História Property Of Joker - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Esquadrão Suicida
Tags Batman, Esquadrão Suicida
Exibições 280
Palavras 2.221
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Eu não ia postar esse cap hoje para causar um mistério, mas eu queria muito que vcs soubessem o decorrer da história então postei.

Capítulo 26 - Senti saudades suas


Fanfic / Fanfiction Property Of Joker - Capítulo 26 - Senti saudades suas

Ele é um vilão pelas leis do diabo

Ele é um assassino só por diversão

Ele é um dedo-duro, imprevisível

Ele não tem consciência, ele não tem nada

Deveria abandonar, mas não

Porque ele é um cara mau com um coração podre

E até eu sei que isso não é sensato

E ele tem meu nome

Tatuado no seu braço, é o seu amuleto

Então eu acho que está tudo bem

Ele está comigo

E nós escutamos pessoas falando (pessoas falando)

Fazendo comentários maldosos, tentando nos separar

Mas eu nem escuto

Eu não ligo

Porque, mamãe, eu estou apaixonada por um criminoso

Joker

O tempo pode parecer lento para quem espera, rápido para quem tem medo, longo para quem lamenta, curto para os que festejam, e eterno para os que verdadeiramente amam. Todos temos algo a esconder... Algo obscuro dentro de nós, que não queremos que o mundo veja. Então fingimos que está tudo bem. Às vezes a vida é dura. Você recebe choques e mais choques. Parece que querem derrubar o mundo sobre sua cabeça.

Johny Johny me levanta do chão levando-me até minha Lamborghini roxa. Coloco o cinto e mantenho a velocidade o mais rápido possível até chegar em minha mansão. Vejo pelo espelho que meus olhos estevam inchados e vermelhos devido as lágrimas involuntárias que saíram deles. Mas, não. Eu não posso ter sentimentos. Não posso sentir nada. E pra quem não tinha a intenção de sentir nada, eu estou sentindo é muito. Vamos Coringa, não fique amolecido por causa dela. Não sei amar, isso é um fato. Mas sei gostar demais, cuidar demais, me preocupar demais. Tudo em overdose.

Subo as escadas e vou até o quarto de Lucy que estava dormindo e coloco um de meus capangas para vigia-la. Caminho até meu quarto e abrindo o meu closet. Pego as roupas de Harley e noto que seu cheiro ainda estava nela, era um cheiro doce, como de rosas negras. 

Pego todas as minhas armas no escritório e sigo em direção ao meu querido adversário que estava de volta. Corro em alta velocidade pelas ruas de Gotham chegando até meu destino. Arkham Asylum. Pego o taco de Harley na mala do carro e então finalmente me dou conta do que estava acontecendo. 

As memórias são traiçoeiras! Num momento você está perdido num carnaval de prazeres com o aroma da infância, os neons da puberdade. No outro, elas te levam a lugares onde a escuridão e o frio trazem à tona as coisas que você queria esquecer. Algumas coisas são difíceis de deixar ir

(...) Aí para um momento para eu me acalmar, abro os olhos e encaro o mundo, e pela primeira vez vejo através dele e entendo a piada: Nada é real. 

Espantalho

Subo as escadas do Arkham com Harley em um saco preto. Seu corpo estava frio e sem vida. 

-As pessoas só fazem coisas para você por uma de duas razões. A primeira é que eles querem algo em troca. E a segunda é que eles sentem como se lhe devessem alguma coisa.-falo caminhando em direção ao corpo sem vida a minha frente.
 -Essas não são as únicas razões que as pessoas fazem coisas para você(...) Às vezes elas fazem porque te amam

-Meu caro Pinguim. Eu estou destruindo e destruindo tudo que Joker toca. Talvez seja assim que o mal funcione. Eu quero o que ele tem. Quero ser rei. -falo tirando o saco do corpo de Harley deixando-a ali deitada como se estivesse dormindo.

- E quanto a Hayley e o bebê?

-Todo rei precisa de um herdeiro.

-Entenda Espantalho, está mexendo com o rei de Gotham e com sua família. Os planos dele são impossíveis de se entender. Todas as mudanças começam com um plano. O sucesso dele depende de várias coisas. Grande comprometimento. Paixão pela causa. Disposição para aceitar um novo caminho. Determinação para superar qualquer obstáculo. E em alguns casos, até mesmo fazer alianças inusitadas. Eu não vou ficar aqui e ver o fim dessa guerra.  A raiva e a decepção fizeram nascer o maior vilão de toda Gotham. - ele caminha indo em direção a saída.- Você sabe, Espantalho. Existem Vilões. E existe o Joker. 

Me aproximo do monitor e vejo que Joker estava subindo as escadas em direção a sala que eu estava com Harley. 

-EU VOU MATAR VOCÊ, E TODOS QUE VOCÊ CONHECE.- escuto os gritos de Joker pela escada cada vez mais que ele se aproximava. 

Joker

Entro na sala de comando do Arkham e lá estava Harley deitada com sua pele pálida cada vez mais sem cor com sangue saindo do seu nariz. 

Ela está deitada como se estivesse dormindo. Seu corpo está frio e rígido e penso que quando vou toca-la ela vai se levantar e ir até mim e me beijar dizendo como sentiu minha falta, mas ela apenas continua ali, deitada. Seu corpo está imóvel e sem vida. E como se sem ela eu começasse a desaparecer por dentro. 

-Harley- digo em um sussurro- Eu preciso de você. Eu preciso de você Harley. O monstro em mim só pode ser controlado pelo monstro que há em você. Só junto podemos derrotar nossos inimigos e salvar nossa família. 

- Já passou pela sua cabeça que esses amigos imaginários são coisas da sua cabeça?- ele caminha em minha direção com sua máscara e o gás do medo em um frasco na outra mão.

- E já passou pela sua cabeça, Doutor, que somos somente coisas da imaginação deles? Por isso, sempre sorria! Se tiver que morrer, morra sorrindo! Se tiver que matar, mate sorrindo! E sempre coloque um sorriso no rosto das outras pessoas. Nem que para isso precise rasgar-lhes a face de orelha a orelha. Como diria meu cirurgião plástico: 'Se tiver que morrer, morra sorrindo! Vamos colocar um sorriso nesse rosto- vou até em sua direção acertando-o com o taco fazendo com que o frasco caia de sua mão.- O QUE FEZ COM ELA? 

-O que é isso tudo, Joker? Não confia mais em mim por causa de uma mulher. - ele caminha até Harley apontando a arma para sua cabeça.

-Vamos esclarecer uma coisa: você nunca vai ter isso, lealdade. Você não pode comprá-la, você não pode possuí-la, você não pode forçá-la, se trata apenas de amor e respeito para as pessoas que acreditam em você. Sabe, cavalos são o oposto das pessoas. São leais. Vá em frente, ela já está morta. 

Harley se levanta da maca em um grito abafado procurando ar para seus pulmões, corro até sua direção jogando o taco no chão.

-Eu não a matei. Eu apenais de um injeção com veneno para que ela aparentasse morta, eu precisava que viesse até mim. Então usei um pouco do gás do medo em você. Por favor Joker, entenda pelos velhos tempos. 

- Já estive morto uma vez. É muito libertador. Deviam pensar nisto como numa terapia. Não sou mau. Tenho apenas um desvio de caráter, que prejudica as outras pessoas. Bem todo mundo tem um defeito não? O meu é esse, e se eu fosse você, tomaria muito cuidado. Você sabe que sou capaz de perdoar aqueles que me decepcionaram…Assim que reconhecerem o que fizeram e sofrerem por isso. 

Dou um tiro em sua perna fazendo-o cair no chão enquanto ajudo-a sair da maca.

-Te carrego em minhas costas há séculos. Não mais. Você quer luta? Que assim seja. 

Encravo a faca em sua perna enquanto ele tenta se levantar, mas Harley o acerta com seu taco.

-Harley, Querida Harley- ele diz se arrastando até ela- Você tem tanto medo de perdê-la... que a mantém em um vidro como se fosse um objeto frágil. Ela não é preciosa- Harley o acerta de novo com seu taco tirando sangue de seus lábios-Ela se tornará um veneno e vai te destruir. 

Puxo-o até o fim da sala fazendo uma trilha com seus sangue saindo de seu corpo. -O todos chamam de maldade, acredito que seja uma reação apropriada a um mundo cruel e injusto. 

 

Harley Quinn

-Você está bem Harley?- Joker entrega meu taco me ajudando a ficar em pé

-Eu vou ficar, mas antes eu vou me vingar.- caminho na direção de espantalho girando no ar meu taco

-Harley, não precisa fazer isso. Não deixe que ele me mate- Espantalho implorava sua vida a mim como uma criança. O desespero pode levar uma pessoa a fazer coisas surpreendentes.

-Eu prometo que Joker não vai te matar- Joker me olha confuso e por um momento furioso- Eu prometi que você não iria morrer pelas mãos do meu amor. Eu não disse nada…sobre as minhas. Ninguém machuca minha família e vive. Ninguém.- acerto sua perna repetidas vezes com taco fazendo ficar exposta e com sangue vivo saindo dela. Ele começa a chorar e me sento ao seu lado fazendo uma cara tão triste quanto a dele- Li em algum lugar, não sei quando, que não há explicação científica para o choro. O único propósito das lágrimas é lubrificar os olhos. Não há um motivo real para as glândulas lacrimais produzirem um excesso de lágrimas por causa de emoções.
Acho que choramos para liberar nosso lado animal, sem perder a humanidade.

Joker se levanta e caminha até nossa direção apontando sua arma para o Espantalho.

-Vou destruir o seu falso reinado e do seu amigo. Seu amigo morrerá em uma semana. O quer dizer que eu quebrei uma de suas regras. E mesmo assim, eu não posso ser morto. EU SOU IMORTAL- Joker atira em sua perna e depois em seus braços me fazendo rir em comemoração- Quem tem o poder agora, amigo?

-Vocês nos escolheram- sorrio sussurrando em seu ouvido- Agora nos escolhemos vocês- acerto com meu taco fazendo o mesmo desmaiar.

Joker e eu o colocamos no carro e levamos até a ponte de Gotham junto dos capangas de Joker. Tiramos espantalho do carro levando-o até a ponta da ponte socando seu rosto até que ele acorde. 

Espantalho abria os olhos com dificuldade devido o dia estar amanhecendo e a claridade estar muito forte. Ele tenta se levantar e fugir, mas é barrado pelos capangas de Joker.

-Então, esse é o meu fim- ele olha para o fundo da ponte vendo a água se chocar no suporte da ponte.

-Não, não- Joker começa a falar se aproximando dele me puxando pela mão.- Isso é só o começo. Você vai para o fundo do oceano, onde vai se afogar na escuridão por muitas e muitas vezes pelo séculos- Os capangas algemam o Espantalho, colocando-o de joelhos- Este será o seu esplendidamente terrível e perpétuo fim.

-Você fez sua cama. Tenha um bom cochilo- digo colocando um saco em sua cabeça amarrando-o bem forte.

Ao terminarmos nosso discurso, os capangas de Joker jogaram espantalho no mar enquanto víamos o seu corpo afundar feito pedra. 

Me aproximo de Joker que me abraça fazendo carinho em meus cabelos enquanto beijo seu pescoço. 

-Joker,Senti saudades suas. Quero ir para casa.

- Você está em casa!- ele me beija e me puxa até a Lamborghini.- Vamos Sweet.

Passamos o caminho todo de volta até a mansão em silêncio. Chegando nela, Helga me entrega Lucy que sorria ao nos ver. Joker se aproxima de nós e nos beija

-Eu sei que essa vida é perigosa, Harley. Mas você será a rainha de um exército. E uma rainha não foge. 

-Eu sei Joker. E eu não vou sair do seu lado. - Caminho com ele até nosso quarto colocando Lucy no chão enquanto tiro minha roupa e vou tomar um banho como se isso fosse lavar toda dor desses dias. Joker entra no banheiro, tira sua roupa e entra na banheira comigo. Ele seca minhas lágrimas e me beija. 

Colocamos Lucy para dormir e vamos até nosso quarto. Sento-me na cama passando meus cremes corporais em minhas penas enquanto Joker alisava minhas costas fazendo carinho.

-Meus pesadelos normalmente têm a ver com perder você.- ele fala me abraçando por trás formando um sorriso em meu rosto.-Eu fico legal logo que percebo que você está aqui.

-Eu me lembrei de todas as memórias do dia do gás. Elas estavam confusas, mas agora consigo entende-las. Percebo que o meu medo todo esse tempo foi...foi perder você.- dou um beijo em seus lábios e só me afasto quando nos falta ar- Você acha que estou ficando mais louca?

- Você é maluca, pirada, perdeu um parafuso mas eu vou te contar um segredo : As melhores pessoas são assim.- Joker me coloca na cama e me dá boa noite, mas pego a sua mão e não o deixo sair, não quero que ele vá embora. Na realidade, quero que ele se deite na cama comigo, que esteja ao meu lado quando os pesadelos chegarem.- Não vai para o escritório, fica aqui.- ele concorda e se deita ao meu lado me abraçando. 

-Por que está chorando, Sweet?

-Eu estou chorando porque… eu tentei fazer o que você pediu, tentei ser forte… mas não consigo sem você.- ele dá um selinho demorado na minha testa

- Doía tanto no dia em que você morreu.

- Doía porque você estava vivo.

-O Importante é que estamos juntos. Enquanto estivermos juntos nada de ruim acontecerá.

Me aconchego no seu peito me sentido segura como se nada no mundo pudesse me ferir ou nos separar. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...