História Próxima Parada - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7, Monsta X
Tags Bts, Got7, Monsta X, Novela, Romance
Exibições 4
Palavras 956
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Bom gente, essa é minha primeira fanfic, estou fazendo ela de todo meu coração ( e também por um pouco de pressão), mas espero agrade a muitos, não a todos por que aí seria difícil.
Para An Haneul, que me atormentou para que criasse uma fanfic em que pudessemos nos aventurar com oppas.
Um dia ainda te mato. Com todo amor,
Moon Seulgi.

Capítulo 1 - É só querer


Fanfic / Fanfiction Próxima Parada - Capítulo 1 - É só querer

Lá estava eu de novo, mais um dia torturante na rotina maçante de quem precisa trabalhar. Mas eu sábia que não seria assim pro resto da minha vida. Na minha cabeça eu vivo viajando, Itália, Paris, USA, Coréia do Sul, e no meu coração eu sabia que não pertencia a um lugar só. Eu preciso de movimento, preciso de aventura, de romance...

                - Seulgi. Seulgi! Seulgi! Alô!!!

                - Tá! Já te ouvi! Ninguém aqui é surda.-Eu disse mas era óbvio que não estava prestando atenção.

                - Nossa! Alguém acordou com o pé esquerdo. Ou você está viajando de novo? Pra onde foi dessa vez? Pro seu mundinho onde não deixa ninguém entrar?- Disse Bora.

                Bora era legal mas, eu tento não me relacionar com pessoas do trabalho, não gosto, sempre dá confusão! Por isso fazíamos piadas, brincávamos e conversávamos somente ali.

                -Ai Bora, tô louca pra sair deste escritório e ir pra casa dormir. Tive de ficar preenchendo e revisando relatórios ontem à noite.

                - Bom se a empresa continuar se expandindo desse jeito vamos ter que trabalhar bem mais.

                - Ah - Aquela onda de emoção que tinha me tomado ao imaginar tudo o que eu queria foi embora e a correnteza levou todas as coisas boas.

                O dia foi incrivelmente monótono, casa-trabalho-casa. Quando cheguei no meu apartamentinho, o MEU CANTINHO, foi maravilhoso, era como se tivesse entrado em outra dimensão, só eu e meus pensamentos. O apartamento era pequeno, 1 cozinha, 1 quarto, 1 banheiro e 1 sala, mas é meu benzinho, o conquistei e gosto de dizer que é meu. Mas eu não poderia me jogar na cama de uma vez mesmo com ela me olhando daquele jeito com a porta entre aberta, sua safada! Eu  e aquela cama antiga( alguns chamariam de velha, besteira na minha opinião), temos um caso de amor antigo, tenho ela desde os  meus 13 anos  ela sempre por baixo me apoiando e eu sempre em cima sonhando. Infelizmente tive de trazer trabalho de novo, era bom que a empresa estivesse crescendo mas, fazer trabalho em casa, NANANINANÃO. Não é comigo, mas é aquela mesma história de sempre, tenho contas a pagar. Sentei no sofá com o notebook no colo, pronta para começar a escrever relatórios recebi a ligação de uma amiga muito querida não via pessoalmente a muito tempo. Nós somos como irmãs, se não estamos juntas contra alguém, estamos uma contra a outra, atendi a ligação via skype.

                - Finalmente! Já achei que tivesse morrido! Não liga, não responde as mensagens, depois diz que ninguém nunca tenta falar contigo. Tá pensando o quê hein Haneul?!- Tentei falar no tom mais indignado que conseguia.

                - UUUUUUUUUUIIIIIIIIII! Fiquei só um dia sem te responder tá? E além disso estava ocupada terminando de arrumar minhas malas.- Haneul disse sorrindo. Ela vai voltar para Coréia do Sul, ela diz que nunca se sentiu tão em casa quanto lá. Eu e ela somos descendentes de coreanos mas vivíamos no Brasil. Nos conhecemos desde crianças, nossas famílias se conheceram nos festivais que celebram a vinda de imigrantes orientais ao Brasil, e quando descobrimos que morávamos perto uma da outra não nos desgrudamos mais. O mais legal de tudo é que somos muito parecidas, cabelos crespos, olhos castanhos um pouco puxadinhos, tons de pele próximos, nos passávamos por irmãs, mesmo hoje alguns conhecidos de nossas famílias ainda se confundem. Enquanto eu foquei no trabalho para no futuro viver como eu quero, ela focou nos estudos, conseguiu bolsa e se formou por lá, agora trabalha e mora em Busan, quando consegue alguma folga faz pequenas viagens. Sempre tive inveja dela por esse lado, mas também sempre fiquei feliz por vela assim, ela parecia realizada.

                - Ah é, eu tinha me esquecido. Você está voltando pra Coréia não é? Quando é que vem me visitar?- Fiz cara de pidona.

                - Seulgi, você sabe que eu tenho poucas folgas, se eu te fizer uma visita só vai dar tempo de descer do avião e voltar pra ele. EU estou esperando a sua visita. Eu até comprei um sofá cama maravilhoso pensando em você.- Ela disse isso se levantando do sofá e apontando a câmera para ele, até parecia uma vendedora começou a fazer poses e explicar tudo o que o sofá podia fazer.

                - Moça, eu não quero comprar nada obrigado. Mas eu aceito a visita. Faz um tempo que já não me concentro no trabalho, às vezes tenho vontade de largar tudo, pegar meus dois reais e voar para Coréia caçar oppas com você.

                - Debochada!-Haneul gargalhou- É só você querer. Porque casa eu te dou. Agora se quiser comer vai ter que comprar, não tenho filha do teu tamanho!

                - Nossa mãe, eu nunca te pedi nada tu que ofereceu!

                O barulho de um telefone interrompeu nossa conversa.

                - Eu tenho que ir Seulgi, ainda tenho que arrumar algumas coisas antes de ir. Eu falei sério Seulgi. Se você quiser vir, tem onde ficar.- Ela ficou me olhando com aquela feição de "eu sei que você quer", "eu sei que você precisa".

                -Eu não sei.

                - Só depende de você. Beijo, Annyeon.

                - Annyeon.

                A ligação foi encerrada, mas ficou a dúvida, largo tudo agora e vou pra Coréia ou continuo economizando para o meu futuro, que nem sabia direito onde me levaria, eu só sabia que não era ali que deveria ficar. Isso não é algo que se decidi da noite pro dia, mas também não dá pra ficar remoendo pensando que poderia ter ido mas perdeu a chance.

                Eram quase 01:00 da manhã quando terminei o trabalho e fui dormir. Mas fui pensando que poderia dar o primeiro passo para começar uma mudança, quem sabe o primeiro passo para realizar meus sonhos.


Notas Finais


Vou continuar me esforçando para terminar a fic, não a quero muito extensa talvez uns 25 no máximo (pode ser menos), pretendo postar 1 capitulo por semana.
Muito obrigada, Fighting!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...