História Psychos - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Creepypasta, Psicopatas, Terror
Exibições 69
Palavras 1.041
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Terror e Horror
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 8 - Capítulo 8


Fanfic / Fanfiction Psychos - Capítulo 8 - Capítulo 8

“Escola fechada para investigação de assassinatos, achamos que algum aluno nosso seja um assassino procurado, não teremos aulas por um tempo”

 

Mary Pov’s On

 

Com a notícia repentina provavelmente teríamos que nos mudar logo, Carry estava em seu quarto chorando pela morte da irmã, Matt estava com ela, tentando a confortar – Com certeza Carry nunca seria capaz de matar alguém e é por isso que Matt faz o trabalho sujo – Jack se levantou sem dizer nada e subiu, logo ouço o som de seu piano, logo também fui até a sala de seu piano, abro a porta devagar e entro no local, fecho a porta e vou até o mesmo – Eu sou grande fã de música clássica, mas não faço ideia de que musica seja – Me aproximei do mesmo que logo fez sinal para que eu sentasse com ele, me sentei entre suas pernas, o mesmo continuou a tocar com o queixo apoiado em meu ombro, ele parou de tocar por um momento e olhou fixamente para as teclas do piano.

 

Jack: Teremos que nos mudar, não vai ser bom se nos encontrarem aqui, pensei em ir para uma casa de campo que minha família tem aqui perto, podemos nos mudar na semana que vem para que não suspeitem tanto, mas se começarem a investigar os alunos logo notaram que fomos nós pela descrição que as testemunhas deram, precisamos ir embora depressa – O mesmo passou o os braços pela minha cintura e me puxou mais para perto logo me abraçando – Mary, eu não estou pedindo no momento, mas algum dia, você casaria comigo?
 

Mary: Você realmente me imagina em um vestido de noiva?

Jack: Haha o pior é que imagino.

Mary: Eu passaria o resto da minha vida com você, mas não sei se casaria.

Jack: Suas palavras atingem no fundo do meu coração.

 

Soltei uma leve risada, ouvimos a porta da sala ser aberta, desvio meu olhar para o local e Carry estava ali em pé, Matt gritava o nome dela ao fundo do corredor, a mesma entra na sala estando frustrada, com certeza pela morte da irmã muitas coisas estão passando pela sua mente. Me levantei dando espaço para Jack ficar de pé, Carry se aproxima do mesmo e iria bater em seu peito, mas Jack segura seu braço.

 

Carry: Você matou a última pessoa que eu tinha – A mesma gritou.

Jack: Não foi grande coisa, se ela nunca tivesse vindo aqui ainda estaria viva e se você tentar encostar a mão em mim novamente vai ser a próxima – Ele deu um leve sorriso – Não é como se eu tivesse matado alguém que você fosse próxima, pelo que eu ouvi ela estudava em um colégio interno e também estava com a intenção de te matar, você tem que aprender que nesse jogo que entrou é matar ou ser morto.

Carry: Você não devia ter feito aquilo Jack.

Jack: Eu faço o que quero, não preciso de sua aceitação para matar alguém, afinal, ela foi só mais uma na longa lista de assassinatos que eu cometi, acha mesmo que suas palavras vão me abalar? Se fosse para ter sentimentos tão medíocres como os seus eu nunca teria assassinado ninguém, havia me esquecido, quem fez o trabalho sujo para você foi meu primo, não?

Carry: O Matt apenas me ajudou, não fez o trabalho sujo, ele apenas me defende assim como você defende a Mary!

Jack: Pelo que eu saiba a Mary não precisa de ninguém para defende-la, e não a coloque no meio, pois a única interação que a mesma teve com você foi quando uma faca passou pelo seu rosto.

 

A mesma puxou o braço para si e foi correndo para fora, Jack soltou um suspiro, eu saio da sala e vou para meu quarto, ao chegar no mesmo me jogo na cama.

Passou-se duas semanas, havíamos nos mudado a pouco tempo e por todos os jornais do pais estavam procurando por mim e Jack, era como se todos os outros assassinos tivessem parado de matar e o foco principal de todas as investigações eram nós, sinto que a qualquer momento algum policial pode descobrir sobre a casa e bater em nossa porta e descobrir quem realmente mora aqui. Passo caminhando pelo imenso corredor e logo desço as escadas, ao chegar no local ouço um forte barulho, vou até o local onde aparentemente havia vindo o barulho – Foi do lado de fora da casa – Ao chegar no local vejo um corpo em cima de uma grande poça de sangue, o corpo havia vindo do telhado – Era Carry – Ela provavelmente não aguentou a pressão de poder ser morta a qualquer momento, ao ouvir o barulho de passos me viro – Era Jack – Me aproximei dele e disse para que ele falasse o que houve para Matt, fiquei alguns minutos sem saber o que fazer com o corpo até que decidi que iria joga-lo no rio, quando iria pegar o corpo ouço Matt gritando para esperar, ele se aproxima e olha fixamente para o mesmo por alguns segundos, logo Matt pegou o corpo com cuidado ele foi na direção do rio, não me preocupei mais com o que ele iria fazer já que meu DNA não estava envolvido com o corpo, era uma tarde nublada e com certeza iria ocorrer uma tempestade, então também não nos preocupamos com o sangue, a chuva vai apagar os rastros que ela deixou, vai ser um pouco estranho não ouvir as piadas do Matt por um tempo, pois ele sempre as fazia quando Carry estava perto.

Fui para meu quarto, me sentei em frente à janela, logo começou a chover, a noite chegou e uma forte tempestade não parava, ao lembrar-me de algo que eu havia guardado me levantei e fui até meu armário, peguei uma caixa de dentro dele e tirei meu violino empoeirado de dentro do mesmo, antes de meu pai matar minha mãe ela havia me ensinado a tocar, eu acabei me aperfeiçoando durante o tempo que morei com meus tios, apoiei o mesmo em meu ombro e comecei a tocar enquanto olhava pela janela, música clássica e chuva são provavelmente uma das coisas que ainda valem a pena no mundo, após terminar de tocar me joguei em minha cama, adormeci rapidamente.

 

Continua...


Notas Finais


Sinto informar vocês, mas o final está próximo ;3;

Beijos da Sugu T3T


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...