História Prontas para Amar - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alastor Moody, Alice Longbottom, Franco Longbottom, Lílian Evans, Marlenne Mckinnon, Regulus Black, Rodolfo Lestrange, Sirius Black, Tiago Potter
Tags Blackinnon, Fralice, Franlice, Jily, Romance, Salily, Universo Alternativo
Exibições 27
Palavras 1.247
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi! Espero que tenham gostado do capítulo anterior. Aqui está mais um. Espero que gostem desse. Obrigada a ~Luna13Lovegood pelo comentário, e pelos favoritos. Bjs :D

Capítulo 8 - Capítulo 8


Estava uma manhã quente e Lily estava sentada no sofá, vestida com sua roupa de trabalho. Estava lendo as notícias no celular, enquanto esperava a chegada de James para a segunda aula. Leu de tudo um pouco, desde Economia, a Cultura. Gostava de estar atualizada. Passou pela notícia da morte de Regulus Black e leu com atenção, pensando no sofrimento da família. Tinha na outra mão uma xícara de café bem forte, pois tinha dormido pessimamente durante a noite. Tinha sonhado com James, que ambos estavam no rio, onde tinha passado a maior parte de sua infância e que se beijavam apaixonadamente. Ela estremecia ao sentir os lábios dele, suaves e carnudos, passeando por seu pescoço, trilhando pequenos beijos. Durante o beijo, tinha lhe dito que se queria entregar a ele, ser sua, mas ele tinha recusado, dizendo que ela não estava preparada. E que esperaria o tempo necessário. E ela o beijou em agradecimento.

Tinha acordado a meio da noite, de coração aos pulos e excitada. Ainda conseguia sentir o corpo dele junto ao seu. Tinha respirado fundo várias vezes e tentado dormir novamente, mas não conseguiu. Tinha dado voltas e voltas na cama, batendo no travesseiro, para o amaciar e, até, tomado uma xícara de chocolate quente, mas nada tinha resultado. Usava maquiagem no rosto, para ocultar suas olheiras. Seus cabelos estavam soltos e caiam como cascatas por suas costas. Se levantou e foi em direção à cozinha, pousando a xícara na pia. Ouviu a campainha tocando e foi à porta, se arrumando pelo caminho. "Espero não estar desarrumada", pensou ela. E se espantou com seus próprios pensamentos, pois nunca se tinha importado em estar suficientemente arrumada para receber um homem em sua casa. Guardou o celular no bolso das calças, abriu a porta e observou a expressão cansada de James. Ele olhou para ela e sorriu, como se seu dia tivesse sido iluminado só com sua presença.

— Bom dia. - Falou ele, com voz rouca.

— Bom dia. - Respondeu ela, e se afastou da porta, permitindo que ele entrasse. James entrou e ela apontou para que ele fosse para a sala. Fechou a porta e o seguiu. James ficou de pé e Lily observou que ele parecia um pouco desmazelado, embora estivesse bem vestido. Usava uma camisa azul, umas jeans da mesma cor, e umas sapatinhas Nike de cor branca. Seu cabelo estava mais desarrumado que no dia anterior e tinha olheiras nos olhos.

— Você quer um café? - Ofereceu Lily.

— Sim, por favor. - Respondeu ele, ela lhe indicou o sofá e pediu:

— Sente-se, por favor. Eu já trago café. - James fez o que ela pediu, e Lily se dirigiu para a cozinha. Foi ao armário e retirou uma xícara. Encheu-a com café e voltou para a sala. Encontrou James sentado, seu rosto pálido e pensativo. Ela lhe entregou a xícara e ele agradeceu, polidamente:

— Obrigado.

— De nada. - Respondeu Lily, e ficaram os dois em silêncio, ela esperando que ele falasse, e James tentando arranjar coragem. Ele suspirou e falou:

— O irmão de meu melhor amigo faleceu ontem e fiquei a noite toda tentando animá-lo, juntamente com Marlene, sua namorada. - Lily ficou atenta à conversa e se sentou a seu lado. Ele continuou – Eles não se davam muito bem, mas ele o amava. Nem tiveram tempo de conversar sobre suas divergências. - Vendo a expressão franzida da mulher, continuou – Foi um acidente de viação.

— Deve ser horrível perder uma pessoa desse jeito. - Falou Lily, colocando sua mão no ombro dele, para o confortar, e reparou que ele relaxava com seu toque.

— Nunca vi Sirius tão perdido como ontem. - Continuou James – Me deu a sensação de que tinha perdido uma parte dele.

— Lamento. - Falou Lily, tristemente.

— A família Black está de rastos. - Comentou James e Lily arregalou os olhos, espantada:

— Black? - Perguntou – Regulus Black? Das empresas Black?

— Sim. - Respondeu James, olhando tristemente para ela.

— Eu li sobre a morte dele ainda há pouco. - Falou ela, admirada – Uma coisa horrível. Não sabia que era a mesma pessoa. Que horror!

— Sim. - Falou James, olhando para ela . Mas vai ficar tudo bem.

Lily hesitou, mas se aproximou dele e o abraçou, sentindo sue perfume suave. James correspondeu ao abraço, se sentindo mais leve. Ficaram os dois sentindo os batimentos cardíacos, o calor que emanava de seus corpos, até que Lily se afastou lentamente e James bebeu seu café. Para o animar, conversou sobre assuntos banais, comentou algumas notícias que tinha lido e viu James ficando, aos poucos, cada vez melhor. Ela não reparou que sua mão apertava delicadamente a de James, que não tinha nenhum indício de que era comprometido, lhe transmitindo força.

OoOoO

Se sentindo reconfortado, James olhava para Lily com admiração, sendo sobressaltado novamente pelo desejo de a pintar. Suas mãos ainda estavam entrelaçadas, seus corpos próximos um do outro. Ela sorria suavemente para ele, enquanto lhe dava alguns conselhos para a aula que se seguiria. Ela terminou de falar e perguntou:

— Como se sente?

— Melhor, obrigado. - Revelou James, o que era verdade. Se sentia relaxado na presença dela. Lily, percebendo que suas mãos estavam unidas, ruborizou e se afastou. Se levantou e disse:

— Penso que é melhor começar a aula. - James sentiu um grande vazio dentro de si, sentia falta de mão dela sobre a sua, mas nada disse. Se dirigiu para seu lugar e se sentou, ouvindo as explicações da pintora. Ela tinha ordenado que ele desenhasse uma árvore e ele olhava pela janela. Com o pincel, copiava lentamente e com detalhe o que conseguiu ver da árvore. Primeiro o tronco, depois os ramos e, por fim, a folhagem. Se sentia melhor, enquanto pintava. Lily tinha trazido um lanche da cozinha, um suco de laranja e biscoitos de gengibre. Comeram, enquanto ela observava seu trabalho. Ele queria fazer perguntas, conversar com ela, mas não o fez. Não se sentia na disposição de o fazer.

Quando terminou o trabalho e limpava os pincéis, Lily observava a beleza de sua pintura. Tal como o quadro do coração, que estava ao fundo da sala, onde tinham estado os retratos de seus ex-companheiros, a árvore estava maravilhosamente bem desenhada. Ela sorriu para ele e disse:

— Está excelente, James. Você tem muito talento.

— Obrigado. - Agradeceu ele, se levantando e pagando a aula. Ela recebeu o dinheiro e o acompanhou à porta, a abrindo enquanto dizia:

— Fique bem.

— Obrigado, Lily. - Agradeceu ele – Pelo apoio, pela aula, por tudo.

— De nada, James. - Respondeu ela, sorriram e ele perguntou:

— Posso abraçá-la em agradecimento? - Lily hesitou, se lembrando do sonho, mas achou rude negar, e respondeu:

—Sim. - Ele a abraçou carinhosamente e Lily se sentiu protegida naqueles braços fortes. Abraçou-o de volta, sentindo como ele tinha relaxado durante a manhã. Pensou em convidá-lo para almoçar, mas logo afastou esses pensamentos. Não queria que James pensasse que ela era uma mulher fácil e que se aproveitasse dela. Se afastaram e ela sentiu falta do calor dele.

— Até amanhã. - Se despediu James, saindo pela porta.

— Até amanhã. - Respondeu Lily, e fechou a porta, se sentindo, novamente sozinha. Suspirou, enquanto se dirigia para a cozinha e se apercebeu que não tinha vontade de cozinhar. Retirou o celular do bolso e ligou para a pizzaria mais próxima pedindo Pollo Pesto, uma deliciosa pizza com frango e cogumelos. Estava pensando, durante a tarde, começar mais um quadro e ir às compras, para comprar roupa nova.

Continua...


Notas Finais


Oi! O que acharam do capítulo? Espero que tenham gostado. James e Lily, sem se aperceberem, estão se aproximando cada vez mais. Espero que comentem, por favor, dizendo o que acharam. Bjs :D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...