História Proposital - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Sehun
Tags Baekhun, Fluffy, Hunbaek, Mas Tá Aí, Procrastinei, Sebaek
Exibições 74
Palavras 828
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Fluffy, Shonen-Ai, Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


hey hey hey !!!
gente, isso era pra ter saído no dia dos namorados, sério!!!! mas eu sou uma puta de uma pessoa que caga e vive na procrastinação e mesmo isso estando prontinho, eu não postei por achar que não estava bom o suficiente, então agora, depois da semana de provas, eu resolvi que estava na hora de desapega dessa coisinha... e também por que esse site TÁ PRECISANDO DE MAIS SEBAEK, OBRIGADO.

Capítulo 1 - .meu objetivo proposital


O fato era que Baekhyun odiava despedidas. 

Ainda mais quando encontrava um sorriso forçado nos lábios coradinhos de seu namorado.

Sehun era uma das coisas pela qual poderia sacrificar o quentinho de suas cobertas após um dia cansativo ou a companhia de seu gato de estimação, que sempre encontrava-se dengoso no dia seguinte – isso quando obtinha forças para despedir-se de Sehun e seus beijos marcantes. 

E no momento, encontrava-se cursando seu último semestre em História e a pressão daquilo não o deixava deitar a noite e obter uma só noite tranquila de sono – e olha que dormir era uma de suas coisas favoritas no mundo inteiro; tirando sua paixão pela história e pelo garoto de sorriso difícil ao seu lado. 

Sehun parecia perceber o seu estresse diário e estabelecera um acordo: após largar seu turno em uma lojinha de conveniência, onde trabalhava, o buscaria no estágio e o livraria de pensamentos desgastantes com muitos beijos e curiosidades sobre o espaço e o mundo. 

Baekhyun não o acatou e desde que lembrava-se de tê-lo conhecido, quase nunca conseguia recusar os pedidos proferidos pelo mesmo. E Sehun aproveitava-se daquilo como podia. 

Ao chegarem no apartamento pequeno e extremamente arrumado do mais novo, ambos se apertavam no sofá envelhecido para assistirem uma reprise de algum filme passado, que nenhum dos dois prestava realmente a atenção. E que justamente em seu fim, Baekhyun interrompia o beijo mais intenso e cheio de intenções da noite para proferir as palavras que saiam azedas por seus lábios. 

— Preciso ir. 

E mesmo relutante – podia sentir uma serie de pedidos para ficar, camuflados em beijos plantados sobre seu pescoço – arrumava suas vestes e ambos os cabelos revoltos. 

Então caminhavam, ambos com as mãos no bolso do moletom do mais novo, assoprando do ar gélido enquanto sorrisos contidos pincelavam as faces coradas pelo frio. 

O caminho até o ponto de ônibus mais próximo ao apartamento de Sehun era a algumas quadras e o sereno da noite envolvia e aproximava os corpos instantaneamente – como se aquela fosse a única razão para ambos andarem grudadinhos um ao outro. E quando encontravam-se já sob o ponto, esperam pela carona do mais velho. 

Sehun aproxima mais os corpos e arrasta o nariz gélido e avermelhado pela pele sensível do menor, que deixa um riso nervoso escapar e encolhesse mais contra seu corpo. 

— Seu cheiro é tão bom, hyung. 

Arrepios percorrem o corpo do menor. 

— Eu passei o dia inteiro suando feito um porco! Eu acho que estou fedendo mais que o lugar habitual do mesmo e você me diz que... Sehun! 

O garoto solta um risinho arteiro rente ao pescoço de Baekhyun e deposita um beijinho molhado sobre a marquinha que deixara na pele pálida, após dar uma mordidinha discreta – ou não – ali. 

— E eu acho que você deveria deixar de ser teimoso e vir morar de vez comigo. — Sehun pode ouvir o resmungar vindo do mais velho e consta que o mesmo está novamente repensando sobre o assunto, pois aperta seu moletom com força. 

— Já conversamos sobre isso, Hunnie. — ele resmunga novamente, aborrecido, mas consigo mesmo por pensar em ceder aos pedidos dengosos do mais novo quando dera sua palavra final. — Ontem. 

Ao longe, o transporte público começa a descer a rua e Baekhyun solta-se de Sehun pronto para dar sinal ao mesmo, com uma clara chateação por estarem tendo aquela conversa novamente, mas sente seu corpo ser envolto novamente, impedindo-o. 

— Mas eu não aguento mais te observar entrar naquele ônibus todo bonitinho com um beicinho enorme e não poder te derrubar em meu sofá e terminar aquilo que você sempre interrompe!

O garoto observa atentamente a face levemente emburrada do mais velho, volta e meia, deixando beijos molhados por seu maxilar, o vendo fingir que cada suspiro que soltava era de frustração. 

— Para com isso. 

Sehun não para. 

E disposto a obter uma resposta, apenas segue com suas carícias instigantes sobre a pele macia do menor. 

— Eu não vou ceder se é isso que você... 

Ainda tentou dar-lhe uma bronca quando o selar gélido e suave junto ambos os lábios, mas a forma como Sehun continuou a mordiscar seus lábios não ajudou a concluir qualquer raciocínio, então impulsionou a cabeça para frente, fazendo com que os lábios se colassem com entusiasmo. Os braços de Baekhyun fecham-se sobre a cintura de Sehun, que sorriu quando os dedos desesperados do mais velho procuraram o tecido de seu moletom, segurando-o com força. 

O barulho do ônibus dobrando a esquina fez os dois embolarem-se mais sobre o amontoado de braços e sorrisos cúmplices. E permaneceram por um longo tempo com suas carícias, com a música dos pneus dos ônibus que passavam por ambos, como trilha sonora da noite gélida.

— Que tal você cumprir com aquela proposta? — pergunta Baekhyun euforicamente. Sehun olha-o indignado, vendo-o apenas gargalhar e envolver o seu pescoço. Mal sabia Sehun que ele guardava internamente aquele pequeno objetivo proposital.

Por que amar Sehun é perder todos os ônibus na hora da despedida. 

 


Notas Finais


então, tá aí........... (nem sei)
eu tive essa ideia quando uma amiga minha da facul me mandou um post falando sobre perder o ônibus na hora da despedida... ela claramente brincando com a minha cara, pois já perdi meu ônibus MUITAS vezes, mas não por causa de um sehun, muito pelo contrário, sim porque eu quase nunca tomo café da manhã e na hora que sou liberada fico verde, branca e amarela de fome, então já deu pra perceber por que perco o ônibus [gula], não consigo me despedi das quentinha, help. enfim, não sei porque to dizendo isso, mas ergh. eu escrevi essa coisinha ouvindo os catfish and the bottlemen, se quiserem procurar essa bandinha, aconselho. é boa demais!
vem me da um cheiro: https://twitter.com/shiyuwo
qualquer erro me avisem. (╥_╥)
bye!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...