História Property Of Joker - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Esquadrão Suicida
Tags Batman, Esquadrão Suicida
Exibições 239
Palavras 1.875
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi Puddins, esse cap é graças a ideia da querida ~RNM, que me deu essa sugestão que eu amei de verdade.
E também graças a minha querida ~jadiane, que me faz mais feliz a cada comentário.

Capítulo 25 - Doces Sonhos (São Feitos Disto)


Fanfic / Fanfiction Property Of Joker - Capítulo 25 - Doces Sonhos (São Feitos Disto)

Doces sonhos são feitos disto

Quem sou eu pra discordar?

Viajando o mundo e os sete mares

Todo mundo está a procura de algo

Alguns deles querem te usar

Alguns deles querem ser usados por você

Alguns deles querem abusar de você

Alguns deles querem ser abusados

Eu vou te usar e te abusar

Eu vou saber o que tem dentro

Eu vou te usar e te abusar

Eu vou saber o que tem dentro de você

Joker

Harley estava se recuperando desde a noite do gás do medo, mas eu ainda não conseguia entender como ele estava na água da minha mansão. Faz 3 dias que Harl não sai do quarto, somente para comer. Tenho cuidado sozinho de Lucy desde então. Ela tem um olhar assustado todos os dias e fica sussurrando palavras que não consigo entender. 

Entro no quarto de Harley e vejo-a deitada no chão chorando com o rosto entre as pernas, ela falava em inglês, mas era impossível de entender. Vou até ela que se encolhe mais chorando.

-They are coming- ela gritava com as mãos na cabeça como se quisesse tirar aquele pensamento.

-Harley se acalma, fala de novo- falo passando a mão em seu cabelo levantando seu rosto com a maquiagem 

-Eles estão vindo Puddin.- ela começa a chorar e gritar arranhando sua pele.

-ELES QUEM HARLEY?- seguro seus braços para que ela pare de se machucar e a pego no colo deitando-a em minha cama.- Quem são eles Harley? O que você viu ontem?

-É incrivelmente real, e muito assustador. Temo você e te amo, e essa combinação é ruim.- ela respira fundo e começa contar o que aconteceu. 

Flashback on (efeito do gás do medo)

Passo a noite toda sem conseguir dormir me virando de um lado para o outro. Me levanto indo até o banheiro ligando a banheira enquanto tiro minha roupa. A água estava quente, era tudo o que eu precisava agora. Abaixo todo meu corpo na água pensando em todos esse dias enquanto começo  ter uma crise de ansiedade. Gás do medo, estava na água em forma de líquido. Tento me levantar, mas não consigo. Sinto meu corpo ser puxado para baixo me debatendo na água. 

 O banheiro mudou de de cor ficando preto e no fundo dele tinha uma pequena luz branca, sigo-a tentando descobrir o que é. Escuto sua risada ecoar por todo o banheiro me deixando completamente assustada. 

-Para Joker, isso não tem graça- caio no chão sendo arrastada para perto da banheira sendo afogada dentro dela por Joker enquanto ele ria de mim descontroladamente. A água em meu nariz fazendo o mesmo arder. Ele puxa minha cabeça  para fora me sufocando com as mãos. 

-A sociedade criou toda a vida pensante neste planeta de merda... usando apenas uma ferramenta. O caos, mas o que é o Caos, querida Harley?- tento fazer ele me soltar apertando seu braço com minhas mãos, mas é inútil, ele soca minha cabeça na banheira. -Não existe vida "normal". Normal é uma ilusão. O que é normal para a aranha é o caos para a mosca.

Ele solta o meu pescoço me fazendo ficar tonta, sem ter noção do que estava acontecendo. Consigo sair da água caindo com uma toalha no chão chorando descontroladamente, enquanto vejo todo banheiro ficar escuro em sem luz com gritos e um barulho agudo em meu ouvido. Era como se tivesse milhões de rangidos de microfones em meu ouvido me fazendo gritar de dor. 

Ele se aproxima me puxando pelos cabelos e trancando a porta. -Vou te contar uma história Harleyzinha. Joker tinha um lindo brinquedo, a Primeira, a Única, a infame, Arlequina. Então um dia, ele a encontrou chorando encolhida no chão sujo da banheiro. O rei de Gotham finalmente tinha vindo salvar a sua rainha.E o resto você pode imaginar. Mas era uma trapaça e o relógio bateu meia-noite. Ele não vai te salvar Harley Quinn. Ninguém vai te salvar do seu destino.  - ele me arrasta pelo cabelo batendo com o meu rosto no espelho fazendo- o mesmo quebrar.

-Por favor Coringa, eu te amo. Para com isso. 

-EU NÃO TE AMO- ele soca minha face me fazendo cair no chão enquanto chorava.- Todos nós sabemos e você também sabe que esse relacionamento não é real. Bem, se não é real, você não consegue segurar em sua mão. Você não consegue sentir com seu coração. E eu não vou acreditar nisso, Mas se é verdade, você consegue ver com seus olhos. Até mesmo no escuro. E é aí onde eu quero que você fique. -Ele se levanta indo embora do banheiro.- Esqueça tudo isso Harley.

-Por favor, não vai embora. Ninguém nunca ficou comigo por muito tempo antes. Eu só me lembro de coisas boas que aconteceram com a gente. Quando eu olho para você, estou em casa, eu me sinto em casa. Por favor, eu não quero que vá embora. Eu não quero esquecer.- seguro suas pernas chorando para que ele não possa ir embora e me deixar ali sozinha. 

Ele me puxa até seu rosto dando um tapa no mesmo e me entregando um papel de carta- Diz para o Coringa que eu voltei e que o maior pesadelo vai reinar em Gotham. - então ele sai me deixando sozinha ali. 

Joker entra no banheiro e começo a jogar coisas nele como se fosse me proteger de algo. 

-FICA LONGE DE MIM SEU MALUCO- eu gritava desesperadamente

-Harley para com isso-  ele caminha até minha direção enquanto tento me soltar de seus braços- ME ESCUTA, está tudo bem.

-Você me magoou. Mais do que qualquer um que me magoou. Eu te amei e você me deixou.

-Harley, eu to aqui- ele fazia carinho nos meus cabelos- e não vou te deixar. -Ao sentir seu toque consigo sair da insanidade que estava em minha mente e noto que tudo aquilo não era real.

-Me...desculpa- começo a chorar sem conseguir conter os soluços.

-Está tudo bem amor. Ajudamos uns ao outros, ok Sweet. Assim nos mantemos fortes. Ninguém consegue ser forte sozinho. 

(...)

Flashback off

Joker

-É tudo o que se lembra Harley?- falo ajudando-a tomar seu banho e vestir uma roupa

-Sim Puddin. Foi horrível, era tão real.- ela se levanta da cama e vai até a mesinha ali perto pegando um papel roxo- Ele me deu isso ontem Puddin, ele disse que o pesadelo de Gotham tinha voltado. 

Aquele envelope não era estranho, eu tinha a sensação que já tinha visto- antes. Abro o envelope e começo a ler.

Joker, meu amigão. Sentiu minha falta? Não precisa responder. Eu sei que sentiu. Eu perdi tudo, você tirou tudo de mim, e agora eu vou tirar tudo de você. Soube que tem uma filha de 3 meses, devo dizer que Lucy é um verdadeira princesa. Sem falar na sua rainha, Harley Quinn. É ruim não? Se sentir vulnerável e não pode proteger quem ama. Foi fácil entrar no seu registro e colocar o gás do medo lá, deveria confiar menos nas pessoas ao seu redor. Me encontre no porto de Gotham hoje a noite, esteja lá a 00:00, faça tudo certo e a morte delas prometo que não vai ser lenta."

Me levanto da cama e caminho de um lado para o outro tentando organizar os meus pensamentos. É claro. Só podia ser ele. Era o mais provável. 

-Harley eu vou sair para resolver essa questão. Quero que fique com Lucy e não sai da casa- saio do quarto antes que ela pergunte alguma coisa e vou até meu escritório.

-Johny Johny, quero que vá até esse endereço comigo e não sai de lá até eu mandar- ele assenti e prossigo- vai ficar escondido e quero que deixe alguém vigiando Harley enquanto eu estiver fora.

Pego minhas armas e coloco no meu coldre, guardas minhas granadas em meu paletó e por fim coloco uma faca na manga do mesmo. Sai com minha Lamborghini roxa em direção ao porto. Vou em alta velocidade quase matando todos que via pela minha frente. 

O porto estava coberto de uma neblina escura, tão negra quanto a noite sem nenhuma luz no céu. Procuro-o, mas não tinha ninguém ali. Escuto um barulho de salto alto e me viro para trás vendo Harley caminha em minha direção com seu bastão.

-Harley eu mandei ficar em casa- vou até sua direção e ela solta uma de suas risadas irritantes

-Eu só...- ela não consegue terminar de falar, sangue começa sair de sua boca, seguro-a para que ela não cai no chão. 

-Harley, não, por favor- sinto meus olhos ficarem embaçados com as lágrimas saindo deles.- NÃO HARLEY, PARA COM ISSO- seguro-a perto de meu corpo com minhas mãos cheias de sangue sujando seu cabelo loiro.- Você significa mais pra mim que qualquer pessoa no mundo. Harley você é tudo. Tudo pra mim. E não quero viver no mundo sem você.- agarro seu corpo sem vida balançando-a sem conseguir faze-la voltar a respirar. -Você é minha família. Minha família toda, minha vida toda. 

-A morte é uma coisa estranha não é? Alguém passa a vida inteira com você, está respirando, está presente. e de repente vai embora.- ele caminha até minha direção com o taco de Harley em sua mão girando-o fazendo um "H" no ar.- E a coisa mais difícil do mundo... é desapegar-se de alguém que você ama. Por que tão sério Joker? Ela é só mais uma vadia má.

Me levanto indo em sua direção socando seu rosto fazendo-o mesmo rir limpando o sangue da boca.

-Ela me irrita, perturba e a risada dela é irritante, eu sei. Mas ela não é uma má pessoa, só não é perfeita! Ao menos ela tenta seu filho da puta. 

-Todos querem uma solução rápida. Sempre querem. O que poderia ser pior? Viver como um monstro ou morrer como um homem bom?- ele caminha para minha direção jogando o taco no chão e sentando-se ao meu lado.

Seguro o corpo de Harley sem vida em meus braços vendo seus lábios ficarem sem cor. Deixando sua pele pálida mais clara que o normal.

- Você acha que algum dia vai chegar a fazer algo importante com a sua vida? - perguntou ele.
-Do que você está falando?
- Estou falando sério. Você acha que a sua vida vai ter importância? Você acha que Deus tem um plano pra você?

-Eu sou o rei de Gotham- minha mente começa a entender o que estava acontecendo- Construí algo de valor aqui. Não vou desistir sem lutar. ESSA É MINHA CIDADE- enfio a faca em sua perna em seguida dando vários tiros na mesma sem que ele possa revidar.

Ele se levanta e bate com o taco de Harley no meu rosto fazendo o mesmo sangrar, no tempo que caio no chão ele caminha em direção a um carro preto e parte dali. 

-Oh Harley, Quando penso em você dou um sorriso. E, preciso dizer, queria muito que você estivesse aqui com vida. Preciso dizer mais, você foi a pessoa que eu amei. Quem eu mais amei. Não há um dia sequer que eu não vá pensar em você. - Sinto seu corpo ficar leve se tornando cinzas e me deixando ali completamente só.- Não pode ser real. 

 

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...