História Promises. (Fanfic Luhan e Irene) - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, Red Velvet
Personagens Irene, Lu Han
Tags Drama, Exo, Fantasia, Luhan, Romance
Exibições 40
Palavras 1.339
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Fantasia, Ficção, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Recomendo que vocês leiam este capítulo escutando: Christina Perri - A Thousand Years .
Tenham uma boa leitura~~

Capítulo 3 - Three


Fanfic / Fanfiction Promises. (Fanfic Luhan e Irene) - Capítulo 3 - Three

"Percebo que ela está quase para acordar, em questão de segundos desapareço dali, não seria bom para ela se me visse agora que ainda está no hospital, por enquanto, vou vigiá-la e protege-la de longe, mas em pouco tempo, ela saberá de minha existência."

-----------------

(Visão da Irene)

*Se passa uma semana*

Finalmente estou de alta, fiquei em observação por uma semana no hospital. Fiquei sabendo através de noticiários na TV que o taxista morreu no próprio acidente, ainda não sai da minha cabeça de que uma espécie de anjo me salvou aquele dia. Eu sou uma pessoa muito religiosa e acho que devido ao stress do momento eu possa ter visto algo, até porque algumas pessoas filmaram o ocorrido, quando passou na TV foi claro de que eu apenas cai no asfalto.

---------------

Hoje era um dos piores dias que Irene tinha em sua vida, afinal, era 18 de Maio, aniversário de morte de seus pais. 

Seus pais haviam morrido há 17 anos atrás quando Irene tinha apenas 3 anos de idade, eles morreram devido ao acidente de carro no qual Irene também estava presente. Para ela, estar viva é apenas uma sorte, mal sabe ela que há 17 anos atrás o guardião de seus pais poderiam salvar apenas uma pessoa e seus pais havia dito para que apenas Irene vivesse, desde sua infância ela já está destinada a viver uma vida sobrenatural.

Irene fora criada pelos seus avós, mas eles não ligavam muito para ela, então sempre foi solitária e com poucos amigos, atualmente possui 20 anos e se sente sozinha no mundo, já pensara várias vezes em se matar, mas não conseguira completar o ato.

"Algum dia ela será realmente feliz?", esse sempre é um dos primeiros pensamentos de seus dias.

-------------------------

(Visão do Luhan)

Eu definitivamente não sei como vou fazer para me apresentar para a Irene, agora que ela voltou para sua casa, tenho que tentar me aproximar dela.

Estou em frente sua casa e com muito receio de entrar lá. Me sento em frente a casa e fico olhando para o movimento da rua, as pessoas andando pelas calçadas, carros passando, crianças correndo e passando por mim sem ao menos me sentir. Tudo parece normal, até que começo a escutar um choro, é incrível como sempre que acontece algo de ruim com ela, todos os meus sentidos são voltados apenas para ela, nesse momento eu consigo escutar apenas ela.

Logo me desespero e vou atrás dela, passo pelas paredes de sua casa, até chegar na porta de seu quarto, vou abrir a porta, mas paraliso ao escutar ela chorando e dizendo;

-- Por que sempre comigo? Deus você realmente me ama? Não é muita coisa pra uma pessoa só?

Sinto vontade de chorar ao escutar essas palavras, lágrimas começam a rolar em meu rosto. Fecho meus olhos e tento pensar em algum momento feliz de minha vida quando eu ainda era humano e tento passar esse sentimento bom para ela, mesmo ainda estando distante dela.

-- Eu não quero mais viver, se for pra viver assim, não preciso dessa vida. -  Ela diz isso aos prantos.

Era minha hora de entrar e dizer que está tudo bem, que essa fase vai passar, apesar de não saber exatamente o motivo dela estar assim. Fecho meus olhos, respiro fundo e penso "Eu consigo fazer isso", com os olhos ainda fechados passo por sua porta, abro meus olhos e a vejo chorando, sentada no meio do chão de seu quarto, de costas para mim. 

Quanto mais me aproximo dela, mais sinto uma vibração no meu peito, é difícil explicar esse sentimento. Me ajoelho perto dela, estou exatamente atrás dela e lhe dou um abraço.

Algo estranho acontece no momento em que meu corpo entra em contato com o seu. É como se eu tivesse tendo visões do passado dela. Estou vendo um casal e uma criança de aproximadamente 3 a 5 anos de idade em um carro, o carro está em descontrole e posso ver o desespero dos pais e da criança, o carro está prestes a cair de um viaduto, "Por favor, salve ela", olho para aquela cena e vejo um guardião a segurando e a tirando do carro, no mesmo momento que o guardião salva a criança o carro cai do viaduto e os pais morrem.  

O guardião olha para a garota e diz:

-- Foi por você. - A menina olha para o guardião com um olhar vidrado.

Em questão de segundos o guardião começa a se dissipar, no mesmo instante entendo o motivo, querendo ou não seu protegido com certeza era o pai da criança e como ele preferiu salvar a criança, quebrou uma das regras "não mate seu protegido".

Depois disso minha visão volta ao normal e estou novamente no quarto da garota, estou abraçado com ela, aqui nessa atmosfera pode ter sido por segundos, mas eu tive a impressão de que demorou. 

Ela está de olhos fechados, agora entendo o motivo de seu desespero, retiro meus braços dela e digo:

-- Está tudo bem.

Ela arregala seus olhos ao abri-los, afinal, ela achara que estava sozinha naquele quarto, assustada ela dá um grito e se vira para mim. 

-- Quem é você? - Ela fica desesperada ao me ver, mas entendo sua reação.

-- Fique calma.

Percebo que ela pega seu celular e desesperadamente começa discar o número da polícia. Não tenho outra escolha a não ser fazer alguma demonstração de meu poder. Me coloco de pé, fecho meus olhos, respiro fundo novamente, pode não parecer mas eu estou muito nervoso com essa situação.

"Por favor apareçam".

Penso nisso e em questão de segundos, sinto minhas asas aparecendo em minhas costas. Posso ver o espanto de Irene ao ver isso, ela abre sua boca e seus olhos abrem ao ver minhas asas. Olho para um espelho que esta do meu lado e posso ver minhas asas, são lindas e negras, olho para ela e lhe mostro um sorriso.

-- Eu devo estar delirando, mas é o delírio mais lindo que eu já tive.

-- Eu estou aqui por você.

Ela se levanta e chega próxima a mim, ainda maravilhada com o que está vendo, passa sua mão direita sobre meu rosto.

-- Eu posso te sentir. - Diz Irene.

-- Eu também. - Sorrio e fico maravilhado com o fato de que também posso senti-la.

Ela se espanta e dá um pulo para trás, fico sem entender sua ação, mas logo ela volta a dizer:

-- Suas asas são negras, você não deve ser do bem.

Dou uma risada de leve e a respondo:

-- Preto fica melhor em mim.

Ela faz uma expressão de dúvida e eu volto a dizer:

-- Pode ficar tranquila.

Posso ver um sorriso sair em seu rosto, era exatamente aquilo que eu queria ver naquele momento. Posso vê-la beliscando a si mesma, com certeza ela ainda não está acreditando no que está vendo, eu também não acreditaria se estivesse em seu lugar. Dou um passo a frente e ela um para trás, mas ela acaba batendo uma de suas pernas em uma cadeira e está prestes a cair no chão, em questão de segundos, me teletransporto para perto dela e a seguro, agora ela está em meus braços, posso escutar as fortes batidas de seu coração. 

Aproximo meu rosto ao seu e digo:

-- Sua vida não vai mais continuar a mesma.

Seus olhos se enchem de lágrimas, em um simples movimento, a faço levantar e a deixo de pé, solto minha mão da sua, ela continua paralisada e seus olhos estão vidrados para mim. Lhe dou um sorriso e um passo para trás, olho para baixo e logo para seu rosto.

-- E aliás, Deus sempre esteve com você, o Homem não esquece de ninguém. - Continuo dizendo para ela.

Passo uma de minhas mãos sobre seu rosto e em um simples gesto, faço com que ela feche seus olhos, enquanto ela está de olhos fechados, desapareço do seu quarto como fumaça.

                                                                              Continua.

                                                                                        

                                                                                           


Notas Finais


------
TRAILER DA FANFIC: https://www.youtube.com/watch?v=4PmI10ROWs0
Conversem comigo e me sigam:
Instagram: @Katalenics
Twitter: @LiviaKatalenic


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...