História Promessa entre irmãos: uma lenda medieval! - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 6
Palavras 1.465
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Magia, Romance e Novela
Avisos: Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 27 - Viginti septem


  

Passado algumas horas desde o encontro dos viajantes com o troll, eles haviam encontrado muitas armadilhas por uma parte do caminho, então o progresso foi lento. Os viajantes decidiram parar, eles estavam entre algumas árvores podres e pedregulhos. A perna de Chris já estava quase curada por completo, mas os corpos dos outros só melhorariam depois de dormir e de se remediarem novamente. Clare fez uma fogueira para aquecê-los e logo todos foram dormir.

E então, novamente, Chris se viu em um local totalmente escuro outra vez e com seis anos de novo. Dessa vez ele não estava sozinho. Chris levou um susto ao ver Teresa ao seu lado, com seus três anos de idade.

- Irmãozinho...qual o problema? – Disse a garotinha, confusa.

- TERESA! – Disse Chris, abraçando a irmã com força. – Senti tanto a sua falta...Muito mesmo...

- Mas...eu não fui para lugar algum... – Disse a pequena Teresa. – Está tudo bem Chris?

- Ah...Sim! Não se preocupe! – Disse Chris, limpando as lágrimas. – Dessa vez não vou deixar que aconteça nada com você!

Chris e Teresa começaram a andar juntos, de mãos dadas, em meio à escuridão. Porém, enquanto andavam, a sombra gigante de Deysmon voltou a surgir atrás dos irmãos.

- Ah não... – Disse Chris, apavorado. – CORRE TERESA!

Os dois começaram a correr o mais rápido que podiam, tentando fugir da sombra do demônio. Em certo momento, as pernas de Chris pararam de se mexer, ele não conseguia sair do lugar. A mão da sombra de Deysmon conseguiu pegar Teresa e a afastava mais e mais de Chris.

- CHRIS! – Gritou a menina, apavorada.

- NÃO! TERESA! – Gritou Chris, tentando se mexer.

Ao virar o rosto, o garoto conseguiu ver sua irmã crescida, e não notou que também havia crescido. A sombra de Deysmon cobria mais e mais o corpo de Teresa, como se estivesse consumindo-a. A irmã do rapaz sofria bastante, e ele não conseguia fazer nada a respeito.

Chris abriu os olhos logo depois, acordou assustado, respirando pesadamente. Ele suava frio e percebeu que segurava seu colar com tanta força, sem saber, que sua mão já estava machucada. Depois de conseguir se acalmar um pouco, seus amigos acordaram logo em seguida.

- Tudo bem Chris? – Perguntou Clare, preocupada.

- Você acordou de repente. Aconteceu alguma coisa? – Disse Feanor, desconfiado.

- Nada! Não se preocupem! – Mentiu Chris. – Estou só ansioso para sair deste lugar sombrio...Vamos continuar o caminho.

Depois de recuperarem as forças, se alimentarem e hidratarem, os viajantes continuaram seu caminho. O céu permanecia escuro, mas a temperatura caia mais e mais. Agora já era possível ver fumaça saindo da boca dos viajantes quando falavam. Em certo momento, os viajantes se assustaram ao escutarem uma voz assustadora do nada.

- “Vocês...Vocês devem ser as ameaças de que ouvi falar! Um elfo, uma fada, um dragão, uma maga...e um reles humano!”

- Quem é você!? – Disse Chris, confuso.

- A voz vem de todos os lados! – Disse Eiden, nervoso.

- Sinto um poder negro terrível! – Disse Clare.

- Caramba...O que é desta vez!? – Disse Penny, nervosa.

- Apareça logo! – Disse Feanor.

Um raio de gelo foi disparado na direção dos viajantes de repente, eles conseguiram esquivar, mas ficaram bem surpresos. Logo, uma criatura bizarra surgiu da escuridão, e fez questão de se mostrar para os viajantes.

- Que coisa feia! É pior que as mantícoras! – Disse Chris, surpreso.

- E é mais assustador! – Disse Penny.

- Não acredito... – Disse Eiden, surpreso.

- Essa criatura é um... – Disse Clare.

- Maldição... É um beholder. – Disse Feanor, pegando seu arco.

- Há há há! Isso mesmo! E eu matarei vocês aqui! – Disse o Beholder, rindo.

Beholder é uma criatura raríssima, vista em cavernas originalmente ou próxima de grandes centros de magia negra. Essa criatura é muito poderosa e feia: ela tem forma esférica, flutua, possui um grande olho na frente, uma boca enorme e cheia de dentes abaixo deste olho; além disso, é toda escamosa de cor verde esmeralda, com quatro tentáculos dos lados, cada um com um olho na ponta.

- Novidade para você: não é aqui que vamos morrer! – Disse Chris, desembainhando sua espada.

Os viajantes se separaram em volta do monstro, Clare usou seu poder para fazer um escudo ao seu redor; Penny começou a atacar com suas raízes, fazendo-as atacar as costas do monstro, mas não deu certo. Um dos tentáculos do beholder apontou para a fada e disparou uma rajada de fogo. Penny caiu no chão, tentando apagar o fogo. Ela conseguiu, porém se machucou. Logo em seguida, Feanor começou a disparar suas flechas no monstro que, infelizmente, desviava com muita precisão e velocidade. Eiden tentava pegar o monstro com suas mãos, mas sem sucesso. Em dado momento, outro tentáculo do beholder apontou para os dois rapazes, e disparou um tipo de raio em sua direção. Feanor e Eiden ficaram imóveis, o monstro aproveitou e empurrou-os com muita força.

- O que é isso!? Cada olho solta uma magia diferente!? – Disse Chris, desviando de um dos tentáculos do monstro.

- Não adianta! Vocês não podem me vencer! – Disse o Beholder, lançando uma magia de gelo no corpo de Chris.

Chris caiu no chão, com parte do corpo congelado, e machucado. Clare surgiu e disparou um raio no grande olho do meio, mas nada aconteceu. A maga se aproximou de Chris e usou sua magia para destruir o gelo do monstro.

- Magia não funciona no meu olho principal! Devia ter estudado mais maga! – Disse o monstro, rindo.

- Eu estudei muitas coisas! – Disse Clare, usando sua magia no chão e fazendo surgir um pilar de terra bem embaixo do monstro.

A terra machucou a fera, empurrando-a para cima. Eiden aproveitou e disparou seu sopro de gelo. Porém, no ar, a criatura começou a se esquentar e o gelo do dragão se foi. O beholder voltou ao chão, muito furioso.

- Pessoal...A magia desta coisa, é muito parecida com a magia que senti no céu. – Disse Clare, sem tirar os olhos do monstro.

- Quer dizer que ele é o causador da magia do céu escuro!? – Disse Penny, surpresa.

- Não, quem o invocou é o causador. Ele está aqui para manter a magia ativa, se ele sumir, então... – Disse Clare.

- Então o céu pode voltar ao normal! – Disse Chris, sorrindo. – Tenho uma ideia pessoal!

- PAREM DE FALAR! – Gritou o monstro, lançando suas magias nos viajantes.

Eles se separaram novamente, cada um para um lado. Eiden tentou pegar um dos tentáculos do monstro, que começou a lançar fogo. O dragão desviava das chamas e as defendia, e tentava atacar com sua própria magia. Então, de repente, uma flecha atingiu o olho do tentáculo. O beholder berrou de dor e, no mesmo instante, o tentáculo que lutava contra Feanor, usou sua magia de gelo, prendendo e machucando o elfo. Logo quando o monstro cuidaria de Feanor, Eiden surgiu rapidamente e usou suas mãos fortes para esmagar o olho do tentáculo, libertando o elfo. Do outro lado do monstro, Penny cuidava de desviar de um tentáculo que, graças ao olho, lançava raios. Usando seu tamanho e agilidade, a fada conseguiu confundir a visão do monstro e fez com que ele atingisse seu outro tentáculo, acabando com seu olho. Clare, logo sem seguida, usou suas chamas para queimar o olho do tentáculo que sobrara. O beholder estava ferido e indignado pela situação.

- COMO PUDERAM FAZER ISSO!? – Gritou o monstro, que tentou atacar os viajantes com seu corpo.

- EI! OLHO GIGANTE! – Gritou Chris.

Ao olhar para Chris, o beholder viu o rapaz de pé, em cima dos ombros de Eiden, que estava agachado. Eiden se levantou rapidamente e jogou Chris para o alto, o mais forte que podia. A criatura estava confusa e desconcentrada, pois os viajantes no chão a atacavam continuamente. Então, Chris caiu em cima do monstro e cravou sua espada bem no meio do olho gigante. O beholder começou a berrar e a definhar, sangue jorrava sem parar.

- Se magia não funciona aqui, minha espada de prata dá seu jeito! – Disse Chris, cravando a arma mais fundo no olho do monstro.

O monstro virou cinzas, desapareceu por completo. Logo em seguida, o céu cinza começou a clarear aos poucos, como se nuvens negras estivessem partindo. Em poucos minutos, o céu azul começava a surgir e alguns raios de sol também. Chris e seus amigos se debruçaram no chão, cansados e muito aliviados de ver luz outra vez.

- Tinha até me esquecido de que o céu da manhã é assim! – Disse Penny, contente.

- Sol...Finalmente. – Disse Feanor, respirando fundo.

- Não vou mais ser guia, até que enfim... – Disse Eiden, sorrindo.

- Deu certo! Desfizemos a magia negra! – Disse Clare, rindo.

- Há há há! Conseguimos! – Disse Chris, muito contente e erguendo sua espada para o céu.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...