História Psychiatrist - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camila Cabello, Camren, Lauren Jauregui
Visualizações 649
Palavras 1.552
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Cap 1


Lauren P.O.V

........

- Vai pra onde? - Dinah

- Encontrar alguma stripper gostosa - falo parada na frente da porta da boate de stripper

- Queria que você fosse que nem você é no seu emprego, porque você fora dele é uma festeira - Dinah

- Olha quem fala - 

- Eu não fico mais indo pra boates, muito menos de stripper, hoje em dia eu vou pra casa da Mani - Dinah

- Claro, você está apaixonada querida, manda um beijo pra Mani, tchau -

- Vou mandar, tchau - Dinah fala entrando no meu carro -  Amanhã você tem certeza que vai sem seu carro? - 

- Sim, não é muito longe, amanhã você me devolve, do jeito que eu vou beber se eu ficar com ele é capaz de eu dar ele pra alguém e quando eu estiver sóbria me arrepender, até porque ele é a única coisa que eu tenho - 

- Tá, tchau - Dinah fala dando partida no carro e saindo.

......

Acordo e sinto alguém do meu lado, abro meus olhos e vejo que era uma garota, pelo menos é bonita. me levanto e vou pro banheiro, passo água no rosto e escovo meus dentes, depois de escovar meus dentes vou até a cama e pego minha camisa, vou no armário e pego uma calça, coloco meu tênis e a garota parece estar acordando.

- Bom dia!! - ela fala

- Bom dia -

- Vai sair? -

- Vou, vou sim - falo e pego minha carteira

- Não vai nem me pagar um café? - a garota pergunta

- Errr então...... - 

- Luiza - 

- Ah é Luiza, rsrs então não - falo e saio do meu apartamento, vou até o bar que era na esquina e peço uma cerveja.

- Olá Jauregui - Um senhor fala do meu lado e vejo que ele tinha um segurança forte - Sabe você está me devendo, não sei se você esqueceu disso -

- Ah pode ter certeza que não - falo e dou meu cartão pro barman pra pagar a cerveja 

- Sabe, fiquei triste quando soube que sua família, tem tanto dinheiro, tanto dinheiro, que nem sabe onde colocar - ele fala e eu tomo um gole da cerveja.

- Eu e minha família seguimos rumos diferentes senhor, por isso eu pedi dinheiro emprestado, mas eu vou pagar -

- O cartão foi recusado - o barman fala e eu dou outro cartão 

- Eu sei que você vai pagar, ah eu sei, você tem três dias pra isso, se você não pagar lembre-se que eu sei onde mora, onde trabalha, quem são seus amigos - quando ele fala isso eu olho em seu rosto com raiva, ele não seria louca de encostar um dedo na Dinah. 

- Eu já disse que vou pagar - 

- Recusado de novo - o barman fala eu abro minha carteira, o único dinheiro que eu tinha eu dei pra ele 

- Eu posso acabar com você Jauregui, não duvide disso - o senhor fala e o segurança dele me dá três socos na barriga e eu caio com tudo no chão, na hora que eu recupero minhas forças me levanto e dou um soco no segurança, com isso ele cai com tudo no chão, olho pro lado e vejo um policial, merda.

......

- Mais uma vez você se meteu em burrada, agressão física de novo, sério? -

- Desculpa -

- Preciso ler sua ficha? - a delegada pergunta sentada em cima da sua mesa, enquanto eu estava sentada numa cadeira e com minha barriga doendo por causa dos socos daquele idiota.

- Não será preciso senhora, mas em minha defesa, quem escreveu isso queria me ferrar -  falo 

- Vou ler sim, porque adoro ela, vamos ver, resistência à prisão, dirigindo embriagada, excesso de velocidade, partição em jogos proibidos, mas o que? Ah agora também mais uma lesão corporal, podemos ver que você é agressiva, também problemática, eu diria que você é incapaz de obedecer a lei - A delegada fala

- Por que eu estou falando com você? Eu falo com a agente da condicional -

- Sim, mas você chegou num nível que só Jesus na causa, como você pode ser psiquiatra? - A delegada pergunta 

- É uma bela pergunta - 

- O que eu faço com você? Quer dizer você está trabalhando com o doutor Simon e- interrompo ela

- Eu amo o que eu faço, eu gosto de ajudar aquelas pessoas, por favor eu volto até a ser faxineira, mas não tira meu emprego de mim - 

- Okay, no próximo deslize não vou poder te ajudar - 

- Obrigada, obrigada e obrigada - 

- Você deveria estar trabalhando, não é? - ela pergunta e eu sorrio

- Muito obrigada mesmo - 

- Vá, você está liberada, vai logo antes que eu mude de ideia - ela fala e eu saio de lá o mais rápido possível, meu celular vibra e eu pego ele, vejo que é uma mensagem daqueles idiotas "agora você tem dois dias" droga, estou fodida.  

...... 

- Duas vezes seguidas, serio? - Dinah pergunta quando entro na sua sala

- Me desculpe Dinah -

- Não é pra mim que você tem que pedir desculpas, Simon está muito ocupado por isso não vai falar com você, a senhorita é muito sortuda - Dinah 

- Eu sei, eu tenho muita coisa pra fazer, conversarmos na hora do almoço - falo e me viro pra sair da sua sala, mas começo a sentir dor e me seguro na maca.

- Lauren o que foi? - Dinah pergunta vindo até mim

- Nada, já estou bem - falo e ela passa a mão na minha barriga e eu sinto mais dor - Aiii - ela levanta minha camisa e vê minha barriga machucada.

- Você vai me explicar o que aconteceu - Dinah

- Foi uma briguinha boba - falo e ela olha em meu rosto - Okay, mas eu falo no almoço, agora eu preciso trabalhar, tchau - falo saindo e ponho minha mão na barriga - Merda - 

......

- Agora me explica tudo - Dinah fala quando estávamos sentadas almoçando 

- Eu pedi dinheiro emprestado pra um cara e agora ele quer que eu devolva tudo em dois dias -

- Ele te bateu? - Dinah

- O segurança dele - 

- Como você vai conseguir esse dinheiro? - Dinah

- Vou vender meu carro - 

- Seu carro e sua casa são tudo que você tem e você vai vendê-lo? - Dinah

- Não Dinah, não são tudo que eu tenho, eu tenho minha vida e pretendo preservá-la -

- Okay - Dinah

- Mais tarde eu vou sair pra vender ele, espero que eu consiga -

- Digo o mesmo, vamos voltar pro trabalho? - Dinah pergunta e eu chamo a garçonete

- Eu queria um almoço, que nem o que eu pedi pra viagem, ah e uma coca de latinha - falo e a garçonete anota o pedido e sai

- Pra que isso? - Dinah

-  Vou levar pra Camila -

- Você levando comida pros pacientes? - Dinah

- Dinah ela acabou de chegar, dá um desconto pra menina - 

- Okay Jauregui, não sou eu que sou responsável por ela, se você quiser, você leva - Dinah

- Exato, eu sou responsável por ela, eu sei o que estou fazendo - 

.......

- Oi - falo entrando no quarto - Está bem? - pergunto me sentando na cama mas ela não responde - Espero que sim, você não usou o botão, parabéns - 

- Vo-você poderia me d-dar outro s-sanduíche? - Camila

- Não, eu trouxe algo melhor - falo entregando o almoço que eu havia pedido pra garçonete, ela pega os talheres e come numa velocidade.

- Também queremos - John

- John nem comece, mais tarde eu vou conversar com você - falo e olho para Camila - Você tem olhos bonitos, sabia? - pergunto e ela não responde, como sempre.

- Lauren vem aqui, ah olá John, Suzanna e oi garota - Dinah fala na porta e eu vou até ela - Simon quer que você leve ela na sala dele - 

- Certo, vou levá-la - 

- Ah também tem algo, o que vai acontecer daqui há dois dias? - Dinah

- Minha morte provavelmente - 

- Não sua besta, também vai acontecer o casamento do seu irmão - Dinah

- Dinah eu estou sem tempo, sem cabeça pra isso - 

- Pensa Laur, seu pai vai estar fazendo o primeiro casamento dos filhos dele e provavelmente o único porque Lauren Jauregui se casando? Só que não, né? Tá mas continuando, ele vai estar tão feliz, não recusaria se você pedisse dinheiro pra ele -

- Eu não sei, eu não vejo eles há tempos, mau falo com eles -

- Mas eles continuam sendo sua família, inventa uma desculpa, fala que é pra um pesquisa, sei lá, conheço eles desde que sou criança, eles não vão te negar isso, pelo menos sua mãe - Dinah

- Depois do que eu fiz, não sei de mais nada - 

- Tenta pelo menos, sua melhor chance - Dinah

- Eu sei, vou tentar - 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...