História Promise me no promises - Capítulo 1


Escrita por: ~

Visualizações 6
Palavras 1.092
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Slash, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Ei!
Boa leitura, espero que vcs gostem.
Me falem se vcs quiserem que eu vá colocando foto de alguns personagens no decorrer dos capitulos.

Beijinhos.

Capítulo 1 - Prólogo


FABRIZIO

O despertador tocou, e logo eu já soube que o dia havia começado. Levantei-me da cama e fui em direção ao banheiro tomar uma ducha e escovar meus dentes. Eu, Fabrizio, estava no segundo ano do ensino médio. Época de curtição e pegação, certo? Mas não funcionou muito bem comigo, já que até agora só tive experiência com um garoto, que aliás não terminou muito bem.

Não sou muito sociável, as únicas pessoas com quem converso no colégio é minha amiga Valentina e minha irmã, Jannie, que por sinal nem se parece comigo. Jannie têm olhos azuis-esverdeados e cabelos pretos e lisos, enquanto eu, seu irmão, tenho olhos verdes e cabelos castanhos cacheados, na altura do ombro.  Eu e minha irmã moramos com meu pai. Temos condições boas, na medida do possível.

Saio do banho, me enxugo e em apenas alguns minutos já estou arrumado. Escovo meus dentes e desço os degraus, indo em direção a cesta de frutas e pegando uma maçã.

- Bom dia filho!

- Bom dia pai -dou um beijo em sua bochecha

- Sabe se a Jan já acordou? -ele pergunta chamando ela logo em seguida- Jan!

- Acho que depois desse grito sim- dou uma risadinha

- Ah -ele diz depois de um tempo- ela vai pra escola com você? Se quiser eu levo vocês, só vou trabalhar mais tarde.

- Não precisa, vou na minha moto hoje -sim, eu dirijo uma moto, não gosto muito do carro, moto tem mais adrenalina e eu gosto disso- se ela quiser eu levo ela junto.

- Então eu quero -disse Jannie descendo as escadas numa certa pressa- mas se você me matar eu ressuscito e te mato.

- Até parece, você que me mata se dirigir -minha irmã tem 15 anos, mas como vai fazer 16 esse ano, vai poder tirar carteira e provavelmente vai ser de moto também.

- Imagina só, dois motoqueiros na minha família, como se já não bastasse um. Agora se apressem se não vão chegar atrasados.

- Beleza. Tchau pai 

Dou minha última mordida na maçã e jogo no lixo. Pego as chaves da moto perto da mesa da televisão e dou um beijo no meu pai. Vou até a garagem, que dá pra porta da cozinha e vejo minha irmã logo atrás de mim.

- Coloca o capacete -e entrego o capacete pra ela, colocando o meu logo em seguida.

Ligo a moto e ela já faz o barulho. Como ela já está de frente para a rua, não precisa nem dar ré. O portão da garagem se abre e eu direciono a moto para sair dela. Assim que entro em contato com o ar livre, sinto o frio na pele. Mesmo estando com um moletom preto, calça jeans e tênis all star preto, em Nova York está frio. 

Chego no colégio em alguns minutos, e como sempre o sinal não havia tocado. Como hoje é o primeiro dia de aula depois das férias de Maio, a escola está bem agitada, pra variar. Depois de deixar a moto no estacionamento e tirar os capacetes, entro no colégio junto com Jan e já dou de cara com Valen conversando com um menino.

- Uau! Mal começou o ano e você já está pegando alguém, enquanto eu to ficando de vela -ela cochicha algo no ouvido do garoto e ele sai logo em seguida.

- Para de drama Bri, e me dá um abraço - Bri é o apelido que a Valen me dá por causa do meu nome. Ela me envolve nos seus braços e eu retribuo- que saudades!

- A gente não ficou nem um dia sem se falar e eu já tava com saudades do seu abraço.

Eu, Jan e Valen começamos a andar até os armários para pegar o material.

- E aquele menino que você tava conversando? Quem é? -Jannie pergunta pra Valen, arqueando uma sobrancelha, interessada em saber.

- É o Ian, irmão do Erick do segundo ano. Conheci ele nas férias e a gente começou a conversar. Ai descobri que ele estuda aqui, só que ele é do primeiro ano do ensino médio -ela falou fechando o armário, já com os livros na mão.

- Ele deve ser da turma A, porque eu também sou do primeiro ano e nunca vi ele. Mas se ele é irmão do Erick, então deve ser bonitinho.

- Bonitinho não, ele é lindo -Valen fala depois de bater o sinal- vejo você no intervalo, beijos -ela fala olhando para a Jannie.

- Beijos pra vocês também.

Coloco a mochila nas costas, entro na sala e sento no meu lugar, que é na ultima fileira, do lado oposto da porta. Não demora muito pro professor de Física chegar. 

- Bom dia alunos -ele fala colocando suas coisas na mesa- hoje vamos começar fazendo um trabalho em duplas, portanto juntem-se com alguém.

Logo após o professor falar isso, eu já vou em direção á mesa da Valen, que fica na fileira do meio, no fundão. Todos se sentam em dupla, e o professor explica o trabalho. 

- Porra cara, fudeu -ouço alguém dizer atrás de mim, mas ignoro.

[...]

Eu e Valentina terminamos o trabalho. Olho para trás e vejo Erick e Thomas fazendo o trabalho com certa dificuldade, e como sou bom em Física resolvo ajuda-los.

- Vocês querem ajuda? -pergunto.

- Se você puder ajudar eu agradeceria cara -Erick diz e Thomas assente. Me levanto da cadeira e fico agachado ao lado de Erick.

- Em que você precisa de ajuda?

[...]

O sinal pro intervalo toca e eu saio da sala junto com a Val, até alguém pegar no meu braço e me puxar.

- Valeu pela ajuda cara, se não fosse por você eu tava ferrado -era o Erick me agradecendo por ajudar ele no trabalho.

- Não foi nada -percebo que ele é só um pouquinho maior que eu, nunca tinha realmente parado pra prestar atenção, mas ele é bem bonito.

- Ok -Erick parece pensar um pouco- ei, voc...

- Vamo lá Erick, o Andrew, eu e o Archer estamos te esperando -Thomas olha pra mim- ah, obrigado pela sua ajuda, é... -ele parecia tentar lembrar meu nome.

- Fabrizio -completo.

- É, até mais -ele diz e sai da sala junto com Erick. 

Antes de sair, Erick vira a cabeça e me olha, fazendo um sinal de telefone com a mão e posicionando na orelha. Não entendi muito bem mas acho que ele quer que eu ligue pra ele, só não como e o porquê.


Notas Finais


Espero que tenham gostado. É a primeira fanfic com personagens e a história no tema "Originais" que eu faço! O capitulo não ficou muito grande pq eu n sei oq vcs acharam, já que é o primeiro, mas eu pretendo continuar, tenho algumas ideias legais pra fic. A fanfic tem girias mesmo, quis deixar mais natural a fala dos personagens, mas só alguns.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...