História Protection! - Wonho - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Monsta X
Personagens Hyung Won, I'M, Joo Heon, Ki Hyun, Min Hyuk, Personagens Originais, Show Nu, Won Ho
Tags Chang Kyun, Drama, Hyungwon, Jooheon, Kihyun, Minhyuk, Monsta X, Perigo, Romance, Shownu, Wonho
Visualizações 42
Palavras 3.963
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Antes de tudo quero me desculpar pela demora (risos)
Mas tive motivos!

•Muitos trabalhos (MUITOS MESMO JINSUS!)
•Bad
•crise existencial.
•sem app para o Banner do cap
•preguiça (Desculpa mas é verdade ksk)

Capítulo 9 - Lee Sang!


Fanfic / Fanfiction Protection! - Wonho - Capítulo 9 - Lee Sang!

— Você é fraca s/n. — Repetiu Wonho agachado, me olhando e sorrindo de deboche.

— Tá! Você já disse isso várias vezes! — Reclamo ainda caída no chão.

Escuto barulhos de passos, e logo vejo Minhyuk surgindo na cozinha dando cem por cento de atenção para o celular em suas mãos.

— Wonho está tudo certo e... — Ele para no meio da frase quando direciona sua visão para mim. — O que está havendo aqui?

— Wonho me derrubou no chão! — Digo rápido apontando para Wonho.

— Qual é o seu problema Wonho? — Minhyuk guarda o celular em seu bolso enquanto franzia a sobrancelha. — Não bata em nenhuma das meninas! 

— Eu não bati em ninguém! — Wonho se levanta me ajudando a fazer o mesmo. — Eu estava vendo o quão s/n é forte.

— E você faz isso derrubando ela no chão? — Novamente franziu uma sobrancelha.

 — Não é para tanto, ela nem se machucou. 

— Mas poderia ter machucado... Ah, deixe isso pra lá, vim aqui pra te avisar algo e não lhe dar uma bronca. — Ele Ri. — Deu certo, os equipamentos chegarão amanhã de manhã.

— Ótimo! — Wonho sorria radiante — Mas espera... Shownu é o líder, não devia dizer isso a ele?

— Mas é claro! Já fiz isso e ele me pediu para conferir onde podemos deixar tanta tranqueira, já que a casa é sua. — Minhyuk volta a mexer no celular.

— Você que é um tranqueira seu bunda mole!  — Kihyun surge de Nárnia apontando para Minhyuk.

— Han? — Minhyuk se faz de desentendido.

 — Meus bebezinhos são equipamentos de alta qualidade e tecnologia, e além disso são mais úteis que certas pessoas. — Kihyun o fuzila com os olhos, logo em seguida se vira para minha pessoa. — Oh, ainda acordada, Yeoja?

— Eu já estou indo. Boa noite meninos! — Sorrio acenando.

— Durma bem! — Kihyun e Minhyuk disseram em uníssono e assim os dois se encaram de uma maneira estranha e engraçada.

— É melhor dormir muito bem mesmo, pois amanhã eu não te deixarei descansar. — Wonho me diz sério.

— ... Pensei bosta. — Minhyuk começa a rir de si mesmo.

— Aish seu mente suja! — Kihyun agarra o pescoço de Minhyuk — Wonho estava se referindo ao treinamento... Certo Wonho?

— Lógico, o que mais seria?  — Wonho pergunta curioso.

—  E-eu já vou, boa noite! — Digo e vou em direção ao meu quarto.

[...]

— Aish meu bumbum está doendo... "Ela nem se machucou"... Ah tá! — Resmungo a caminho do cômodo.

Paro de andar quando vejo a linha de luz saindo pela brecha da porta do quarto de Camily. Estranhei pois faz pouco que ela saiu do hospital, não devia estar acordada, e sim dormindo e descansando! É o que eu faria sem nenhuma dúvida.

— Camily? — A chamo soando como pergunta abrindo a porta devagarinho, podendo vê-la.

Ela estava sentada na cama com as pernas entrelaçadas, vestia seu pijama curto onde predomina o cor-de-rosa, destacando o desenho da coruja branca na parte de cima. Ela também conversava alegre com alguém pelo seu celular.

— O que omma?.... Não... Ainda não — ri— Ok! Você também, beijos, te amo.

Após encerrar a chamada, ela olha para mim ainda com o sorriso estampado em seu rosto. Abro  mais a porta e adentro no quarto.

— S/n, Por que ainda não foi dormir? — Pergunta.

— Eu que devia te perguntar isso! — Pego o ursinho de pelúcia de cima da cômoda e jogo em sua cara.

— Eii! — Ela joga em mim e acerta minha barriga. 

— Camily você passou muito mal hoje, devia estar descansando! — coloco as mãos na cintura.

— Kihyun já me deu droga lícita. (Remédio) Me sinto bem mais forte e saudável! — Diz erguendo as mãos para cima e deita para trás.

— Se você diz. — Rio curto e deito do seu lado, observando o nada do teto junto com ela.

Ficamos assim, em silêncio pensando em coisas aleatórias. Às vezes gosto de fazer isso, às vezes não... Depende do meu humor e da necessidade... Pensar e refletir sobre o que estamos fazendo ou no que deixamos de fazer é uma coisa boa.

— Minha mãe perguntou se eu perdi a virgindade. — Camily corta o silêncio e ri.

— Eita! — Digo e rio junto. — E o que você disse?

— Disse a verdade ué, que eu nem perdi o BV, Imagina a virgindade! — Volta a rir.

— Nunca beijou porque não quer, opções não faltam.

— Haha! — Riu irônica — Você sabe que não é bem assim... E você também nunca beijou, devo dizer que você é culpada por isso também? "opções não faltam"! — Imita minha voz.

— Eu não tenho opções! Você tem! — Cubro o rosto dela com o travesseiro — Tipo o Hyungwon, ele parece gostar de você.

— Por que diz isso? — Diz ela retirando o travesseiro de sua cara e o abraça.

— Porque ele não tira os olhos de você, e quando você estava doente ele parecia muito preocupado.... awwn! shippo! 

— Seu rego! — Ela se levanta e afunda minha cabeça na cama com a ajuda do mesmo travesseiro. 

— YAA! ESTOU SEM AR!! — digo com a voz abafada me debatendo em busca de oxigênio.

Ca ri alto e arremessa o travesseiro para longe, a encaro incrédula, eu queria revidar, esmagar a cabeça dela na parede com aquele travesseiro... Mas eu também tenho preguiça de ir buscá-lo e eu não vivo sem essa chata por perto.

— Olha, eu cheguei a ver meu funeral cheinho de flores brancas tocando Spring day! — Digo dramatizando.

— Isso foi pelo o que você disse... E por ter negado o que eu disse também.

— Mas eu realmente não tenho ninguém! — Ergo as sobrancelhas.

— Tem Shin Hoseok! O garoto que você vivia escrevendo o nome nas folhas do caderno e calça jeans, o único garoto que você confessou pra mim que gostava, o garoto que você ficava observando pelas janelas ou no fundo do ônibus. Serve?

Coro um pouco com o que ela disse... Eu sinto vergonha de mim mesma quando eu lembro o que eu fazia... Eu era como uma stalker de Wonho. Eu vivia para vigiar e cuidar dele... Mas eu nunca admiti pra mim mesma que eu o amava. Na minha cabeça, a confissão que fiz para Camily sobre meus sentimentos pelo Wonho, não passou de uma mentira.

— E-eu só disse que gostava dele pra você calar a boca! — Deixo escapar.

— O que? — Ela me olha estranho.

— Isso mesmo! Você ficava me dizendo: "Gosta do Hoseok siiim" o tempo todo! Aí eu falei que gostava mesmo e você parou. Eu te enganei! Caiu que nem um patinho!

Os olhos de Camily flanejavam de raiva... Confesso que estou com um pouco de medo. Quando ela está brava, só Deus na causa.

— Não, você não me enganou! O que você quer é tentar enganar a si mesma! Sabe por quê? Porque você é uma teimosa do caralho! — Diz firme e me dá um chute forte o suficiente para me derrubar da cama.

— Minha nossa! Ficou louca? — Digo caída no chão olhando para ela incrédula.

— Desculpa, talvez eu tenha perdido o controle só um pouquinho. — Riu.

— Acho que você quebrou meu cóccix! — Digo com os olhos arregalados e a boca entreaberta.

— Para de drama, meu amor! — Riu novamente, apoiando seu queixo em suas mãos juntinhas.

 Seu olhar expressava inocência e delicadeza... O que era incoveniente no momento, até porque ela me arremessou como se eu fosse um isopor!

— Drama?? Eu? Fazendo drama? — Rio ironicamente — Calúnia!!

— Fato! — Ameaça me dar um soco mas logo cai nas gargalhadas. 

— Idiota. — Rio balançando a cabeça negativamente.

Camily volta a deitar na cama, voltando também a encarar o teto branco decorado por adesivos de estrelas que brilhavam no escuro.

— Vem s/n. — Dá tapinhas ao seu lado.

Deito do lado dela encostando nossas cabeças, passo a observar os adesivos de estrelas assim como ela. Ficamos dessa maneira por alguns minutos em silêncio.

— Sempre que você fica quietinha assim... Eu tenho uma curiosidade enorme de saber o que está passando pela sua cabecinha. — Digo ainda focada nas estrelas.

— É mesmo? Eu também tenho vontade de saber o que você tá pensando. —Ri.

— Deve ser coisa de melhores amigas. — Rio.

— Quer saber o que eu estava pensando? — Ela Pergunta, olho para a mesma e a vejo segurando um riso.

— Quero! — Digo animada e curiosa ao mesmo tempo.

— Que você sempre gostou, e nunca deixou de gostar do Wonho. — Ainda prendia o riso.

 — Não começa! Eu vou te bater! — Ameaço.

— Vem! Tenta! Te dou um outro chute capaz de te mandar pro Brasil!

— Sua anta gorda! — E morri...

— Vaca! — Me dá uma cotovelada — Eu vi que você estava com ciúmes daquela menina que parecia um palmito vestido de alface.... Hae Eunbi o nome dela?

— Sim, o nome da palmito vestido de alface é Hae Eunbi... E não! Eu não estava com ciúmes!

— Estava sim! Ela parecia bem íntima de Wonho.

— Talvez sejam mesmo... Mas não me interessa. — Dou de ombros.

— De qualquer forma eu não gostei dela... Essa garota está atrapalhando meu otp. 

— O que? — Pergunto mesmo tendo a ouvido muito bem.

— Isso mesmo! Ela é toda atirada pro Wonho! Assim que bati os meus olhos naquela cenoura mal cultivada... Quis passar com minha cadeira de rodas em cima dela.

Caio na gargalhada com o que ela disse, além de xingar Hae Eunbi com nomes engraçados, ela fazia questão de dizer que não foi com a cara dela... E admito que também não fui.

— Vou ir dormir, ok? — Bocejo. — Boa noite.

— Yah... S/n durma aqui comigo! — Faz bico.

— Você tem quantos anos Camily? — Rio.

— Vou fazer vinte e dois em outubro, e se você não dormir comigo eu vou ficar doente denovo! — Volta com o bico.

— Está bem, se bem que não merece por ter quase quebrado meu cóccix! — Relembro.

Saio do quarto e depois de alguns minutos retorno com um colchão, um travesseiro e um cobertor.

— Agora sim, boa noite s/n! — Diz ela se cobrindo e se aconchegando.

— Boa noite Best. — Desligo a luz do abajur de sorvete... Esse quarto fofo às vezes é bem o oposto dela. Mas só as vezes.

   |WONHO: POV|

Acordo com meu celular apitando, odeio colocá-lo para despertar às 07:00 da manhã... Mas Shownu deu as ordens e eu não estou afim de cutucar o diabo.

Desligo o despertador do celular, me levanto suspirando desejando mais algumas horinhas de sono. Vou até o guarda-roupa e troco de roupa. Depois vou ao banheiro e faço minha higienes. 

— Hora de acordar a s/n. — Digo para mim mesmo enquanto andava em direção ao seu quarto.

— Wonho! — Ouço a voz de Shownu atrás de mim 

— Sim? — Me viro para o mesmo.

— Eu queria saber onde posso deixar os equipamentos. — Disse com um sorriso sereno estampado em seu rosto.

— Ué, Minhyuk não te disse? — Estou confuso.

— Ele mal soube explicar — Riu — Onde é?

— Na sala de leitura dois. — Respondo.

— Aquela perto do jardim, certo?

— Essa mesma! — Confirmo sorrindo.

— Ok! Tenha um bom dia. 

— Bom dia pra você também! 

Shownu caminha com seu bloco de anotações em suas mãos. Ele é um cara bem organizado da cabeça, não é atoa que foi escolhido para ser líder.

[...]

Ao chegar na porta do quarto de s/n bato três vezes seguidas. Sem sinal de sua voz.

— S/N — A chamo abrindo a porta de seu aposento. Nada dela.

O quarto estava organizado, uma realidade bem diferente da minha expectativa, pelo que eu me lembre ela tem preguiça até de dobrar meias!

Saio e fecho a porta, me viro para abrir a de Camily, já que as duas são vizinhas de quarto. Repito o que fiz antes, bati três vezes.

— Sim? — Ouço a voz de Camily.

— É o Wonho. Posso entrar?

— Pode. — ela dá permissão.

Abro a porta só um pouquinho, podendo ver pela brecha um colchão no chão. A abro de uma vez e adentro no local.

— O que quer? — Pergunta Camily sentada na cama.

— Dormir... — Respondo vendo s/n toda folgada no colchão do chão — Mas Shownu pediu para treinar as mocinhas da casa... 

Me estico como se quisesse tocar o céu, mas o sono ainda persiste em me possuir!

— Aaah entendi! Mas a moçona ainda está dormindo! — Ela riu apontando para s/n.

— Aish... S/N ACORDE! — falo alto mas ela se mantém intacta.

— Quer que eu pule nela? — Pergunta Camily.

— Não precisa... Hey s/n! Você precisa acordar! Vamos acorde! — Me agacho e puxo seu cobertor.

— ME DEIXA CAMILY! — Gritou s/n me dando um tapa na cara.

Sinto minha bochecha arder... Por mais que s/n aparente ser delicada, ela é bem agressiva, seus tapas doem até demais.

— AIAI! NÃO SOU A CAMILY, IDIOTA! — falo alto massageando o local do tapa. 

— Hum? — Diz ela abrindo os olhos e olhando em minha direção. — Wonho?

— Não, eu sou Wonho! — Diz Camily morrendo de rir.

S/n se senta no colchão sobre seus joelhos,  e volta a me olhar com os olhos semicerrados.

— Não fique olhando pra mim e vá se arrumar. — Digo me levantando.

— Me arrumar pra que? Eu vou é dormir licença! — Diz s/n se escondendo debaixo da coberta.

— Ordens são ordens! — Puxo denovo mas dessa vez pego por completo, e arremesso o cobertor para longe de s/n.

— Você é um chato Shin Hoseok! — Se levanta indo para o banheiro.

Sento ao lado de Camily esperando s/n... Pelo menos ela já está arrumada.

— Sua bochecha está vermelha. — Ela disse entre os risos.

— A s/n é um demônio mesmo... — Massageio a bochecha.

— Foi sem querer, ela é hiperativa. — Volta a rir — Já é a segunda vez que ela te dá um tapa, não é?

— Como sabe? — Franzo a sobrancelha.

— Ela me conta tudo! Quer dizer, a maioria das coisas. É cada podre que sai de nossas bocas, você nem faz ideia.

— Aah mas faço sim. Vocês são loucas! 

— Sabemos disso. Devia colocar um gelinho aí. — Se levanta caminhando até a porta.

— Onde vai? Vocês vão comigo!

— Eu vou comer primeiro querido! Até mais! — Sai do quarto.

Pensando bem, eu também não comi... Ya! Tudo isso pra ensinar duas garotinhas a baterem em saco de areia?! Bufo de tédio e me deito na cama aguardando s/n. É bom que ela não demore.

— Wonho estou pronta! — S/n sai do banheiro já arrumada.

— Legal, vamos. — Me levanto rápido e vou até a porta, s/n vinha me seguindo.

[...]

Acabamos de comer, Shownu  está dando dicas para as meninas sobre o treinamento... que chatice. Hyungwon surge na cozinha com um tablet em suas mãos, ele parecia bem concentrado do que fazia, mas logo desvia sua atenção para todos nós.

— Podemos ir agora? — Ele deposita o tablet no balcão.

— Já acabei aqui, vamos! — Shownu sorri e começa a andar com as meninas o seguindo.

|S/N: POV|

Shownu nos leva para um lugar que eu nem sabia que existia na casa, era um quarto enorme e bem chique, bem, a casa toda é chique mas só aquele quarto dava pra pagar dois anos de aluguel da minha antiga moradia!

— O que viemos fazer aqui? — Pergunta Camily olhando o quarto.

— Treinar. — Responde Hyungwon.

— Treinar? Como vamos fazer isso aqui? Ficou doido? — Digo sem entender nada.

— Aish s/n... Há um detalhe! — Diz Wonho abrindo a porta do enorme guarda roupa.

— Que detalhe? — Cruzo os braços — Isso está estranho.

Wonho tira todas as roupas do cabide e as joga na cama, deixando um grande espaço vazio no móvel.

— O que estão fazendo? — Pergunta Camily desconfiada.

— Nada demais, entrem no guarda roupa. — Ordena Wonho.

— E por que faríamos isso? — Agora sou eu que Pergunta.

— Chega de perguntas! Apenas entrem! — Wonho dá passagem porém nos mantemos paradas.

— De jeito nenhum que vou entrar aí sem saber do que se trata! — Diz minha melhor amiga confiante.

— Vocês são um pé no saco, puta que pariu! — Wonho nos agarra pelo braço fortemente e nos obriga a entrar no guarda roupa.

— WONHO! NOS SOLTE! — Digo tentando me soltar.

Hoseok entra conosco e Hyungwon fecha as portas do móvel, sendo assim ficamos nós três na escuridão fraca.

— Mas gente... Qual o sentido disso, criatura de Deus? — Falou Camily.

— Eu vou te bater! — Digo em posição de ataque.

— Deixe pra fazer isso lá em baixo. — Responde apenas, procurando algo pelas paredes do móvel.

— Em baixo onde? No inferno? Porque é pra lá que eu vou te mandar! — Mantenho a posição de ataque.

Wonho pressiona algo da parede, que fez barulho  de apito.Sem que eu esperasse, o chão do guarda-roupa começa a... A descer! Sim, está descendo! Como e porquê disso estar acontecendo eu não sei, só sei que olhei pra cima vendo as portas da mobília ficar superior a nós.

— O QUE É ISSO? — Pergunta Camily surpresa olhando para cima.

— Mantenham a calma. — Diz Wonho na paz, enquanto ainda desciamos.

Decido ficar em silêncio e aguardar para ver o que ia acontecer. 

O chão para de descer, e um pequeno corredor a nossa frente é revelado... No fim dele há uma porta vermelha.

— Chegamos! Sigam-me! — Diz Wonho indo em direção a porta sorrindo.

Olho para trás. O chão do guarda-roupa começa a subir.

— Tenho receio sobre isso mas vou mesmo assim. — Digo e pego na mão de Camily acompanhando Wonho.

Wonho abre a porta, e faz gesto para que passemos primeiro; antes de entrar olhei para Camily, que me olhou de volta, logo depois soltei sua mão e entrei, ficando incrédula logo de cara.

— QUE LUGAR É ESSE? — Falo alto ainda surpresa.

— O que o que? — Entra Camily rapidamente, pronto, ela está incrédula também.

O ambiente era totalmente diferente da parte de cima da casa. Era enorme e havia muitos equipamentos típicos de academia, muitos computadores, um pouco para frente consigo ver um lugar bom para tirar uma soneca ou comer e beber algo... Enfim, esse lugar é estranho! 

— Wonho, me explica isso! — Falo enquanto ele se aproxima sorrindo.

— Este, minhas amigas, é o lugar onde vamos por nosso treinamento em prática! — Disse ele antes de dar um soco no saco de areia pendurado.

— Então vamos mesmo treinar? E-espera, sua vó sabia desse lugar? — Pergunto.

— Claro que sabia, ela comprou a casa desse jeito. — Ainda batia no pobre saco de areia.

— Quando eu acho que nada mais de vocês me surpreende... Pimba! Uma academia no subsolo da casa! — Camily diz "pimba" acomponhado por uma palma alta.

— Não é bem uma academia. — Ele ri. — Mas serve mesmo assim, não é?.

A porta vermelha é aberta, atraindo nossas atenções, Chang Kyun entra com uma sacola e ele parece estar resmungando de algo. Hyungwon estava com ele.

— Wonho! Você devia ter me esperado! — ele disse.

— Pra que, I.M? — Pergunta Wonho.

— Seu mal educado. — I.M desiste de responder e o chama assim.

Novamente alguém entra pela porta, dessa vez são Kihyun e Minhyuk.

— Cheguei! Olá meninas! — Minhyuk vem em nossa direção sem esperar Kihyun.

— Oi! — eu e Camily dissemos em uníssono.

— E a outra menina, não vai me responder? — Minhyuk falou entre os risos olhando para Wonho.

— Bafo de bunda. — Wonho o xinga abraçado com o objeto que antes batia.

Novamente a porta se abre, dessa vez é Shownu e Jooheon entrando.

— Adoro usar esse elevador do guarda roupa! — Diz Jooheon exibindo suas covinhas... Eu não canso de pensar no quão fofo Jooheon é!

— Sabemos disso. — Shownu ri.

— Eai gente, já começou a pancadaria? — Kihyun parecia animado, isso é bom.

— Vamos começar agora, s/n e Camily, vistam suas roupas para esportes, preparem as garrafas de água e Dorflex. Porque agora vocês irão aprender com os mestres! — Jooheon disse isso de uma forma tão nostálgica que minha preguiça foi embora na hora!

Pelo visto, o dia hoje irá render muito!


|XXX: POV|

— V-VOCÊ O M-MATOU!! F-FICOU LOUCO? — O senhor Kwang Soo me diz aos prantos, ao lado do corpo de seu amigo próximo, Kim Hong.

— ELE ficou Louco! — Dou ênfase no "ele" — Eu dei o fim que ele merecia!

— ELE NÃO FEZ NADA DE ERRADO! — Senhor Kwang Soo está me desafiando. Ainda chorava como um bebezinho.

— Ele não fez nada de errado?... Kwang, ele tentou alertar Shownu sobre meus planos. Isso é errado. — Digo com calma, nem parecia que acabei de matar alguém.

— Ele tentou fazer isso porque você está louco! Um doente! A missão dos frogs é roubar o medalhão e não matar pessoas! Principalmente os inocentes! — Os olhos de Kwang expressavam três sentimentos: Tristeza, ódio... E medo.

— Inocente? Não há ninguém Inocente! Graças ao Wonho, eu fiquei sem nada! Todos que ajudaram ele são culpados! TODOS! — Digo com muita raiva, segurando firme a faca que usei no crime.

— Você está manchando os frogs para pior!

— Os frogs nunca foram limpos, seu idiota!

— É SÓ UM MEDALHÃO SEU IMBECIL! — Grita ele.

— CALE A BOCA VOCÊ NÃO SABE DE NADA! Estou cagando pra porra do medalhão! O que eu quero é minha vingança! E vou matar qualquer um que ousar se meter no meu caminho! 

— Isso não é certo! 

— Eu sou um frog, você é um frog, somos frogs. Nada do que fazemos é certo, então pare de agir como um herói que deseja paz, você nem sabe o que é paz.

— Sei mais que você, seu assassino! Psicopata!

— Só está assim porque matei seu melhor amigo — Rio curto— Se fosse uma pessoa aleatória, você estaria nem aí. Você não presta senhor Kwang Soo.

— LEE SANG!! — ele grita chorando.

— Gritar meu nome em tom de raiva não irá lhe ajudar. Aaah! Já ia me esquecendo! Trate de encontrar a s/n, ou a amiga dela.  — Sorrio e o deixo sozinho com o corpo de Kim Hong. 

Eu vou fazer Wonho sofrer muito. Aaah se vou!


|Camily: POV|

— MAIS FORÇA YEOJA! FIGHTING! — Kihyun tenta encorajar s/n, que batia no saco de areia.

Observo os dois pois já acabei minha parte, estou descansando.

— Não dá Kihyunnie! É muito pesado! —ela reclama.

— Imagina a cara do Wonho ali! — Ele diz rindo.

— AAAAAH!! — ela grita e dá um belo soco no objeto, o melhor até agora.

— MUITO BOM! — Kihyun bate palmas.

— Haha que engraçado! — Wonho ri ironicamente.

Rio e depois tomo meu suco de limão, não tomo refrigerante. Sou saudável!

— Descansando ainda? — Hyungwon surge a minha frente.

— Sim, me deixe aqui por mais alguns minutos? Estou cansada! — Faço bico com olhar de cansaço, quero dormir poxa!

— Não se preocupe, vou te deixar quietinha! — Ele ri e senta do meu lado, abrindo sua latinha de refrigerante.

— Por que veio aqui então? — Pergunto.

— Sei lá. — Ele diz e toma um gole de seu refrigerante.

— Você é estranho. — digo o olhando intensamente.

— Eu sei. — ele sorri... Ele tem um sorriso meigo.

— GENTE GENTE GENTE!!! — Jooheon entra correndo, tropeça no próprio  pé e cai no chão.

— O que foi Jooheon? — Pergunta Minhyuk o levantando.

— A-A C-CAMPAINHA! — ele diz com dificuldade.

— O que tem a campainha? — Pergunta Hyungwon.

— E-ELA TOCOU! — Fala Jooheon aflito.

— Como assim tocou? Estamos todos aqui, você é o único que estava lá em cima. Deixe de brincadeiras! — I.M fala sem se preocupar muito.

— NÃO É BRINCADEIRA! TEM ALGUÉM ALÍ DO LADO DE FORA E ESSE ALGUÉM TOCOU A CAMPAINHA! — Jooheon finaliza ofegante.

Todos começam a se olhar, realmente ninguém saiu daqui a não ser Jooheon... Alguém nos descobriu e está prestes a nos visitar.



Continua!



Notas Finais


Se estiver confuso é pq escrevi com sono. Então não liguem se estiver meio brisado kkkk
(sério, a coisa tá tão feia que fui abrir o PicsArt e abri o YouTube no lugar)
Vou tentar ficar mais frequente.

~Chu!~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...