História Promessa entre irmãos: uma lenda medieval! - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 6
Palavras 3.307
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Magia, Romance e Novela
Avisos: Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 20 - Viginti


- Vamos Feanor! Você está muito devagar hoje... – Disse Chris, chamando a atenção do elfo que andava atrás de todos.

- Ele está muito cansado, coitado... – Disse Clare.

- Com razão! Ele passou a noite passada inteira acordado, e logo depois de passar por tantas emoções... – Completou Penny.

- Nessa noite eu ficarei de vigia, vamos nos organizar nisso a partir de agora. Assim vamos manter nossos corpos bem e o ritmo da viagem acelerado. – Disse Eiden.

- Parem de falar como se eu não estivesse com vocês... – Disse Feanor, bocejando. – Estou cansado sim, mas isso vai passar logo.

- Não estaria se não fosse o Chris e suas atitudes suicidas... – Provoca Penny, dando uma risadinha.

- Por que tudo é culpa minha para você!? Não fica legal para você agir como criança, vovó! – Retrucou Chris, emburrado.

- COMO É!? – Gritou Penny, irritada com Chris.

- E lá vamos nós... – Disseram Feanor, Eiden e Clare, suspirando.

Já era quase fim de tarde, os viajantes já haviam se distanciado bastante do Reino de Stráuvia, agora eles podiam ver apenas as torres de longe. O terreno pelo qual caminhavam era bem instável: era cheio de elevações, pequenos morros, pedras pequenas e rochas para todos os lados, e algumas árvores solitárias também. Isso era bom para eles, pois pensavam que poderiam se esconder mais facilmente se necessário. Durante o caminho, o ânimo de todos os amigos foi melhorando; Penny e Chris discutiam muito por bobagem, como sempre; Eiden e Clare tinham conversas mais civilizadas, a garota ficou bem fascinada pela história dos dragões; e Feanor estava devagar e mais calado, pois havia passado a última noite inteira em alerta, sem fechar os olhos nenhuma vez.

- Eiden, sabe o que podemos encontrar adiante? Um outro reino, por exemplo. – Disse Chris, curioso.

- Um reino inteiro eu acho que não encontraremos tão logo. Mais adiante ficaria o Reino de Waardy, porém está em ruinas hoje em dia. – Respondeu Eiden, sério.

- Pode ser bom por um lado, teremos um lugar não tão aberto para descansar. – Disse Clare, tentando pensar positivo.

- Acampar em ruinas é algo que nunca se deve fazer. Principalmente nos dias de hoje, onde não se tem mais segurança. Com certeza deve ter alguma criatura do mal por lá, ou até soldados de Inflayster. – Disse Feanor, rispidamente.

- Ou não! Podemos checar antes de entrar, lógico. Precisaremos passar por lá de todo jeito mesmo. – Disse Penny.

- Exato, não seja tão pessimista assim Feanor! – Disse Chris, empolgado.

Eiden parou de repente. Todos ficaram confusos com a parada súbita do amigo. Chris, ao olhar para o dragão, viu que ele olhava bem assustado para frente.

- O que houve!? O que você está vendo!? – Disse Chris, nervoso e confuso.

- Droga...Eu baixei minha guarda, não os ouvi chegar, e nem senti o cheiro! – Disse Eiden, nervoso. – Os perseguidores! Eles estão vindo pela frente!

- Não só por lá...Vejo lobos gigantes atrás de nós! – Disse Feanor, pegando seu arco.

- O QUE!? – Disseram Penny, Clare e Chris, confusos.

- São muitos! Lobos gigantes, mantícoras...e tem um ogro também! – Disse Eiden.

Só aí que todos começaram a enxergar: um grupo inusitado, formado por alguns lobos gigantes, três mantícoras e um ogro. Por trás vinham mais lobos gigantes, estavam intimidando e impedindo os viajantes de fugirem.

- Vamos ter que enfrentar! – Disse Chris, desembainhando sua espada.

- Certo! Vou tentar diminuir o número de inimigos! – Disse Clare, corajosamente avançando um pouco na direção dos inimigos.

O bando de inimigos da frente chegava cada vez mais perto, Feanor estava cuidando dos lobos que vinham por trás. O elfo conseguiu abater dois logo, mas as feras estavam se esquivando de muitos golpes, e o cansaço do rapaz estava afetando seu raciocínio e reflexos. Quando os inimigos da frente estavam se aproximando dos viajantes, Clare se agachou e pegou um pouco da terra do chão; no instante que ela segurou a terra perto de seu corpo, sua mão emitiu um brilho azul. A garota jogou a terra na direção dos inimigos, então se deitou no chão.

- ABAIXEM-SE! – Gritou Clare, com as mãos na cabeça.

Todos os viajantes se jogaram no chão na mesma hora, Beniesh, montado no líder dos lobos gigantes, diminuiu a velocidade; junto com eles, duas mantícoras e alguns lobos também começaram a ir devagar, mas o restante dos monstros continuou a correr na direção dos viajantes.

- PAREM! – Gritou Beniesh.

Eles não ouviram a tempo. Ao se aproximarem do local onde Clare jogou um punhado de terra, o chão começou a abrir, como se estivesse acontecendo um terremoto apenas naquele lugar. Parte dos lobos e uma mantícora começaram a ser engolidos pela terra, eles gritavam e se contorciam para tentar fugir, mas seus corpos eram amassados e cada vez mais puxados pela terra. Dois lobos, que ainda não estavam totalmente engolidos pelo chão, graças ao pânico acabaram sendo arremessados para o outro lado; eles atingiram os outros lobos que estavam para atacar os viajantes por trás, matando-os. A terra se acalmou depois de soterrar, e matar, as criaturas. Os viajantes se levantaram, espantados com o poder de Clare.

- Sensacional... – Disse Chris, surpreso.

- Isso sim é poder! – Disse Eiden, espantado.

- Ahá! Vamos vencer essa! – Disse Penny, empolgada.

- Nada de inimigos pelas costas ao menos...mas ainda temos preocupações a frente. – Disse Feanor, preparando uma nova flecha e apontando para os inimigos.

- Desgraçados! Tem uma maga no grupo agora! – Disse o líder dos lobos, irritado.

- Inacreditável...Meus olhos realmente não estavam enganados! Você sobreviveu mesmo pirralho! – Disse Beniesh, voltando para o chão e rindo.

Só então que Chris olhou bem para o ogro, e o corpo do rapaz congelou na mesma hora. No momento em que ele encarou a fera, as lembranças de anos atrás, da noite em que Teresa foi capturada por dois soldados de Inflayster, vieram à tona. Chris se lembrava bem daquele ogro, ele nunca o esqueceu.

- VOCÊ! – Gritou Chris, furioso.

Na mesma hora o rapaz avançou na direção de Beniesh, sem se importar com as outras bestas. O ogro foi rápido em desembainhar sua grande espada, e se defendeu do forte golpe de Chris.

- CHRIS! – Gritaram os quatro viajantes, preocupados.

- Há há há! Não mudou muita coisa, continua afobado e muito idiota! – Disse Beniesh, rindo e tentando pressionar sua espada contra a de Chris. – Mas me explique, por favor, como sobreviveu àquela noite!? É imortal por acaso?

- Cala a boca! O que você fez com a Teresa!? Cadê ela!? – Disse Chris, irritado e tentando superar a força do ogro.

Beniesh era mais forte fisicamente, ele empurrou Chris que conseguiu evitar um golpe cortante, e se recuperou logo em seguida.

- Vocês podem cuidar do resto, o garoto é meu! – Disse o ogro, avançando contra Chris.

O líder dos lobos e todas as outras feras avançaram contra os outros viajantes. Feanor e Eiden estavam tentando lidar com as duas mantícoras, que eram os seres mais perigosos ali. Eiden estava competindo contra o monstro usando sua força, a mantícora usava suas patas pesadas para cortar e tentar provocar algum hematoma no dragão; mas Eiden revidava com seus próprios punhos, e usava sua agilidade para desviar da cauda e da cabeça veloz do monstro. Porém, um lobo atacou o rapaz dragão pelas costas de surpresa, Eiden caiu de joelhos por causa da dor, e usou suas mãos fortes para se livra do lobo de uma vez. A mantícora aproveitou sua chance e disparou sua cauda na direção de Eiden, que estava sentado no chão; a cauda de escorpião acabou atingindo a perna direita do rapaz de raspão; o rapaz fez um rolamento rápido para o lado esquerdo e usou sua mão direita para pegar a ponta da cauda do monstro.

- Agora você é meu! – Disse Eiden, que usou sua força para levantar a mantícora pela cauda.

Eiden bateu com o monstro no chão, como se fosse um chicote, com muita força, a mantícora ficou estraçalhada. Clare usou sua magia para fazer um escudo ao seu redor, ele era forte para resistir às investidas dos lobos, mas ele já estava rachando. A maga resolveu aproveitar mais uma das investidas dos lobos e, no momento certo, pulou em cima de uma das feras. Clare segurou firme no pescoço do lobo, que se mexia sem parar e tentava morder a garota; ela começou a sussurrar palavras mágicas rapidamente, então, suas mãos começaram a emitir uma luz vermelha, e o lobo começou a queimar de dentro para fora. A garota caiu no chão, e logo após o lobo ter virado cinzas, o restante das feras voltou a atacar a maga, que teve que se recompor rápido. Ao mesmo tempo, Penny usava a terra para prender os lobos, e jogava algumas das pedras ao redor em cima deles, matando-os; mas a fada estava sendo constantemente visada pelo líder dos lobos, que tentava impedi-la de fazer mais magias.

- Penny! Me ajude a prendê-los! Por favor! – Gritou Clare, tentando fortalecer seu escudo contra os ataques constantes dos lobos.

- CERTO! E você...larga do meu pé! – Disse Penny, diminuindo ainda mais de tamanho.

A fada entrou em um dos ouvidos do líder dos lobos, que ficou completamente incomodado, tentando fazê-la sair. O líder começou a berrar de dor, seus ouvidos sangravam e Penny saiu pelo outro ouvido, um pouco suja. Ela havia ensurdecido o líder dos lobos. Isso conseguiu tempo para que Penny usasse sua magia no solo para prender os dois lobos que insistiam em atacar Clare. Ao fazer isso, a maga ficou entre as duas feras, que se mexiam muito para se soltar, e colocou suas mãos em ambos; depois de recitar breves palavras mágicas, algo dentro dos corpos dos dois lobos estava borbulhando, então, Clare levantou suas mãos para o céu, e muita água começou a sair em jatos das feras, os dois lobos caíram mortos no chão, completamente secos. Clare caiu de joelhos de tanto cansaço, seu escudo se desfez, porém, o líder dos lobos estava prestes a ataca-la.

- Não vou deixar! – Disse Feanor, disparando uma flecha nas costas do lobo, chamando sua atenção. – Continuem lutando meninas! Eu cuido deste aqui! Desculpe Eiden, eu deixo a mantícora com você!

- Nada...Você já facilitou um pouco o meu trabalho. – Disse Eiden, encarando a mantícora que estava repleta de flechas em seu corpo, uma entre sua grande boca, inclusive.

Enquanto os viajantes continuavam a enfrentar as feras bravamente, a luta entre Chris e Beniesh estava bem complicada. Por mais que Chris atacasse, o ogro conseguia se defender muito bem e esquivava com precisão. Tomado pela fúria, o rapaz não conseguia pensar em outros jeitos de avançar.

- Até que ficou bem forte...mas saiba que não vou mais ser humilhado por você, eu sou bem forte na verdade! – Disse Beniesh, chutando a perna esquerda de Chris, fazendo o rapaz perder o equilíbrio.

Chris, ao cair no chão, quase sofreu um ataque direto da grande espada do ogro. O rapaz desviou, e usou o cabo da espada para acertar a nuca de Beniesh, que ficou desequilibrado. Ao tentar desferir um golpe de espada nas costas do ogro, Beniesh se defendeu, sem olhar, com sua própria espada. Ele usou seu peso e força maior para se levantar bruscamente e empurrar Chris para trás no processo. O ogro deu uma rápida olhada para os viajantes, e depois se voltou para Chris, que se levantava devagar.

- Você arranjou uns bichos de estimação bem raros e fortes hein!? Estão dando muito trabalho para nós! – Disse Beniesh, sorrindo.

- Eles são meus amigos! E não mude de assunto! O que fez com a Teresa!? – Disse Chris, voltando a avançar contra o ogro.

Dessa vez, Chris conseguiu enganar o monstro: ele agiu como se fosse usar uma estocada comum, mas ele se abaixou e atacou Beniesh no tórax com se punho esquerdo. O ogro se machucou e, ao se abaixar instintivamente, Chris deu uma forte cabeça no queixo do monstro, fazendo-o cair para trás. O monstro já estava sangrando, assim como a cabeça de Chris, mas ele não caiu, ele se manteve firme no chão. Beniesh avançou dessa vez, e atacou Chris com sua espada, que conseguiu se defender, mas o ogro usou seu braço pesado para apoiar na sua espada e dar mais força a ela. A espada do monstro começou a sobrepujar a de Chris, que começou a ser ferido pela própria arma, tanto no rosto quanto no braço direito. O garoto não conseguia se soltar, ele gritava de dor e de raiva.

- Espere aí...agora eu estou entendendo! É pela sua irmã! É por isso que você está aqui, causando confusão, e com um “micro exército” de aberrações! Você pretende mesmo enfrentar nosso rei!? – Disse Beniesh, rindo.

- Eu vou...Eu vou resgatar a Teresa! E vou acabar com todos vocês! Vou...matar o Deysmon! – Disse Chris, suportando a dor.

- HÁ HÁ HÁ! Eu realmente gosto de você pirralho! Por causa de toda a surpresa que você me deu hoje, vou lhe contar algo sobre sua irmãzinha: nosso rei adora ela, ele a deixa protegida dentro de um grande calabouço e faz visitas frequentes todo dia. – Disse Beniesh, sorrindo cruelmente. – Mas aí eu já não sei o que ele faz com ela...

- O QUE!? – Gritou Chris, furioso.

Beniesh aproveitou sua chance e desferiu uma poderosa joelhada no tórax de Chris que, mesmo estando um pouco protegido pela placa de ferro, sentiu o golpe e caiu de costas no chão. O ogro chutou a espada de Chris para longe, sentou em cima das pernas do rapaz, e usou uma de suas mãos para segurar o braço direito dele. Chris não conseguia levantar.

- Tive muitas baixas hoje...mas valeu a pena para descobrir sobre você e suas intenções! Já que você é “imortal”, vamos ver se sobrevive até nosso próximo encontro! – Disse Beniesh, erguendo sua espada.

No mesmo instante, o ogro cravou sua espada no tórax de Chris, passando pela placa de ferro. Depois de tantas batalhas e de sofrer tantos golpes, a proteção do tórax de Chris já estava bem frágil, por isso Beniesh conseguiu perfura-la, machucando gravemente o rapaz. Chris urrou de dor, e o ogro parecia se divertir. Os amigos do rapaz, ao verem a cena, ficaram assustados e preocupados, mas ainda não haviam terminado de lutar.

- DROGA! SAIA DA MINHA FRENTE! – Gritou Feanor, avançando contra o líder dos lobos.

Feanor deu uma chave de braço no lobo, o elfo foi mordido nos braços, mas ele não se importava. Ele pegou uma de suas flechas, e a enfiou bem no peito do líder dos lobos, matando-o.

- VOCÊ ESTA ME ATRAPALHANDO! – Gritou Eiden, que, depois de desviar de várias investidas da cauda da mantícora, se afastou e inflou o peito.

Eiden atacou a fera com seu sopro de gelo, a mantícora demorou a congelar, mas, ao finalmente se tornar uma estátua de gelo, o rapaz dragão se aproximou e desferiu um poderoso soco nela, quebrando-a em pedaços. Poucos lobos sobraram, e estavam muito afetados pela morte de seu líder. Beniesh retirou sua espada do corpo de Chris, e chamou os lobos.

- Vamos voltar! Já cumprimos com nosso dever! – Disse Beniesh, montando em um dos lobos, e partindo junto com os que sobraram.

Ao desaparecerem, os viajantes, sem se importar com seus estados, saíram correndo na direção de Chris, que estava desmaiado e completamente ferido.

- CHRIS! – Gritaram os amigos, preocupados. – ACORDA!

- Minhas Deusas...O ferimento é terrível! – Disse Clare, assustada.

- Vamos sair daqui! – Disse Feanor, nervoso. – Eiden! Vamos leva-lo com cuidado!

- Sim! Temos que ir para um lugar fechado! – Disse Eiden, segurando Chris com cuidado.

- Lá! Tem algumas árvores! Posso usar meu poder para fecha-las e formar um tipo de cabana! – Disse Penny, apontando para um pequeno grupo de árvores, não muito longe deles.

- Eu posso ajudar nisso também! – Disse Clare.

E assim foi. Clare e Penny usaram suas forças para fazer as copas das árvores crescerem mais, e seus galhos entortaram, até formar uma grande cobertura de folhas e galhos de árvore. Ao colocarem Chris no chão com cuidado, e depois de tirarem suas roupas de cima, os viajantes começaram a perceber que os machucados estavam se curando devagar. Mas apesar disso, o rapaz suava frio, parecia sentir muita dor, e respirava com muita dificuldade. O ferimento havia sido bem sério, demoraria a se curar.

- Posso diminuir a sensação de dor dele...Quero aproveitar e analisar essa habilidade dele. – Disse Clare, esticando suas mãos na direção de Chris, cobrindo-o com um tipo de escudo mágico.

- Vou preparar uns remédios, isso vai demorar para melhorar e precisamos prevenir infecção. Também vou fazer um tônico para a dor e para recuperar energia, me ajude aqui Penny. – Disse Feanor, mexendo em sua mochila.

- Vou fazer uma fogueira. Ele precisa ficar aquecido. – Disse Eiden, saindo da cabana e começando a procurar gravetos.

Então, à noite, depois da situação de Chris ficar estável, os outros começaram a cuidar deles mesmos. Penny e Clare tiveram que recuperar toda a energia que perderam na luta, estavam com uma fadiga muito forte; Eiden e Feanor precisaram de curativos.

- Quer um antídoto para o veneno? – Perguntou Feanor, terminando seu curativo.

- Não preciso, meu sangue por si só já é veneno. Aquilo não foi nada. – Disse Eiden, também terminando seu curativo.

- Pessoal...Eu acho que entendi como o poder do Chris funciona. – Disse Clare. – Mas não descobri sua natureza, infelizmente.

- Tudo bem, conte-nos! Por favor! – Disse Penny, curiosa.

- Ele tem um grande poder de cura, mas não funciona pelo controle do Chris. Parece que esse poder está muito ligado as suas emoções, aos seus desejos internos. É como se...ele estivesse tão focado em uma coisa, que seu corpo começa a se curar mais rápido, e a melhorar mais rápido. – Explicou Clare, séria.

- Então...se ele desejar ficar bom, ele fica? É algo assim? – Disse Eiden, um pouco confuso.

- Já estudaram sobre a adrenalina? É algo no nosso corpo que age e faz com que nós façamos coisas incríveis, ignoramos a dor, ficamos mais fortes...alguns até se curam de repente. É como se ele tivesse isso ativo dentro dele o tempo todo, algo não o deixa morrer, e está totalmente ligado aos seus sentimentos. – Disse Clare.

- Nunca ouvi falar disso... – Disseram Penny, Feanor e Eiden, sem graça.

- Mas faz sentido um pouco. Se existe algo que o impede de ficar impossibilitado, e tem a ver com seus desejos e emoções, é a Teresa. Querer salva-la é tudo para ele. – Disse Feanor.

- O mais incrível é que, além de curar seus machucados, o corpo dele fica como se não tivesse sofrido nada! Energia volta, seus órgãos e tecidos...tudo volta ao normal! – Disse Clare, olhando para Chris.

- E contamos para ele? – Perguntou Penny.

- Melhor não. Como isso é inconsciente da parte dele, se ele souber corre o risco de nunca mais funcionar. – Disse Eiden.

- Exato... – Disse Clare, preocupada.

- O que será que ele é afinal? – Perguntou Feanor.

Assim, os amigos de Chris ficaram o observando dormir por um tempo, se perguntando a razão de ter um poder tão incrível. Logo todos foram dormir, Eiden ficou de vigia pela noite, e depois, perto da manhã, trocaria com Feanor. Enquanto isso, Beniesh corria, junto dos lobos, até que avistou uma harpia voando próximo a ele.

- EI! AQUI! – Gritou Beniesh, acenando.

- Senhor Beniesh!? O que faz aqui!? – Disse a Harpia, descendo ao chão.

- Não importa agora! Me guie pelo caminho mais rápido até o nosso reino! – Disse Beniesh, ansioso.

- Mas...eu preciso continuar! O rei mandou colher informações e-

- É isso que estou levando para ele! Não se preocupe! Vamos lá! – Insistiu o ogro.

Com a harpia como guia, Beniesh e os lobos seguiram de volta para o Reino de Inflayster. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...