História Prometa não me amar. - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Josh Devine, One Direction
Personagens Harry Styles, Josh Devine, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Drama, Niall Horan, One Direction, Romance, Traição
Exibições 80
Palavras 1.133
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Mistério, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá pessoas, como já disse eu estou sem internet em casa mas estou fazendo um esforço para portar. Boa leitura ❤👑🌈

Capítulo 16 - Devine.


Fanfic / Fanfiction Prometa não me amar. - Capítulo 16 - Devine.

Louis Pov's
- O que está acontecendo? - Doutor Devine perguntou.
-Cuide do meu amigo primeiro e depois temos que urgentemente falar com o doutor. - Disse ao ver Niall gemer de dor.
-Tudo bem. - O doutor respondeu.
Ele pegou as coisas necessárias e primeiro deu uma anestesia local em Niall que fez uma pequena careta.
-Vou pegar as gazes enquanto a anestesia faz efeito. - Disse o doutor todo simpático.
-NIALL!
-LOUIS!
-Você realmente está achando que é ele?! - Perguntei mas não deu tempo de Niall responder pois o doutor entrou mais uma vez na sala.
-Está sentindo algo? - O doutor perguntou pondo a mão em cima da ferida de Niall e apertando.
-Não. - Niall respondeu.
-Então está bom. -Disse o doutor.
Niall Pov's
O doutor começou a suturar minha ferida, para falar a verdade eu senti algumas espetadas mas nada fora do comum.
-Acabei. - Disse o doutor tirando sua luva.
-Que ótimo. Obrigado. - Agradeci.
-Por nada, vou passar alguns remédios, esse aqui é se caso inflamar e esse é para dor. Qualquer coisa coloque compressa de água gelada.
-Tudo bem, obrigado. - Apertei sua mão.
-Agora, precisamos falar com o doutor. - Louis disse.
-Tudo bem. Me acompanhem. - Seguimos o doutor até sua sala limpa e bem arrumada.
-Tudo bem, podem dizer. - Ele disse enquanto retirava seu jaleco.
-O senhor é pai? - Louis perguntou.
-Sim. Porque? - Ele respondeu.
-É... - Louis não sabia o que falar e então eu tive que tomar coragem e falar.
-Você os conhece? - Perguntei meio receoso.
-Porque está perguntando isso para mim rapaz? - O doutor perguntou.
-Olha me desculpe, é que... Como se chama seus filhos? - Perguntei.
-Eu vou me abrir para vocês rapazes... - O doutor levantou e tirou seus óculos pegando um copo de água.
-Água? - Perguntou.
-Eu aceito. - Respondi.
-Credo Niall nem água você consegue recusar. - Louis sussurrou em meu ouvido, deu vontade de rir porém isso não é hora.
O doutor me entregou um copo de água enquanto ele se apoiava em sua enorme mesa.
-Rapazes, vocês são jovens. Tem toda a vida para aproveitar, eu também tinha porém aconteceu uma coisa que eu me arrependo até hoje. Sabe, eu me arrependo de ter saído de casa naquele dia. Eu tinha um casal. Uma menina e um menino porém aconteceu que um infeliz bateu no meu carro. Perdi minha mulher e meu lindo casal. - Escorreu uma lágrima e rapidamente o doutor à limpou.
-Qual era o nome do seus filhos?
-Doutor! Chegou uma menina agora, é urgente ela foi baleada e está tendo a terceira parada cardíaca! Acione o código vermelho! - Entrou uma enfermeira desesperada com a roupa cheia de sangue chamando o doutor.
-Meninos, não posso continuar à falar com vocês. Aqui está meu número me liguem depois das 11:00 da manhã que é a hora que eu acabo aqui. - O doutor nos deu um papel com seu número, colocou seu jaleco e saiu.
-Uau. Então isso é ser médico? - Louis perguntou enquanto saiamos da sala do doutor Devine.
-Acho que sim. Pelo visto é bem difícil! - Respondi Louis.
-Pois é. - Louis deu uma risadinha.
-Quero chegar logo em casa, tenho que conversar com a Ellie! - Disse lembrando do ocorrido.
-Quando ela saiu, disse para onde iria? - Louis perguntou.
-Não mas ela disse que voltaria antes de amanhecer. Com certeza ela deve estar em casa dormindo. - Respondi.
-Ah, então tá tudo bem, não precisamos nos preocupar. - Disse Louis.
A volta para casa foi tranquila, mas meu coração e minha mente travavam uma batalha sem fim. Eu estou com uma sensação entranha mas ao mesmo tempo minha mente insiste em me dizer que está tudo bem. Chegamos em casa e assim que abri a porta vi Liam no sofá com um gesso na mão. Pelo visto não foi só eu que saí machucado.
-Sobe Niall. - Louis disse baixinho para que Liam não escutasse.
Subi as escadas e fui em direção ao quarto da Ellie.
Dei duas batidinhas na porta e não ouvi nada. Deu mais duas batidas e mais uma vez, fiquei sem resposta. Como ninguém me atendia resolvi entrar, coloquei minha mão na maçaneta e à empurrei para baixo. Trancada.
-Ellie! - Chamei na tentativa dela ouvir. Nada. Virei as costas e no mesmo instante meu celular apitou.
Mensagem on.
Será tão fácil de acha-lá? Acho que não -A.
Mensagem off.
De novo? O que está acontecendo? Já é a segunda vez que eu recebo essas mensagens. Desci as escadas rapidamente e pude perceber Louis com seu celular na mão.
-O que foi Louis? - Perguntei.
-Niall, cadê a Ellie? - Louis perguntou sem tirar os olhos do celular.
-O quarto dela está trancado, eu chamei e ela não atendeu. - Respondi.
No mesmo instante Louis subiu as escadas correndo e eu fui atrás.
-Ellie! - Gritou batendo fortemente em sua porta.
-Ellie! - Gritei novamente batendo em sua porta.
-O que está acontecendo aqui? - Harry veio correndo.
-A Ellie! Louis disse gritando já com sua voz falha.
-O que é isso? - Liam e Zayn chegaram depois de ouvir o alto barulho.
-A Ellie sumiu! Harry respondeu e todos começamos a gritar seu nome até que tomei uma atitude.
-Saí da frente, vou arrombar. - Disse e Louis veio para o meu lado, o resto dos meninos abriram espaço.
-1,2,3 AGORA! - Louis gritou e nós dois batemos com força na porta porém nada. Nada aconteceu.
-Droga! - Reclamei.
-Alguém me explica o que está acontecendo! - Harry disse num tom bravo.
-A Ellie disse que voltaria antes do amanhecer, tudo bem não amanheceu porém não estou com um bom pressentimento. - Disse enquanto me posicionava mais uma vez para tentar arrombar.
-Vamos tentar todos juntos. -Harry sugeriu e nós nos juntamos.
-No três! Um! Dois... TRÊS! -Gritei e nós corremos e batemos de frente com a porta que graças a Deus foi derrubada.
Não consigo acreditar no que meus olhos vêem, isso é aterrorizante!
Olhei para os meninos e todos eles estavam boquiabertos assim como eu. Não posso acreditar no que meus olhos estão a ver.
-Eu estou aqui, e sei de tudo. -A. -Todos nós dissemos juntos, sua parede está completamente suja de uma coisa que eu estou torcendo para ser tinta e não sangue. Quando fui me mover para olhar mais de perto sinto meu celular vibrar e fazer o tão famoso barulhinho de mensagem. Fui o pegar e na mesma hora tive certeza, dessa vez eu não estava sozinho. Todos os meninos pegaram seus celulares e lemos todos em coro.
Mensagem on.
Sentindo falta da pequena vadia? Espero que sim. Logo terás um belo presente. -A
Mensagem off


Notas Finais


Pois é! 😂 Não tenho nada a dizer, vou apenas sentir.
Favoritem e comentem ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...