História Psicologicamente Falando - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shawn Mendes
Personagens Personagens Originais, Shawn Mendes
Exibições 744
Palavras 3.862
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


HEEEEEEEEEEEEEY!
E finalmente chegou o presente e.e
Primeiro de tudo, vou agradecer a @BecNanda porque ela me ajudou no cap, já que eu tive um puta bloqueio criativo. Obrigada, viada <3
E em segundo, vou dizer que sugiro que leiam o cap ouvindo Skin, da Rihanna. Vocês já sabem o esquema, o link estará nas notas finais u.u
Boa leitura o/

Capítulo 26 - Presente


Fanfic / Fanfiction Psicologicamente Falando - Capítulo 26 - Presente

As luzes do hotel diminuíram, e me lembro de ter sido a única hóspede de pé quando resolvi descer. Nenhum funcionário havia me visto, e rezo para que nenhum deles resolva dar as caras agora porque não vai ser nenhum pouco fácil explicar o porquê de eu estar pelada na piscina do hotel.

Bom, é uma longa história!

Porém, diante da situação, só consigo me focar numa única pergunta: Não é incrível como a vida é uma coisa e de repente torna-se outra? Porque, se alguém tivesse chego na Emma recém formada em Yale e dito que dali há um semestre ela estaria apaixonada por um paciente e fazendo todo tipo de loucura com ele e por ele, essa Emma provavelmente riria da cara da pessoa ou até mesmo arriscaria algum diagnóstico de doença mental.

Mas agora… É como se eu não conseguisse imaginar a minha vida sem tudo o que estava acontecendo.

Sem ele.

Passos próximos me despertam dos meus pensamentos, e mergulho no mesmo instante. Me mantenho submersa até ver sua silhueta se aproximando da borda da piscina, então retorno a superfície com os olhos fechados e com a cabeça pendendo para trás, só para que os meus cabelos não caíam sobre o meu rosto.

— Você é louca… — ouço Shawn dizer.

Abro os meus olhos juntos de um sorrisinho. Ele está parado há pelo menos um metro da piscina, segurando o biquíni com uma das mãos. Não consigo evitar notar a descrença em seu olhar conforme me analisa, mas ainda assim há um sorriso falhamente contido em seus lábios.

É óbvio que ele gostou da surpresa, ou pelo menos está gostando da vista.

— Estava conversando com uns caras da equipe e descobri que você passa por muitos lugares todo ano, mas duvido que tenha tempo para aproveitá-los… — digo, jogando os cabelos molhados para o lado.

— Bem observado, Reid. — Shawn arqueia uma sobrancelha. — Mas você parece decidida a mudar isso nessa turnê, não?

Dou de ombros em resposta.

— Se tivesse tempo, já teria descido para essa piscina há tempos. — prossigo, nadando um pouco para a esquerda. — E também já teria descoberto que as câmeras de segurança não pegam a parte onde estamos, que é coberta pela estrutura do hotel.

Sua expressão se suaviza, e um sorriso divertido passa a estampar seu rosto conforme ele analisa os pontos das câmeras, confirmando a informação.

— Você sabe que meu aniversário já acabou, não? — arqueio uma sobrancelha para aquilo.

Nado de costas, deixando que meu corpo volte a superfície.

— Seu aniversário só acaba depois que você vir pegar o presente. — pisco. — A não ser que, claro, você tenha gostado mais do biquíni…

Os olhos de Shawn baixam para as peças e retornam para o meu corpo, e não demora nem dois minutos para que ele jogue o biquíni sobre uma das espreguiçadeiras e comece a tirar as próprias roupas. Mordo o lábio e vejo suas sobrancelhas se arquearem quando ele encontra as minhas roupas na espreguiçadeira ao lado, e me pergunto mentalmente se Shawn considera a ideia de pegá-las e sair correndo pelo hotel.

Não, ele não faria isso, até porque provavelmente sabe que eu sairia correndo pelada logo atrás dele, e duvido que meu namorado iria gostar se os outros funcionários do hotel me vissem desse jeito.

Imagino as fotos nas revistas no dia seguinte caso isso venha a acontecer, o que me faz estremecer da cabeça aos pés. Até decido nadar um pouco mais para baixo da cobertura, só por precaução.

Shawn entra na piscina, e assisto com um sorriso quando ele mergulha e nada até mim. Vejo seus braços se fecharem ao meu redor e solto um gritinho abafado quando ele retorna a superfície, me erguendo um pouco acima do nível da água. Meu corpo fica exposto do busto para cima e os calafrios começarem a me percorrer, o que faz com que eu me agarre a ele. Prendo as minhas pernas ao redor de sua cintura e os braços ao redor de seu pescoço, sentindo nossos corpos se grudarem.

— Como sabe que eles não vão aparecer aqui? — diz, nos aproximando da borda.

— Eles já fizeram uma ronda, só vão fazer outra pela manhã. Mas, por algum motivo, eles não trancaram a entrada. — reviro os olhos, dando uma leve mordida em seu queixo. Sinto minhas costas contra a beirada e aperto ainda mais as pernas ao redor dele. — Agora, pode por favor parar de se preocupar? Até onde eu sei, você está ocupado com coisas mais interessantes…

Shawn se volta para mim, sorrindo maliciosamente, e no instante seguinte choca sua boca com a minha, me fazendo correr as mãos pelos seus cabelos e costas, prendendo-o no meu abraço. Ele me esmaga contra a parede da piscina, sua mão esquerda segurando minha bunda e apertando-a de encontro a ele, enquanto que a direita puxa os meus cabelos e movimenta minha cabeça, dando mordidas nos meus lábios. Acabo arfando, e meu quadril não demora a se mover contra o dele.

Uma das mãos desliza até o meio das minhas pernas, fazendo minha intimidade se contrair e o meu corpo se arquear com o ato. Tento reprimir o gemido mas não obtenho tanto sucesso, ainda mais quando seus dedos passam a estimular o meu clitóris e então me invadem de vez. Aperto os olhos e jogo a cabeça para trás, rebolando sobre sua mão enquanto ele aumenta mais um dedo.

— Eu devia te deixar assim, sabe… — ouço-o murmurar conforme os desliza pela minha entrada e então torna a colocá-los.

Mordo o lábio pra reprimir o gemido e volto a encará-lo, abrindo um sorrisinho convencido.

— Mas não vai. — afirmo com a confiança abalada pelos movimentos.

— Você parece muito segura, Reid…

Deslizo uma das mãos pelo seu troco até finalmente conseguir segurar seu pau, o que lhe faz parar de falar na hora. Faço a minha melhor cara de inocente quando seu olhar foca em mim, com a boca se entreabrindo enquanto o envolvo e começo a mover a mão para cima e para baixo.

— Você não sabe brincar. — ele geme, a mão tremendo conforme aumento o ritmo das minhas.

— Claro que sei, amor. — inclino a boca na direção dele, puxando seu lábio inferior.

Esfrego a glande com a ponta dos dedos e ele empurra o quadril contra o meu, ofegando no meu pescoço e voltando a esfregar meu clitóris. Em compensação, minhas mãos falham e meu corpo inteiro treme, demonstrando o quão fácil e necessitada estou.

O que? Não é fácil ignorar um homem desses o dia inteiro!

Sinto suas veias começarem a saltar por entre as minhas mãos e o solto, subindo as mãos até seus ombros. As dele agarram a minha bunda e sinto o meu corpo levantar conforme ele desce os beijos pelo meu pescoço, me causando arrepio por toda a linha que ele trilha sobre a minha pele. Seus lábios correm pela minha clavícula, descendo pelo busto enquanto sinto meu corpo inflamar novamente, já pronto para outra.

E para mais quantas virem hoje.

Empurro o meu quadril para baixo e solto um gemido abafado quando sua boca toca os meus seios, mas ele parece entender o recado e volta a me encaixar em seu corpo. Sinto-o contra a minha entrada e resmungo de frustração, sentindo alguns espasmos correrem o meu ser conforme tento me empurrar para baixo. Apesar da água fria da piscina, o calor começa a piorar cada vez mais.

E então ele me invade sem qualquer aviso prévio, sem qualquer folga. Escondo o rosto em seu ombro para abafar o gemido alto demais, e apesar do movimento rápido e forte, meu corpo logo passa a implorar por mais. Rebolo sobre ele e afrouxo as pernas ao seu redor, lhe dando mais facilidade para se mover, e assim ele o faz. Sinto-o entrar e sair conforme minhas costas raspam contra a parede da piscina e, por mais que eu tente reprimir os gemidos, eles saem a todo vapor, se misturando com os dele.

Tenho dó de quem está hospedado nos primeiros andares.

O quadril de Shawn se move rápido contra o meu, com suas mãos me prendendo com força no lugar. Uma delas sobe, se emaranhando nos meus cabelos e os puxando para o lado, com o movimento se revertendo em mais agonia na minha intimidade e em mais um gemido alto demais. Pendo a cabeça para o lado como uma boa menina e sinto sua boca sugar a pele do meu pescoço, o que faz minhas unhas correrem automaticamente para as suas costas.

Ele aperta mais forte a minha bunda, me empurrando contra ele conforme entoca com força. Sinto o meu corpo subir e descer, sinto sua boca correr o meu pescoço de uma ponta a outra e sinto ele gemendo abafado contra a minha pele. O ar é quente e sua boca vacila, mas o restante do corpo permanece bem firme conforme os movimentos prosseguem. Posso senti-lo , cada centímetro de pele tocando o meu interior, e não posso negar que dessa vez é bem melhor.

Não há literalmente nada nos separando.

Num movimento rápido, suas duas mãos descem para o meu quadril e o seguram firme no lugar, entocando com mais força. É demais para mim, sinto meu corpo inteiro entrar em colapso conforme me prendo a ele, com os tremores me correndo dos pés a cabeça. Minhas pernas se apertam ao redor de seu quadril mas não demoro a soltá-lo, deixando que ele continue a se mover.

Minutos depois, seu rosto se esconde na curva do meu pescoço e Shawn solta um grunhido abafado. Passo os braços ao redor dele conforme ambos tentamos recuperar o fôlego, e sinto suas mãos deslizarem pelas minhas pernas conforme tomo coragem para me soltar dele.

— Feliz aniversário. — sussurro, ouvindo-o rir e passar os braços pela minha cintura.

— Ótimo presente, Reid. — diz, erguendo o rosto avermelhado para me encarar. Ele me dá um beijo rápido, puxando meu lábio por entre os dentes.

— Isso quer dizer que você já teve o suficiente dele? — me afasto, arqueando a sobrancelha.

Shawn abre a boca, surpreso, e tenho que conter os risos diante de sua cara de espanto. Acabo por apenas abrir um sorriso convencido.

— Parece que não fui o único a sofrer com essa história de greve. — ele conclui, imitando meu sorriso. — Não fui o único a ficar necessitado...

— Se continuar falando da greve, vou recomeçar tudo, ok? — reviro os olhos, fazendo-o fechar a cara.

Seus braços me apertam mais forte e sinto nossos corpos se grudarem, o que me faz perder o fôlego. O seguro por entre as minhas pernas novamente e tento espalmar as mãos em seu peito para empurrá-lo, mas acabo me perdendo ao sentir os músculos sob os meus dedos. Me lembro do dia da academia e mordo o lábio, notando que agora posso fazer tudo o que fantasiei naquele dia.

— Eu ia adorar te foder aqui de novo, mas você está começando a ficar enrugada. — ele sussurra na minha orelha, e apesar dos risos, os pelos da minha nuca se arrepiam do mesmo jeito.

— Então acho que você vai ter que me levar para o seu quarto. — sussurro, roçando os lábios nos dele.

Shawn abre um sorrisinho malicioso e eu me afasto, me virando de costas e apoiando as mãos na beirada da piscina. Dou impulso para cima sentindo a minha bunda se roçar nele e então ele me segura pelo quadril, me ajudando a sair. Meu corpo inteiro se arrepia com o frio e torço os meus cabelos, seguindo então até a espreguiçadeira e pegando as toalhas. Coloco uma sobre os meus ombros e me viro a tempo de vê-lo sair da piscina.

Porra!

Ainda bem que eu não estou de calcinha, senão a pobre estaria molhada.

Atiro uma das toalhas para ele, que a apanha no ar e seca os cabelos. Seu olhar desce pelo meu corpo e engulo em seco, desviando a minha atenção para a espreguiçadeira. Tiro o excesso de água dos cabelos e enxugo a minha pele, logo puxando as minhas roupas íntimas e então as outras peças: um short jeans claro e uma camisa branca soltinha.

Quando volto a olhar para Shawn, ele já está completamente vestido e preciso me conter para não fazer um beicinho.

Tudo bem que ele é lindo de qualquer jeito, mas sem as roupas estava melhor.

Pego a toalha e não consigo evitar um risinho ao apanhar o biquíni, atraindo sua atenção.

— Vem, garotinho. — digo, me afastando de costas rumo a entrada da área da piscina.

Seguro a calcinha do biquíni pela alça, rodando-a no dedo indicador enquanto Shawn ri. Me viro, jogando os cabelos para o lado enquanto adentro no prédio, encontrando o saguão deserto. Estou na metade dele quando sinto duas mãos deslizarem pela minha cintura, seguidas de dois braços se fechando ao redor dela. Sorrio de lado e então o corpo de Shawn se gruda as minhas costas conforme caminhamos até o elevador.

Dois funcionários passam por nós, os olhares curiosos fixos na gente até que o elevador abra as portas. Franzo o cenho, me perguntando se eles finalmente notaram que esqueceram o portão da piscina aberto. Abro um sorriso divertido e me enfio dentro do cubículo com Shawn ainda junto a mim.

Azar o deles.

As portas se fecham e me viro para Shawn, com ele me empurrando até a parede no fundo do elevador e usando o seu corpo para me manter presa. Seguro seu rosto entre as mãos e ele aperta meu quadril, juntando os lábios aos meus com urgência. Ergo uma das pernas, prendendo-o contra mim enquanto sinto seu quadril contra a minha barriga, por conta da altura. Ele parece notar o fato, já que se abaixa, segura a minha bunda e então se levanta de novo, fazendo com que eu tranque as pernas em sua cintura.

— Se o elevador abrir… — murmuro contra o beijo, mas não hesito em enfiar a mão por debaixo de sua camiseta e arranhar o seu tórax.

— Falou a garota que quis transar na piscina. — ele rebate, deslizando as mãos por debaixo do meu short e apertando a minha bunda.

Suas mãos se enchem com ela, agarrando-a com força e me fazendo arfar, mas o elevador apita e solto as minhas pernas no mesmo instante, mesmo que pouse no chão com as coitadas bambas. Lhe dou um selinho, seguindo para fora assim que as portas se abrem.

— Sem Strip Tease no corredor hoje? — ele pergunta, caminhando ao meu lado.

Lhe encaro com as sobrancelhas arqueadas e mordo o lábio.

— Hoje eu reservo a minha nudez só pra você. — pisco, com Shawn rindo.

Ele libera a porta com o cartão e sou a primeira a entrar, atirando meu bolo de toalha e biquíni no chão. Shawn faz o mesmo, batendo a porta atrás dele e não demorando nem dois minutos para seguir até mim e me pegar com força, colando a boca a minha. Fico nas pontas dos pés, mas ele se inclina enquanto nos conduz até a cama e acabo por cair sobre o colchão assim que minhas pernas tocam o móvel.

Shawn sobe por cima de mim, se freando na altura da minha cintura enquanto puxa minha camisa para cima. Sua boca toca a minha barriga e eu abro as pernas, deixando que ele caia no meio delas, e então ergo os braços para que ele possa tirar a peça. Sinto o tecido deslizar pelo meu corpo e então seus dedos se prendem no meu sutiã, puxando os dois de uma vez conforme sua boca vai subindo, causando arrepios em qualquer lugar que toque.

Quando as peças são arrancadas, Shawn volta a me beijar e não demora a se livrar do meu short e da minha calcinha, mas o empurro na cama e fico por cima. Me inclino sobre ele, empinando a bunda e rebolando o quadril sobre o dele conforme nos beijamos. Puxo sua camiseta para cima e ele só se separa de mim para removê-la, então começo a descer pelo seu corpo. Minha boca toca cada centímetro de pele exposta, desde o pescoço até cada parte daquela barriga, parando aos pés dela para que eu consiga desabotoar a calça. A puxo para baixo junto da cueca e então ele salta para fora, ereto e rígido.

O agarro pela base, feliz por estar sóbria dessa vez, e me arrisco a colocá-lo inteiro na boca, sentindo a glande tocar a minha garganta. Ouço a respiração de Shawn sair entrecortada e o corpo dele se move abaixo de mim, com uma de suas mãos correndo até os meus cabelos e formando um rabo de cavalo desajeitado ali. Seguro em sua coxa com a mão livre e o sugo com força, com ele controlando os movimentos através do cabelo. Afasto o rosto, chupando a glande e deslizando a língua pela extensão, erguendo o olhar na direção dele.

Seu rosto está contorcido, e ele morde o lábio ao encontrar o meu olhar. Abro um sorrisinho e torno a engoli-lo até a base, voltando para a glande então.

— Porra, Emma! — Shawn geme, empurrando a minha cabeça de encontro ao seu quadril.

O sugo novamente e ele se remexe na cama, mas quando nossos olhares se encontram de novo, Shawn tem um sorriso divertido. Franzo o cenho e ele pende a cabeça para o lado, ainda me encarando.

— Vem aqui. — diz, me chamando com a mão.

Ainda curiosa, o solto e subo um pouco mais, com Shawn dando dois tapas leves na barriga. Me sento devagar ali, me inclinando para beijá-lo.

— De costas, Reid. — ele dita durante o beijo.

Mal consigo me conter de curiosidade, então obedeço sem pestanejar.

E só então noto do que se trata.

Me inclino na direção de seu quadril, voltando a chupá-lo conforme ele puxa minhas pernas mais para cima, deixando nossos troncos colados. Shawn passa os braços ao redor das minhas coxas e minhas pernas ficam sobre seus ombros, e tento não surtar diante do que estamos fazendo.

Porra, nós temos que comprar um kama sutra depois dessa!

Mas sinto sua boca lá e é impossível não me afastar para gemer. Minhas unhas se cravam nas suas coxas e jogo a cabeça para trás, com a sua língua deslizando pela minha entrada e então brincando com o meu clitóris. Mexo meu quadril involuntariamente e ele acerta um tapa na minha bunda, mas é impossível ficar quieta.

Deus, que sensação é essa?

Me obrigo a recobrar os sentidos e me inclino sobre seu quadril, enfiando-o na boca para abafar os gemidos. Shawn vacila e aperta minhas coxas com força, o que me faz sugá-lo com mais força enquanto que ele faz o mesmo, provavelmente se vingando. Seguro a glande e desço os chupões até a base, rodeando-o com a língua enquanto tento não me perder por conta de seu toque. Não me parece novidade quando falho miseravelmente, gemendo enquanto volto a chupá-lo.

— Emma, não quero gozar na sua boca. — ele geme, e apesar de gostar da posição, ainda o quero dentro de mim de novo.

Apoio em suas pernas para levantar e então troco de posição, finalmente encontrando seu sorrisinho presunçoso. Mordo o lábio e ele se inclina minha direção, se encaixando em mim enquanto baixo meu quadril devagar, mas suas mãos me empurram para baixo e solto um gemido de surpresa quando ele me preenche com força.

Apoio em seus ombros e movo meu corpo para cima e para baixo, com ele ainda me segurando e me auxiliando nos movimentos. Sinto o meu cabelo molhado nas costas e algumas gotas caem entre nós, o que rouba a minha atenção para o quão sexy ele fica com aqueles pingos d’água em sua pele. Mordo o meu lábio e paro de quicar, rebolando sobre seu colo enquanto me inclino e sugo uma das gotas em seu peito, com Shawn pendendo a cabeça para trás e gemendo baixo. Subo os chupões até chegar em seu queixo, onde mordo devagar e o beijo conforme volto a me mover.

É quente, forte e rápido, e o arranho sem dó conforme o ritmo vai se intensificando, os gemidos enchendo o quarto e tornando a atmosfera ainda mais abafada. 

Quando meu corpo treme e relaxa pela terceira vez na noite, ele me agarra e troca as posições de novo, me deixando por baixo e então voltando a se mover. Mantenho as minhas pernas contra as laterais de seu corpo e pendo a cabeça para trás no travesseiro, gemendo quando ele investe com mais força. Me sinto mais sensível, com a sensação se intensificando com todos os toques de sua pele contra a minha.

Shawn solta um gemido alto e me aperta por entre suas mãos, parando aos poucos. Quando volto a encará-lo, ele ofega enquanto me encara, o rosto ainda mais vermelho e os cabelos grudando na testa. Rio baixo e me inclino para beijá-lo, soltando um muxoxo quando ele sai de dentro de mim. Logo depois ele se afasta, caindo ao meu lado na cama.

Demora alguns minutos para que meu peito pare de subir e descer tão rápido, e quando finalmente me acalmo, me viro para ele e me arrasto até que nossos rostos fiquem na mesma altura.

— Feliz aniversário. — repito, com Shawn rindo.

— Acho que você gostou do presente tanto quanto eu. — diz, afundando a cabeça no travesseiro.

Reviro os olhos e puxo os lençóis, com ele me agarrando de volta.

— Engraçadinho. — sussurro, nos cobrindo e então me deitando.

Passo os braços ao redor dele e apoio a cabeça em seu peito.

— Mas você não pode negar que gostou. — sinto meu rosto corar diante da insistência e agradeço mentalmente por ele não conseguir ver. Acabo mantendo o silêncio em resposta. — Uou, e eu aqui pensando que ignorância não fazia parte do pacote de aniversário…

Respiro fundo e apoio o queixo nele, finalmente encarando-o. Shawn sorri divertido.

— Seu aniversário já acabou. — arqueio a sobrancelha. — E você tem duas horas de sono, é melhor dormir logo.

— Por que as virgens sempre ficam irritadas depois da segunda vez?

Engulo em seco, mas acabo espelhando seu sorriso, que vai se desmanchando a medida que o meu só aumenta.

De onde raios ele tirou que eu era virgem?

— Quem, Reid? — Shawn fecha a cara, assumindo um tom firme.

— Você vai me dizer com quem você perdeu? — ele nega no mesmo instante. — Pois bem, por que eu diria?

Shawn bufa e eu reviro os olhos, enrolando as minhas pernas na dele.

— É na cama de quem que eu to pelada agora mesmo? — digo, deslizando a unha do indicador pelo seu peito.

Ele tenta resistir, mas vejo um sorrisinho começar a brotar em seus lábios.

— Me lembre de comprar a pílula amanhã. — deito e me ajeito novamente, com Shawn passando os braços ao meu redor.

— Se depender de mim pra lembrar alguma coisa, vamos acabar com uma mini Emma correndo por ai daqui nove meses. — ele finge estremecer abaixo de mim e cravo as unhas em seu braço. — Outch! Tá, eu lembro.

— Tem que ser uma mini Emma mesmo, porque se for um mini Shawn, estaremos fodidos! — resmungo, ouvindo-o bufar.

— Boa noite, Reid.

— Boa noite, Mendes.

Apesar de tudo, acabo por apagar com um sorriso enquanto imagino duas crianças teimosas demais tentando pirar as nossas cabeças.


Notas Finais


Skin: https://www.youtube.com/watch?v=IudFHngr37Y
ATÉ QUE FICOU UM CAP GRANDE HAHA
E que teve uma bipolaridade nesse cap, ah se teve! Começou nos pegas e terminou fofinho, né non?
E essa história sobre mini Emma e mini Shawn... Ai deos <3 haha
Mais alguém ficou iludida? Pq eu fiquei mesmo!

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=CoJ4CL2dZEc
Playlist: https://www.youtube.com/playlist?list=PLc63QemWQ2LoCylU4S2IzrfXUTHo_U-ow
Grupo do face: https://www.facebook.com/groups/546395568895604/
E onde mais me achar haha: http://ask.fm/AtriaGrey ou https://twitter.com/sickeningmendes

Nos vemos em breve!
Xx


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...