História Psycho! - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtanboys, Bts, Criminal, Jeon Jungkook, J-hope, Jimin, Jin, Jung Hoseok, Jungkook, Kathybmb, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Kim Taehyung, Lemon, Min Yoongi, Mistério, Park Jimin, Policial, Psicopata, Rap Monster, Romance, Suga, Yaoi
Visualizações 75
Palavras 1.222
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Lemon, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá pessoas, quanto tempo!
Mas, eu sempre volto, não é!? Haha
Trago um capítulo maior para vocês, como um presente!
Esse mês eu estive lotada de trabalho, mas não deixei de escrever! Apenas só conseguir terminar hoje o capítulo! Espero que gostem e aproveitem!
TÁ ACONTECENDO!
Obrigada pelo favoritos e comentários no capítulo anterior!
Mal comecei essa fanfic e já estou com outra ideia na cabeça, mas não pretendo usar na categoria “BTS” e sim, talvez em “Seventeen” ou “NCT”
Boa leitura
Beijos!
Vejo vocês nas notas finais!

Capítulo 4 - 4


Fanfic / Fanfiction Psycho! - Capítulo 4 - 4

Observava os olhos de Park se tornarem mais escuros e sombrios. Seu maxilar trincado demonstravam sua raiva e suas lágrimas, sua dor. 

Se Lee Kwan havia o transformado naquilo, o que o padrasto havia feito de tão ruim para o enteado!?

— Saíam daqui! 

Park pediu calmo e sereno, abaixando a cabeça, enquanto tentava engolir o choro e limpava algumas lágrimas que haviam caído.

Hoseok tentou me puxar para fora, mas eu quis permanecer ali. Eu não desistiria tão fácil. Lee Kwan estava solto e o meu trabalho é dete-lo, mas precisava da ajuda do loiro.

O baixinho vendo que eu não sairia, pareceu aumentar ainda mais a sua raiva, se levantando e parando em nossa frente.

— EU MANDEI VOCÊS SAÍREM! — Gritou, assustando o ruivo e também a mim. O loiro estava ofegante e apontava para a porta raivoso. Suas mãos começaram a tremer e pude ver o quão alterado ele estava. 

— Vamos, Jeon... — Hobi puxou meu braço, me afastando de Jimin, enquanto o loiro continuava na mesma posição que antes, porém seu rosto era manchado pelas lágrimas que caiam sem permissão.

— E-eu...

Não consegui terminar minha frase, pois o seguranças haviam aberto a porta e adentraram no local, nos puxando para fora.

— Ele tentou atacar vocês? — Questionou um dos seguranças, enquanto o outro permanecia lá dentro, parecia conversar com Park. Os gritos podiam ser ouvidos e logo um estalo alto, foi emitido.

— Mas, o que está acontecendo lá dentro? — Questionei assustado, tentando abrir a porta, mas o segurança me impediu

— Vão embora! — Ordenou o segurança e logo o outro saiu. Em seu rosto havia um arranhão e ele estava bem ofegante. Gritos e choro alto eram escutados.

— Chame o doutor! — Pediu o segurança machucado e o outro assentiu, saindo do local — E vocês... — Apontou para nós dois — Vão embora! 

— Não terminamos...

— Não interessa! — Bufei, começando a ficar nervoso — Conseguiram atiçar a fera em menos de 5 minutos! 

Logo o outro segurança voltou, junto ao um homem de jaleco branco — o doutor —, que estava com um semblante preocupado e entrava apressadamente no quarto.

— Não os deixem sair... — Avisou o doutor, antes de fechar a porta — Eu quero conversar com os dois detetives!

Os seguranças concordaram e o homem de jaleco adentrou no quarto, fechando a porta. Aos poucos os gritos foram parando e o choro também. Nada mais era escutado. 

Logo o doutor saiu do quarto e pude ver Jimin deitado na cama, dormindo serenamente. O homem guardava uma seringa no bolso do jaleco, me fazendo engolir seco. Ele havia o sedado.

— Me acompanhem! — Disse o doutor caminhando para longe. O seguimos e logo paramos em frente a uma porta azul pastel. Com certeza era sua sala. O mesmo a abriu, dando passagem para entrarmos — Entrem!

Adentramos na sala, após fazer uma reverência rápida. Observei o local ao redor e era bem aconchegante, mesmo estando em um manicômio. 

A sala eram em tons azul pastel e branco; havia uma mesa com um notebook; alguns papéis em cima; uma estante de livros em um canto e uma grande janela ao lado da mesa.

— Sente-se, por favor! — Pronunciou o doutor, após se sentar em sua cadeira atrás de sua mesa. Nos sentamos à sua frente e continuamos em silêncio — Deixe-me apresentar. Me chamo Choi John e sou o doutor de Park Jimin!

John tinha a pele clara, cabelos escuros, combinado com a sua aparência. Seus olhos eram castanhos escuros e parecia ter uns 25 anos.

— Detetive Jeon Jungkook! — Me apresentei, deixando minha mãos no bolso do blazer, enquanto sentia o olhar do moreno me analisar 

— Detetive Jung Hoseok! — Murmurou Hobi, tirando a atenção do doutor sobre mim e observando o ruivo, como se tentasse ler sua mente.  

— Certo! — Relaxou em sua cadeira, passando a mão pelos fios negros. Ele parecia cansado e irritado ao mesmo tempo — Serei direto! Não tomarei muito o tempo de vocês! Sei que são ocupados! 

Concordei com a cabeça, esperando que o mesmo dissesse de uma vez o que queria. Eu tinha um caso para investigar. 

— De manhã o departamento de polícia, me ligou, dizendo que dois de seus detetives viriam aqui mais tarde para “conversar” com Park Jimin, o meu paciente! — Continuou, intercalando os olhares entre mim e Hoseok — Eu estranhei, claro! Quem viria visitar um psicopata!? Mas, o capitão havia tido que era para um caso importante, então, eu acabei cedendo! 

— Onde quer chegar, doutor? 

O homem de jaleco trincou o maxilar, apoiando seus braços na mesa, me encarando profundamente, como se fosse perfurar a minha alma. 

— Só uma coisa deixa o meu paciente desta maneira! — Afirmou firme e continuei o encarando sem expressão — Não os quero mais aqui!

— Não pode fazer isso! — Pronunciei, me inclinando para ficar mais próximo a ele — Ele sabe de coisas que pode nos ajudar, que pode ajudar a cidade, o país!

— Ele não pode! — Retrucou — Park Jimin não pode escutar o nome do padrasto que fica daquela maneira! — Continuou — É impossível controla-ló!

— Por isso você o seda!? — Solto um riso fraco, vendo o doutor permanecer calado.— Vamos embora, Hoseok!

Chamei o ruivo que observava a “conversa” em silêncio. Não o esperei, caminhando para fora da sala rapidamente. 

Sentia a raiva e frustração tomar conta de mim. Claro que a ideia era perigosa e quase impossível levar Park Jimin junto a mim, mas eu precisava. 

— Ei! — Senti sua mão em meu ombro e o encarei — Se acalma! 

— Não da pra continuar sem ele, Hoseok! — Afirmo — Já tentaram! — Bufo — O único jeito de encontrar Lee Kwan, é com a ajuda de Park Jimin! 

Deixei o ruivo sozinho novamente, caminhando a caminho da saída. Paralisei, assim que cheguei no pátio do manicômio. Estava cheio. Os pacientes ocupavam o lugar, comendo seus lanches. Uns estavam mais quietos e outros mais agitados, sendo acalmado pelos doutores. 

De longe, encontrei o seu olhar, vendo o ódio que eles carregavam. O loiro parecia bem afetado ao tocar no nome do padrasto e sabia que agora ficaria ainda mais difícil de convence-ló. 

Mas, logo, o mesmo abriu um sorriso travesso e apontou com a cabeça para o lado de fora do pátio, se levantando e caminhando para o local. 

Olhei ao redor e aproveitei que Hoseok ainda estava sumido, seguindo o loiro. Atento, olhava para todos os cantos do grande jardim, a procura de Park.

— BU! — Me afastei, ao escutar o outro sussurrar em meu ouvido, me causando arrepios — Como vai, Detetive!?

— Parece que o efeito do sedativo passou rápido! — Debochei, vendo o outro sorrir de canto 

— Aquela coisa não faz tanto efeito em mim e...era a hora do jantar, eles teria que me acordar! — Explicou, se aproximando, me fazendo estranhar. — Desculpe por aquele pequeno...desentendimento no quarto!

— O que você quer, Park? — Questiono, sem enrolações, vendo o mesmo sorrir ainda mais. 

— Querem capturar ele? — Questiona, num tom frio e sério. Concordo, sabendo bem de quem ele estava falando. — E precisam de mim para...?

— Nos ajudar nisso! — Solta um riso fraco, cruzando os braços — O que foi?

— Por que eu ajudaria vocês?

— Porque você o odeia! — Respondo, vendo o mesmo voltar a ficar sério. Parecia pensar sobre isso.

— Com uma condição! 

Suspiro alto, com medo de sua condição.

— Qual?

— Quando eu capturar ele e tiver cara a cara a ele, irei matá-lo com as minhas próprias mãos! E ninguém vai poder me impedir! — Sorriu de canto — Então, o que me diz?


Notas Finais


E aí? O que estão achando?
Será que Jeon vai aceitar?
Spoiler: os outros membros logo logo irão aparecer!
Vocês querem outro shipp? Comentem qual!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...