História Property Of Joker - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Esquadrão Suicida
Tags Batman, Esquadrão Suicida
Exibições 198
Palavras 1.967
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi Puddins, desculpe não postar ontem, mas só acabei minha mudança de madrugada. Esse ca vai só da Harley e o próximo só do Joker. Espero que gostem.

Capítulo 27 - Desmoronando


Fanfic / Fanfiction Property Of Joker - Capítulo 27 - Desmoronando

Eu quero sair com ele, seremos um casal durão

Um joguinho é divertido quando você está comigo

eu amo isso!

Roleta Russa não é a mesma coisa sem uma arma

E, querido, quando é amor se não houver dor, não é divertido, divertido

Eu não vou te dizer que te amo

Beijar ou te abraçar

Porque eu estou blefando com as minhas fantasias

Não estou mentindo

Eu estou apenas atirando

Com minha pistola de amor

Como uma garota no cassino

Pegue seu lugar antes que eu gaste suas fichas

Eu prometo, eu prometo

Olhe sua mão, porque eu sou maravilhosa!

Harley Quinn

Que coleção de cicatrizes você tem? Nunca se esqueça de quem lhe deu as melhores. E seja grato. Nossas cicatrizes têm o poder de nos fazer lembrar que o passado foi real. Passamos nossa vida toda imaginando que um dia nossa vida vai mudar. A imaginação é a única coisa que nos diferencia de todos aqueles estúpidos. Nem todos dizem o que pensam, apenas providenciam para que a sua vida não melhore. A memória nos dá momento de mortalidade, mas o esquecimento proporciona momentos saudáveis.

Era chegada a hora de fazermos o Pinguim pagar por ter ajudado o Espantalho. Joker iria me usar como isca para o seu plano. Lucy iria ficar com Hera para não termos que nos preocupar que ela sofra no meio do plano. Entramos na Lamborghini roxa e vamos em direção a mansão do Pinguim. 

-Entendeu tudo certo Harley?- ele tinha repassado o plano mil vezes, eu já tinha entendido.- Apenas concordo com a cabeça- Suba até a sala de drogas dele e ative o dispositivo de destruição. 

-Tudo bem, o botão roxo e verde.

O Plano era impossível de falhar, bom...eu acho.  Como dizem, A única forma de chegar ao impossível é acreditar que é possível. Joker iria distrair o Pinguim enquanto eu subia até a sala de comando desligando as cameras para os capangas de Joker invadirem o local, mas eu ainda precisaria ir na sala de drogas e colocar um veneno que causaria danos permanentes em quem usasse. 

Joker entra na mansão para ter uma reunião enquanto finjo ir no banheiro indo em direção a sala de drogas. Merda não tem nenhum botão verde e roxo. Calma Harley, respira. É só apertar todos e ver no que dar. 

Sinto uma pontada forte no pescoço e perco os meus sentidos. Sinto meus olhos pesarem e quando consigo abri-los noto que estou em casa, mas não no quarto de costume e sim no meu quarto sozinha antigo. 

Desço as escadas e Joker está na cozinha bebendo. 

-Pudim voc...-antes que eu possa terminar sinto sua mão contra meu rosto me fazendo cair no chão com lágrimas nos olhos.-Por que?

-Porque você é uma vadia Harley, apenas um brinquedo- ele me puxa pelos cabelos me levando até sua sala de torturas. Ele me joga contra a parede fria de metal deixando um grande roxo em meu braço.

Ele tira minha roupa por completo me deixando apenas de calcinha e mordendo meu pescoço.

-Joker-tento empurra-lo, mas é inútil- Para com isso, eu não quero

-ele soco meu rosto me jogando no chão- Você é meu brinquedo e eu faço o que quiser do seu corpo.

Ele começa a me penetrar sem delicadeza nenhum me machucando por completo enquanto mordia meu pescoço deixando marcas profundas nele. Choro descontroladamente, mas ele não para e sua gargalhada ficava cada vez mais alta quando via meu sofrimento. Depois de horas assim ele finalmente me joga no canto da sala se vestindo enquanto coloco minha calcinha. 

Minha risada ficava cada vez mais alta enquanto eu estava jogada no chão.

-Oh, Harley por que está assim amor?- ele me levanta do chão de maneira brusca 

-Eu pensei que eu te amava, MAS EU NÃO TE AMO- vou até sua direção socando o seu peito- Mas é como se eu visse você claramente pela primeira vez, e eu acho você uma coisa cruel e desprezível,realmente patético- Joker me joga no chão socando meu rosto 

-Sua vagabunda- ele me joga no chão indo em direção as suas armas. 

-Indigno de amor de qualquer um, muito menos o meu. Seu pai não o amo. Então supõe que ninguém mais irá. 

-Harley- ele fala de maneira doce se aproximando de mim.

-Não, fica longe de mim. E por isso que tortura as pessoas ou tenta suborná-las.

-Eu mato as pessoas por que eu gosto. -ele bota a mão na cabeça como se pensasse no que tinha feito.

-Mas não é assim que funciona. Não se conecta com as pessoas por que nem tenta entendê-las. 

-Você está quebrando o meu coração. E você jurou que nunca faria isso.

Levanto do chão e caminho até a porta se me importar de estar sem uma roupa.

-Não devo nada à você. Não somos nada parecidos, e eu nunca mais vou amar você. E apesar de cada um de seus atos desprezíveis, apenas eu fiquei do seu lado.

-E por que isto? Culpa- ele levanta as mãos gesticulando em minha direção- Você sabia que a sua traição secreta foi a causa de tudo o que eu me tornei!!- ele segura meu rosto com força me fazendo olhar em sua direção- Não subestime a sedução das trevas, Harley. Até os corações mais puros são atraídos por ela.- ele me solta - Agora sai daqui

Caminho até meu quarto jogando minhas roupas dentro de uma mala preta e vermelha. Tomo um banho para tentar tirar tudo o que tinha acontecido. Abraço minhas pernas e não consigo conter as lágrimas. Visto uma um short preto com uma blusa vermelha com vários palhaços nela. Vejo o quanto estou devastada. Passo maquiagem cobrindo todos os danos como se ela me fizesse para ser perfeita novamente. Pelo menos por fora. Separo as roupas de Lucy pegando-a no colo. 

Olho fixamente para o anel em meu dedo, coloco-o na comoda de Joker com um bilhete. Eu não queria mais aquela vida. Eu só estou cansada se ser triste. Quero sentir algo diferente por um tempo. Eu não quero mais fantasiar uma vida com Joker. Não vale a pena mergulhar nos sonhos e esquecer de viver. Isso é uma lembrança de que, no fim de tudo, nós estamos infelizmente e completamente sozinhas.

Quando vou sair da sala me deparo com Johny segurando minha mala e me entrega, antes de sair ele me chama.

-Ei Loirinha- me viro em sua direção olhando-o fixamente- Hoje não será o pior dia da sua vida. Hoje e amanhã será fácil. Haverá gente com você o tempo todo. - ele me estende a mão e eu a aperto- Com medo de deixá-la sozinha. O pior dia? Será semana que vem. Quando haverá só silêncio. Todos têm uma escolha. Só tem que ter certeza de que é a certa.

Entro no táxi e vou em direção a casa de Hera. Ela era essa pessoa que tem medo de me deixar sozinha. 

-Harley- Hera me abraça fazendo carinho no meu cabelo e não consigo conter as lágrimas- Shhh... está tudo bem amiga.

-Ele...ele está diferente, ele não me abusava mais- Hera me leva até dentro com Lucy mostrando-me o quarto que eu iria ficar com Lucy.

-Oi amiga, só queria saber se está bem- Hera entra com uma bandeja de comida- trouxe a janta

-Obrigada- ela se senta ao meu lado- Eu não sei como isso foi acontecer. Ele era uma pessoa diferente agora.

Caminho com ela me sentando junto dela na frente da lareira enquanto Lucy dormia em meu colo.

-Harley...- Nós vemos o que as pessoas querem que vejamos, mas isso não significa que não haja nada por baixo.

-Em todos esse anos com ele, não lembro alguma vez que fiquei... Tão...assustada

-Você tem tempo de mudar sua vida Harl- ela passa suas mãos em meus cabelos fazendo carinho neles- Veja o que ninguém vê. Faça o que ninguém faz. Veja o que todos preferem não ver, por medo, conformismo ou preguiça. Veja um mundo novo para você a cada dia. Eu não me importo com Joker, me importo com você.

-Johny Johny sempre me diz isso. Ele é um bom amigo.

-Eu acho você pode ser amigo de alguém ou... apaixonado por esse alguém. Não pode ser os dois. Esse Johny parece ser legal.

-Ele é, mas o Joker é diferente. Ele é alto e terrivelmente bonito. Ele é tão mau, mas faz isso tão bem. E quando demos nosso último beijo era como estar no paraíso. 

-Mas sabe Harley. Não é crime amar o que não se pode explicar.

Ficamos conversando até tarde então decido voltar para o quarto. Sento Lucy em meu colo e dou de mamar a ela. Nesses momentos não conseguia tirá-lo da minha cabeça, Lucy sempre me lembrava ele.

-Você terá três coisas que eu nunca tive- balanço Lucy de leve em meu colo para que ela possa dormir.- Um lar seguro- lembro-me de Hera brincando com Lucy no quintal com as flores- Alguém para te dizer que te ama todos os dias- lembro-me de Helga e eu brincando com Lucy- E alguém que lute por você, custe o que custar- lembro do dia que Joker estava na cadeira do quarto de Lucy brincando com ela dando várias risadas.

Passo a noite me virando na cama sem conseguir dormir, até que vejo a porta se abrir e vejo um corpo feminino entrar no quarto. Hera entra com uma cara de sono.

-Não conseguiu dormir amiga?- ele se senta do meu lado fazendo carinho em Lucy.

-Não consigo dormir. Fico pensando com o que aconteceu. E eu odeio... Odeio por não poder ter feito nada.

Hera se levanta e pega no armário uma bebida verde estranha que tinha um cheiro insuportável. Ela estende para que eu beba e faço um olhar desconfiado.

-Essa noite você vai dormir. E vai sonhar com um mundo bem melhor que este.- Hera coloca Lucy no berço e me leva até a cama- Um mundo onde não existe maldade...e Joker. E todas as pessoas te desejam apenas fazer o bem.

Sinto meu corpo ficar mole e cansado então pego no sono. Hera estava certa, meu sonho foi com um mundo bem melhor. Mas o problema seria o momento que eu voltaria para realidade. Acordo com um barulho de tiro e me levanto assustada correndo até Lucy. 

Um homem de roupas pretas com máscara azul em forma de tampa olho entra no quarto apontando uma arma para mim.

-Boa noite princesa- é a última coisa que escuto antes de sentir a bala perfurar meu corpo me levando ao chão.

Sinto meu sangue sair e tento tampá-lo com as mãos, mas começa a sair sangue do meus lábios e começo a chorar descontrolada. 

-HARLEY- Hera entra no quarto tentando me manter acordada, mas me sinto cada vez mais distante do meu corpo.

Hera Venenosa

-Harley?- seguro seu corpo parcialmente sem vida com sangue vivo saindo dele- Não...Não...NÃO.- balanço seu corpo em meus braços abraçando-a junto ao meu corpo- Acorde! ACORDE! acorde... Acorde!! Acorde...

Deito Harley fazendo uma massagem cardíaca para tentar faze-la voltar a respirar. Olho para o atirador que estava a minha frente.

-Eu...Eu deixei essa pessoa entrar. E eu não deixo as pessoas entrarem. -Eu o conhecia, ele era um ex membro de uma gangue de Gotham que trabalhava para o Pinguim- Você sabia disso...E a tirou de mim. Eu precisava dela e você me machucou. 

-Não é nada pessoal, Hera. São só negócios. -ele pula pela janela me deixando completamente sozinha na escuridão com Harley sangrando em meus braços. 

Puxo Harley até a banheira do quarto colocando-a dentro, coloco uma mistura de ervas na intenção de que ela voltasse. Se passaram dez minutos e tiro Harley da banheira.

-Harley?- Nenhuma resposta surge, apenas o silêncio que consumia a noite. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...