História Promise - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Juugo, Kakashi Hatake, Karin, Kurama (Kyuubi), Morino Idate, Naruto Uzumaki, Personagens Originais, Sakura Haruno, Sarada Uchiha, Sasuke Uchiha, Shizune, Tsunade Senju
Exibições 5
Palavras 1.471
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - Seria hora de buscá-la?


Sábado, neve, temperatura negativa. Tudo conspirava para que Sakura permanecesse na cama naquela manhã de inverno; o que não seria uma má ideia. Trabalhar tanto estava deixando–a exausta. Já fazia tempo que não saía com Ino, que depois de muito esforço conseguiu conquistar o coração de Sai; já tinha tempo que não ia nem mesmo com Naruto à seus categóricos jantares no Ichiraku — até porque, atualmente, o próprio tinha outra companhia para isso; ninguém menos que sua esposa.  

Para Sakura, era estranho ver que todos estavam organizando suas vidas e descobrindo o amor; o que a fez pensar seriamente se o que ela sentia por Sasuke era realmente verdadeiro. Não que ela não estava convicta do amor que sentia por ele, mas, nunca deixou de passar pela cabeça da ninja que talvez os dois nunca estiveram destinados a ficar juntos. Atormentava-a, também, a ideia de que por mais que ela o amasse, jamais poderia fazer com que ele sentisse o mesmo, se fosse o caso.  

Aquela manhã, apesar de fria, não pode deter Sakura no calor do seu quarto por mais tempo. A ninja se levantou da cama e em menos de alguns segundos sentiu o clima frio torturando-a. Arrepiou-se e se vestiu rapidamente. Fez sua higiene, tomou seu café e saiu. Sua rotina se baseava nisso já havia alguns anos; praticamente, pouco depois de o término da guerra ninja.  

Ao sair de casa, notou uma Konoha completamente branca, tomada pela neve; o brilho do branco realçou as cores claras que a compunham: o rosa delicado dos cabelos, o verde profundo dos olhos e a pele clara e rosada. Uma beleza única que pertencia somente à Sakura. Depois de ficar alguns segundos parada, apenas olhando, sentiu novamente o frio cortante; aconchegou-se em seu cachecol e seguiu para o hospital.  

Ao chegar, cumprimentou a recepcionista e se dirigiu para sua sala; entrando lá, deparou-se com o seu companheiro de trabalho e amigo, Hyouko Suzumiya. Homem alto, costas largas e um físico excelente; os olhos azuis cinzentos deixavam os cabelos brancos ainda mais charmosos. Tinha os olhos um tanto caídos e andava sempre com um sorriso pequeno formado no rosto. Seu categórico jeito misterioso incrementava seu perfil e o favorecia ainda mais. Era o tipo de homem pelo qual meninas arranjariam brigas. Ela havia o contratado pouco depois da criação da clínica após ouvir falar de sua competência e destreza na arte médica ninja. Conhecendo-o melhor com o passar dos meses, acabaram se tornando bons amigos.  

— Bom dia, Sakura-san. — Hyouko cumprimentou. — Você está magnífica, como sempre.  

— Bom dia, Hyouko. — Sakura respondeu, retirando o casaco e o cachecol — Você parece animado, saiu com maisl alguma menina ontem à noite?  

— Assim você me ofende, Sakura-san, — ele sorriu e recostou-se na parede com os braços cruzados.  

— Por acaso eu estou mentindo?  

— Não, você me conhece bem, mas ela era um tanto sem graça — uma expressão de desinteresse tomou sou rosto — você sabe que eu só tenho olhos para você.  

— Não seja bobo, aposto que você aproveitou ao máximo! — Sakura riu da brincadeira.  

— Bem, digamos que ela não era de se jogar fora. Mas na verdade, não houve nada; ela me convidou para tratar de assuntos sérios — a expressão de Hyouko mudou rapidamente de um sorriso para seriedade.  

— Quais assuntos sérios? — perguntou Sakura, também menos descontraída que anteriormente. 

— Sobre uma doença estranha que anda assombrando seu vilarejo. — explicou Hyouko — Eu disse à ela que enviaria a melhor equipe médica da nossa aldeia; tenho que fazê-lo ainda hoje.  

— Estranho. — Sakura murmurou — Eu pediria a Kakashi-sensei para que me enviasse se eu não estivesse tão ocupada.  

— Não se preocupe, a equipe vai manter tudo sob controle. —Hyouko tentou acalmá-la. Sakura ficava facilmente preocupada quando se tratava de pessoas em estado grave sem nenhum atendimento médico. —  Por falar nisso Sakura-san, eu devo ir avisá-los; tanto a equipe quanto o hokage-sama 

Assim que Hyouko deixou a sala, Sakura voltou a seus afazeres. Cuidou de vários pacientes e preencheu centenas de relatórios. O dia seguiu sua rotina e a ninja finalmente terminou sua carga de trabalho diária. Acompanhada de Hyouko, voltou para casa, tomou um banho e sentou-se no sofá da sala do seu pequeno apartamento. Não pode evitar, estava com saudades.  

                                        

                                      :::::::::::::::::  

 

País do Trovão, três semana antes  

Em uma floresta do país do trovão, no fim da tarde, Sasuke caminhava perdido em seus pensamentos sobre Konoha, Naruto e até mesmo Kakashi. Evitava pensar muito em Sakura, pois, mesmo detestando admitir, ela mexia com ele. Automaticamente, ao pensar nela, lembrava-se dos erros que cometera, despedaçando cada vez mais seu coração sempre que a encontrava. Mas, três anos se passaram; permanecer fugindo do que sentia, seria covardia? Ele pensava sempre sobre isso.  

Apesar de não estar mais preso a sua vingança, o que o impedia agora, eram os fantasmas do passado, pelo menos, era o que ele gostava de acreditar, tudo para mascarar que sentia vergonha de si mesmo e que Sakura merecia muito mais do que apenas um pedido de desculpas; então sim, era covardia.  

Ele planejava chegar ao vilarejo mais próximo antes que anoitecesse, entretanto, enquanto caminhava, seus pensamentos o deixaram lento antes que pudesse notar. Mesmo tentando evitar ao máximo, estava pensando nela. Nas ultimas vezes em que a viu. Quando cuidava deles em Konoha, abalada pela perda do braço de Sasuke e do de Naruto, porém feliz por estarem juntos de novo. Aquele era um momento de dúvida para ele; fez coisas à ela nos últimos dias que acabaram piorando as coisas, tal como colocá-la em um genjutsu cruel e rejeitar novamente os sentimentos que ela colocou para fora para que ele não continuasse com seus planos ridículos. Porém, ela estava ali, encarregada para cuidar especialmente deles, mesmo estando exausta.  

Lembrou da pergunta que ela lhe fez em uma noite, enquanto checava para saber se ele estava mesmo bem.  

— Está confortável aí? — ela se aproximou do leito falando baixo para não acordar Naruto, que dormia ao lado do leito de Sasuke. 

 —Sim. — respondeu sem discursos — Por que ainda está aqui? Ela o olhou antes de responder.  

— Não posso ir enquanto vocês estiverem aqui, por isso quero que se recuperem depressa. — ela sorriu para o Uchiha — quando vocês estiverem bons, eu vou descansar.  

— Idiota. — sussurrou Sasuke, virando-se para o canto.  

Após o silêncio profundo que pairou sobre eles naquele momento, Sakura perguntou:  

— Sasuke-kun — ela olhou para o chão e depois voltou-se para ele, sem saber se era mesmo o momento para aquela pergunta — posso te fazer uma pergunta?  

— hmm? — Murmurou o Uchiha, esperando que ela fizesse a pergunta.  

— Naquele dia, durante a guerra, quando o tsukyomi foi invocado e Kaguya havia renascido; você disse que só salvou a mim e o Kakashi-sensei, porque estávamos perto de Naruto e que… não faria diferença se nós estivéssemos ou não ali. Isso… Isso era verdade?  

Sasuke arregalou os olhos, porém não deu a resposta que Sakura queria ouvir, nem mesmo ele sabia como explicar essas palavras agora.  

— Eu estou cansado, não quero falar sobre isso agora.  

— Tudo bem — Sakura se afastou com o olhar decepcionado, sabia que não seria bom insistir, até porque já imaginava a resposta.  

Ele nunca lhe respondeu a pergunta, mas também jamais esqueceu dela. Saber que aquilo mexeu com a ninja de tal forma o fazia sentir-se ainda pior.  

 

                            ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: 

 

Com a lua totalmente visível assim como algumas estrelas; Sasuke montou acampamento em uma gruta, acendeu uma fogueira, comeu algumas frutas que havia colhido mais cedo e recostou-se para dormir na parede. Durante o sono, viu-se deitado em um jardim coberto de margaridas brancas e amarelas, uma espécie de floresta de cerejeiras o cercavam e as flores rosas da copa das árvores reproduziam uma espécie de telhado. Tudo que se ouvia era o canto dos pássaros e o barulho do vento. Levantou-se confuso e começou a visualizar o local — que apesar de irritante, lhe transmitia paz — ao olhar mais à frente, avistou uma garota de costas para ele, magra, pequena, pele clara, usava um vestido branco que esvoaçava com vento assim como os cabelos cor de rosa, reconheceu no mesmo instante — Sakura — Caminhou até ela, confuso. Não sabia que estava sonhando — muito menos o porquê de estar ali — Porém, parecia que nunca saía do lugar; começou a correr e quando parecia que nunca iria alcançá-la, desistiu e parou.  

Assim que o fez, ela começou a se virar pra vê-lo, porém, antes de se virar por completo, ele acordou. — Maldição — pensou; por que ele estava sonhando tanto com ela ultimamente? Não era a primeira, tampouco seria a última vez que sonharia com ela. Um sentimento de saudade invadiu seu peito naquela noite e tudo que ele mais queria no momento, era o abraço reconfortante e costumeiro de Sakura. Ponderou por várias horas e passou a noite em claro lhe fazendo a mesma pergunta: — Seria a hora de buscá-la?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...