Bom, pelo menos era o que eu achava. Na verdade a vida que pensei que tinha não era bem essa. Na verdade nunca foi. 
     Me remexi no assento de madeira já velho, e decidi que iria escuta-lo. -Continue,por favor. Quero saber de tudo.-
Ele balançou a cabeça e voltou a falar.- Antes da rainha Ambelly falecer, ela fez uma magia muito poderosa que permitia proteção à todos os seus descendentes. Desde que os mesmos usassem o amuleto no dia do seu décimo oitavo aniversário-
    Ele levantou do banco e começou a andar de um lado para o outro. -Mas isso não foi pário para George.-
-O que ele fez?-
-Depois que a rainha morreu e sua filha assumiu, o reino foi dominado por ele e seus capangas. George roubou o amuleto, deixando a família real desprotegida. Quase metade da população do reino morreu ou foram levadas capturadas para as ruínas dele. -
-Meu Deus!Que horror!-
-Pois é. É uma crueldade o que esse monstro fez.-
-Mas e a filha da rainha? Ele a pegou?-
-Sim. George a fez de escrava até o fim da sua triste vida. Mas para nossa alegria, uma herdeira veio a vida antes da morte da mãe. -Ele sorriu e tocou meu rosto suavemente.
-Essa herdeira era sua avó.-
Por um momento parei de respirar sem acreditar no que acabara de escutar. 
-Minh... minha... Avó?- lágrimas caíram quentes pela minha bochecha. 
-Sim Kathe. Sua avó. Ela era uma princesa dos mares. Uma sereia linda.-
Eu sorria e chorava ao menos tempo. Minha avó! Ela era uma sereia, uma sereia! 
-Me conte mais sobre ela Day.-
-Claro Kathe. Sua avó conseguiu voltar para o palácio dos mares, com a ajuda de seu pai. 
Meu avô. Como será que ele era?
-Ela cresceu e se tornou uma rainha esplêndida. Governou e governa o reino o livrando dos males de George.-
-Espera, quer dizer que minha avó está viva?-perguntei perplexa.
-Sim, sua avó vive e é a rainha dos mares desde sua a sua coroação.-
-Meu Deus David,como eu nunca soube disso?-
-Você não estava pronta para saber da verdade antes. Não era a hora certa. Mas agora você está pronta para encarar os fatos.-
-David?-
-Sim-
-Eu sou adotada?-Perguntei olhando em seus olhos.
-Não Kathe.- assegurou. -Você é filha legítima dos seus pais. -
-Minha mãe sabe disso tudo?-
-Não. Seus pais não dizem ideia da verdade. Quando descobriu da gravidez, sua avó ficou desesperada. Ela tinha medo que George roubasse sua filha. E por isso, quando sua mãe nasceu, foi entregue ao pai para que fosse criada na terra e longe do vilão. -
-Então meu avô era um humano!- quase gritei.
-Sim ele era. Ele criou a filha afirmando que a mãe tinha falecido em um acidente de carro. -
-Ela cresceu achando que não tinha mãe. Minha avó não tem coração!? Sabe o quanto ela sofreu por isso?- Disse revoltada.
-Katherine é claro que sua avó sabe que sua mãe sofreu, ela também se lamentou por anos. Mas não podia arriscar perder sua filha para George, entende?-
Balancei a cabeça em resposta. -Tudo bem. Mais uma pergunta.-
-Fala.-
-Porque minha mãe não se tornou sereia também? -
-Bem, isso não é totalmente certo, mas desconfio que o destino é que escolhe quem será a próxima rainha.-
-Hmm-
-Então sendo assim, você assumirá o trono  quando sua avó o deixar.-
-O QUE?!-Quase engasguei e caí do banco se não fosse David para me segurar. 
-Katherine, você atingiu a idade adequada e se transformou em sereia. Quando completar 20 anos estará pronta para governar.- disse com orgulho.
-Não. Não, eu não quero governar nada. Para com isso David. Eu só quero ser uma garota normal com um histórico de familiares normais, será que é pedir demais!?- levantei ficando de costas para ele. 
-Katherine.- Foi até meu encontro e me abraçou. -Eu sei que é tudo novo e que também é muito assustador. Não era eu a pessoa certa para lhe revelar a verdade, mas o destino quis assim. -Ele fez uma pausa enquanto esperava meus soluços e lágrimas passarem. -Quero que saiba que vou estar sempre do seu lado. Sempre. Pode contar comigo, certo?-
Eu balancei a cabeça em resposta e enterrei a mesma no peito musculoso de David. Ficamos assim por um tempo, ele alisando meus cabelos enquanto eu tentava me acalmar. 
-Tá melhor?- perguntou depois de beijar minha testa.
-Uhum. Acho que sim.-
-Olha Kathe, quero que fique calma. Você não vai precisar governar agora, mas é importante que tenha consciência de tudo, inclusive de George. -
-Eu sei. Só preciso de um tempo para assimilar tudo isso direito.-
-Claro, é natural a revolta e estranheza no começo. Afinal, não é todo dia que se descobre que não é humana. -
-Pois é. - disse tocando minha cabeça e apertei os olhos com força, estava com muita enxaqueca. Preciso dormir.
-Acho melhor eu levar você pra casa, precisa descansar. É muita coisa para uma noite só, não acha?-
-Com certeza.-
     Ele pegou em minha mão e me levou de volta ao salão. A música estava alta e as luzes piscavam como luzinhas de natal. As pessoas não paravam de pular e gritar, acompanhado o ritmo eletrônico. Avistei Mellaine e Alex dançando perto do palco. Mel, completamente bêbada, pulou nas costas do namorado e gritou/cantou a música totalmente desafinada, enquanto Alex só fazia rir. 
     Olhei e ri para David, que devolveu o sorriso balançando a cabeça quando Alex rodou Mellaine pelo salão e quase caiu. Quero só ver amanhã. Vai ficar com tanta vergonha que nem sair do quarto ela vai sair. Pensei tentando conter o riso. 
-Vamos, ela nem vai notar que eu saí. - disse revirando os olhos.
-Provavelmente,vamos.-falou enquanto sorria.
Peguei na sua mão e saímos. O carro do pai de David estava estacionado bem próximo a portaria. O que foi ótimo, já que com a dor e tontura que estava, não conseguiria andar muito. 
-Por favor, senhorita Katherine.- Fingiu uma reverência de rainha enquanto abria a porta. 
-hahaha engraçadinho.-Disse revirando os olhos, mas não consegui conter o riso quando ele deu sua risada alta. 
-Bom -Começou quando abriu a porta e sentou no assento. -Só estou fazendo meu trabalho. -  disse dando de ombros.
Dei um meio sorriso, visivelmente desanimada. 
-David, como você sabe de tudo isso?-
Ele se virou para mim e me olhou nos olhos de um jeito tão carinhoso que quase o beijei. 
-É simples, Kathe.-colocou a mão na minha nuca massageando a mesma.-Sou seu guardião. -
-Meu guardião?Como assim?-
-Katherine, podemos conversar sobre isso amanhã? Pelo seu bem, essa é outra grande  história, não dá pra falar agora. Amanhã você me encontra na floricultura para conversarmos melhor?- 
-hmm tudo bem. Acho melhor mesmo. Desculpa é que fiquei curiosa, são tantas coisas que não sei...-
-Eu sei, mas vou lhe contar tudo. Só tenha paciência e espere mais um pouco, amanhã lhe contarei tudo o que você precisa saber. -
-Certo.Podemos ir?-
-Claro. Coloque o sinto mocinha.- brincou.
Eu ri e puxei a fivela afim de encaixa-lá na trava do sinto. Mas para minha felicidade o sinto não me ajudava e meus esforços estavam sendo totalmente em vãos. David viu minha dificuldade em colocar um simples e idiota sinto de segurança e se esticou até meu assento para me ajudar. Ele atacou com uma facilidade que me fez sentir-me uma completa burra. 
-Nossa, esse sinto não foi com a minha cara. - disse com raiva.
-Ai, não exagera. Você só é fraca demais para afivelar um sinto, não coloque a culpa em um objeto.-brincou e levou a mão á cabeça aos risos, para se proteger dos meus murros. 
-Hahaha idiota! Te odeio sabia?-
-ah para que eu sei que você me ama.- falou se achando.
-Uhum tá, vai achando. -
-Não foi o que aconteceu hoje no salão. - Ele deu aquele sorriso que derretia qualquer uma. Tive que me segurar para não perder o controle de vez.  Devo ter ficado mais vermelha do que um tomate, quando lembrei do nosso quase beijo. 
-Não aconteceu nada David. Nada. Agora podemos ir? Estou com sono. - menti.
-Tá certo. - encerrou a conversa dando partida ao carro. 
     Fomos o caminho todo de volta sem falar mais nada. Eu fiquei observando as pessoas e carros na rua como sempre fazia, e as vezes, olhava de relance para David e o vi olhando para mim. 
-Assim você vai acabar nos matando.-afirmei sem tirar os olhos da janela.
-Eu sou esperto, não vou bater o carro só porque estou te olhando.- eu o olhei com tédio. -A culpa é sua, quem manda ser tão linda?!-
Não respondi, apenas olhei rápido para ele e balancei a cabeça. 
-Chegamos. - afirmou.
Eu abri a porta e saí do carro. Um segundo depois David já estava do meu lado me ajudando com o vestido enorme. Eu peguei em sua mão mas a soltei assim que perdi o equilíbrio e vi tudo preto. 
-Day...me ajud...- Foi o que consegui dizer antes de David me segurar nos braços gritando meu nome em desespero e depois não lembro de mais nada.


Notas Finais


E foi isso por hoje, ate o próximo cap!
*Capítulos novos toda segunda e sexta*
Bjinhos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...