História Promete? - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Mistério, Threesome, Triângulo Amoroso, Yaoi
Exibições 33
Palavras 1.094
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Slash, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - 3


Acabou que novamente Sammael iria dormir na casa de Davi. Os dois ficaram conversando até tarde e Sammael acabou esquecendo que o porteiro do seu prédio sempre cochilava tarde da noite e talvez fosse por isso que mesmo ele apertando insistentemente a campainha da portaria não recebeu resposta alguma. Então Davi se prontificou em deixar que o garoto dormisse em sua casa, como se isso fosse um grande sacrifício que eles estivessem fazendo.


Rafael não havia melhorado nem um pouco, ainda tinha convulsões e os médicos tentavam insistentemente deixar o quadro onde o mais novo se encontrava estável. Sua mãe chorava enquanto continuava persistentemente tentando entrar em contato com Davi, não mais porque seu filho havia pedido e sim porque incrivelmente o ex genro passava a ela uma segurança que tudo ficaria bem.


Já era praticamente 02:00 da madrugada quando Davi se levantou pra fazer xixi e viu Sammael dormindo tranquilamente em sua cama. Sorriu ao ver o quão indefeso ele parecia daquele jeito. Ao ver o quão lindo também ele estava, com os cabelos pretos bagunçados caindo ao rosto, as tatuagens a mostra, os olhos que tanto o desorientava fechados, parecendo até dois risquinhos feitos ali só pra não passar em branco, a boca vermelhinha em uma espécie de sorriso sereno e a respiração calma, fazendo todo o quarto mergulhar em um estado de tranquilidade extraordinário.


Enquanto voltava viu seu celular no carregador e decidiu que iria ligar ele, não esperava nada mais que uma mensagem de Rafael ou no máximo duas, e algumas três da operadora. Só que o que aconteceu foi totalmente ao contrário. Não havia mensagens do Rafael, mas havia várias ligações da mãe dele, e Davi sabia que para isso ter acontecido algo bom não estava ocorrendo. Então ele imediatamente foi até a varanda de sua casa e retornou a ligação. Mesmo sabendo que o ex poderia estar no hospital ele olhou para o céu e pediu com todas as forças que suas suspeitas não fossem concretizadas.


-“Por favor, vem pra cá. O Rafa precisa de você.. eu preciso de você.”- Assim que atendeu o telefone a mãe do garoto não perdeu tempo com cumprimentos.


-“Calma dona Roberta, diz pra mim, o Rafa ta no hospital? Ele tá bem? Em que hospital ele está?”- Davi apesar de ser calmo, não conseguia manter a postura quando algo acontecia com as pessoas que ele gostava.


-“Davi, por favor. A gente tá no hospital geral daqui da cidade de Lewis*, vem pra cá.”- A mulher chorava muito e soluçava em meio a ligação.


-“Eu já tô indo.”- Davi desligou a ligação e olhou pro céu irritado. -“Tem alguém aí? Alguém aí em cima pode mexer uns pauzinhos e tirar ele de lá?”- O garoto se sentiu infantil por estar fazendo aquilo, mas era sua última alternativa.


-“Ei, eu tô aqui. Ele vai melhorar, eu sei que vai.”- Sammael surgiu do escuro e abraçou o mais velho, que não pensou duas vezes em desabar nos braços do mais novo amigo. Ele chorou como se não houvesse amanhã e teve até medo de que suas lágrimas não sobrassem.


Quando Davi chegou no hospital acompanhando por Sammael, o quadro de Rafael era estável. O garoto estava sedado, então dormia serenamente. Quem não estava nada serena ainda era dona Roberta, que apesar do filho estar melhor, ainda se encontrava muito nervosa. E isso só passou quando ela viu Davi, quando abraçou o garoto e pode molhar o ombro dele com suas lágrimas. Davi sabia o quanto ela tentava ser uma mulher forte, mas o filho dela estava doente e se recusava a fazer o tratamento, ninguém conseguiria ver o próprio filho indo de encontro com a morte e ser forte o suficiente para não fraquejar.


Davi mandou a ex sogra pra casa descansar e passou o resto da noite no hospital, de mãos dadas com Rafael que poderia acordar a qualquer momento. Já Sammael passou o resto da noite no mesmo lugar que Davi, só que ele dormiu em uma das cadeiras da sala de espera. Foi só quando a manhã chegou que Sammael comprou dois copos de café e bolinhos, para que ele e Davi pudessem comer.


-“Você tá um caco, vai pra casa tomar um banho e deixa que eu fico aqui.”- Davi concordou com Sammael e fez o que ele disse.


Sammael se sentou na cadeira de acompanhante do quarto onde Rafael estava e observou o garoto. Se perguntou como ele conseguia não mudar de opinião mesmo vendo que todos ao seu redor sofria. E meio que concordou com o garoto e apoiou a escolha feita por Rafael. Passeou a mão pelo cabelo loiro do que estava dormindo, desceu até os lábios e só então percebeu o quão bonito o garoto era.


-“Antes eu achava que você tinha sorte por ter o Davi.”- Então sua mão voltou novamente para o cabelo loiro e iniciou um cafuné. -“Agora eu acho que ele que tem sorte por ter você.”- Foi então que o garoto adormecido passou a não ficar tão adormecido assim, abrindo os olhos lentamente.


Quando os olhos verdes encontraram com os olhos pretos, incrivelmente não houve um estranhamento. Rafael sorriu fraco pro garoto a sua frente com cara de assustado e teve a resposta da única coisa que o fazia pensar em cogitar na escolha. Mas agora era certo,era mais do que certo. Agora ele não tinha mais motivos pra se sentir mal em não fazer o tratamento. Agora ele não tinha mais um motivo para desistir. Então Rafael deixou que de seus olhos verdes escapassem um brilho jamais visto nem mesmo por Davi, e Sammael se sentiu estranho com aquilo, como se o mais novo estivesse tentando falar com ele.


Sammael pensou que estava ficando louco, mas todo seu interior queimava de um jeito bom. A sensação se igualava a passar de ano direto, a chegar em casa com fome e ter sua comida favorita pronta. Só que era mil vezes melhor, ele estava sendo aceito e aquilo o deixava tão feliz que ele poderia pular no garoto recém acordado. Então a sua mão segurou a de Rafael e os dois sentiram uma onda elétrica passar de um até o outro, aquilo era estranho, mas ao mesmo tempo incrível, era incrivelmente estranho. E agora Sammael já nem tinha mais controle sobre seu corpo, ele só deixava sua vontade fazer o que quisesse, e foi desse mesmo jeito que ele falou algo que fez o íntimo de Rafael arder em alegria, que fez todas as dúvidas de Rafael cessarem.


-“Eu irei ficar ao lado dele, eu te prometo.”- Foi assim também que uma linda amizade aconteceu.


Notas Finais


*A cidade de Lewis, é uma cidade fictícia*

Desculpa a demora de atualizar, me digam o que acharam❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...