História Proklyataya - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Monsta X
Personagens Hyung Won, I'M, J-hope, Jimin, Jin, Joo Heon, Jungkook, Ki Hyun, Min Hyuk, Personagens Originais, Rap Monster, Show Nu, Suga, V, Won Ho
Tags Bts, Guerra, Monsta X, Vampire, Vampiro
Exibições 86
Palavras 3.076
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Fantasia, Ficção, Lemon, Luta, Misticismo, Romance e Novela, Shonen-Ai, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


PELO AMOR DE MIN YOONGI QUE DEMORA PRA SAIR ESSE CAPÍTULO, CREDO

De verdade verdadeira mesmo, mil, cem mil, milhões de desculpas, gente
N sei se vcs acompanham minhas outras histórias, mas eu cheguei a explicar o motivo do meu sumiço (mais precisamente, deixei td mais claro no último cap de Meu Cunhado), então n vou reescrever td aqui de nv, seria bem entediante pra vcs hsduhquidhsaudhqs

Eu fico até sem saber o que dizer aqui dps de tanto tempo HSUDHQUEWHASUI então acho melhor a gente já ir direto pro que interessa não é mexxxmo??????
Se eu lembrar de alguma coisa relevante pra explicar, atualizo dps pq sim ♥

(gent nem vou ficar mto tempo aqui falando da desgraça que se estabeleceu em meu ser com o comeback dessas vagabundas, só queria dizer que PUTA EMRDA EU AMEI TUDO A BATIDA, O CONCEITO - que lembra essa fic aqui, n sei se pra vcs isso tbm aconteceu, mas pra mim aquele foi o clipe Proklyataya, quero nem saber u.u)

ENFIM
PREPARADAS PRA TRETA?
PQ VAI TER TRETAAAAAAA

Capítulo 3 - Segundo: Lobo


Uma paisagem coberta por grossos flocos de neve era o que Park Jimin visualizava, mas ele não sentia tanto frio quanto deveria. Sua pele estava úmida, coberta por uma fina camada de suor e ao seu redor ele só conseguia ver a imensidão branca que parecia não ter fim. Sentiu um cheiro de ferrugem muito próximo de si e olhou em volta para descobrir de onde ele poderia vir. Percebeu que estava em pé na neve, completamente nu e desprotegido, e o cheiro ferroso vinha de seu próprio corpo. No chão, ao lado de seus pés, havia uma poça considerável de sangue, que escorria vertiginosamente de sua mão direita. O desespero começou a fazer seu cérebro descarregar adrenalina para todo o seu corpo, o fazendo se sentir mais quente ainda, ele morreria ali, em meio a um estranho inverno.

Inverno. Inverno o matara, ele estava ali, agonizando, mesmo sem dor, por culpa do vampiro. Mas então por que não sentia raiva do homem de aparência jovial? Por que sentia mais compaixão por ele do que por si próprio? Por que era a imagem do garoto de cabelos negros que lhe tomavam os pensamentos, que naquele momento deveriam estar focados em se salvar, seja estancando o sangue, ou mesmo tentando correr para um abrigo do frio implacável?

— Jimin? — ouviu uma voz ecoar no horizonte.

— Quem tá aí? — o ruivo perguntou, girando em seu próprio eixo para tentar visualizar o portador daquela voz. Pensou em gritar por ajuda, mas sua voz travou na garganta ao imaginar que poderia ser alguém perigoso, outro vampiro, talvez.

— Jimin, por favor...! — novamente alguém o chamava em meio ao nada, porém aquela voz era diferente, mais comum à sua memória. O timbre era doce e amigável, lhe passava uma sensação confortante... Kihyun! Era ele quem o chamava, quem tentava ajuda-lo ali, era sempre ele quem o puxava do fundo do poço e o trazia de volta à luz, metaforicamente, claro.

— Kihyunnie! Onde você tá? — gritou com todas as forças que tinha em suas cordas vocais, e apesar da perda constante de sangue, não se sentia tonto ou algo do tipo, a única coisa que queria era sair dali.

— Jiminnie, acorda! Anda! — aquela voz não podia ser confundida jamais. Era Taehyung. Sentiu um baque surdo em seu peito, como se tivesse sido empurrado por alguém, e assim que seu corpo estava prestes a encontrar o chão gelado e branco, seus olhos se abriram subitamente e o garoto se levantou, percebendo que estava na cama confortável de seu amigo, ainda naquela casa de verão japonesa.

— Ah, graças a Deus! — Minhyuk exclamou, tocando a testa fria do ruivo. — Como se sente?

— Eu... Eu não sei... — balbuciou ao se sentir tonto por levantar tão rápido do colchão. Tentou recapitular o que havia acontecido e se lembrou de Jungkook sugando o seu sangue avidamente pelo ferimento em sua mão, do medo que sentiu ao não se ver livre da posse do moreno quando tentou parar com aquilo.

— Tá vendo o que você fez? Você quase matou meu amigo, vampiro desgraçado! — Kihyun esbravejou enquanto olhava para Inverno. — Deita de novo, Jimin. Você desmaiou com a perda de sangue, ainda tá muito fraco. — aconselhou, encostando no peito do amigo e o devolvendo à posição inicial. — Alguém busca alguma coisa pra ele comer!

— Algo com amido, de preferência. Batatas ou arroz. Vai ajudar a te recompor mais rápido. — Jungkook disse num tom de voz baixo, chegando mais e mais perto de Jimin, sentando na beirada do colchão e tocando a pele quente com o dorso frio de sua mão. — Não se preocupe, eu jamais lhe mataria, meu amor. — sorriu complacente, sentindo a maciez da pele do humano.

— Eu tô bem, Kihyunnie. Não precisa se preocupar. — o ruivo disse, tentando ignorar o toque de Inverno que recebia, olhando para o amigo meio vacilante, ainda se sentia sonolento.

— Olha, eu esquentei o rámen que você não terminou de comer, tem amido não tem? — Taehyung disse ao entrar no quarto poucos minutos depois, trazendo o recipiente de plástico em suas mãos.

— Rámen? O que é um rámen? — o vampiro perguntou, saindo de leve transe que lhe ocorreu ao fitar o rosto delicado e agora levemente pálido de Jimin e olhando agora para o de cabelos castanhos.

— É um macarrão... feito de trigo, eu acho. — Tae deu de ombros. Nunca pesquisou sobre a origem e composição as coisas que comia, ele só... Comia.

— Ah sim, seria melhor se fosse à base de batatas, mas trigo deve servir. — concluiu, se levantando e apanhando o recipiente das mãos do castanho, voltando para a cama onde se acomodou melhor ao lado de Jimin. — Ótimo, ainda tem bastante caldo, isso vai ajudar. Vamos, abra a boca. — disse enquanto pegava uma porção da massa cozida com os jeotgarak e a deixava bem perto da boca carnudinha do outro, que estranhou o ato e por reflexo recuou um pouco.

Todos ali estavam meio espantados com tamanha... Entrega do vampiro, que realmente parecia que se preocupava com Jimin e estava o paparicando. Qual é, há minutos atrás o homem quase matou o ruivinho por hemorragia e agora estava prestes a lhe dar rámen na boca? Quantas personalidades esse cara tinha?

Jimin hesitou no início, mas assim que mastigou a primeira porção do rámes percebeu o tamanho da fome e sede que sentia naquele momento, nem ligando mais de ser um vampiro ou o próprio capeta que estava o alimentando, ele só queria mais; até pegou o recipiente das mãos de Jungkook e tomou o caldo levemente apimentado que restara ali, tamanha vontade que tinha.

— Quer mais? — Inverno perguntou divertido, achando agradável a imagem de Jimin todo ávido por comida daquele jeito. Não que já não tivesse visto isso milhares de vezes, literalmente. Afinal, como vampiro já chegou a quase matar várias pessoas por perda de sangue, e sabia como funcionava todo o processo, mas há de se considerar que fazia tempo que ele não interagia com humanos ou qualquer outro ser por séculos, e era muito bom ser agraciado por aquele par de bochechas cheinhas tentando segurar um sorriso enquanto acenava positivamente; sim, ele queria comer e beber mais. — Só que eu não vou poder mais te alimentar, appa. Tenho coisas a resolver, e devo aproveitar que ainda é noite.

— Coisas? Que coisas? — Minhyuk perguntou.

— Devo acordar meus irmãos, a priori. Depois devemos ponderar sobre onde exatamente estamos e entender esta nova realidade, e para isso precisarei de vossa ajuda. Quem sabe não possam nos levar ao tal internet para fazermos mais perguntas. — lembrou do que lhe disseram mais cedo, sobre esse oráculo ou mago que sabia até que roupas se usavam no mundo inteiro.

— Bom, se você prometer que não vai quebrar mais nada da minha casa, não tem problema usar a internet. — Taehyung deu de ombros, começando a ficar preocupado sobre que desculpa daria ao seu pai pra explicar a porta da garagem demolida e aquele buraco na parede de seu quarto.

— Oh, sim. Prometo que de minha parte não haverá tais ímpetos. — sorriu, fazendo uma leve reverência. Podia ser o que fosse, ainda devia respeito ao anfitrião da casa. — Aliás, ainda não sei vossos nomes, somente o de Jimin, gostaria de trata-los da forma correta.

— Ih, é verdade. — o humano de cabelos negros comentou. — Eu sou Shownu, e estes são Kihyun, Taehyung e Minhyuk. — dizia apontando para cada um de seus amigos, tendo um aceno positivo do vampiro como resposta.

— Gente... Eu ainda tô com fome... — Jimin resmungou na cama, chamando a atenção para si.

— Ah, claro. — Kihyun disse, se lembrando que o mais novo pediu por mais rámen. — Vou lá fazer alguma coisa pra você comer, já volto. — se retirou do quarto e desceu as escadas, indo em direção à cozinha.

 

 

 

(...)

 

 

 

Jungkook precisava tomar uma decisão. Qual de seus irmãos acordaria primeiro? Gentil? Seus conselhos eram sempre sábios, provavelmente ele saberia o que fazer com todas aquelas informações novas. Lobo? Um de seus melhores amigos, devia confessar. Seu humor, sempre impudico, acabava o alegrando em momentos difíceis como aquele. Sétimo...

— Ah, não. Tu jamais acordarás, maldito. — esbravejou enquanto encarava o caixão de prata aberto naquela sala extremamente clara. Todos os corpos estavam em estados deploráveis, porém ele conseguiria reconhecer cada um deles apenas se lhe dessem uma amostra de cabelo. Tempestade. Acordador. Espelho. Qual deles?

Fechou os olhos e tentou decidir de maneira aleatória, indo mais pelos instintos do que pela razão. Retirou um dos cadáveres ressecados do caixão e o depositou no chão, não queria que uma única gota caísse lá dentro, ela poderia acordar Sétimo e isso seria o fim. Olhou em volta, vendo a sala vazia, os humanos haviam ficado no andar de cima da casa, cuidando de um Jimin manhoso e debilitado; deu de ombros antes de fazer suas presas saltarem e morder seu próprio pulso, com força. Quanto mais fundo o corte, mais devagar ele cicatrizaria, e daria tempo de levar a quantidade necessária de seu sangue até a boca putrefata do outro.

— Vamos, beba, irmão. Me ajude nisso. — murmurou quando encaixava o furo feito em seu pulso na boca do corpo, melecando toda a sua volta e até escorrendo para o queixo. Inverno apertava sua carne para que o sangue jorrasse mais; não queria perder tempo, quanto mais sangue ele ingerisse, mais rápida seria a regeneração. Assim que sentiu sua pele se refazendo do corte retirou o pulso da boca do corpo, já conseguindo notar uma mudança significativa em seu estado, que começava a se regenerar e tomar a bela forma que o homem tinha. — Isso, Hobi. Força! Venha para este meu lado, recobre tua consciência, irmão de maldição! — exclamava animado, fazendo seus dentinhos da frente resplandecerem em seu sorriso. Via os músculos dele retomando seu tamanho, a pele, antes seca e escura, começava a se reidratar, mostrando a luminosidade de sua palidez. O cabelo negro recuperando brilho. Jungkook não conseguia conter sua excitação, deixando uma risada gostosa, e talvez maléfica, dependendo do ponto de vista, ecoar pelo cômodo assim que viu Jung Hoseok abrir seus olhos. — Lobo!

— Jungkook? — o vampiro perguntou vacilante, se sentindo incomodado com a luz excessiva, não conseguindo enxergar direito, mas reconhecia a voz e o cheiro de seu amigo.

— Não se preocupe, esta luz é forte, mas não nos faz mal algum. Levanta! Venha ver como é este novo mundo! Há satélites, TV, internet...! — se atropelava com as informações devido sua animação para o deixar a par das novidades.

— Espere... O quê? Satélites? TV? Inte... Inverno, congelaste teu cérebro e ficaste burro? Que asneiras são estas?  — Hoseok estranhava aqueles nomes desconhecidos enquanto se sentava no chão frio e tentava reconhecer o local, porém sem sucesso. As únicas coisas que reconheceu ali foram o caixão e os baús de rata, abertos. — Ainda não acordou os outros?

— Irei acordá-los daqui a pouco. E não zombe de mim, estas coisas existem mesmo.

— Não digo que não existem, mas eu realmente nunca ouvi falar disso antes. — se levantou devagar, mas já estava se sentindo melhor, seus olhos já se acostumaram com a luz forte. — Hmm... Humanos. — sorriu ao sentir o cheiro tão característico e delicioso, mas ao caminhar na direção que seu olfato apurado apontava, foi segurado pelas mãos firmes de Inverno.

— Não, Lobo. Estes não.

— Não entendo.

— Eles são nossos anfitriões, e meu appa está entre eles.

— Seu... Appa? — fez uma careta de confusão. — Ah sim, o que te trouxe de volta à vida... Você e estes teus eufemismos. Estás obcecado pelo humano também? — lhe lançou um sorriso sacana.

— Se pudesse provar o sabor daquele sangue, se encontraria em pior estado que eu, posso lhe garantir. — ignorou a ironia, mas devolveu o sorriso. — Mas o importante é que eles são amigos de meu amado, que pediu para que nada de mal os atinja. Além de que eles são uma boa fonte de pesquisas.

— Só não são bons costureiros, pelo que vejo.

— Ora, e por quê?

— Veja tuas vestes, Inverno. Tudo tão apertado, parece desconfortável.

— Ah, sim. É o que usam no mundo inteiro, com o tempo te acostumas. — repetiu o que lhe fora dito horas atrás, realmente percebendo que se acostumara rápido com os tecidos justos, mais um ponto a favor de sua versatilidade vampírica. Sua mente assimilava rapidamente qualquer tipo de informação, como um sistema de camuflagem moderno, para que sua existência não fosse notada no meio da sociedade. Era versátil e se adaptava sem muito esforço, então já se sentia bem confortável dentro do jeans escuro.

— Mundo inteiro, huh? E como sabes? Nos deixou aqui neste caixão enquanto rodavas o mundo inteiro?

— Não, burro. O internet disse que é assim.

— Internet? E quem é este aí? Algum bruxo?

— É, mais ou menos. Eu acho... — ponderou por alguns instantes antes de confirmar.

— Entendo... Talvez ele possa nos instruir em algum plano de vingança, não acha? Ou pretende deixar o imperador impune depois do que fez conosco?

— Ahn, então... Sobre isso... Tenho boas e más notícias. — Jungkook revelava meio receoso, prometera não causar mais danos ao patrimônio de Taehyung, e não queria deixar o amigo zangado, o que era difícil, pois Hoseok tinha um temperamento difícil e explodia fácil. Falando em Taehyung e seus amigos, o grupo agora descia as escadas da casa, indo devagar para a garagem, onde encontraram mais um homem nu, com quase toda certeza era um vampiro também.

— Inverno... — Jimin chamou mansinho, com medo do outro vampiro ser mais hostil.

— Ah, meu amor! Como se sente? Melhorou da tontura? — perguntou chegando mais perto do ruivo, até conseguir alcançar sua bochecha quentinha com o dorso de sua mão novamente.

— S-sim... Ahn... Quem é esse?

— Oh, sim! Esqueci de o apresentar! Este é o Jung Hoseok. — disse, vendo o amigo se curvar respeitosamente para o grupo.

— E qual dos nomes da caixa é o dele? — Tae perguntou. — É o Sétimo?

— Ora, como ousas me comparar com tamanha Besta? — Hoseok rebateu indignado. — Sou Lobo. Um dos Sete Demônios.

— Ah, tá...

— E você também não é muito a fim de usar roupas, né? — Minhyuk perguntou, tentando seriamente não achar graça do jeito despudorado daqueles seres, que estava incrivelmente curioso para conhecer mais.

— Perdoem meu amigo, ele ainda não está muito bem ambientado, não é, Hobi?

— Não me chame assim! É vergonhoso! — fingiu uma careta de nojo, fazendo o vampiro cair na risada, arrancando uma parecida de si mesmo também. Os humanos, como quase sempre desde que Inverno acordara, estavam calados, assistindo a tudo, e ficando surpresos com as interações despreocupadas dos dois vampiros, eles realmente pareciam dois garotos de seus 20 e poucos anos zuando um ao outro; a não ser por Lobo que, bem... Ainda estava sem roupa alguma, e não parecia incomodado com isso. — Mas eu não tenho vestes...

— Eu vou ter que emprestar mais roupas minhas, é isso mesmo? — Taehyung se perguntou em voz alta, fingindo estar chateado. — Já volto, então. E não quebrem nada, por favor! — exclamou a última frase já enquanto subia novamente as escadas, sendo seguido apenas por Kihyun e Shownu, para agilizar o processo de escolha das roupas de novo.

— Ainda não me disse quais eram as boas e más notícias sobre o imperador, Inverno.

— Ah, sim. A boa notícia é que o imperador já está morto agora.

— Sério? — Lobo sorria um tanto incrédulo. — Tão rápido assim? Foi algum plano teu? Como conseguiu?

— Agora vem a notícia ruim...

— Iih, acho melhor a gente se afastar, Jiminnie... — Hyuk sussurrou para o ruivo, já prevendo algum outro ataque de fúria do Lobo. Recebeu um aceno positivo em resposta do menor e os dois rumaram rapidamente para longe dali.

— Humanos estranhos... — Hoseok comentou. — Mas diga, qual é a notícia ruim?

— A ruim é que seria impossível ele continuar vivo, já que estamos no ano de dois mil e dezesseis. — Hoseok arregalou tanto os olhos que Inverno achou que eles fossem saltar para fora das órbitas. — Eu sei que foi muito, muito tempo. Foi injusto, e eles pagarão, todos eles. — completou, mais racional do que da última vez que proferiu tais ameaças.

— Isso não pode ser verdade, Jeon Jungkook. Diga para mim que esta é mais uma de suas brincadeiras infantis, vamos, diga. DIGA! — ele vociferou, suas presas saltadas, e seus olhos flamejando num tom vivo e assustador de vermelho. — Como puderam? Tantos anos... Séculos! Séculos, Inverno! Fomos presos por séculos!

— Eu sei, Hoseok, eu sei! Acha que não foi desesperador para mim também? Mas precisamos planejar uma vingança à altura, devemos ser sensatos!

— Não quero ser sensato! Quero destruir a linhagem daqueles seres, um por um! Quero dilacerar a garganta de seus filhos e obriga-los a verem tudo! Eu quero sangue! Preciso de sangue! — esbravejou, tomado pela fúria. Correu com sua velocidade descomunal sem rumo para fora da sala branca e encontrou outro cômodo, com uma decoração estranha, mas não se atentou àquilo, logo encontrando a porta de saída da casa, correndo até pisar na areia fofa da praia de Tokashiki.

— Lobo, não! — Jungkook gritava enquanto corria atrás do outro na mesma intensidade, conseguindo o alcançar, pois estava com um bom estoque do sangue de Jimin dentro de si, ao contrário de Hoseok, que recebera apenas alguns goles de seu sangue, que não era tão potente quanto o de um humano. Com a gritaria vinda do lado de fora, todos os garotos que ainda estavam dentro da casa correram até as janelas mais próximas para ver o que diabos estava acontecendo, e aquela cena poderia facilmente tomar o primeiro lugar em suas mentes como a coisa mais assustadora que já viram, mais até do que quando Inverno despertou.

Jungkook segurava firme nos ombros nus de Hoseok, que grunhia de raiva, até que num impulso conseguiu se desvencilhar do aperto, recuando alguns passos até se posicionar de cócoras na areia fofa, seus olhos brilhavam mais do que nunca e, num urro descomunal, seu corpo aos poucos ia tomando uma forma diferente. Pelos começaram a nascer abundantemente por suas costas, assim como no corpo todo logo depois. Seu rosto se afinou, tomando a forma de um cachorro, um dos grandes, que se ficasse nas duas patas, seria quase um metro maior do que Inverno.

Lobo. Por isso aquele nome, que assim como Inverno, combinava com seu poder. Hoseok agora era um lobo gigante de pelugem negra nas costas e branca na barriga. Ele uivou de uma forma morbidamente bonita antes de sair disparado ilha adiante, numa velocidade muito maior do que Jungkook podia atingir. Lobo havia fugido, e seria praticamente impossível saber pra onde ele iria agora.


Notas Finais


MEUDEUSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS
ATÉ EU QUE ESCREVI ISSO FIQUEI MEIO TENSA EM ALGUMA HORAS
SHDUAISHDUAISHDUAISHDIASUDHOWIEQUDHAUOIDHAW

JEON JUNGKOOK, MEU INVERNINHO LINDO DO CORAÇÃO, VÊ SE N ASSUSTA A GENTE ASSIM DE NOVO, OK? TU QUASE MATOU O JIMINNIE, TADINHOOOOOOO
As vezes eu acho que os humanos estão interagindo pouco nesses últimos capítulos, e realmente tento fazer todo mundo aparecer, mesmo que um pouquinho, mas prometo que tô focando mais nos vampiros agora pq, bom, VAMPIROS NÉ
TÁ ROLANDO MTA COISA COM ELES E EU TENHO QUE ESTABELECER PRIORIDAES PQ SENÃO EU VOU FICAR ENCHENDO LINGUIÇA COM DIÁLOGO DESNECESSÁRIO
e como os caps já são meio grandinhos pode desgastar, ficar maçante de ler
E EU NUM QUERO ISSO
QUERO VCS AMANDO ESSA HISTORINHA TANTO QTO EU <3

E GENTE
HOSEOOOOOOOOOKKKKK
LOBOOOOOOOOOO
AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
MDSSSSSSSSSSSSSSSSS
EU VOU SURTAAAAAAAAAARRRRRR
DSAHADUWEIQHDIUASHDQUWIDHSAUID

QUERO SABER TUDINHO O QUE CÊS ACHARAM DESSE CAP OK? OK
AMO VCS
CONVERSEM CMG
TO CARENTE


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...