História Prostitute - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, F(x)
Personagens D.O, Kai, Krystal Jung
Tags Exo, Jogin, Kai, Kaisoo, Krystal, Kyingsoo
Visualizações 200
Palavras 1.008
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Crossover, Ecchi, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shounen, Yaoi
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OLHA O BÓNUS!!!!

HEHEHE

Desculpem os erros e boa leitura 👓💋

Capítulo 5 - Prime


Fanfic / Fanfiction Prostitute - Capítulo 5 - Prime

(IMPORTANTE: LER NOTAS FINAIS)

Passaram-se cinco anos, e quase tudo na vida do casal tinha mudado.

Para começar, tinham noivado - por insistência do Kim - e casado. A cerimónia era classica, e a festa tinha sido a parte mais divertente do dia.

Tinham adotado duas crianças, Taemin e Jimin. Eram gémeos não identicos, porem parecidos.

Taemin tinha uma certa admiração pelo irmão menor e quem não os conheçia acharia até um amor a mais que irmandade. Mas nada era como aparentava. O pequeno Tae tinha já sua paixão pelo seu amigo de clase, Minho.

Um garoto estudioso e gentil, era admirado por todos pelo seu talento na atuação e seu boa habilidade na dança - habilidade qual Taemin era muito bem dotado e apreciado.

Já Jimin tinha uma pequena queda por um amigo do Tae. Jeon Jungkook.

Seria até boa a história do menino se não fosse por ele estar namorado outro menino, Kim Taehyung. Jimin não seria capaz de querer mau para alguem, e nem para aquele menino ele sentia desejo de quere-lo longe do Jeon.

Eram tão apaixonados, juntos formavam um lindo casal.

Mas isso não aliviava a sua dor. Doia, crescia, mas nunca parava aquela dor insuportaval no peito.

Claro que Jongin e Kyungsoo tinham notado as caras bobas dos dois e se divertiam com aquilo.

Era engraçado ver crianças ou adolescentes passando na fase do amor.

Depois de terem adotado os dois Min, Jongin descidiu se mudar para outra casa, e para sua grande surpresa, seu vizinho de casa era seu ex-sogro.

Nunca tinha tido muitas conversas com o homem - seja por causa da Krystal que da Victoria, a mãe da sua ex-esposa - mas ele parentava ser de bom carácter. E era verdade.

Chanyeol - a diferença das duas mulheres - sabia o no que tinha e não poder. Sabia muitas coisas que aconteciam e ficava calado, esperava o momento certo para poder sair daquele teatro de casal apaixonado que tinham uma filha perfeita.

O Park tinha se apaixonado por um adolescente, um de seus alunos, mas não podia fazer nada com ele, ainda mais quando estava debaixo dos olhos de Victoria.

A mulher achava que nada iria das suas ordens e quando o Kim tinha pedido divórcio para sua filha, foi como se um choque de realidade tivesse sido lançado sobre seu rosto. Achava que teria ainda o Park, mas ele mesmo esperava somente aquela oportunidade para poder manter distancia e assim perdir divórcio. Outro choque de realidade.

Aquilo foi tanto chocante que a mulher tinha tido uma crise de escrizofenia, aquilo foi uma das poucas coisas que Chanyeol queria ver. Victoria tinha se matado na sua frente. A chinesa não tinha mais controle em seu corpo fazendo que todos os seus comandos que eram enviados para seu celebro fossem anulados e que seu corpo fizesse o que bem queria.

E por mais que Chanyeol não a amasse como um tempo, aquilo tinha sido doloroso.

Mas nos fim da dor tem sempre a felicidade, e a sua se chamava Byun Baekhyun.

O seu aluno tinha sido enformado da perdida do amado e sem mais nem menos tinha corrido até a sua casa, e sem nem mesmo saber o que estava fazendo, assim que o Park tinha aberto a porta Byun tinha pulando em seu pescoço abraçando-o e beijando-o.

E mais uma vez, sem nem que um dos dois tivesse entendido o que estava acontecendo, passaram de um beijo a uma noite de amor, e assim tinha sido até o menino ter feito vinte e um anos*. Passada a maior idade, descidiram se mudar para outra casa.

Chanyeol tinha anunciado a todos que o Byun era seu namorado, não se importando naquilo que os outros diriam no seu local de trabalho - até porque o garoto tinha já saido da escola.

Depois daquele dia nada de ruim tinha lhe acontecido, e Park agradecia a seu noivo por isso.

E ao Kim também. Foi por isso que quando viu Jongin junto a sua familia sorriu e foi dar as boas vindas, chamando-los para um jantar apresentando para eles seus filhos - fazendo o pequeno Jimin descobrir algo que o deixou bastante alegre.

- x -

- Acho que nunca te agradeci por ter mim tirado daquele lugar, Nini - O Soo falou subindo sobre o corpo do marido dando-lhe um beijo na sua boca - Você me deu uma familia, um nome, uma casa, roupas e o que mais me faltava, amor.

- E eu o que sou, Soo? Se esqueceu de mim foi Baby?

- Não Daddy. Qual foi a última coisa que eu disse? - Pergunta da sentando-se sobre o colo do homem, que por mais de estar já partindo na casa dos trinta, continuava lindo e sem imperfeções.

- Amor?

- Então, você é o meu amor Nini - Rebola de leve sobre o membro do Kim que por sua vez faz uma falsa estocada enquanto segurava a cintura nua do Kyungsoo que no mesmo estante posicionava o membro do marido rente a sua entrada fazendo o falo entrar dentro de si - Mas uma rodada Daddy?

- Sim, Baby.

- x -

Não é fácil para ninguem dar adeus a uma fase da vida, mas as vezes o que faz ir para frente é o deixar para traz o que te causa dor, para depois você poder obter o que tanto deseja-mos.

Eu mesmo desejei tantas coisas que quando dei por mim, o que mais me faltava era também o que menos desejava. E agora que eu tenho o que mais queria, o amor, não desejo mais nada.

Antes eu vivia no clichê de um filme triste, agora, vivo num clichê de um filme romantico.

E isso por causo do meu maior clichê, o meu amor. Kim Jongin.

O que me deixa mais divertido é quando olho para trás e vejo um jovem escritor se apaixonando por um prostituto.

O maior clichê foi o nosso amor.

Agradeço por quem me seguiu e esperou pelo meu primeiro e ultimo livro.

                 - Kim Kyungsoo (Prostitute)


Notas Finais


Okay, eu sei, eu tinha dito que queria fazer um bónus ou um extra, e agora como agora quero fazer um extra (q claramente será postado daqui a mil anos).

Se quiserem posso fazer uma fic especial dos doi Min's (acho seria interessante, ACHO NUM SEI).

Eu queria agradecer quem leu a fic, quem favoritou, mas o agrediscimentos irei fazer depois, quando postarei o Extra e o Q&R.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...