História •Psycho •Conte-me seus sonhos• - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Big Bang, Got7
Personagens G-Dragon, Jackson, Jimin, Jungkook, Personagens Originais
Tags Jikook
Visualizações 15
Palavras 1.266
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Mistério, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Postando a essa hora da madrugada? É...

Capítulo 6 - 6.9


Fanfic / Fanfiction •Psycho •Conte-me seus sonhos• - Capítulo 6 - 6.9

6

“Duzentos gramas de arroz barato,

Duzentos gramas de melado.

Agora, misture bem para ficar gostoso,

Mas a lontra - pluft! - foi embora!”


[8 MESES ATRÁS]

O DR. BEN SPENCER era um cinquentão, um patriarca da fonte da juventude. Seu consultório era um oásis tranquilo, situado na extremidade mais longínqua do prédio, um local confortável e acolhedor.

- eu tive um sonho terrível ontem à noite - disse Jungkook. E fechou os olhos, revivendo as sensações. - eu estava correndo. Estava num jardim enorme, cheio de flores... Elas tinham rostos estranhos,feios... Gritavam comigo... Eu não conseguia ouvir o que estavam dizendo. Só continuavam correndo em direção a alguma coisa... Não sei o que... - ele parou de falar e abriu os olhos.

- sera que você estava correndo de alguma coisa? Não havia nada que o estivesse perseguindo?

- não sei. Eu... Eu acho que estou sendo seguido, Dr. Spencer. Parece maluquice, mas... Eu acho que tem alguém querendo me matar. - ele o estudou durante alguns instantes.

- e quem poderia estar querendo matá-lo?

- não... Não faço a menor ideia.

- você já viu alguém seguindo você?

- não.

- você mora sozinho, não é?

- moro.

- está saindo com alguém? Algum envolvimento amoroso?

- não.

- então, já faz algum tempo desde que você... Quer dizer, às vezes, quando nos homens não temos ninguém em sua vida... Bem, é possível que vá se formando um acúmulo de tensão... Independente de sua sexualidade.

O que ele está tentando me dizer é que eu preciso de uma boa... - ele não conseguia se persuadir a dizer a palavra. Chegou a ouvir os gritos do pai: “Nunca mais repita essa palavra. As pessoas vão pensar que você é uma vagabundinha. Pessoas de bem não dizem trepar. Onde é que você aprende essa linguagem?”

- acho que você está trabalhando demais, Jungkook. E acho que não tem com que se preocupar. Talvez seja só a tensão. Leve as coisas com mais tranquilidade durante algum tempo. Descanse bastante.

- vou tentar. - na saída, Namjoon o esperava.

- o que o Dr. Spencer disse? - Jungkook conseguiu dar um sorriso.

- ele disse que eu estou bem. Só que ando trabalhando demais!

- se é assim, vamos tirar uma providencia quanto a isso. - falou Namjoon. - para começar, por que você não dá o dia por encerrado? - o seu tom demonstrou preocupação.

- obrigado! - ele o olhou e sorriu. Era um homem atencioso. Um bom amigo.

DURANTE A SEMANA seguinte, Jungkook não conseguiu pensar em nada além da reunião. Será que a minha ida é um erro? E se Jackson aparecer por lá? Será que ele faz ideia do quanto me magoou? Será que liga para isso? Ou não vai sequer se lembrar de mim?

Na noite anterior à data marcada para a viagem, Jungkook não conseguiu dormi. Ficou tentado a cancelar o vôo. Mas que besteira! - pensou. - o passado é o passado.

QUANDO PEGOU a passagem no aeroporto, Jungkook a examinou.

- acho que houve um erro. A minha passagem é para a classe turística. Este bilhete é para a primeira classe.

- é, sim. O senhor mudou. - ele olhou para a funcionária.

- eu o quê?

- o senhor telefonou e mandou mudar para a primeira classe. - ela mostrou uma folha de papel para Jungkook. - esse não é o número do seu cartão de crédito? - ele olhou para o número.

- é, sim... - não tinha dado aquele telefonema.

JUNGKOOK CHEGOU A BUSAN cedo e se hospedou no Busan Springs Resort. As festividades do encontro só teriam início às 18 horas. Ele resolveu, então, explorar a cidade. Parou um táxi em frente ao hotel.

- para onde, deseja?

- eu só quero dar um passeio.

...

ÀS 17 HORAS, Jungkook voltou para o hotel e foi para o seu quarto. Mudou de roupa três vezes antes de decidir o que usar. Optou por um terno preto, simples.

Ao entrar no ginásio da escola, todo decorado para as comemorações, ele se viu cercado por 120 estranhos de aspecto remotamente familiar. Alguns de seus antigos colegas de turma estavam absolutamente irreconhecíveis; outros, poucos haviam mudado. Jungkook estava procurando uma única pessoa: Jackson Wang. Será que ele mudou muito? Estaria acompanhado da esposa ou de um novo companheiro?- pensou. Muita gente começou a abordá-lo.

- Jungkook, eu sou Kim Sunyong. Você está ótimo!

- obrigado! Você também, Kim.

- eu gostaria de lhe apresentar minha esposa...

- JUNGKOOK! É realmente você, não é?

- sou eu, sim. Ahn...

- David. Você se lembra de mim? Sou eu, o único americano da turma!

- claro. Como vão as coisas, David?

ERA IMPRESSIONANTE como as pessoas podiam mudar tanto em dez anos! Estavam mais gordas, mais magras... Bem de vida, arrasadas. Casadas, divorciadas... Com filhos, sem filhos...

Conforme a noite foi passando, o jantar foi servido, a música começou, e muita gente dançou. Jungkook conversou com muitos dos antigos colegas de classe e se inteirou de suas vidas, mas sua mente estava em JACKSON. Ainda não havia sinal algum dele. Ele não vem, concluiu. Uma mulher veiu se aproximando.

- Jungkook! Eu estava torcendo para achar você.- era Lalisa.

- você está ótima, Lisa. - disse Jungkook.

- você também. Sinto muito por ter chegado tão tarde. Meu bebê não estava passando muito bem. Desde à ultima vez em que nos vimos, eu me casei e me divorciei. Agora estou namorando um cara espetacular. E você? Desapareceu depois da festa de formatura! Eu tentei encontrá-lo, mas você tinha ido embora da cidade.

- eu fui para Seoul - disse Jungkook. - meu pai me matriculou numa faculdade de lá. Nós fomos embora na manhã seguinte à formatura.

- mas eu tentei encontrá-lo de todas as maneiras. Os detetives acharam que eu talvez soubesse onde você estava. Estavam à sua procura porque você e Jackson eram namorados.

- os detetives? - Jungkook falou devagar.

- claro! Que estavam investigando o assassinato. - Jungkook sentiu o sangue fugir-lhe do rosto.

- que... Assassinato? - Lisa estava olhando bem para ele.

- meu Deus! Você não sabe?

- saber do quê? - perguntou Jungkook, tenso. - do que você está falando?

- no dia seguinte à festa de formatura, os pais do Jackson chegaram em casa e encontraram o corpo. Ele foi morto a facadas... E castrado. - o salão começou a girar. Jungkook se agarrou à borda da mesa. Lisa segurou-lhe o braço.

- mas... Kook, desculpe! Eu achava que você teria lido em algum lugar... Claro que não... Você tinha ido para seoul.

Jungkook fechou os olhos, bem apertados. Ele se viu fugindo de casa naquela noite, rumando para a casa de Jackson. Mas tinha voltado, preferindo esperar por ele de manhã.

Se ao menos eu tivesse ido até lá, - pensou, agoniado. - ele ainda estaria vivo. E durante todos esses anos, eu só senti ódio por ele! Ai, meu Deus! Quem o teria matado? Quem...?

Ele chegou a ouvir a voz do pai: fique longe do meu filho, entendeu bem...? Se eu vir você por aqui outra vez, vou quebrar todos os ossos do seu corpo.

- você vai me desculpar, Lisa. Eu... Eu não estou me sentindo muito bem. - disse se levantando.

- tudo bem. - e Jungkook fugiu.

Os detetives devem ter entrado em contado com meu pai. Por que ele não me falou? - pensou.

Ele pegou o primeiro avião de volta para a Califórnia. Só conseguiu dormi de manhã cedo. Teve um pesadelo. Um vulto na escuridão esfaqueava Jackson, e gritava com ele. O vulto saiu do escuro.

Era o pai dele

[ CLINICA UNITAU 00:50 ] 

- Jackson... 


Notas Finais


Então kkkk
Eu to com muitas novas idéias. Então, me aguardem. Rsrs
Espero que tenham gostado e me desculpem qualquer erro. E, desculpa se foi pequeno.
Até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...