História Promises - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, V
Tags Bts, Fluffy, Jeongguk, Jungkook, Kookv, Taehyung, Taekook, Vkook
Visualizações 31
Palavras 2.137
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Fluffy, Shoujo (Romântico)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


bem-vindos à minha primeiríssima fanfic, espero que gostem!

Capítulo 1 - Forever


Às 22h:00 no nosso parque - JK

Taehyung sorriu imensamente após ler a mensagem recebida de seu namorado, Jeongguk. Mentiria se dissesse que não estava animado, até porque era uma data mais que especial.

Percebia que estava apaixonado da maneira mais boba possível, afinal, quem teria seu coração batendo de um jeito descompassado como o dele após receber uma frase tão simples como aquela?

Se ao menos soubessem o quão importante essa frase era...

        

        5 de Abril de 2012, Seoul City, 22h:26min


O menino observava com atenção aquela única folha seca em meio a centenas. Conseguia enxergar que, por mais iguais que aparentassem ser, cada uma tinha sua respectiva diferença. Cada uma possuía seus detalhes, por mais esquisitos que fossem. Uma tinha manchas verdes (provavelmente estava começando a secar havia pouco tempo); outra tinha furinhos como se uma lagarta tivesse deixado sua marca ali; e, outra estava completamente esmigalhada porém seus pedaços separados ainda estavam do lado um do outro.

Ao reparar que as coisas ao seu redor mudaram tanto com a chegada do Outono, Taehyung tirou sua humilde câmera mono que estava pendurada em volta de seu pescoço e fotografou todos os detalhes daquele cantinho que sempre passava despercebido em meio às suas dolorosas caminhadas que fazia de manhã cedo. Capturou tudo o que podia naquele momento. As folhas, o velho tronco das árvores que sofreram torturadas por mãos de pessoas insensíveis que acharam que uma das grandes formas de demonstrar amor é escrever suas iniciais nos pobres Carvalhos, pessoas de vários gêneros e idades entrando e saindo das pequenas lojinhas de conveniência que ficavam ali perto. Capturou, até mesmo duas criancinhas alimentando os peixinhos que localizavam-se num laguinho que ficava de frente para si.

Porém sua câmera logo parou no banco de madeira com pintura desgastada que nunca atraía pessoas para si, o que o fazia parecer muito solitário. Tirou a pequena mono de seu rosto, simplesmente para checar se o que estava vendo era real. Seu coração deu um pulo ao reparar que realmente era. Tinha alguém ali no banco, uma pessoinha de fones de ouvido comendo pipoca enquanto observava como uma miragem tudo que estava a sua volta. Taehyung desejou muito ter tirado uma foto dele naquele momento, mas sentia que as coisas mais importantes da vida deveriam ser capturadas com seu próprio coração, por isso apenas sentou-se ao lado do menino ligeiramente, e foi olhar as fotos que acabaram de serem tiradas por ele.

Nunca havia se culpado tanto por não ter ido falar com ele naquele dia, pois tinha certeza que tudo sairia perfeito mesmo se ele chegasse e puxasse um assunto bem aleatório sobre como as pessoas criaram uma ideia péssima sobre a chuva, pois sempre falam que ela é ruim por não ter como sair de casa quando ela aparece, mas que todos sabem que é bem melhor ficar dentro de casa escutando o barulho que ela faz quando cai na sua janela do que ficar desprezando-a como se fosse realmente uma coisa ruim.

Porém infelizmente optou por apenas observar o menino de cabelos castanhos e de olhinhos tão escuros quanto duas pérolas negras de longe, resolveu fazer isso no dia seguinte em que o garoto apareceu novamente no parque.

Percebeu que havia algo de errado no dia em que seu coração se enchera de preocupação quando, num dia usual o garoto que mais lembrava um coelho não aparecera no parque. Não compreendeu o motivo de sua preocupação, afinal era só um amor platônico.

Por fim, quando estava quase desistindo de continuar indo ao parque - afinal a razão de sua ida não estava mais lá -, Taehyung viu de relance alguém sentado no Banco Solitário (fora nomeado assim por Taehyung, o que era um costume dele nomear objetos e coisas parecidas). Sentira uma mistura de ansiedade e alegria enquanto dava pequenos passos em direção ao banco. Decidiu que não perderia mais uma chance, então ele resolveu falar com o menino.

E não é que fora uma das melhores decisões da vida de Taehyung?

Depois que se apresentou, Taehyung falou sobre a chuva, e sentiu um alívio enorme ao receber uma concordância em resposta à seu texto que ia contra ao ódio que as pessoas sentiam desnecessariamente. Descobriu várias coisas naquele dia, como o nome do menino (que era Jeongguk), e como eles eram parecidos e ao mesmo tempo bem diferentes. Eram exatamente como as folhas do primeiro dia, porém pode-ser-ia dizer que se fosse para definir qual folha eles seriam, com certeza ambos seriam uma folha rasgada ao meio. Pois sabe-se os céus o quanto os dois se completavam. Também descobriu que Jeongguk também havia reparado em Taehyung no primeiro dia que se viram, mas assim como o próprio, não teve coragem suficiente para iniciar uma conversa.

Depois de passarem um dia inteiro sentados no Banco Solitário tomando um café quentinho comprado numa loja de conveniência, trocaram seus números de telefone um com o outro e decidiram que aquele era o lugar deles. Passou a se referir ao - até então - velho parque da cidade como “nosso parque”.

E mesmo que os chamassem de egoístas, não ligariam muito em relação à isso. Para os dois, não existia outros, apenas eles.

Então, um ano depois de vários cafés compartilhados, vários olhares entendidos apenas pelos dois, várias piadas internas, várias trocas de carinho, veio a confissão de Taehyung para Jeongguk.

Em meio à inúmeras palavras doces e abraços apertados, Taehyung disse ao seu melhor amigo como se sentia completo quando ele estava por perto, e como se sentia feliz quando via seu sorriso tão bonito da forma mais poética possível.

Enfim, exatamente às 22 horas e 26 minutos, os meninos compartilharam também seu primeiro beijo. O beijo que selara o pedido de namoro mais fofo do mundo, o beijo que fez os dois meninos se apaixonarem mil vezes mais um pelo o outro.

E assim os meninos passaram longos anos juntos, vivendo cada dia como se fosse o primeiro.


                                    5 de Abril de 2017, Seoul City, 21h:30min.


Colocou seu básico casaco de lã preto e um cachecol da mesma cor, e com o frio que estava fazendo estava considerando em pôr luvas também.

Em meio à qualquer circunstância, tinha certeza que nada atrapalharia seu dia. Pegou sua câmera, a mesma de anos, e pendurou em seu pescoço. Checou as horas e viu que estava um pouco cedo, então foi até sua cozinha à procura de algo para comer. Sorriu grandiosamente ao ver fotos tiradas por polaroids dele e de Jeongguk penduradas na grande geladeira cinza que possuía.

Não imaginava nem um porcento que ficaria com Jeongguk por exatos cinco anos. Não que fosse algo ruim, longe disso. Diferente de ruim, a palavra que mais define é fascinante. Não sabia como o sistema de alma gêmeas funcionava, e muito menos como eles escolhiam duas pessoas que são supostas a ficarem juntas, mas sabia de como era sortudo por ter achado Jeongguk em sua vida.

Era sortudo de ter alguém para contar seus segredos, era sortudo de ter alguém que gostava de receber seus beijos e abraços à quase todo momento, e era sortudo, principalmente por esse alguém ser Jeon Jeongguk. Taehyung o amava, e não havia nada que mudasse seu pensamento.

Abriu a geladeira e pegou apenas uma garrafa d’água, indo direto para seu quarto.

Resolveu checar seu presente em comemoração aos cinco anos de namoro dos dois, afim de ver se estava tudo perfeito, como planejado. Observou o objeto em suas mãos enquanto uma ideia repentina veio em sua cabeça.

Assim que finalizou os últimos detalhes, pegou seu celular e viu que já estava quase na hora. Então, se apressou e foi ansiosamente ao parque cheio de memórias.

Alegrou-se por ter chegado exatamente na hora combinada, então sentou-se no Banco Solitário e colocou seu presente ao seu lado.

Cadê você, Jeonggukie?haviam se passado dez minutos desde o suposto horário de encontro, e Taehyung estava começando a se preocupar.

Olhava em volta à procura do seu namorado e não conseguia sentir nada além de aflição ao não avistar nenhum sinal de vida do mesmo.

Vinte minutos e nada. Só de pensar em passar sua data de aniversário de namoro sozinho, Taehyung começou a se sentir triste. “Será que Jeongguk teria se esquecido? Mas ele enviou a mensagem mais cedo” Vários tipos de acontecimentos começaram a passar pela cabeça do menino, quando o mesmo sentiu duas mãos geladas cobrirem seus olhos, o que o fez sorrir instantaneamente.

— Adivinha quem é. - só pela a voz o garoto reconheceu quem era, e não podia estar mais feliz.

Tirou as mãos de sua visão e se virou em direção ao corpo distante ao seu. Sua boca fez um formato exato de um “o” assim que avistou Jeongguk.

O garoto estava vestindo um terno preto com uma gravata, e seu cabelo não estava liso como sempre. Taehyung sorriu de lado mas rapidamente fez uma cara triste.

 Porque não me avisou que era para vir arrumado? Agora parece que eu vou jogar o lixo para fora de casa e você está indo em um casamento. - cruzou os braços e fez uma cara de bravo.

Não conseguiu manter uma expressão estável enquanto recebia vários beijos de Jeongguk, beijos por todo seu rosto.

 Você ‘ esplendidamente incrível. - olhou seu pequeno relógio prata em seu pulso e sorriu. — Agora espere aqui que eu vou trazer o seu presente.

Antes de dar a chance de Taehyung dizer algo, o menino de cabelos castanhos saiu correndo desajeitadamente, o fazendo rir.

22h:24 era o que o relógio informava.

Jeongguk voltou em menos de um minuto, e Taehyung decidiu dar seu presente primeiro.

 Como ainda não estou trabalhando profissionalmente, apenas faço curso de fotografia, usei minhas humildes habilidades para fazer isso.

Entregou algo que lembrava um livro antigo de capa dura, tinha uma cor marrom madeira e era grande. Assim que o mais novo abriu, era visível seus olhinhos adquirindo algumas lágrimas que se recusaram a cair, mas mais visível era seu nariz adotando um tom vermelho. Não sabia se era por conta do frio ou da emoção que estava sentindo ao ver o álbum cheio de fotos dos dois.

O que mais deixou o menino emocionado, sem contar com as fotos tiradas por Taehyung no primeiro dia que eles se viram, (as fotos das folhas, do Banco, e das árvores), foi sem dúvidas a frase escrita de caneta preta na primeira página.

Espero poder encher esse álbum com várias memórias feitas apenas com você.”

Observou o garoto mais velho à sua frente e o deu um abraço muito apertado, logo seguido de um beijo apaixonado.

 Agora é a vez do meu presente. Sente-se. - apontou para o Banco Solitário e esperou Taehyung fazer o que lhe fora dito.

Assim que o fez, Jeongguk respirou fundo e passou suas duas mãos em sua calça numa tentativa de secar o suor que estava persistindo nele, por mais frio que estivesse,  o nervosismo era ainda maior.

Observou o mais velho arregalar seus olhos quando ajoelhou-se em sua frente, ainda fazendo um grande contato visual.

 De todas as pessoas que conheci, e de todas as dificuldades que eu enfrentei, nunca achei que pudesse achar alguém como você. Uma pessoa tão diferente, tão única. Uma pessoa que gosta de me ouvir, de conversar sobre os assuntos mais tolos, e uma pessoa que gosta de até mesmo me dizer o quanto me ama. Já tem um tempo que eu tenho procurado retribuir todo o amor que venho recebendo. E vi que nada chegaria aos pés dos dias que você passou em claro me consolando por eu não ter passado numa idiota competição de canto, ou dos dias que passamos juntos apreciando um ao outro e tendo carinho de sobra para dar e receber. Depois desses cinco anos juntos, tive certeza de uma coisa. - Para a surpresa de um Taehyung choroso, Jeongguk tirou de seu terno uma caixinha vermelha de veludo, logo abrindo-a e continuando a falar. - Tive a certeza que quero continuar mais cinco anos com você. E mais cinco. E mais cinco. Quero cada vez mais sentir seu cheiro, escutar a sua voz e apreciar o gosto do seu beijo. Não quero que isso acabe nunca. E um dos jeitos que eu descobri que poderia retribuir um pouco tudo o que você fez por mim, foi esse. Kim Taehyung, eu quero que você seja meu. Completamente meu e de mais ninguém.

Começou a rir quando caiu direto no chão junto de Taehyung que não parava de chorar e ao mesmo tempo dar vários estalinhos em seus lábios.

Abraçou mais uma vez o menino, dando um beijo demorado no mesmo.

 Eu sempre fui e sempre serei seu, Jeon Jeongguk. Não quero que tenha dúvidas sobre isso.


                                 💍 


Depois do emocionante encontro no parque, os meninos foram comprar cafés e muffins, dois fatores que proporcionaram mais e mais carícias com um toque único de amor.

E foi assim que, em uma noite especial, Taehyung e Jeongguk completaram-se totalmente com promessas e beijos.


Notas Finais


já estou com vários plots escritos e dependendo de como esse oneshot vai se desempenhar nas férias começo a os publicar aqui! espero que tenham gostado♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...