História Proving from paradise - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jin
Visualizações 243
Palavras 1.826
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Espero que gostem, beijos.

Capítulo 1 - My brother yummy


Fanfic / Fanfiction Proving from paradise - Capítulo 1 - My brother yummy

Eram 5 horas da manhã quando ouvimos os primeiros ruídos vindos da cozinha sendo produzidos por nossa omma, enquanto escutávamos claramente nosso appa caminhando pelo corredor arrastando as malas. Eles iriam viajar hoje para China para resolver assuntos da empresa a qual são donos.  Eu e meu irmão, Jin, dormimos no mesmo quarto numa cama de casal, isso porque quando era menor, fantasiava muitas coisas em minha cabeça e acabei tendo um medo terrível de escuro. Quando pequena eu acordava todos da casa sempre aos berros com medo do que o escuro podia me esconder, desde então omma e appa fizeram eu e Jin partilharmos o mesmo quarto, não era obrigatório dormirmos em mesma cama, mas como acabou virando costume eu adormecer em seus braços nós acabamos por pedir uma cama de casal para dormirmos juntos, de conchinha.

Jin me sacodia freneticamente para que despertasse. Não queria abrir os olhos de modo algum, era muito cedo para alguém que passou a noite toda no celular, teclando palavras sujas com seu namorado, acordar.

-Pare de ser preguiçosa. Pelo menos vamos descer para dar tchau aos nossos pais e voltamos aqui para cama pra dormir. - ordenava meu irmão

-Ai, não. - disse na voz mais manhosa que pude fazer

-Será que vou ter que te acordar com as famosas 'cosquinhas do Jin'?

-NÃO, NÃO, NÃO. - depois daquilo eu acordei num pulo

Não conseguia resistir as cosquinhas dele, só ele me arrancava um riso alto com suas cosquinhas, ninguém me fazia cosquinhas de verdade a não ser ele.

Calçamos nossos chinelos e descemos rapidamente até a garagem. Omma e appa já estavam dentro do carro, dando a partida na BMW branca, a caminho do aeroporto para pegarem o jatinho da família a caminho da China com nossos tios que os ajudariam nas negociações.

Eles nos olharam pelo vidro do carro e sorriram, ambos sacodindo as mãos em forma de despedida e logo pegaram o caminho do aeroporto.

-Agora somos só nós dois. Vamos morrer de fome. - debochou Jin

-Caso não lembre, eu sei cozinhar, okay?

-E eu não gosto de comer. Uhun, sei.

-Jin, sabe bem que adoro cozinhar.

-Pro meu azar.

Dei leves batidas em seu ombro em desaprovação ao seu comentário.

-O que seria de você sem mim? - perguntou ele rindo

-Eu compraria todos os fast foods do mundo.

-Para de tentar arrumar solução pra tudo. Você odeia fast food.

-Tem razão, mas agora vamos tomar café? Estou morrendo de fome.

Jin balançou a cabeça em desaprovação mas dando risada. Fomos para cozinha e comemos uma grande tigela de cereais com leite.

O dia não foi muito chato e monótono quanto esperávamos. Jin aproveitou o tempo inventando novos pratos, deixando um rastro de sujeira na cozinha, enquanto eu aproveitei o tempo para começar e terminar uma trilogia de, aproximadamente, 790 páginas cada livro.

A noite, no jantar, comemos as comidas que Jin fez ao longo do dia, estavam maravilhosas, as melhores coisas que já comi no mundo, meu irmão simplesmente dava um show na cozinha.

-Vou precisar sair. Voltarei um pouco tarde, acho que mais ou menos uma da manhã. Qualquer problema me telefone e eu voltarei correndo.

-Onde vai?

-Taehyung e Jimin me chamaram para sair um pouco e eu aceitei.

-Espero que não apronte, ainda vejo meu irmão mais velho como exemplo.

-Exemplo de quê? Se me visse como exemplo seria uma excelente cozinheira.

Cruzei os braços e fiz a melhor cara de brava que pude.

-Nem parece que já tem 18 anos. - disse ele rindo de mim

-Nem parece que é um idiota de 23 anos.

-Cala a boca. -ele revirou os olhos- Tchau, até mais tarde.

-Até mais tarde.

Assim que Jin saiu, me passou pela cabeça a ideia mais indecente possível, mandei um SMS para meu namorado e pedi para que fosse pra casa pronto para fazermos aquilo que sempre o barrei de fazer, pela minha falta de segurança e por morrer de vergonha. Estava totalmente decidida de perder minha virgindade.

Não demorou muito e logo a companhia tocou. Assim que abri a porta, Kwan atacou meus lábios e apertou todas as partes possíveis de serem agarradas do meu corpo com certa urgência. Fui descendo os beijos por seu pescoço, o que era fácil pra mim, já que eu era 20 cm mais baixa que ele, enquanto ele aproveitou para perguntar:

-Tem certeza? Não quero te forçar a nada.

-A única coisa que tenho certeza é de você calar a boca, a gente subir para o quarto e você me foder.

Kwan me agarrou forte na cintura dando impulso para que eu pudesse entrelaçar minhas pernas em sua cintura. Subimos as escadas até meu quarto e de Jin batendo em tudo pelo caminho. Ele me jogou na cama e rapidamente pôs-se a tirar a calça e sua boxer preta, seu membro estava em perfeita ereção. Não perdi tempo e cai de boca no pau de Kwan que a cada vez que fundava minha boca em seu membro, gemia meu nome em alto e bom som. Quando Kwan sentiu que ia explodir em minha pequena boca, me agarrou pelos cabelo e me jogou na cama, indo direto para o zíper de minha calça tirando minha calcinha junto. A cada pedaço de pele amostra, Kwan ia beijando me fazendo ficar arrepiada e cada vez mais molhada. Kwan puxou minha intimidade para perto de sua boca, e, sem mais delongas meteu sua língua quente em meu sexo fazendo com que eu arqueasse as costas e puxasse os lenços me contorcendo de prazer na cama. Sua língua era habilidosa, me chupava de um jeito fantástico me fazendo gemer cada vez mais alto.

-O QUE ESTÁ ACONTECENDO AQUI? - era Jin enfurecido na porta de nosso quarto - EU SABIA QUE DEVIA VOLTAR, EU NUNCA FALHO NOS MEUS PRESSENTIMENTOS. NUNCA.

-C-c-calma maninho, tá tudo bem. - consegui dizer algumas palavras. Em vão.

-TUDO BEM? ESSE IDIOTA E VOCÊ IAM SE COMER NA CAMA EM QUE EU DURMO.

Eu olhei para Kwan que já havia vestido suas roupas.

-SAIA DAQUI IMEDIATAMENTE, KWAN. NÃO VAI SER VOCÊ QUEM VAI TIRAR A VIRGINDADE DA MINHA IRMÃZINHA.

Jin não precisava dizer mais nenhuma palavra, Kwan saiu do quarto, da casa, da cidade e até do país se duvidar. Nunca vi Jin tão enfurecido.

Ele continuava a olhar em direção a porta por onde Kwan passou, e eu em busca de quebrar o clima tenso, resolvi dizer:

-Jin, está tudo bem. São coisas que acontecem entre um homem e uma mulher, e...

Jin não deixou eu terminar a frase, ele avançou em cima de mim com um beijo feroz e cheio de urgência. MEU DEUS, QUE BEIJO É ESSE? Jin brincava com minha língua inexperiente e de tempo em tempo sugava e mordia meu lábio inferior. Quando faltou-lhe ar nos pulmões, parou o beijo e me encarou.

-Sou eu quem vai tirar sua virgindade.

Jin se levantou e começou a tirar sua calça e cueca da forma mais sexy possível, enquanto eu o olhava de boca aberta. Como meu irmão pode ser tão gostoso e eu nunca notar? O pior de tudo é que o via sempre dormir só de cueca e nunca dava atenção, mas agora tudo era diferente.

Comecei a apoiar sobre os cotovelos para que pudesse me levantar, mas Jin me empurrou dizendo:

-Você não vai provar.

-E por quê não?

-Porque eu sempre quis te foder e não vou perder essa oportunidade.

-Como assim sempre quis me foder?

-Quando minha irmãzinha pequenininha começou a ganhar curvas e chamar atenção de vários olhares masculinos, digamos que foram de absolutamente todos os homens que seu corpo conseguiu chamar atenção. Sempre quando podia eu a olhava trocar de roupa escondido ou quando conseguia a observava no banho. - nessa hora eu lembrei de todas as vezes que pensava que fossem alucinações de minha cabeça, fantasias que me faziam imaginar vultos no nosso quarto quando eu estava a sós trocando de roupa ou tomando banho - Soube até mesmo quando você perdeu a castidade nos pensamentos e começou a se tocar, aquilo pra mim foi um dos melhores dias pra te admirar, enquanto você se tocava e contorcia na cama com gemidos abafados, eu me masturbava e gemia imaginando quando meu pau te foderia. - nesse momento ele começou a roçar a cabecinha de seu membro , que estava pulsante, em toda extensão de minha intimidade, do clitóris até a entrada, como se a cada vez que chegasse em minha entrada esperasse um sinal de aprovação para continuação do gesto.

De repente fiz a pergunta mais idiota que podia fazer em toda minha vida:

-Você me acha gostosa?

Jin sorriu malicioso posicionando a cabecinha de seu membro em minha entrada, respondendo:

-Tão pequenininha, tão pura, tão linda, tão gostosa, pena que vai perder a castidade quando eu finalmente te arrombar.

Então as palavras saíram de minha boca de forma automática:

-Então o que meu irmãozinho gostoso tá esperando pra me mostrar o caminho da safadeza?

Dito isso Jin meteu em mim tudo de uma vez e ficou parado. Naturalmente eu gritei de dor, afinal era minha primeira vez, mas consegui entender que meu irmão era bem dotado, além de ser grande era grosso o bastante para me fazer gemer incontrolavelmente.

Depois de um tempo parado em mim para que eu me acostumasse com seu membro, comecei a me mexer para indicar a Jin que podia me foder, e assim foi. No começo ele me dava estocada um pouco rápidas mas delicadas, que depois passaram pra rápidas e profundas, que foram para estocadas lentas, profundas e totalmente brutas. Meus gemidos eram incessantes e o prazer era estampado em nossos rostos. Quando achei que estava alcançando meu ápice, Jin saiu de mim e sentou na beirada da cama, gemi de desaprovação mas logo ele me disse:

-Eu sou um irmão bonzinho, eu deixo minha irmãzinha brincar também.

Sorri maliciosa e engatinhei até onde ele estava. Pus minhas pernas, uma de cada lado de seu quadril e acabei sentando em seu membro com força.

-Porra Maninha, que gostosa. - Jin deu um tapa bem forte em minha bunda e deslizou suas mãos para minha cintura onde as apertou e me ajudou a fazer os movimentos para cavalgar em seu membro - Que delícia. Apertadinha.

As palavras sujas que meu irmão dizia me deixavam cada vez mais excitada e seus gemidos me davam animo para continuar a cavalgar nele, até que uma sensação desconhecida me invadiu e eu gemi em alto e bom som seu nome.

Senti um líquido quente me invadir, acho que Jin também alcançou seu ápice.

Nos deitamos na cama, eu em cima de seu peito com ele ainda dentro de mim. Ergui um pouco meu quadril e seu membro escorregou para fora fazendo com que a porra que Jin esvaziou em mim escorresse para fora junto com a minha. Meu querido irmão passou uma de suas mãos em minha intimidade e levou a boca chupando os dedos da forma mais sexy possível e em seguida pôs os dedos em minha boca para que eu fizesse o mesmo.

-Nunca imaginei ter uma irmã tão deliciosa como você.

-Mal vejo a hora de repetirmos tudo isso de novo.

-Continue falando do seu medo de escuro para nossos pais e você nunca mais terá uma noite bem dormida nesse quarto.


Notas Finais


Da próxima vez que eu escrever uma fic, me lembrem de comprar um estoque de calcinhas, obrigada.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...