História Psycho Monster 2 - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Baekhyun, Chanyeol, Chen, Drama, Exo, Família, Kai, Kris, Kyungsoo, Lay, Luhan, Mistério, Morte, Psicopatia, Revelaçoes, Romance, Sehun, Suho, Tao, Traição, Xiumin
Exibições 135
Palavras 2.760
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Científica, Hentai, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


SURPRESAAAAAAAAAA
AHSUAHAUHAUAHAHA

Vamos la, eu quero sabeeeeer quem é q estava esperando por essa? Acho q ngm neh aushauau, pseh, na vdd nem eu... Ontem mesmo na última atualização eu disse q so atualizaria pouco antes do dia 9, porém eu comecei a escrever esse capítulo e me emploguei um pouquinho auahauaua eu nao ia postar, porém decidi fazer surpresa hehehe.
Aposto q quando vcs viram a notificação vcs ficaram tipo "oi? Que? Como assim Psycho Monster 2? Mas ela atualizou ontem" pseh gent auhauahaua... Me empolguei mesmo :D hehe.
Ahh, a partir de agr vou sempre deixar uma fotinho aqui pra vcs relacionado a fic... Sla, deu vontade pq achei umas fotos BEEEEEEEEM legais ><

Aproveitem o capítulo :3

Capítulo 14 - Um anjo caído


Fanfic / Fanfiction Psycho Monster 2 - Capítulo 14 - Um anjo caído

- Aya! – Gritava BaekHyun, eu olhei para trás uma última vez seguindo meu caminho, mas ele apertou o passo, segurou em meu punho me prendendo entre seu corpo e o muro. Seu rosto tão próximo ao meu me permitia sentir sua respiração ofegante – Nunca, jamais, em hipótese alguma ouse me dar as costas outra vez – As palavras que ele usava eram ríspidas, mas eu não me importava, eu não sentia mais aquele efeito de que ele conseguia me controlar – Você não sabe com quem está lidando, Aya.

- Não BaekHyun, é você quem não sabe com quem está lidando. Eu apenas quero que me entregue a garota em pelo menos uma semana ou eu irei te entregar a polícia – Sua feição surpresa mostrava o quão nervoso estava, prestes a explodir a qualquer momento.

- Você não tem coragem suficiente para fazer isso – Suspirei, eu realmente não tinha, isso não dava para negar.

- Tudo bem, mas eu posso acabar lidando com você de uma forma bem pior.

- Por que? Por que quer ela? Não percebe que ela é um problema para você, Aya?

- Ela não é meu problema, ela tem problemas BaekHyun, ela é louca, ela precisa ser vigiada, ela precisa de remédios e... – Foi então que eu realmente percebi que ele estava se entregando, entregando suas atitudes.

Minhas pernas ficaram fracas enquanto meus olhos piscavam conforme eu controlava minha respiração. Eu estava certa desde o começo. 

- Você gosta dela, não gosta? – Eu vi BaekHyun trincar a mandíbula e eu já senti todos os pedaços dentro de mim se tornarem apenas papel rasgado. 

- Não Aya, eu amo você – Eu olhava profundamente em seus olhos, era o contato mais puro que tínhamos, de alma para alma, de coração para coração – E eu quero saber porque está fazendo isso? Por que esta agindo assim de forma tão... Rude? Me desculpe se eu não sou como Kai, me desculpe se eu não sou como você gostaria que eu fosse – Eu apertei os olhos quando ele atingiu um soco no muro o qual eu tive a certeza de que tremeu – O QUE VOCÊ QUER DE MIM? – Seus olhos transbordavam a ódio... Era culpa minha?

Não, claro que não, eu tinha provas, provas de suas verdadeiras intenções.

- Eu já perdi tempo demais aqui Byun BaekHyun – Sem hesitar, eu me afastei seguindo meu caminho adiante.

- Aya! Aya, volte aqui agora! 

- Eu não sou sua prioridade, BaekHyun – Eu cerrava os punhos a cada passo, não queria olhar para trás.

Novamente minha vida estava virando do avesso por causa dele, novamente ele estava me trazendo o sentimento de um vazio constante que amassava cada pedaço dentro de mim, como dores a serem somadas para se formar uma imensa dor.

XxNarração em terceira pessoaxX

Seus passos firmes seguiam o caminho da chuva até sua casa, as lágrimas de raiva escorriam pelo seu rosto, mas ele não queria demonstrar.

Ele não queria demonstrar sua verdadeira dor, a sensação de estar a perdendo outra vez, a sensação de vê-la escorregar pelos seus dedos como areia.

BaekHyun arremessava objetos pela casa, jogava os quadros ao chão para de alguma forma conter o vazio em seu peito. 

- Como ela consegue fazer isso comigo? Como somente ela me faz sentir isso? Por que? Por que ela? POR QUE? – Se perguntava em meio aos gritos de raiva que na verdade estava sentindo de si mesmo. Ele estava surtando.

Ele não entendia como Aya conseguia deixa-lo vulnerável daquela maneira, tão louco, tão insano. Ela despertava seu pior lado, o seu próprio lado inimigo.

BaekHyun desceu as escadas até o porão o qual era extremamente limpo devido aos seus cuidados e la estava ela, com o sorriso do sabor da vingança em seus lábios como o veneno de sua alma que escorria. Soo Min comemorava somente com o olhar, comemorava somente de saber que estava nervoso por causa de Aya.

- Você – Ele segurou aos cabelos dela com força, na intenção de machuca-la. Mas ela não se importava – É um monstro – Foi então seus dedos foram de encontro ao rosto dela deixando aquele local ardido e vermelho – Eu espero que você morra aqui dentro, morra!

- BaekHyun... Eu ainda nem comecei a jogar com você, logo logo veremos quem será o vencedor dessa tortura amorosa.

- Vadia! – Lhe deu outro tapa, mas dessa vez ela não reagiu como de achasse graça, as linhas de seu rosto mostravam uma feição séria e perigosa – Eu quero que você fique longe dela, bem longe... Se ousar encostar um dedo na Aya, eu juro que quebrarei todos os seus dentes e te matarei lentamente a facadas profundas.

- Tudo isso por causa do áudio que eu gravei e das fotos que eu propositalmente deixei naquele manicômio idiota... Você mal sabe o que te aguarda, Byun.

---XXX---

A sala estava completamente escura, eu escutava apenas o barulho da televisão ligada. Deixei as chaves sobre a mesa e retirei o jaleco um pouco úmido devido a chuva.

Pensei em subir para o quarto diretamente, mas acabei por escutar as vozes de LuHan e Kai vindo da cozinha.

- Eu a conheci esses dias, é uma garota legal e muito bonita – Disse Kai e meu coração pareceu parar de bater por alguns instantes.

Como assim uma garota?

- Mas e Aya? – Perguntou LuHan.

- Ela ainda ama BaekHyun e eu não vou ficar o resto da minha vida tentando fazê-la esquecer daquele monstro. Eu a amo, LuHan, mas não dependo dela para viver – Eu decidi que naquele momento eu não escutaria mais nenhuma parte da conversa.

Eu estava chateada, porém eu concordava com Kai, não queria que ele continuasse a se prender a mim, mas vê-lo com outra garota seria como minha última gota de sangue.

Saber que BaekHyun estava com Soo Min em sua casa não era pior do que saber que Kai tinha outra pessoa.

Eu me deitei na cama deixando minha mente completamente vazia, meus olhos antes pesados agora se mantinham mais abertos do que nunca.

Foi então que eu vi uma sombra saindo debaixo da minha cama e eu logo entendi o recado.

Era o meu medo ali, era o meu medo aquela sombra que tentava dominar tudo ao meu redor, me fazer de refém. Era o meu medo de estar sozinha.

Eu me sentia egoísta, muito egoísta por sentir aquela sensação. Eu não podia domar Kai, eu não podia.

Duas batidas na porta foram o suficiente para que eu fechasse meus olhos.

- Não finja que está dormindo – LuHan dizia sereno, mas eu não abri os olhos. Meu primo acariciou meus cabelos tentando de alguma forma me acordar – Você ouviu a conversa, não foi? – Abri somente um olho o fazendo rir.

- Como sabe?

- Bem, você deixou seu jaleco molhado em cima do sofá, os sapatos no meio do caminho, subiu sem dizer que havia chegado, tentou fingir que estava dormindo e você é péssima nisso. Ah! E principalmente, eu vi seus olhinhos através de uma pequena fresta da porta da cozinha, Aya – Não havia como inventar uma desculpa, LuHan reconhecia cada passo meu, reconhecia meus sentimentos através dos meus comportamentos mais simples.

Ele me abraçou e eu senti ali todo o conforto que eu precisava.

- Olha, não se preocupe, se não tem BaekHyun e nem Kai... Sobrou eu, ou você irá me negar? – Mesmo que a dor tomasse conta de mim, eu deixei escapar um leve riso fácil – A vida continua, Aya, as pessoas precisão seguir em frente para conseguirem a felicidade assim como você também está fazendo e...

LuHan de repente parou de falar e eu arqueei a sobrancelha em sua direção esperando por mais palavras, mas eu percebi que seu olhar se encontrava ao chão, próximo a porta.

- Vou deixar vocês a sós – Era a sombra de Kai, este tentou se esconder, mas assim que meu primo saiu, empurrou o mais novo para dentro do meu quarto.

Um clima estranho se instalou assim que a porta foi fechada.

- Não sabia que tinha escutado a conversa, sinto muito – Parecia que ele se sentia culpado pelo que estava fazendo, por conhecer pessoas novas, mas eu não queria que ele se importasse com o que eu estava sentindo... Ciúmes – Olha, eu vou direto ao ponto... Eu não gosto dessa garota, apenas saímos umas duas vezes, estamos nos conhecendo e não sei se irá dar certo.

- Por que não?

- Porque eu amo você, Aya. Olhe, me escute – Kai segurou em minhas mãos se sentando ao meu lado e pela primeira vez eu vi em seus olhos a sinceridade brilhar ali dentro – Sei que posso ser um idiota comigo mesmo, sei que eu posso quebrar a cara um milhão de vezes, mas eu simplesmente não consigo parar de gostar de você. Você não sai da minha cabeça, Aya. Eu percebi o quanto você mudou, que agora você não é apenas uma esquizofrênica e sim uma mulher que está seguindo em frente, que lutou contra uma doença mental e a morte de alguém que ama...

- Kai, as pessoas precisam seguir em frente, só não quero que se sinta culpado ou que deixe de ter sua vida feliz por minha causa...

- Aya, eu sempre serei feliz ao seu lado, você é meu maior ponto de paz, não pense que me deixa infeliz – Eu realmente precisava tirar aquilo da minha cabeça, eu realmente precisava não cogitar a ideia de que eu traria problemas para Kai, era ele quem precisava ter sua escolha e não eu escolher por ele – Só por favor, nunca, jamais, ouse ficar longe de mim. 

Em um súbito momento eu o abracei com força. Ali eu me entreguei a ele, eu precisava e queria me sentir segura.

- Kai, eu preciso de você, eu preciso muito de você. Me desculpe por tudo, desde à 4 anos atrás, me desculpe por não corresponder seus sentimentos como você queria, mas você sabe que eu preciso de você mais do que qualquer coisa, pois você esteve ao meu lado desde a minha pior alucinação até a minha realidade... E eu quero estar ao seu lado – Nossos rostos tão próximos faziam meu coração bater cada vez mais rápido – Não me deixe nunca por favor – Eu me sentia tão fraca, tão destruída por dentro, cansada da vida a qual eu levava, mas Kai era a melhor parte da minha realidade.

- Eu jamais vou te deixar, Aya – A forma como ele me olhava enfraquecia todo o meu corpo, mas ao mesmo tempo, quando ele me tocava era como se todos os pedaços dentro de mim se juntassem novamente.

~/~

Acordei com o sol forte que batia em minha janela, a abri sentindo minha pele ser aquecida pelos raios solares me dando uma sensação de paz e conforto. Eu não fui trabalhar, pois era final de semana.

Meus olhos estavam inchados devido as lágrimas durante minha noite de sono. Não eram exatamente por causa de Kai ou BaekHyun, mas por tudo, por eles, por Soo Min e principalmente por mim.

Eu havia refletido sobre tantas coisas que houve um momento em que as lágrimas caíam sem que eu percebesse.

Naquele dia eu decidi caminhar ainda pela manhã em que o sol nascia calmamente como novas sensações a serem aproveitadas.

Durante meus pequenos passos pelas ruas, eu senti que estava sendo observada, mas não era a mesma sensação de quando BaekHyun fazia isso. Há alguns metros distante de mim eu pude ver uma mulher de em média 40 anos de idade, ela usava roupas e tecidos leves com cores diferentes e eu sabia, ainda mais pelos olhos, que ela não era da Coréia.

A mulher começou a fazer sinais para mim, sinais para que eu fosse até ela e eu fui, com a insegurança me prendendo, mas ao mesmo tempo senti que precisava ir até ela.

- A senhora precisa de ajuda? – Perguntei educadamente, mas antes que ela me respondesse, me puxou para dentro de sua casa e eu logo percebi que eu não tinha que estar ali.

Ao meu redor eu via coisas como bolas de cristais, o pano da pequena mesa redonda era colorido e por cima dela eu via cartas de baralho, mas não um baralho normal.

Eu sentia uma sensação estranha em estar ali fazendo todo meu corpo se arrepiar. O cheiro forte de incenso adentrava minhas narinas fazendo doer minha cabeça.

- Por que me puxou? – A mulher se sentou na cadeira em frente a mesa e logo indicou para que eu me sentasse a sua frente. Eu o fiz, mas ainda com certas dúvidas. Reparei que em cima de prateleiras haviam diversos bonecos de voodoo e logo comecei a batucar as unhas em cima da mesa.

- Está nervosa querida?

- Como espera que eu esteja depois de me forçar a entrar na sua casa? – Vi um pequeno sorriso de canto de lábios aparecer em seu rosto. Ela estava fazendo algum tipo de teste de limites comigo?

- Você possuí uma energia muito forte dentro de você que já estava me dando dor de cabeça, então eu preciso saber o que é – Era ó que me faltava, alguém para dizer sobre minhas energias boas e ruins, aquilo não fazia parte do meu interesse.

- Com licença, eu vou me retirar – Eu me levantei para ir embora, mas a mulher segurou forte em meu punho me fazendo encara-la com a testa franzida.

- Não saía daqui querida, eu preciso saber o que significa essa áurea tão... Angustiante que te envolve – Revirei os olhos. A mulher pegou as cartas e depois colocou novamente 15 delas à minha frente – Ande, escolha! – Eu peguei qualquer uma, mas logo recebi um olhar que reprovava completamente minha atitude – Escolha com sabedoria criança, não seja teimosa, garanto que não irá perder a mão – Suspirei profundamente e passei a olhar todas as cartas a minha frente. Meu cérebro começou a trabalhar em cada pequeno detalhe no desenho da frente de cada carta, mas uma havia me chamado a atenção, despertado minha curiosidade como se ela estivesse me chamando.

Eu não me movi para pega-la, a mulher percebeu meu olhar firme sobre a carta com detalhes em vermelho e logo ela manteve um olhar levemente surpreso sobre mim.

- Me dê sua mão e olhe em meus olhos – O que havia em mim que tanto lhe despertava atenção? – Meu deus!

- O que?! – Eu estava assustada, a feição dela era preocupante e me deixava aflita também fazendo meu coração acelerar e meus pulmões ficarem fracos. 

- Eu vejo em você querida, uma energia forte, mas que não é sua, essa energia está fazendo doer meu peito, me entende? – Neguei – Há uma sombra maligna dentro de você querendo te encurralar – Aproximou um pouco mais mantendo seus olhos firmes aos meus – O olho do diabo.

- O que? Mas que merda você quer dizer com isso? 

- Um amor insano prende você, te tortura e é ele... Você sabe quem é, os cabelos avermelhados como fogo, como a carta que você escolheu... Está pesando nele não está? – Eu entendi aquela referência depois de um tempo, minha mente parecia gritar e milhões de imagens de BaekHyun invadiam minha memória – Não se engane querida, ele é demônio.

- Ele é humano!

- Ele é lindo não é? A forma como te olha, a forma como ele sorri cinicamente que te provoca, os beijos dele tão quentes que fazem você se entregar, ele te seduz, mas ele mente, sabe porquê? Porque psicopatas não sabem amar, eles mentem com o olhar e você está nesse jogo há muito tempo. Não importa o quão bonito ele seja, ele é um anjo caído vindo do céu para te torturar e te machucar.

- Anjo... Caído?

- Sim, Lúcifer, aquele que era o preferido de Deus, o mais belo dos anjos, mas que traiu a todos dos céus. O ruivo é como um anjo caído, quanto mais bonito for, pior para você querida, não irá conseguir se desfazer dele tão cedo.

- E quem disse que eu quero isso? Você acha que é quem para me puxar até aqui e começar a dizer coisas sem sentido algum? – Por mais que aquelas informações rodeassem minha mente, eu não queria ficar pensando nelas me trazendo dúvidas e hipóteses. 

Eu me levantei furiosa da mesa, pronta para me retirar, mas eu sabia que ela iria dizer mais alguma coisa.

- Seu coração será partido, anjos caídos são traiçoeiros, é apenas um aviso, criança. Ele está pronto para fazer da sua mente o inferno dele... Mas não sozinho.


Notas Finais


E agora? Oq será esse segredo? Oq será q a Soo Min esta aprontando? E o Baek? Será q ele esta aprontando tbm?
Semana q vem no globo spirit auahauahau
Não esqueçam de deixar os comentários :3 e um biiiiig bjão pq agr eu vou mimir pq o sono resolveu aparecer ><
Amo vcs <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...