História Psicose - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Akamaru, Anko Mitarashi, Chiyo, Chouji Akimichi, Deidara, Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Iruka Umino, Itachi Uchiha, Jiraiya, Kabuto, Kakashi Hatake, Kankuro, Karin, Kiba Inuzuka, Kimimaru, Kisame Hoshigaki, Kizashi Haruno, Konan, Konohamaru, Kurenai Yuuhi, Kushina Uzumaki, Madara Uchiha, Maito Gai, Mebuki Haruno, Mei, Mikoto Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Obito Uchiha (Tobi), Orochimaru, Personagens Originais, Sai, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shino Aburame, Shizune, Suigetsu Hozuki, Temari, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju, Yamato
Tags Mistério, Naruto, Sakura, Sasuke, Universo Alternativo
Visualizações 44
Palavras 1.860
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Estupro, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu não vou falar nada... Só aproveitem o capítulo revelador.

Capítulo 11 - A Verdade Atrás Da Máscara


Fanfic / Fanfiction Psicose - Capítulo 11 - A Verdade Atrás Da Máscara

Capítulo 10

A Verdade Atrás Da Máscara



 Observei quando a porta de casa foi aberta, passando logo em seguida Itachi, Shisui e Obito. Atrás deles meu pai vinha com uma carranca no rosto, provavelmente de desgosto. Não pude evitar conter um sorriso quando vi que eles estavam encrencados.

 Avô Madara acordou ao pulo na poltrona onde estava cochilando e olhou para os netos.

 — E então? — perguntou antes de soltar uma tosse para limpar a garganta.

 — Bateram o carro em um poste. A sorte é que não tinha ninguém na rua, paguei a fiança e não vão sair a noite até que aprendem a beber — contou com raiva olhando para os três, antes de olhar para mim — Sinto muito Sasuke, o carro que eles bateram foram o seu. Porém, o dinheiro do conserto vai ser deles. Agora subam os três é vão tomar um banho, estão com cheiro de cachaça velha — mandou Fugaku antes de ir para a cozinha.

 Observei os três subirem as escadas, completamente atônito com o que meu pai disse. Meu sorriso desmanchou-se enquanto via meu pai caminhar para a cozinha. Olhei em choque para vô Madara que já cochilava na poltrona reclinável de couro.  

 Minha boca estava aberta em total surpresa. O prejuízo final havia sido meu de qualquer forma. Antes que eu pudesse levantar para reclamar com o meu pai, senti o celular no meu bolso vibrar. Peguei-o vendo que era uma mensagem de Naruto.


 “Hey Teme! As coisas andam um pouco pesadas aqui em casa depois do sequestro da Hanabi. Hinata estará chegando em breve o que vai me deixar com o tempo mais curto. Então pensei que é melhor vc ir lendo os arquivos sem mim.” Dobe, 8:45am


 Suspirei me acalmando depois de ler a mensagem do Naruto. A polícia londrina estava em peso para achar as duas meninas desaparecidas, uma com a confirmação de ser vítima de White Snake a partir de um depoimento deixado na noite de seu desaparecimento e outra com uma suposta suspeita.

 Encarei meu avô que agora dava pequenos roncos audíveis, completamente recluso ao ambiente externo. Levantei com cuidado para não acordá-lo uma vez que o mesmo estando cochilando, tinha o sono muito leve e acordava por qualquer ruído.

 Na medida que ia me desaproximando dele e chegando para cada vez mais perto para a escada, me perguntei se quando chegasse em uma idade avançada estaria cochilando em qualquer encosto que encontrava.

 Subi até o corredor escutando-o em silêncio, sendo ele causado por Itachi, Shisui e Obito que provavelmente estariam dormindo. Entrei no quarto em passos leves e caminhei direto para o criado mudo onde o Pen Drive ficava guardado.

 Peguei-o indo direto para meu computador em cima da minha escrivaninha. Iniciei ele inquieto, plugando logo o Pen Drive e abrindo no próximo documento disponível, querendo saber mais sobre o que Sakura tinha para me dar hoje.



        “27 de Outubro de 2016

 Está pronto. E disponível para todos, a verdade enrustida em personagens fictícios que são reais. Logo você entenderá, e com a ajuda de Naruto com o sistema inativo do manicômio vocês poderão conseguir a ficha. Minha ficha.

 Temos uma história a partir do ponto de vista da protagonista louca e a partir dos prontuários do Hospital Para Doentes Mentais.

 Creio eu que o nosso tempo acabe por agora, e com o segredo revelado sem prolongar nada.

 Depois das férias de Miami, Sasuke e Naruto entraram para o time de basquete Júnior da escola. Nos víamos cada vez menos e os encontros no Lemonade's foram reduzidos a zero. A máscara da indiferença vestia e grudava tão bem em seu rostos que, quando notei me encontrei completamente sozinha, com os medos do passado batendo na minha porta. Eu não sei exatamente como aconteceu, mas aconteceu. Quando percebi, eu já não tinha meu corpo só para mim, eu dividia-o com personalidades completamente o oposto de mim. Eu dividi exatamente quatro pessoas no mesmo corpo, mas nunca cheguei a conversar com elas, tudo que me lembrava era de ter ido dormir na terça-feira e acordar no Domingo. Eu não sabia o que acontecia entre esse intervalo de tempo, eu nunca sabia.

 Mas foi depois que fui diagnosticada com transtorno de múltiplas personalidades e ter sido internada naquele maldito Hospital. Que o meu inferno começou hoje.

                                                             S.H”



 Quando os olhos verdes se abriram no porão lúgubre, logo trataram de olhar para o chão próximo ao seus pés amarrados. O corpo de Hanabi já não estava mais ali e deu um suspiro de alívio ao constatar que o corpo frio e sem vida da garota não se encontrava tão perto de si.

 Escutou o barulho de talheres batendo contra a pia atrás de si sendo substituído pelos passos pesados de White Snake.

 Ele puxou uma cadeira, posicionando-a ao lado de Sakura, virada de frente. Sentou-se calmamente fitando Sakura de perfil.

 — Onde está o corpo dela? — perguntou com a voz baixa. White Snake deu um sorriso por detrás da máscara branca, deixando os braços caídos ao lado do seu próprio corpo.

 — Em algum lugar — respondeu vagamente.

 Encarou-a por alguns segundos antes de levantar eufórico e descontrolado. A cadeira caiu no chão com tamanha intensidade de força feita para levantar.

 — É isso, sim, sim, sim, sim — murmurou descontrolado indo até a pia e puxando uma faca para depois voltar para frente de Sakura. Ela engoliu em seco e observou-o completamente assustada. Em movimento brusco, White Snake curvou o corpo indo encontro com o de Sakura e fitou as esmeraldas lacrimejantes — Já me decidi o que iremos fazer hoje querida. Vamos jogar um jogo divertido, eu pergunto e você responde — explicou. Ele puxou a cadeira agora para sentar de frente para Sakura, apontando a faca para ela — Mas para ficar divertido, eu vou arrancar cada dedo seu em uma resposta que não me agrade.

 Por reflexo, encolheu os dedos para dentro da palma da mão. White Snake soltou uma gargalhada horrenda, Se divertindo com o sofrimento dela. Levou a faca para onde seus dedos estavam, passando por debaixo e puxando-o agressivamente para que abrissem. Um pequeno corte fez se presente nos dedos, deixando White Snake satisfeito.

 — Não se preocupe, eu já brinquei disso com a minha mãe quando eu era criança, ela arrancou o meu dedo mindinho por ter mentido para ela — revelou risonho — Quantas pessoas você já matou? — Logo seu tom risonho foi substituído por um sombrio e macabro.

 Sentiu quando ele pressionou a faca em seu dedo mindinho.

 — Muitas — revelou com a voz baixa.

 — Eu quero um número — respondeu friamente.

 — Eu não sei — viu ele se inclinar mais e a faca pressionar fortemente seu dedo — Em torno de vinte. É esse número que eu dou.

 Um sorriso satisfeito se abriu no rosto dele mas era encoberto pela sua máscara branca.

 — Isso mesmo, devemos aprender a jogar esse jogo a dois — falou com a voz aveludada, passando a faca na bochecha rosa de Sakura — E quantas vezes, você já tentou se matar? — perguntou provocando-a. Os olhos de Sakura arregalou-se para fora das pálpebras e balançou a cabeça em total descrença.

 Sentiu quando a lâmina fria abandonou sua bochecha para retornar a alojar-se no dedo mindinho. Piscou repetidas vezes para controlar as lágrimas.

 — Por que? — perguntou com a voz falha por conta do choro preso na garganta. — Por que quer saber tanto?

 White Snake torceu os lábios em completo desprazer. Pressionou a faca contra o dedo fortemente, proporcionando um pequeno corte. Um filete de sangue escorria ao mesmo tempo que um breve gemido sôfrego saía de seus lábios.

 Ele levantou a lâmina vagarosamente alguns centímetros acima e rapidamente desceu a faca em direção ao dedo, decepando-o com força.

 Deixou que um grito de dor abandonasse seus pulmões e parou de reprimir as lágrimas dos olhos.

 — Primeiro castigo: eu é que faço as perguntas, não o contrário. Agora responda — pressionou-a para responder.

 — Q-Quatro — falou com dificuldade.

 White Snake deu um sorriso satisfeito e soltou uma gargalhada, soltando a faca em cima da mesa ao lado dele. Quando recuperou o fôlego retornou a olhar para Sakura.

 — Não me surpreendo tanto assim. Skillex era medrosa, depressiva, pessimista. Seus sentimentos negativos estavam todos centrados nela… A parte que era mais afetada pelo ambiente externo e dos seres humanos egoístas — afirmou com a voz baixa, quase sussurrando. Ela estava a um palmo do seu rosto e a encarava com a mandíbula trincada em pura raiva.

 Em um salto, ele se levantou da cadeira abruptamente fazendo-a cair no chão ocasionando um amplo e estrondoso barulho. Ele murmurava coisas desconexas e gesticulava nervosamente com a faca na mão.

 — O mundo é sujo, as pessoas que vivem neles são, nós somos imundos! — falou alto enquanto levava as mãos para os cabelos compridos e os puxava com força — Todos querem parecer que são normais, eles não são, eles não são, não enquanto desejam o mal e o pior. Eles causam tudo isso, eles são os culpados, não somos nós, não somos — seu uma pausa completamente descontrolado — Eles causam tudo isso e depois querem acabar conosco! — gritou enquanto continuava a puxar os cabelos — São completamente hipócritas! Não existe pessoa boa aqui, não existe, não existe.

 “Eles sempre encontraram um jeito de te abandonar no final.” Seu olhar que antes estava vidrado no chão passou a olhar de forma psicótica para Sakura. “Não concorda comigo, Sakura? Sua mãe no final de tudo a abandonou não é mesmo? Responda-me!” Gritou a última frase. O corpo miúdo da Haruno sacudia com os soluços que dava. Nunca havia ficado com tanto medo igual como estava naquele momento. Ela acenou positivamente para ele, evitando encará-lo. “ Isso mesmo, não minta para mim, não minta… Minha mãe me ensinou a não mentir nessa mesma forma. E quando eu matei ela foi a melhor sensação que já tive, se eu pudesse reviveria ela para que eu pudesse matá-la mais uma vez, e outra, e mais outra.” Deu uma pausa dando uma risada satisfeita e psicopata. “ Voltaria para o momento em que eu enfiava a faca no coração dela e a via morrer lentamente. Só depois disso que eu consegui entender porque ela gostava tanto de me torturar. Era tão gratificante vê-la daquela forma, mas eu não poderia deixar o mundo contaminado por mais delas, eu tinha que acabar com todas.” Seu olhar se tornou vazio e sem foco.

 — Você é doente — respondeu Sakura com o rosto banhado de lágrimas. Antes que pudesse prever algo, viu quando ele desceu a faca no seu dedo.

 — Cala a boca — gritou White Snake. — Não seja hipócrita como eles, lembra-se de todas as suas vítimas?

 Ele jogou a faca para o outro lado do quarto e caminhou para fora do porão.

 A dor na mão de Sakura era maçante e ela não podia fazer nada a não ser chorar e gemer de dor.

 E pela primeira vez viu White Snake completamente descontrolado em um episódio de mania.

  


Notas Finais


Quase três meses sem postar capítulo novo é completamente vergonhoso para mim, podem apostar.
O motivo da demora é que eu acabei tendo um bloqueio criativo e nada que eu escrevia me agradava, e veio as semanas de provas tudo junto e depois eu não sabia como continuar de onde parei.
Tinha até pensado em excluir a fanfic, mas acabei desistindo e achei uma novo inspiração (que eu aproveite ela). Queria pedir desculpas do fundo do meu coração e não vou prometer que vou postar capítulo rapidamente, mas eu não vou desistir de Psicose.


Quem quiser entrar em contato comigo para saber sobre os capítulos futuros (quem sabe rola até um pequeno spoiler) ou quiser bater um papo podem me mandar MPs.
Isso tbm serve para os leitores fantasminhas. Aparecem pessoal, eu não mordo, juro por Deus! Kkkkkkkkkkk

Obrigada pelos favoritos MARAVILHOSOS de vocês, fico MT grata ao saber que tem gente que gosta da estória!

Mas voltando ao capítulo, o que vocês acharam? Muito doentio certo??? Hn.
Foi revelado o grande trama da história. Alguém imaginava que Sakura teria múltiplas personalidades?? Agora entramos na fase em que vamos descobrir coma cada personalidade surgiu e como ela se comporta no meio externo.

Minha outra fanfic: https://spiritfanfics.com/historia/friday-the-13th-9363956

Beijão!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...