História Psiq - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens JR, Mark
Tags Got7, Jinyoung, Júnior, Mark, Mark Tuan, Markjin, Park Jinyoung
Exibições 66
Palavras 1.735
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


boa leitura

Capítulo 5 - Don't Settle For Less


Era uma terça-feira quando Junior acordou e desceu diretamente para a sala, ele não havia mais dirigido sua palavra à Mark depois do ocorrido. O castanho estava assistindo algo na televisão, ele parecia frenético e estava altamente nervoso. Mark gritava frequentemente para a televisão e aquilo estava irritando Junior, que resolveu dar uma espiadinha na televisão para ver do que se tratava toda essa loucura. A tela estava totalmente verde e haviam pequenos pontos brancos e azuis se mexendo na mesma. Era futebol.

Junior não se lembrava de alguma vez de sua miserável vida em que ele foi um grande fã de futebol, ele até poderia dizer que acha o esporte extremamente chato, mas Mark com toda certeza parecia um grande fã. Ele deu um grito estrondoso quando a equipe de branco marcou um gol, Junior por um momento pensou que ele jamais conseguiria ouvir novamente, mas ele relevou este fato quando finalmente notou a felicidade de Mark com o gol. O castanho pulou e girou no ar, e em seguida, caiu em pé com os dois braços abertos, exatamente como o jogador que havia marcado o gol.

O moreno jamais havia visto Mark tão feliz, o menino exalava felicidade, ele sorria e pulava de uma maneira contagiante, e mesmo sem entender nada da música que Mark cantarolava, Junior deu um imenso sorriso. Ele não sabia exatamente o porquê de estar sorrindo, a única coisa que ele sabia era que envolvia Mark, mas ao mesmo tempo ele não entendia o porquê de uma pessoa ficar tão agitada somente com um esporte, aquilo não se encaixava na cabeça de Junior, então, mesmo não querendo falar com Mark, ele resolveu perguntar.

—Por que você vibra tanto com um jogo de futebol? — Junior perguntou. E Mark olhou para ele no mesmo momento, ele parecia indignado com a pergunta, para ele parecia tão óbvio.

—Porque é legal? Eu não sei como responder essa pergunta, não é algo que se pode explicar em palavras, você só sente, entende? — Mark respondeu e Junior achou isso a coisa mais absurda do universo. Como era possível? Ele achava estúpido, assim como tudo em Mark. Ele era a pessoa mais bizarra aos olhos de Junior.

—Nunca conheci algo mais chato que futebol, pessoas brigam por causa de uma simples bola dentro de uma rede! — Junior disse apontando para a televisão, e coincidentemente estava passando uma briga entre torcedores e jogadores naquele exato momento. —Viu? É estúpido.

—Não é estúpido, é divertido e apaixonante. Todos os esportes são assim! — Afirmou Mark, ele parecia furioso, mas não estava. Ele logo deu um sorriso, um apaixonante sorriso. —Às vezes você parece um velho de tanto que reclama! Mas você é um fofo, sabia? — O castanho disse, fazendo com que Junior corasse.

Era impossível que houvesse algo pior do que elogios para Junior, ele jamais saberia como reagir a eles, e se tornava pior ainda com Mark fazendo-os. Ele odiava a forma como o castanho não se irritava com nada, que não fosse futebol, é claro.

—Jogadores de futebol não carregam com eles o espírito esportivo, eu realmente nunca vou sequer tocar em uma bola de futebol, e os torcedores? São muito piores! — Junior resmungou sobre como ele odiava futebol. Mark só conseguia dar gargalhadas da maneira que Junior falava enquanto tremia de nervoso com o andamento do jogo.

—Você já jogou futebol alguma vez na vida? — Mark perguntou.

—Não. — Respondeu Junior, encolhendo os ombros. Ele tinha medo de que Mark o achasse estranho por isso.

—Você pelo menos torce pra algum time? — O castanho fez mais uma pergunta. E ele parecia curioso pela resposta, uma resposta que ele particularmente sabia, mas iria perguntar de qualquer jeito.

—Não.

Mark deu um largo sorriso. Não era possível, era? Todo garoto que ele conhecia torcia para algum time, do pior ao melhor, todo mundo simpatizava com algum time, não?

—Como assim não? Você pelo menos sabe o nome de algum jogador? Sabe o que é um defensor e um atacante? — Mark perguntou ansioso por uma resposta.

Junior desviou o olhar, e se sentou no sofá, e logo olhou para a televisão.

—Não. Bem, eu sei que um defensor provavelmente deve ser algo como um goleiro, certo? E um atacante eu não sei bem o que pode ser... — Junior se achava estúpido, ele começou a suar e tudo que se passava em sua cabeça era como ele havia sido um total imbecil. Talvez ele devesse deixar as coisas que Mark gostava em paz, e não agir como um velho, certo? Mas era inevitável.

—Jinyoung, você parece um velho, mas um velho bem fofo. — Mark sorriu. E o coração de Junior bateu mais rápido por conta disso, ele adorava quando o castanho sorria, era lindo, mas não admitiria para ele, jamais. —Olha, volta pro quarto e coloca um uniforme de futebol com esse símbolo aqui ó. — Mark apontou para o escudo redondo com uma coroa em cima. —Mas pega o da outra cor, o roxo, vamos na quadra da esquina jogar um pouco.

—Eu não vou jogar futebol com você, eu não gosto de futebol. — Junior disse, levantando-se e caminhando até uma prateleira com folhas em branco e diversos tipos de lápis e canetas.

—Você pode não gostar de muitas coisas Jinyoung, mas eu duvido muito que futebol seja uma delas. Agora, por favor suba, e não esquece, pegue a camisa com o mesmo símbolo que a minha! — Mark disse. —Você não pode ficar trancado desenhando o dia todo.

Junior ficou encarando Mark por alguns segundos, mas resolveu fazer o que o castanho havia pedido, afinal, por que não tentar algo novo? Ele não queria passar uma imagem de um garoto problemático e chato. Junior então subiu as escadas e foi em direção ao quarto, o moreno abriu a gaveta e logo avistou diversas camisas esportivas, mas uma coisa que o deixou totalmente confuso foi o fato de haver camisas do time que estava jogando contra o de Mark. Por que alguém teria camisas de um time rival? Junior estava certo, o castanho era um ser humano totalmente bizarro e incompreensível, não que Junior fosse compreensível, mas Mark estava longe de ser. Mas Junior tem coragem de admitir, pelo menos para si mesmo, de que gosta disso. E por isso, ele pegou a camisa do time rival, afinal, se eles iriam jogar um contra o outro, teriam que ser de times diferentes.

O moreno colocou o uniforme vermelho e azul e desceu as escadas. Ele pensou que a escolha do uniforme irritaria Mark, mas o castanho somente lhe deu um sorriso.

—Você é tão típico, Jinyoung. — Mark disse sorrindo. —Vamos?

—Eu realmente achei esse uniforme mais bonito. Qual o nome desse time? — Junior perguntou. Mark fez uma careta, mas logo sorriu novamente.

—Eles são maus. — Mark brincou. —Mas o nome é Barcelona, um time espanhol. — Completou. —E esses são os do bem. — Disse apontando para sua camisa. — O Real Madrid, o maior time do mundo!

—Esse uniforme é bem cafona para ser do maior time do mundo, por que tudo branco? Lembra um hospital. — Junior disse, e Mark fez uma expressão de indignação.

—Você realmente não entende nada de futebol, mas vamos logo, são dez da manhã, a quadra provavelmente tá livre. — Disse o castanho, literalmente correndo para fora da casa, e ele parecia não ter intenção de frear, então Junior teve que correr atrás dele.

E foi isso durante todo o caminho, não importava o quão alto Junior gritasse para Mark parar de correr, o menino cada vez mais aumentaria a velocidade de sua corrida. Ele não parou nem mesmo quando Junior quase foi atropelado por um ônibus, Mark só parou quando chegou na entrada da quadra, e mais uma vez, ele estava sorrindo.

—Por que você fez isso? — Junior perguntou com o tom de voz alto, ele estava indignado.

—Você tem que aquecer, correr é a melhor maneira de fazer isso. — Mark respondeu descaradamente, sem ousar tirar o sorriso do rosto.

—E por que você não me avisou? — Junior estava visivelmente irritado, ele teria coragem de socar Mark neste exato momento. —Eu quase fui atropelado!

—Desculpe, Jinyoungie. — Mark disse. O seu lindo sorriso desapareceu, o que fez Junior ter um choque de realidade, talvez ele devesse ter falado em um tom mais baixo, não era sua intenção magoar Mark. O castanho pousou sua mão no rosto do moreno, deslizando seu polegar sobre sua bochecha, fazendo um leve carinho na região. Ele sabia que Junior não deveria se estressar, não era saudável e ele deveria manter seu Jinyoung bem. Mark beijou a testa de Junior.

—Eu não queria ser grosso... Desculpe, eu não consigo não ser um velho rabugento. — E Junior começou a chorar. Suas crises de ansiedades haviam sumido há um certo tempo, mas ficar perto de Mark não o ajudava, a todo momento ele estava pensando no que o castanho pensava, se ele o achava bizarro e estúpido exatamente como ele descreveria Mark, mas também se ao mesmo tempo ele o achava divertido e se seu coração se sentia feliz a cada vez que o moreno sorria, novamente, exatamente como ele descreveria Mark. —Eu quero voltar para o hospital, Mark. Eu nem sei o porquê estou aqui, eu deveria estar lá, e você também. Deveríamos estar comendo aquela comida horrível e dividindo o mesmo vaso sanitário cheio de bactérias.

—Eu não poderia te deixar lá, Jinyoungie. E eu não deveria estar lá, nem você. Eu vou cuidar de você muito melhor do que eles. — Mark confortou Junior. O castanho pegou as duas mãos do moreno e as envolveu em sua própria cintura. Ele logo encostou sua testa contra a de Junior, mas desta vez o moreno não se sentia desconfortável.

—E quem vai cuidar de você?

—Você, como sempre. — Mark disse, levantando o queixo de Junior com a sua mão direita, logo lhe dando um selinho. Eles não se importaram de estarem no meio da rua, especialmente Junior, que não se importou nem mesmo com o comentário infeliz de um senhor na janela de um prédio.

—Mark...

—Sim?

—Você não esqueceu de algo?

—Como assim?

—A bola de futebol.

Mark havia esquecido a bola de futebol, mas Junior ficou aliviado por não ter que jogar futebol, principalmente naquele estado. Ele só queria ir para casa desenhar, e talvez, quem sabe, dar mais selinhos em Mark. Com certeza ele daria mais selinhos em Mark. Ele daria vários selinhos em Mark.


Notas Finais


all the love xx


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...