História Prove It (Imagine 2Jae) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, JR, Mark, Personagens Originais, Youngjae, Yugyeom
Tags 2jae, Got7
Exibições 414
Palavras 2.292
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


E FOI DADA A LARGADA DESSA SEGUNDA TEMPORADA! *fogos de artifício explodindo loucamente*

Oi!
Finalmente, hein? Vocês estavam tão ansiosos quanto eu? Já adianto que terão que preparar os coraçõezinhos para essa continuação.
E se você é novo aqui, e não leu a primeira temporada dessa história, aconselho que leia primeiro para entender essa. Muitos personagens já foram apresentados lá, algumas tretas passadas, coisa assim. O link da primeira temporada estará nas notas finais!
Sem mais delongas, acompanha aí:

Capítulo 1 - Presidente Im.


A luz do sol invadiu o quarto pelas frestas da persiana e lambeu as peles nuas com o seu calor. Os dois dormiam envoltos em lençóis revoltos e nenhuma roupa. Os dois corpos repousavam um no outro, tão colados que pareciam ter sido moldados para se completarem. Im Jaebum abriu os olhos pequenos aos poucos, acostumando-se à claridade. O primeiro ruído que ouviu foi a respiração arrastada de Youngjae, que ressonava em seu ombro, com o peito subindo e descendo lentamente, perdido em um sono pesado. Com medo de acordar o dongsaeng, ele se moveu aos poucos, quase imperceptivelmente, retirando a cabeça deste do ombro e a repousando no travesseiro. A serenidade estampada no rosto do namorado, o fez sorrir. Era exatamente assim que ele se sentia quando estava com Youngjae: em paz.

Pelo tempo que passou encarando Youngjae ali, ele nem mesmo se lembrou que um grande dia se estendia à sua frente. Depois de 3 longos anos, trabalhando na empresa do pai, gerindo os negócios e dedicando-se ao máximo, finalmente a bancada de acionistas aceitou empossar Jaebum como o presidente da I.M Entertainment. É engraçado como conforme as pessoas amadurecem, crescem, seus pensamentos, gostos e motivações mudam. O Jaebum de 3 anos atrás, jamais imaginaria que estaria namorando com um homem, morando sozinho sem precisar pagar aluguel num bairro classe alta de Gangnam, e muito menos que estaria comandando a empresa do seu falecido pai, que antes era seu maior pesadelo. Depois da morte do pai, ele acabou sentindo-se mais motivado a levar o legado da família Im nas costas e levá-lo à um lugar bem mais alto do que ele estava, quando o recebera. Deixar o pai orgulhoso de si, quando era um menino, era quase uma obrigação. Mas, agora, como um homem, faria isso por amor. Além de seus pais, a pessoa que mais amava e queria deixar orgulhosa, era Youngjae. Faria o que fosse possível para nunca desapontá-lo.

Espreguiçou-se, levantando da cama, deixando um Youngjae perdido em um sono profundo ainda deitado sobre os travesseiros. Sorriu novamente, ao ver a expressão fofa que este fazia enquanto dormia. Os olhinhos fechados, estavam serenos e relaxados. E os lábios levemente entreabertos, faziam um beicinho. Ele sempre dormia com a mão direita espalmada sobre o rosto, como que se estivesse o apoiando. O senso de proteção que aquele homem causava em si, era automático. Bastava ver o rosto de Youngjae para se sentir na obrigação de abraçá-lo, dar todo o amor que cabia em si, e não deixar que nenhum male do mundo o atingisse. Como naquele momento nada preocupava o dongsaeng, Jaebum resolveu que faria um café para que tomassem na cama.

Os olhinhos de Youngjae apertaram-se antes de abrirem completamente. Ele colocou os braços para cima, na tentativa (falha) de espantar a preguiça. Os raios de luz solar entravam pela janela, agora aberta, e refletiam nas paredes brancas do quarto. Parecia que o Sol brilhava ali dentro. Espreguiçou-se novamente e sussurrou com a voz arrastada:

- Que dia lindo!

- Você tem razão, mas nem de longe é tão lindo quanto você, enquanto dorme.

Deu-se conta que Jaebum estava em sua frente, segurando uma bandeja.

- Café na cama, Bummie? - suspirou. Estava em parte agradecido, mas a outra parte repreendia o mais velho. Tomar café na cama, sempre resultava em sujeira.

- Yah! Sem reclamações, Jae-ah! Estava tentando ser um namorado carinhoso! - Jaebum repousou a bandeja sobre a cama, fazendo um beicinho ofendido. Youngjae deu uma de suas gargalhadas e estendendo-se até o hyung, beijou a ponta do nariz dele.

- Obrigado, Bummie. Você é um ótimo namorado, sem precisar nem tentar. Apenas é. - e sorriu.

Jaebum desfez o beicinho, transformando-o em um sorriso tímido. Gostava de ouvir os elogios de Youngjae para si. Nunca ninguém lhe dera tanto valor antes, como Youngjae dava. Selou os lábios do menor e disse:

- Você é que me faz ser assim. Agora, coma! Temos um longo dia pela frente e precisamos ter energia de sobra.

 

 

A rotina seguiu normalmente. Jaebum deixou Youngjae na frente da Universidade Hongkik, onde o dongsaeng agora, era um professor. E seguia para a I.M Entertainment, onde passava grande parte do seu dia. Trabalharia normalmente hoje, mas à noite, teria sua posse anunciada em uma cerimônia da empresa. Adentrou o seu escritório, onde em cima da mesa encontravam-se as fotos de seus pais e uma de Youngjae. Pegou o porta-retrato com a foto de seus pais, com ele no colo quando ainda era um bebê, e passou os dedos pelo vidro.

- Finalmente, pai. Serei chamado de Presidente Im, como o senhor foi um dia. Não vou decepcioná-lo.

Sorriu, imaginando a imponente figura do pai, repreendê-lo por ter fotos tão sentimentais em cima de sua mesa de trabalho. De repente, o telefone toca.

- Jaebum, posso subir à sua sala?

A voz do chinês era inconfundível. Jaebum suspirou antes de responder.

- Sim, Jackson-ah.

Em menos de um minuto, Jackson Wang estava adentrando sua sala. O amigo de longa data, agora trabalhava com ele na empresa. Era seu assistente geral. Cuidava de todas as reuniões, negociações e compromissos que ele tinha. E fazia isso tudo muito bem. Seu único defeito, era não ter o mínimo respeito por Jaebum, sempre o tratava como se estivessem em casa jogando videogame.

- Saiba que essa é a última vez que me chama de Jaebum, tão insolentemente. A partir de hoje à noite, sou Presidente Im para você, aqui dentro.

Jackson deu uma de suas risadas exageradas, que começavam num grito agudo.

- Ora, ora Jaebum-ah! Não sou apenas um mero secretário não? Salvei sua pele tantas vezes, que não sei se preciso te tratar por um ser tão imponente.

- Jackson... esse é o meu local de trabalho. É o seu local de trabalho. E eu estou em uma posição acima da sua, precisa me tratar com respeito na frente dos outros funcionários.

O chinês revirou os olhos.

- Tudo bem, Presidente Im. - destacou entredentes. - Só queria avisá-lo que: seu smoking está pronto, precisa pegá-lo na tinturaria assim que sair daqui. E, o Presidente Lee da LHS Entertainment virá à sua cerimônia hoje.

- Hã? Lee Hyun Suk, aqui? - Jaebum estava incrédulo. Era o maior concorrente que o pai teve durante toda a vida.

- Ele me informou que tinha uma proposta irrecusável para fazer à você, hyung. E eu o convidei, para conversarem hoje.

- Por que justo hoje, Jackson-ah? Estarei me sentindo extremamente pressionado pela presença de todos os acionistas, imagina com a presença do maior concorrente da minha empresa! Ainda mais, quando esse concorrente tem pelo menos 20 anos à mais de experiência de mercado do que eu!

- Calma, hyung. Você tem uma pose imponente, tanto quanto seu pai tinha. Não precisa se sentir pressionado. Eu e todos os acionistas, acreditamos que você é a melhor pessoa para gerir a I.M. Por mais que o Presidente Lee venha aqui apenas para espionar a sua posse, então você tem nas mãos uma oportunidade incrível de mostrar à ele que você tem capacidade para superar a LHS.

Jaebum apoiou a cabeça entre as mãos. A noite tinha tudo para ser incrível, mas agora precisaria preocupar-se com mais isso.

- E que proposta irrecusável, ele tem a me fazer? Pelo menos disse do que se tratava, por acaso?

- Não, não me disse nada. Acho que era só uma desculpa para vir conhecer o mais novo presidente da empresa que supera a dele, no ramo televisivo por 3 anos consecutivos. - Jackson deu um sorriso torto e matreiro. - Fique bem, hyung. Não será como enfrentar um bicho de sete cabeças, você se sairá bem, você verá.

Jaebum suspirou e jogou-se sobre a cadeira de couro giratória, com a cabeça funcionando à mil por hora.

 

 

Youngjae terminou de fazer o laço da gravata borboleta de Jaebum, depositando um beijo na nuca do mais velho.

- Não me faça ficar com vontade de ficar em casa, em vez de ir na cerimônia, Jae-ah... - disse Jaebum manhoso, mordendo o lábio inferior.

- Não me preocupo com isso. Depois da cerimônia, ainda teremos tempo. - beijou a nuca de Jaebum novamente. Num átimo, sentiu o braço de Jaebum o agarrar pela cintura e o prensar na parede mais próxima.

- Cuidado com o que deseja, Youngjae. - Jaebum com os olhos abertos, sem tirar o olhar dos do mais novo, mordeu o lábio inferior deste, arrancando-lhe um arfar. - Você é todo meu, assim que voltarmos para casa e eu não vou tirar isso da cabeça nem por um segundo. Inclusive, quando eu estiver fazendo meu discurso.

Youngjae riu, nervosamente.

- Não estrague tudo por minha causa!

- Estragar? Você é o meu maior incentivo para dar o meu melhor. Quero minha recompensa depois, não se esqueça. - Jaebum colou os lábios nos de Youngjae, vorazmente. Os lábios quentes e grossos do mais novo, provocavam nele, sensações que ele queria sentir 24 horas por dia. 2Jae, como eram chamados pelos amigos, eram química e eletricidade puras.

 

 

Jaebum terminou seu discurso com a promessa de que levaria a I.M Entertainment a patamares muito maiores do que ela já havia chego, com o seu pai. Lembrava-se ainda de quando era apenas um garotinho, que o pai levava à sua empresa, e corria para lá e para cá, brincando com todos os que via à sua volta. Muitas das pessoas que brincaram com o pequeno Jaebum, agora o aplaudiam como homem e Presidente que se tornara. Os amigos de infância, Jackson, Bambam e Yugyeom, eram um exemplo. Eles estavam verdadeiramente orgulhosos de quem o amigo havia se tornado. Mas, o olhar marejado e o sorriso que mais importavam para Jaebum naquele momento, eram os de Youngjae. Assim que desceu do tablado, foi de encontro aos braços do mais novo, e o abraçou ternamente. Sentiu o perfume de Youngjae contra o seu nariz.

- Eu te amo muito, Jae. Tudo o que eu faço e farei daqui pra frente, é para que sejamos felizes juntos. - sussurrou contra a pele do mais novo.

- Eu também te amo, Bummie. E eu acredito em você. Você já me faz muito feliz. - Jaebum sentiu vontade de beijar o namorado ali mesmo, mas não era uma boa ideia. Apenas as pessoas mais íntimas do seu convívio sabiam do relacionamento dos dois. Se os acionistas soubessem desse fato, talvez Jaebum não teria ainda conseguido o cargo de presidente da empresa. Infelizmente, o mundo ainda funcionava assim. Logo que separou-se de Youngjae, ouviu um pigarro rouco atrás de si. Virou-se e deu de cara com o Presidente Lee.

- Meus sinceros parabéns, Presidente Im Jaebum. - o homem fez uma mesura rápida à ele.

- Meus sincero agradecimentos, Presidente Lee Hyun Suk. - respondeu com uma mesura.

- Creio que possamos conversar sobre negócios, rapidamente, em um lugar mais calmo nesse salão, não podemos? - o homem sugeriu. Mas, Jaebum não sabia porque, aquele pedido parecia-se mais com uma imposição. Apenas acenou com a cabeça, pedindo que o homem o acompanhasse.

Chegaram ao jardim do local. A noite estava fresca, e era o único lugar da festa onde as pessoas não estavam bebendo, comendo e se aglomerando.

- Meu secretário, Wang, me informou que o senhor tinha uma proposta irrecusável para me fazer, Presidente.

- Realmente, é irrecusável. Bem, Presidente Im, minha filha SoHee, acabou de voltar de uma temporada morando nos Estados Unidos. Ela já é formada na Universidade Yonsei, na escola de Business e estava fazendo um doutorado em Harvard. Queria que ela trabalhasse na minha empresa, porque é óbvio que quero que ela tome conta de tudo, quando eu me for. Mas ela se recusa a trabalhar na LHS, porque não quer que os outros pensem que ela só está ali, por ser minha filha. Portanto, gostaria de pedir que contratasse minha filha, para que ela trabalhe na sua empresa.

Jaebum demorou alguns segundos para digerir toda aquela informação.

- Tudo bem, senhor Presidente. Eu o entendo. Mas, porque quer que ela trabalhe justo na minha empresa?

- Aí é que está. - disse o homem, estalando a língua. - Ela é que quer trabalhar na sua empresa. Ela deixou currículo lá, faz algumas semanas. Disse que quer aprender a administrar a empresa que superou a de seu pai. - o homem deu uma risada forçada. - Veja como são as coisas, Im. Criamos os filhos para que sejam nossos espelhos, e esquecemos que eles têm seu próprio reflexo...

Jaebum nada respondeu, apenas continuava a andar, olhando para os próprios pés, pensativo.

- Obviamente, Im, que a minha filha não pode nem suspeitar que estou lhe pedindo esse favor. Ela é orgulhosa demais...

- Escute, presidente Lee. Eu o conheço desde pequeno, como maior concorrente do meu pai, e sei bem que não trabalha com uma via de mão única. O que ganho, fazendo esse favor à você? - disse Jaebum, cruzando os braços, ficando de frente para o homem. Lee sorriu, complacente.

- Im Jaebum... está se tornando o seu pai. Já sabe até como negociar... - riu roucamente. - Deixemos isso em aberto. Quando precisar de mim, já sabe que te devo uma.

Jaebum estreitou os olhos por um momento. Mas suavizando a carranca novamente, virou-se para o homem e disse:

- Tudo bem, Presidente Lee. Sua filha Lee SooHe, será contratada pela I.M. Tem a minha palavra.

- Está começando sua regência, fazendo boas escolhas. Sinto que irá longe. - e levantando a taça, cumprimentando Jaebum, o Presidente Lee virou as costas, saindo do jardim. Jaebum sentiu pingos finos de chuva, começando a cair do céu. E um arrepio percorreu-lhe toda a espinha.


Notas Finais


E aí, o que acharam das emoções iniciais da história? Tem muuuuuuuuita água pra rolar.
Gostaram? Comentem <3

Link da Primeira Temporada: https://spiritfanfics.com/historia/procura-se-colega-de-quarto-imagine-2jae-6553242


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...