História Psycho Love II. - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ashley Benson, Justin Bieber, Lily Collins, Selena Gomez
Personagens Justin Bieber, Selena Gomez
Tags Drama, Hot, Jelena, Romance
Visualizações 773
Palavras 1.814
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá meus amores.
Atualizei mais rápido pois sabia o quanto vocês queriam esse capítulo.
Qualquer errinho, ignorem. szsz

Capítulo 9 - Alice.


Fanfic / Fanfiction Psycho Love II. - Capítulo 9 - Alice.

Selena Gomez Point Of View.

 

 Eu não sabia o que estava de fato acontecendo.

 Havia recebido uma ligação de Justin minutos atrás me pedindo para vir urgentemente para o hospital. Ele dizia que precisava muito de mim.

 Me desesperei na hipótese de que poderia ter acontecido algo com ele ou com alguém que eu amava. Mas, assim que cheguei, ele me mandou para uma sala de coleta de sangue e disse que precisavam do meu. Disse que explicaria tudo depois, mas, pelo o que eu havia entendido, alguém importante para ele havia se acidentado e perdido muito sangue. E o único sangue compatível no momento era o meu.

 Justin parecia bastante abatido. Os olhos estavam vermelhos o que denunciava que ele havia chorado. Imaginei que fosse a sua mãe que havia se acidentado. Ou talvez até mesmo Jazzy.

 No entanto, Jazzy apareceu. Ela estava com sua roupa de enfermeira já que trabalhava nesse hospital em que estávamos. Veio sozinha na sala a onde eu estava.

– Está tudo bem? - me perguntou ela, me oferecendo uma barra de chocolate e um suco de caixinha. – Você deve estar se sentindo muito fraca. Eles coletaram muito sangue de você.

– Sim… - eu assinto, e pego a barra de chocolate, abrindo-a e comendo um pedaço em seguida. – Espero que tenha sido o suficiente para a sua mãe.

 Jazzy se senta em uma cadeira ao meu lado.

– Minha mãe? - pergunta ela, em um tom confuso.

– Sim, a pessoa para quem foi o sangue. Foi para a sua mãe, não é? Ela quem se acidentou? - olhei para ela enquanto mordia outro pedaço do chocolate.

– Não, não foi minha mãe.

 Franzo meu cenho enquanto penso em outra pessoa. Ninguém me vem a cabeça.

– Se não foi sua mãe então quem…

– Selena. - a voz de Justin chama meu nome. Ele entra na sala e me encara. – Obrigado pelo o que fez.

 Eu deixo o chocolate de lado.

– O que está acontecendo aqui, Justin? Quem precisava do meu sangue?

– Eu vou te dizer tudo, mas antes você precisa ter calma, ok? Precisamos primeiro saber se a cirurgiã vai ter sucesso.

 Eu estava entendendo as coisas cada vez menos. Mas vendo o estado abatido de Justin, preferi não questionar nada agora. Seus cabelos estavam meio desgrenhados, sua roupa estava amassada e ele parecia cansado. Então, preferi esperar para obter minhas respostas.

 

 

 (…)

 

 

 Não sei quanto tempo se passou. Mas eu já estava me sentindo bem melhor depois de toda aquela perda de sangue. Minhas energias já estavam recuperadas novamente, graças a todo açúcar e ferro que acabei ingerindo. Justin ainda estava na mesma sala que eu. Ele abri e fechava sua mão repetidas vezes. Batia sua perna no chão e passava a mão pelo cabelo enquanto respirava fundo. Ele definitivamente estava nervoso e se preocupava com a pessoa que estava na cirurgiã.

 De repente, alguém entrou na sala a onde estávamos.

 Eu olhei para a pessoa sem acreditar no que os meus olhos estavam vendo.

 Era Lily? Era realmente Lily em minha frente?

 A antiga babá de Alice? A ex amante de Justin?

 A mulher parecia ter chorado muito também. Seu rosto estava inchado e os olhos marejados.

– A cirurgiã foi um sucesso. - disse ela, parecendo mais do que aliviada. – Os médicos disseram que ela pode acordar a qualquer momento. Ela só está descansando pelo soro e os remédios que tomou. - Ela respirou fundo. – Eu vou ficar na sala dela até ela acordar. Não posso ficar longe.

 E então ela saiu correndo, provavelmente indo para a sala da tal paciente machucada. Justin não perdeu tempo em ir atrás. Parecia tão desesperado quanto ela.

 Sabendo que eu não iria conseguir minhas respostas agora se eu não fosse atrás delas, decidi segui-los.

 Sai da sala a onde eu estava e caminhei pelo hospital, alguns passos atrás dos dois.

 Observei Lily entrar em uma das salas de emergência, e em seguida Justin. Eu pensei que algum médico poderia aparecer e barrar a minha passagem, mas pelo contrário. Não havia mais ninguém na sala além dos dois, então eu entrei.

 Foi quando eu vi a pessoa que havia se acidentado.

 De primeira eu não entendi. Havia um pequeno corpo deitado na maca com aparelhos em seu nariz e boca. Era o corpo de uma criança.

 De uma menina.

 Eu iria perguntar a Justin o que diabos estava acontecendo e quem era aquela criança, mas quanto mais eu me aproximava, mais uma incrível sensação familiar me atingia.

 Precisei me encostar na parede quando minhas pernas vacilaram diante da claridade da situação.

 Aquele rosto… Como eu poderia esquecer aquele rosto?

 Aquela menina se parecia tanto com…

– Alice. - sussurrou Justin, se aproximando da maca e tocando na mão da menina.

– Alice? - minha voz também não passou de um sussurro. Justin e Lily me olharam, me notando pela primeira vez naquela sala.

 Lily parecia assustada. Justin apenas me olhou como se tivesse muito o que explicar, mas nem ele estivesse entendendo coisa alguma.

 Não poderia ser Alice.

 Ela havia morrido.

 Eu vi. Eu senti.

 Em um minuto ela estava em meus braços, no meio de toda aquela água em nossa volta. E no próximo minuto ela sumiu. Desapareceu. Fora levada contra a correnteza.

 Minha garotinha havia morrido.

 Certo?

 Então porque eu estava olhando para uma menina que se parecia tanto com ela? Por que a sensação de familiaridade me preenchia tão forte em meu peito? Por que eu sentia que era a minha filha deitada naquela maca?

– O que está acontecendo aqui? - pergunto, me afastando da parede e me aproximando dos dois de pé ao lado da maca. – Justin, quem é essa garota?

 Ele assente com os olhos marejados, apertando a pequena mão da menininha desacordada na maca.

– É ela, Selena. - diz ele. – É Alice. É a nossa filha.

 Eu volto a olhar para a menina enquanto observo-a mais cuidadosamente.

 Seus cabelos eram castanho escuros, longos e meio ondulados nas pontas. O corpo pequeno e delicado. Os lábios carnudos como os meus. O tom de pele claro de Justin. Ainda deveria ter os olhos dele também.

 Ela estava tão diferente… Tão crescida. Tão grande.

 Meu peito se aperta enquanto meus olhos se umidecem.

– Como é possível? - sussurro, incapaz de não permitir que as lágrimas não caíssem de meus olhos. – Como?

 Eu olho para Justin esperando alguma resposta. Ele simplesmente dirige o seu olhar para Lily.

– Ela a levou de nós.

 Encaro Lily. Sua feição de culpa diz tudo o que eu preciso saber.

 Não sei o que acontece. Não consigo me segurar.

 Eu fecho minhas mãos em punhos e acerto um soco em seu rosto, fazendo-a cambalear para trás com a pancada.

– O que você fez? - eu grito, enfurecida pelo o que aquela mulher havia causado a mim. A Justin. As nossas vidas. Ela me encara com medo enquanto eu a empurro contra a parede com força, fazendo-a bater suas costas ali. – O que você fez?

 Ela coloca a mão em seu rosto, a onde o meu soco havia sido acertado.

– Eu precisei. - grita ela. – Vocês estavam a matando. Nate nunca iria desistir da vingança dele contra você. Ele iria matar, Alice! Vocês dois apresentavam perigo para ela.

 Eu lhe dou outro soco, não aguentando ouvir o som de sua voz e suas desculpas.

– Você tirou minha filha de mim! - cuspi as palavras enquanto ela se recuperava. – Eu achei que ela estava morta!

– Eu a salvei. - ela me olhou friamente. – Você deveria se ajoelhar e me agradecer. Eu a salvei e a criei melhor do que você faria. Se ela não morresse nas mãos de Nate, ela morreria no meio de um de seus surtos psicóticos.

 Eu me descontrolo e avanço para a cima dela. Levo minhas mãos até o seu pescoço e aperto aquela região com força.

– Sua vadia psicopata! - grito. – Eu vou te matar!

 Justin nem tenta me impedir. Ele queria que Lily pagasse por aquilo tanto quanto eu.

 Cada nervo do meu corpo berra para que eu dê um fim nela e a todo o sofrimento que ela fez eu e Justin passarmos.

 Para que eu dê um fim a todas as noites que eu passei sem dormir, a todas as noites em que eu chorei, em todos os anti depressivos que eu tomei achando que Alice estava morta. A todo o tempo que eu passei longe de Justin naquela época, culpando-o pela morte de Alice.

 Era tudo culpa de Lily, no final. Como eu poderia ser a insana da história quando ela havia feito coisa muito pior? Ela havia roubado a minha filha de mim e a levado para longe!

 Eu a odiava. A odiava com todos os nervos do meu corpo. E enquanto ela se debatia, tentando inutilmente se soltar de mim, eu só apertava o seu pescoço cada vez com mais vontade, olhando-a nos olhos enfurecida, desejando que logo sua vida se esvaziasse.

 Mas uma voz me despertou do que estava acontecendo.

 A voz era doce, calma e soou um tanto fraca.

– Mamãe?

 Eu soltei Lily de imediato, vendo-a cair no chão enquanto tossia desesperadamente, tentando recuperar o ar.

 Me virei. A menina na maca agora havia despertado.

 Alice havia despertado.

 Minha filha.

– Alice… - eu caminhei até ela, ansiosa.

 Seus olhos castanhos me observaram com medo.

– Mamãe? - ela chamou novamente, mas não estava olhando para mim. Estava olhando para Lily, que ainda tentava se recuperar no chão.

 Ouvi-la chamar Lily de mãe foi como uma facada em meu coração. Eu senti a dor, profunda e agoniante. A palavra ecoou pelos meus ouvidos como uma horrível canção.

 Lily levou alguns segundos para se erguer e correr até o outro lado da maca.

– Sim, sim, filha… Eu estou aqui. - disse Lily, sua voz soava meio esganiçada. – A mamãe está aqui, ok?

– Você está bem? - ela olhava para Lily e tocou no pescoço da mulher. Parecia realmente preocupada. – Por que essa mulher estava te machucando, mamãe? - ela me olhou brevemente antes de voltar a olhar para Lily. – Ela vai me machucar também?

– Não, não, não… - murmurei, calmamente. – Eu nunca iria te machucar. Nunca.

 Mas Alice ainda me olhava com medo. Talvez até um pouco de raiva.

– Você machucou a mamãe. - disse ela. – Vai embora.

 Olhei para Lily. Ela não parecia disposta a mover um dedo para me ajudar. Na verdade, ela parecia estar adorando toda a situação. Então, meio desesperada, olhei para Justin.

– Eu… Eu vou falar com ela, tudo bem? - murmurou ele.

 Alice ainda me encarava esperando que eu fosse. De contra gosto e chateada, assenti, me retirando da sala.

 Não achei que iria doer tanto ser dispensada assim pela minha própria filha, mas doeu.

 Ela não me conhecia ainda, mas doeu da mesma forma.

 Só percebi o quanto, quando me vi sentada no corredor do hospital, com as mãos no rosto enquanto eu chorava.


Notas Finais


Espero que estejam gostando.
Logo posto o próximo capitulo amores.

(My wattpad: asweetdrug)

Beijos szsz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...