História Projeto: como conquistar o Luhan - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Xiumin
Tags Chanbaek, Comedia, Hunhan, Kaisoo, Mensagens, Suchen, Suchenlay
Exibições 294
Palavras 696
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Fluffy, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OE PESSOAS LINDAS DO MEU CORAÇÃAAAAAAAAAAAO
era para ter postado no aniversário do Chanyeol, mas eu esqueci
PERDOA EU
boa leitura ~! amo vcs sz

Capítulo 22 - Em busca de Hunie, o crush perdido


 

 

 

Por Xiao Luhan

 

Já fazia um tempo que eu recebia aquelas mensagens, aqueles presentes, aqueles cartões e aqueles elogios. Eu poderia ter bloqueado na primeira mensagem, mas não, eu resolvi deixar fluir e ver até onde daria. E eis no que deu: eu apaixonado por alguém que nem o rosto eu sei como é.

Apenas pistas não são o suficiente para mim, eu só queria abraçá-lo e dizer o quanto eu me acostumei com ele, mesmo não vendo o seu rosto. Quando sua mãe ou um filme disser que o amor é cego, acredite.

Porque, francamente, eu me sinto um ceguinho. Apaixonado por um ser que eu nunca vi.

Quando o Hunie me disse – deixou escapar na realidade – que estava na biblioteca, meu coração pulou. “Meu coração pulou” é eufemismo, eu comecei a dançar fun boys no meio da, suposta, sala de aula que ele estuda. E isso não é o pior.

Eu fiquei com um sorriso enorme – espero que alguém tenha tirado foto/filmado, porque dá uns bons memes.

(In) voluntariamente os meus pés traçaram o caminho para a biblioteca – foi o caminho certinho, bicho – e quando eu cheguei lá, a minha vida começou a passar pela minha cabeça. Sabe aquela sensação boa? Acho que se chama felicidade.

– Hunie? – o chamei.

Nada.

Foi quando percebi que só tinha eu e o menino que distribuía água nos jogos de basquete.

– Hm, desculpe  – falei  – eu pensei que tinha uma pessoa aqui.

– Sem problemas  – ele disse e deu um sorrisinho. Olhando por esse ângulo, ele é bonito pakas. – está precisando de alguma coisa, Luhan?

– Eu queria saber se tinha alguém aqui. – cocei a nuca.

– B-bem não. Espera, sim  – ele começou a falar e eu juro de pé junto que eu não entendi purpurinas de nada.

– Sim ou não? – ri.

– Tinha  – ele suspirou e retirou um papel do bolso  – e deixou isso aqui para você.

Ele estendeu a mão e me entregou o papel. Não hesitei muito e me joguei no tatame que tinha ali, para poder ler o que estava escrito.

Me desculpe por está sendo um completo covarde e me esconder de você. É que não acho que seja o momento certo.

Caso você não aceite as minhas desculpas, tem uma coisinha no seu armário. Espero que você goste, pequeno sz

Com amor, Oh Hunie

 

Não contive um sorrisinho bobo em meu rosto, até perceber que o menino d’água estava olhando para mim e sorrindo também.

– Desculpe  – ele disse e apertou uma almofada que estava no tatame.

– Eu era que tinha que me desculpar  – ri nasalado – eu deveria estar parecendo um idiota.

Ele sorriu.

– Qual seu nome? – perguntei.

–Hm, pra que você quer saber?

– Não me responda com outra pergunta  – tentei parecer sério, o que só arrancou risadas daquele ser na minha frente  – por curiosidade.

– Sehun  – ele soltou um suspiro.

– Sehun me lembra o nome de uma pessoa  – pus a mão no queixo e sorri para ele  – nunca tinha reparado que você é bonito. Caramba, você é muito bonito.

Eu nunca me arrependi tanto de ter feito uma coisa como agora. O menino ficou branco  – mais do que já era  – e as bochechas estavam extremamente vermelhas. Seria um pecado eu dizer que ele estava fofo daquele jeito?

– Desculpe  – eu disse  –, mas você fica fofo com vergonha.

Ele soltou um risinho fofo e escondeu o rosto com as mãos.

– Obrigada, Luhan.

– Só falei verdades.

– Bom, eu preciso ir agora. Até o jogo de amanhã  – ele se levantou.

– Até!

Sehun começou a caminhar em direção a saída da biblioteca se esbarrando em algumas almofadas que estavam jogadas no chão, o que arrancou uns risinhos meus.

– Luhan  – ele se virou para mim, já na saída.

– Pois não.

– Por que não almoça com a gente amanhã?

Formei um perfeito “o” com a boca, mas mesmo surpreso eu aceitei.

Já conhecia o Baekhyun e o Kyungsoo  – por sermos parentes lá da linhagem do ano de mil e quinhentos, me desculpem pela hipérbole.

– Pode ser  – sorri e ele sorriu também  – até a hora do almoço então.

– Até.

Ele saiu e me deixou abraçando o bilhetinho que o Hunie escreveu. Já ia me esquecendo de passar no meu armário antes de ir para casa.


Notas Finais


jhan hunhan jhan
processando informações jhan


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...