História Psychologist - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook, Vhope
Exibições 130
Palavras 2.817
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela, Shonen-Ai, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eai coleguinhas??

Demorei? espero que não!!
enfim acho que to de ferias então teremos varios cap por ai!

boa leitura sz

Capítulo 6 - E os namoradinhos?


Fanfic / Fanfiction Psychologist - Capítulo 6 - E os namoradinhos?

 

 

Um dia. 24 horas. 1440 minutos.  Eram exatamente 00h00 e eu estava acordado e remexendo pela minha cama confortável.

 

Já fazia um dia desde que Jimin me beijou e eu retribui. Faz um dia que estou em um conflito com a minha sanidade. Estava tão confuso na hora, mas agora? Eu estou louco.

Eu sou hétero, então, por que gostei tanto daquela sensação? Por que ele havia me beijado? Por que ele é tão fofo? Por que eu não me arrependo disso? Como eu contaria isso para os meus amigos? Tantas perguntas e poucas respostas.

Não vou mentir, desde o dia do beijo eu não me sinto tão confortável em conversar com Jimin hyung... estava envergonhado. Acho que o mesmo percebeu isso, já que não me mandava mais mensagens com a mesma frequência de antes, mas o que eu iria falar com ele depois daquilo? Nem mesmo ele sabia o que estava acontecendo.

Quer saber? Eu vou mesmo é dormir!

Chega de pensar no hyung, naquela cena e nos meus sentimentos eu só quero dormir e esquecer de tudo por algumas horas.

                                                                         ******

Park Jimin pov's

Estava dentro do elevador do meu prédio esperando o mesmo parar no 11º andar – o meu andar. –

Estava cansado, havia feito várias consultas hoje e todas elas só me faziam pensar em como queria estar com Jungkook agora, mas por que eu pensava nisso?

Faria exatamente quatro dias desde que não falo direito com Jungkook, será que cometi um erro? Pelo jeito, sim..., mas por que não me arrependo?

Eu não sabia direito o porquê de ter feito isso, na hora eu estava tão confuso e ele tão lindo que eu não pude pensar em outra coisa a não ser nos lindos lábios dele.

Não era a primeira vez que pensava em Jungkook dessa maneira, desde as nossas consultas eu já sentia a necessidade de proteger e cuidar dele e isso só ficou mais forte no dia que vi seus olhos que tanto brilham ofuscados e seu corpo exausto como se estivesse carregando um peso enorme.

FLASHBACK ON

Jungkook se encontrava deitado olhando para o teto. Seus olhos estavam cercados por uma camada pesada e roxa e sua pele parecia mais pálida, ele estava cansado e era obvio.

- Jungkook, o que você fez ontem? – Eu tombo minha cabeça para o lado – era uma mania que eu tinha desde pequeno – pensando em várias teorias para aquilo.

- Tive pesadelos. – Ele dá de ombros, como se fosse muito normal.

- Como eram?

- Jimin-ssi, não estou preparado para falar sobre isso detalhadamente... – suspiro. – são só pesadelos sobre o meu passado. – não sabia como ajudar uma pessoa que não se abria, então tive uma ideia que serviria para o momento. Sendo assim, me levanto da poltrona onde me encontrava e ligo o som que tocava Hunger- Sam Sure , sorrio, pois essa era uma das minhas musicas favoritas.

My heart's beating upon my sleeve, tryina figure out if you mean the things you do

batida do meu coração em minha manga, tentando descobrir se você quer dizer as coisas que você faz

 

- O que você esta fazendo? – Jungkook arqueia uma das sobrancelhas demonstrando confusão.

- Estou fazendo você relaxar.

- Mas por que?

- Você não dormiu direito e deve estar cansado. – ele nega, mas o corpo dele fala o contrario, fazendo-o com o que bocejasse. – o sofá daqui é confortável, tente dormir um pouco.

- Não quero ter pesadelos. – ele diz baixinho.

- Você não terá, e se tiver eu estarei aqui para te ajudar. – e foi com essas minha ultimas palavras que seus olhos finalmente cederam e após um tempo a sala era invadida pela respiração calma de Jungkook.

 

Only if you're her and I know you can't even think right now/ And advice is something I can live without.

Só se você estiver aqui, e eu sei que você não pode sequer pensar agora/ E conselho é algo que eu posso viver sem

 

 

Mesmo com a musica e comigo do lado Jungkook teve pesadelo, mas eu estive lá e o ajudei. Essa era a primeira vez que eu sentia necessidade de proteger alguém além da minha irmã.

 

FLASHBACK OFF

 

Meu elevador finalmente para me fazendo acordar de todos esses pensamentos sobre Jungkook e eu procuro a chave no meu bolso, logo obtendo sucesso.

 

Enfio a chave na fechadura, mas... a porta já estava aberta. Estranho!

Adentro o local com um certo receio de ter algum criminoso e pego um vaso que havia em cima da mesinha perto da porta.

 

Vou em passos lentos e calmos em direção a luz que havia no fim do corredor. A luz do meu quarto. Meu coração estava acelerado, era só mais essa que faltava a essa altura do campeonato, ser assaltado depois de um longo dia!

 

Abro a porta do meu quarto devagar e me deparo com um Yoongi mexendo no meu armário. Espera... Yoongi?

 

- Ei!. – ele se assusta e coloca a mão no coração virando para minha direção. – o que você esta fazendo?

- Nunca ouviu falar em bater antes de entrar não? – ele resmunga. – quase me matou do coração!

- Você, o cara que invadiu minha casa e esta mexendo no meu armário, esta pedindo para bater antes de entrar no MEU quarto? – dou ênfase no meu.

- Aish, eu posso explicar.

- Então, comece.

- Como você sabe eu estava na Europa estudando, claro. – ele se senta na cama. Folgado.

- Sei sim, mas infelizmente não fiquei sabendo por você, né?

 

Yoongi era meu melhor amigo desde a infância, sempre estávamos juntos um ajudando e protegendo o outro, mas ano passado o filha da mãe resolveu prestar uma prova para fazer intercambio. Ele passou, claro, mas o bonitão se esqueceu do mais importante, adivinhem? Avisar o melhor amigo que ficaria um ano fora do país!

- Jimin...

- Jimin? – eu começo a ficar nervoso e passo a mão no meu cabelo. – Yoongi, não faça essa cara. Você sabe muito bem que poderia ter evitado aquilo tudo!

- Deixa eu continuar? – eu suspiro e assinto. – Enfim, passei um ano na Europa – e disso você já sabe também – e voltei ontem para Seul, porque completei meu ano.

- Ta, mas por que esta aqui? Quem te chamou? Não to querendo te ver nem pintado de ouro Min Yoongi, imagina mexendo nas minhas coisas?

- Senti falta do meu melhor amigo e vim visita-lo. Ah, pare de drama. 

- Melhor amigo uma ova, sai daqui sai! – eu puxo ele da cama e começo a empurra-lo para fora.

- É sério Jimin, para! – ele me segura. – você é meu melhor amigo e sabe disso. Você sabe muito bem porque eu não o avisei, você faria todo um drama e tentaria me impedir de ir, porém eu estou de volta e quero matar a saudades do meu ruivinho favorito. – ele sorri. Estava com saudades desse sorriso que conseguia me convencer de tudo.

- Que droga, eu não consigo ficar com raiva de você! - digo logo me amolecendo.

- Melhor pra mim. – ele volta a se deitar na cama e bate a mão ao lado indicando para eu me deitar junto, eu obedeço. – me conte tudo que eu perdi, já que o bonitão aqui não quis nem me ligar para falar da sua vida enquanto eu estava fora.

- Não liguei mesmo e continuaria não ligando, ainda estou chateado. Enfim, formei em psicologia depois que você se foi e desde então atendo várias pessoas.

 

Depois disso ficamos conversado sobre várias coisas aleatórias que aconteceu na vida dos dois. Descobri que Yoongi havia se envolvido com uma inglesa, mas não obteve sucesso, dizendo ele "ela era muito diferente".

Após um tempo colocando os assuntos em dia, decidimos ver um filme qualquer que passava na televisão enquanto comíamos pipoca. Eu e o hyung combinamos de dormir na mesma casa – como uma festa do pijama – para matarmos a saudades. Afinal, ele era meu amigo desde o ensino fundamental e um ano sem vê-lo era como uma década sem risadas e alegria. Mesmo com raiva eu sentia falta do moreno ao meu lado. Todos falavam que Yoongi era sério e frio, mas não era verdade, quem o conhecia de verdade sabia que no fundo ele era um cubinho de açúcar de tão doce.

 

Yoongi estava deitado com a cabeça encostada no meu ombro e meus braços descansavam na cintura dele. Ele parecia concentrado no filme, mas minha opinião sobre isso mudou quando ele fez a famosa pergunta de tia velha:

- E os namoradinhos? - seus olhos pousam sobre o meu

 

- É... e-eu não tenho nenhum. – eu olho para o teto tentando desviar seu olhar do meu. – você sabe disso...

 

- Você está mentindo.

 

- Não estou!

 

- Eu te conheço, Jimin. – eu bufo. – você mente muito mal.

 

- Mas eu realmente não estou namorando, é só que.... tem um garoto.

 

- Um garoto? – ele se vira para o meu lado. – idade? Nome? CPF? CEP?

 

- Aigoo, hyung! – eu viro para a direção dele. – o nome dele é Jungkook, Jeon Jungkook. Tem 20 anos. Mora perto do... Ei, você não precisa saber disso! – ele ri.

 

- 20 anos? Jimin, não sabia que você era um pedófilo.

 

- São três anos de diferença, hyung!

 

- E o garoto sabe que você esta apaixonadinho por ele?

 

- Primeiro que não estou apaixonado, e se você quer saber eu já até beijei ele. – ele arregala os olhos.

 

- Jimin, a ultima vez que você beijou alguém foi quando...

 

- Não fala sobre isso.

 

- Tudo bem, mas eu quero conhecer esse tal Jungkook.

 

- Acho meio difícil, hyung... Não sei se vou falar com ele tão cedo. – eu suspiro e fecho meus olhos tentando imaginar o que Jungkook estaria fazendo agora, do jeito que é deveria estar dentro de casa com o primo.

- Ah, não quero nem saber. Vou te dar dois dias para apresentar esse garoto pra mim, se você não fizer isso eu vou descobrir onde ele mora e interferir nisso.

- Hyung, acho que ele não gosta de mim. – mantenho meus olhos fechados para não ver a reação do hyung. – ele não fala comigo desde aquele dia e tem outra coisa... Ele, hm, ele era m-meu paciente.

- Você se envolveu com um paciente? – Yoongi grita. – Por que ele não quer falar com você? Ele é doido, Jimin?

- O que? Não! – eu abro meus olhos e me sento na cama. É cada uma... – Eu não sei porque ele não quer falar comigo, deve estar com vergonha, sei lá.

 

- Ah, então você trate de falar com ele agora! Há quanto tempo você não vê ele?

 

- Quatro dias. – eu abaixo a cabeça. – ele não me responde direito por mensagens, então pensei que ele não quisesse mais sair comigo e...

 

- Vai, agora! – ele se levanta e começa a me puxar. – estou falando sério. Quatro dias é muito!

 

- Mas você acabou de chegar e eu não sei o que falar, Yoongi!

 

- Não to nem ai se você sabe ou não, na hora você improvisa e você terá o resto da vida comigo. Agora, pegue a chave do seu carro  e vá atrás do garoto, vou esperar aqui. – o hyung abre a porta da minha casa e me empurra pra fora, jogando a chave do carro em mim logo depois. Quando penso em abrir a porta ele tranca a mesma, sendo mais rápido. Droga. – só abro essa porta quando tiver noticias sobre o garoto.

 

Tudo bem, uma hora ou outra eu teria que fazer isso... Mas e se ele não gostar de mim ou nem sentir atração mesmo?

 

                                                                                ******

Jungkook pov's

 

Estava sentando no sofá da sala com meu primo e minha tia do meu lado. Minha mãe estava de plantão, no hospital onde trabalhava. Estava passando uma novela muito chata, mas o que eu poderia fazer se minha tia era viciada nessas coisas?

 

Quando penso seriamente e quebrar a televisão e sair correndo de casa como um louco, para não ter que assistir mais um segundo dessa bobagem escuto a campainha tocar. Graças a Deus, que seja o Hoseok ou o Taehyung querendo me tirar do tédio, nos ataques de loucura que eles dão.

 

Levanto do sofá antes de qualquer um pensar em se movimentar e falo “deixa que eu vou” saindo em direção a porta. Não reparo muito na falta de roupa – estava usando só uma bermuda jeans e chinelos – já que eram só meus amigos e ando apressadamente.

 

Abro a porta com um sorriso gigante como agradecimento por me tirar daquilo, mesmo sem saber quem era, mas quando presto atenção não era realmente meus amigos e minha expressão de felicidade vira um misto de confusão com susto.

 

- J-Jimin?

- O-oi, eu estava...hm, estava passando por aqui, isso! – ele se embola para falar. – eu estava passando por aqui e pensei no por que não visitar meu... o Jungkook! – eu arqueio um sobrancelha, que estranho.

- Quer entrar? – eu abro espaço para ele passar e o mesmo assente e adentra a casa. – vamos lá para o meu quarto, meu primo e minha tia estão vendo novela e é um saco. – ele ri com a minha sinceridade e assente novamente. Coloco as mãos em seu ombro e o guio para o meu quarto. Subimos o vão de escada, andamos por um corredor e paramos em frente a uma porta branca que daria para o quarto. Abro a mesma e vejo Jimin observar tudo detalhadamente, como se a decoração fosse mostrar quem eu realmente era.

 

Meu quarto não era nada demais. Ele era branco e tinha detalhes azuis. A cama ficava no centro do mesmo e ao lado ficava uma mesinha pequena e branca onde um abajur se hospedava.  O guarda-roupa branco se encontrava de frente para cama e algumas estantes com livros se encontrava presa as paredes contrarias as da janela.

 

- Seu quarto é bonito. – ele diz quebrando o silencio.

- Obrigada, eu me sento na cama. – Jimin para e fica alguns segundos me observando de cima a baixo, me deixando constrangido. – tem algo errado comigo?

- Quem dera... – ele fala baixinho e se senta ao meu lado. – estava com saudades. 

- Também estava. – respondo com sinceridade. – mas agora estamos juntos...

- Sim, me conte como foi sua semana? - começo a falar sobre meus dias, conto sobre Taehyung e Hoseok e o ataque que o Jin deu por eu falar que prefiro macarrão do que frango. Jin amava frango, chegava a ser cômico. Passamos algumas horas falando sobre qualquer bobagem, até que o silencio se estabeleceu no local nos deixando constrangidos.

 

 – Jungkook, a gente precisa conversar. – Droga, já sabia sobre o que era.

- Tudo bem, sobre?

- Você sabe... sobre o beijo. – murmuro um “ah” e fico esperando o mesmo tomar a iniciativa. – eu sinto muito se tiver te ofendido de alguma forma, até porque nem sei se você é gay ou bi.

- Eu sou... – eu ia continuar afirmando que era hétero, mas depois de beijar Jimin, nem mesmo sabia mais. Havia contado tudo para o Taehyung e o mesmo disse que isso só provava a minha homossexualidade, mas eu só ignorei... só que agora fazia sentido. – eu não sei.

- Ah sim. – ele suspira como se estivesse aliviado. – Jungkook, eu não sei por onde começar isso, mas a verdade é que nem eu mesmo sei porque fiz aquilo... Só parecia o certo, você estava tão lindo e eu estava tão confuso que eu não me aguentei, entende? – eu assinto. Meu coração acelera. Minhas mãos suam. – Desde nossas consultas eu venho me observando sobre sua presença e eu não sei explicar, mas eu só quero te proteger e ficar perto de você vinte quatro horas por dia, eu não vou mentir, não sei lidar com isso tudo e não sei o que você acha sobre isso. Eu estou tão nervoso e....

 

Sem nem pensar nas consequências eu o calo com um beijo. Aquilo sim parecia certo. Meu coração estava uma loucura, meus pensamentos então? Nunca foram tão felizes. Eu não entendia o que sentia por ele, nem ele por mim, mas aquilo parecia certo. Digo, ficar ao lado dele e ajuda-lo, eu sentia o mesmo e isso parecia certo. Eu não sabia como responder aquilo e beija-lo parecia uma ótima resposta. 

 

Eu realmente não sabia de onde havia tirado tanta coragem para tal ato, mas eu sabia que Jimin não me machucaria nunca então não havia perigo, não é? Como prova dos meus pensamentos, ele me puxa para mais perto e apoia suas mãos em minha cintura. Eu seguro seu rosto com minhas mãos e tento me aproximar mais também.

- Jungk... Que porra é essa? – escuto um grito vindo da porta e quando vejo me deparo com  um Jin raivoso olhando pra cena e um Jimin assustado com as bochechas coradas.

 

Incrível, tudo que é bom dura pouco mesmo.


Notas Finais


digam suas teorias sobre a fic e o que acharam, me faz ter muito mais vontade de escrever com frequencia sz

espero que tenham gostado e desculpem qualquer erro acabei de fazer esse e não revisei direito!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...