História Psychotic love - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Assassinos Profissionais, Bishoujo, Bishounen, Finlay Macmillan, Mistério, Shawn Mendes, Suspense
Visualizações 32
Palavras 3.081
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Lemon, Luta, Romance e Novela, Sci-Fi, Slash, Suspense, Terror e Horror, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Um título nada ver desses Brasil, desculpem por eu ter demorado tanto, eu tive um bloqueio bem maravilhoso. Mas eu voltei, o cap é só pra encher linguiça mesmo, boa leitura.

Capítulo 17 - Início de primavera.


Fanfic / Fanfiction Psychotic love - Capítulo 17 - Início de primavera.

- Começaremos nas férias, sugiro que avise sua mãe que fará uma viagem em breve. - Luck disse neutro, caminhando ao lado dele.

- Isso não vai ser problema, o problema vai ser convencer o Alex de me deixar ir com você. - Christian respondeu intrigado.

- Como assim convencer ele a deixar você ir comigo? Por acaso ele é seu dono? Você é algum tipo de cachorrinho e eu não estou sabendo? - Disse firme.

- Não! Não é isso, é que o Alex vai ficar na minha orelha, falando que pode ser perigoso, que eu posso me machucar. Ele não vai entender sabe? - Respondeu simples.

- Christian, mesmo que ele esteja certo de tudo isso, você tem que estar sempre ciente de que os sacrifícios que ira fazer, vai ser pro bem das pessoas que você ama. Se você se deixar levar pelo que as pessoas falam, você não vai conseguir ajudar. - Luck disse simples, parando ao lado dele.

- Como pode ter certeza dessas palavras?

- Porque eu estou falando com experiência própria. - Sorriu com convicto, voltando a caminhar.

Os dois estavam próximos a casa de Patrick e perceberam a movimentação no local. Christian estranhou aquilo e deu passos longos até a frente do estabelecimento, percebendo Gary e Patrick jogando vídeo game.

- Qual é a desse garoto? - Disse indignado, observando a cena de longe. Ele se virou para o lado escutando a risada de Luck.

- Ora, ora ora, parece que alguém esta com ciúmes. - Disse divertido. - Por que essa preocupação toda com eles Christian? Que eu saiba você namora o Alex, não o Patrick. - Disse cínico.

- Alex e eu não somos namorados, e eu só fiquei preocupado. Patrick é novo nisso tudo, tenho que garantir que ele esteja bem. - Respondeu com determinação.

- Claro... A final seu coração esta dividido não é mesmo? - Luck disse firme, se aproximando dele.

- O que? Por que esta falando uma coisa dessas? Meu coração não esta dividido coisa nenhuma! - Christian disse trêmulo, sentido seu rosto queimar com indignação e frustração.

- Pode mentir pra si mesmo Christian, mas não pode mentir pra mim, da pra sentir de longe seus sentimentos se aflorando cada vez mais. Quando você esta perto do Patrick quer que o tempo passe rápido, pois você tem medo de avançar nos lábios dele, você sente raiva e desejo quando está com ele, sente como se estivesse dentro de um elevador que sobe e desce rapidamente; causando um forte embrulho em seu estômago e claro, o famoso calafrio. - Luck disse firme, rodeando seu corpo, enquanto sua voz sussurava na mente dele.

Christian deixou escapar um gemido trêmulo, ato que deixou Luck com seu ego nas alturas.

- Viu! Eu estou certo, não pode mentir pra mim. - Disse convencido, segurando os braços dele com força. - Agora o Alex... Bom o Alex tem um efeito especial sobre você, seu coração dispara só de ouvir seu nome, suas mãos começam a soar quando esta próximo dele, sua respiração fica cada vez mais quente e trêmula, em seguida você fica eufórico deixando com que todos os seus sentidos fiquem aguçados. Logo vem a maldita sensação de medo de perde-lo, fora a grande excitação que você tem quando ele te beija, você quer explorar o corpo dele, mas esta com medo... Por que esta com medo Christian? Tem medo de machucar ele com suas mãos? - Sorriu firmemente, enquanto encarava ele com uma postura altiva.

Christian olhou para ele sério, surpreendido com as coisas que acabará de ouvir. - Como... Como conseguiu fazer isso? - Disse confuso.

- Eu sou um alfa Christian, e um alfa conhece bem seus novos betas. - Disse simples, desviando sua atenção para porta que tinha acabado de ser aberta por Patrick.

- Christian! - Disse animado.

Luck se afastou dele, mas sem tirar seus olhos do garoto que ainda estava confuso. O garoto se virou tentando ao máximo disfarçar seu rosto de preocupação.

- Oi! - Disse gentil abraçando ele. - Sabe onde o Alex esta? - Disse simples, desviando seu olhar para o lado.

- Ele disse que tinha que resolver umas coisas em casa, parece que os pais dele vão chegar hoje de viagem. - Patrick disse simples, logo olhando diretamente para Luck que encarava eles sereno. - Ele esta do nosso lado agora? - Perguntou simples, tirando uma risada nasala dele.

- O certo seria, nós estamos do lado dele agora. - Disse brincalhão.

Gary se aproximou do maior, percebendo que ele não estava muito bem. - O que foi? - Perguntou preocupado.

Luck parecia ter acordado de um transe, quando o outro se aproximará. - Nada ué, acha que aconteceu alguma coisa? - Disse simples.

- Ainda pergunta? Sua cara não nega Luck, aconteceu alguma coisa e eu quero saber. - Gary disse firme.

Luck sorriu com aquela atitude. - Esta tudo bem. Você tem certeza mesmo de que não quer voltar comigo pra casa? - Perguntou simples.

- Já falamos sobre isso Luck. - Respondeu indignado.

- Eu sei Gary, mas se você vai ficar aqui sera que da pra falar logo pra ele que você esta afim dele? - Luck disse firme.

- Luck! Você não tem o direito de falar isso! Eu decido o  que eu faço ou não com a minha vida. Não quero que fique opinando sobre ela por mim. - Ditou firme.

- Gary eu só estou tentando fazer o melhor pra você.

- Eu não preciso disso Luck! Eu estou cansado de você intervindo na minha vida, que droga. Sera que você não percebe que eu não preciso mais de você! - Gary disse sem pensar, o garoto estava tão estressado que nem mesmo se deu conta do peso que suas palavras tinham causado no outro.

Luck tentou retrucar, mas percebeu que aquilo não seria a melhor coisa a se fazer. - Bom... Não esta mais aqui quem falou. - Ditou firme, dando dois passos para trás.

- Luck... Espera. - Gary disse trêmulo, assim que ele o seguiu o mesmo foi surpreendido pelos pássaros brancos que surgiram ali.

Luck sumiu junto aos pássaros, deixando Patrick e Christian confuso que não prestavam atenção nos outros dois que discutiam ali discretamente.

- Gary, esta tudo bem? - Patrick perguntou preocupado, percebendo o semblante sério do garoto.

- Sim... Esta tudo bem. - Disse firme, se virando para eles com um sorriso amigável.

(..........)

Alex estava sentado no telhado de sua casa, o rapaz não conseguia dormir já que estava preocupado com Christian que não deu notícia desde cedo. Um barulho de bater de assas se ecoou pelo local, tirando a atenção do garoto, assim que Alex se virou para o local de onde vinha o barulho ele se assustou com a presença de Luck que surgirá tranquilamente ali.

- Olá Alex. - Disse cínico.

- Cade o Christian? - Disse firme.

- Eu matei ele. - Respondeu neutro, sorrindo quando o outro partiu pra cima de si.

- Desgraçado! - Gritou indignado.

- Wont! Você também esta apaixonado por ele! - Disse risonho, se afastando do outro. - Eu estava brincando com você, ele esta bem, só passou no Patrick pra  ver se ele também estava bem.

- E o que você  esta fazendo aqui? - Perguntou desconfiado.

- Arthur e Helen, sabe onde eles estão?

Alex iria responder, mas o rapaz foi cortado pelos os outros dois que surgiram ali rapidamente.

- Sentiu saudades? - Arthur disse convencido, passando ao lado de Alex.

- De você que não foi, né fofo. - Helen respondeu ele, antes mesmo que Luck pudesse contestar.

- Faço as palavras de Helen as minhas. - Disse divertido. - Estão prontos pra voltar?

- Cade o Gary? - Helen perguntou simples.

- Ele não é problema meu. - Respondeu firme, tentando não demonstrar seu semblante de angústia. - Voltaremos em breve pra buscar o Christian, então é melhor irmos agora.

- Espera ai, que história é essa de buscar o Christian? - Alex perguntou confuso.

- Bom meu anjo, quando você encontrar ele vocês conversa. Agora precisamos ir, não quero receber visitantes com a casa bagunçada. - Sorriu superior, pulando dali de cima, acompanhado de Helen e Arthur.

Helen se virou para ele antes de pular. - Escuta Alex, sera que você poderia ficar de olho no Gary? É que ele é o mais novo entre nós, e as vezes a super proteção do Luck acaba nos sufocando um pouco. - Disse gentilmente.

- Não se preocupe, eu cuido dele enquanto estiverem fora. - Respondeu amigável.

- Obrigada! - Sorriu antes de se juntar  aos outros dois que estavam a sua espera.

Alex adentrou em seu quarto novamente, o rapaz desviou sua atenção pro celular percebendo que tinha algumas mensagens ali.

" Hey! Desculpa por não ter passado ai hoje, minha mãe estava me esperando pro jantar. "

Alex sorriu percebendo que era Christian, o rapaz se jogou na cama começando a digitar.

" Nunca mais suma desse jeito, eu fiquei preocupado! "

" Alex, seb muito bem que eu sei me cuidar sozinho, não precisa fazer esse drama todo. "

" Não é drama Christian, é só preocupação. "

" Sua preocupação me assusta as vezes kkkkk. "

" Haha, engraçadinho. Eu vou falar o que vai te assustar já já. "

" Alex! " - Christian sentiu seu rosto coroar fortemente, o garoto riu nervoso pensando numa resposta a altura. -  " Seu pirulito não ataca minha diabete, fofinho. "

Alex soltou uma gargalhada enquanto sentia seu rosto coroar, suas mãos começaram a soar, sua respiração começou a ficar ofegante enquanto uma onda de calor subia pelo seu corpo.

" Quer ver que ele ataca? "

Christian deixou seu celular cair com força no chão, o garoto riu nervoso, ato que fez sua mãe se virar para ele.

- Chris, da um tempo nesse celular. - Clear disse simples, enquanto se deitava.

- Claro! Eu só vou me despedir do Alex. - Disse simples, pegando o aparelho do chão.

- Hm... Quem é o boy. - Disse divertida.

- Ele é só um amigo.

- Você falava a mesma coisa do Derick.

- Mãe, eu ficaria feliz se não lembrasse desse embuste. - Disse emburrado, voltando sua atenção para tela do celular.

" Alex, eu preciso ir agora, vejo você amanhã na escola? "

" Poooxa! Eu vou ter que dormir sozinho hoje? :( "

" Depois fala que não é dramático :p. Boa noite Alex. "

" Boa noite Chris. <3 "

Os dois sorriram após encerrar a conversa. Alex se virou para o lado escutando seus pais chegarem de viagem, o rapaz sorriu aliviado fechando os olhos lentamente. Christian lançou um olhar desconfiado pra  sua mãe, percebendo a forma travessa que ela estava olhando.

- Não gosto desse olhar. - Disse simples, enquanto se deitava.

- Eu gosto, eu gosto muito! Agora me diga, quando eu vou conhecer ele? - Perguntou animada.

- Mãe! Eu já disse que ele é só um amigo. - Respondeu constrangido.

- Christian! Qual é, eu sou sua mãe e tenho o direito de conhecer seu amigo. Vamos marcar pra jantar todos juntos, queria você goste ou não. - Disse autoritária, se virando para o lado.

(..........)

A madrugada daquela noite tinha sido uma das mais gelada. Luck estava observando o lado norte da cidade do alto do seu templo, o garoto estava intrigado com diversas coisas, o que estava deixando seu psicológico carregado de mais pra pensar em qualquer outra coisa coerente, um suspiro cansado abandou seus lábios enquanto ele fixava nas luzes fracas cobertas pelo nevoeiro que se formava ali. Arthur foi até ele em passos leves, o rapaz sentou ao lado dele tranquilamente, olhando para mesma direção que ele.

- Helen? - Perguntou simples.

- Ela esta bem, acabou de ir pro quarto dormir. - Respondeu simples.

- Certo... E porque você não esta dormindo? Amanhã sera um longo dia.

- Perdi o sono, e você? Por que não esta dormindo?

- Sabe muito bem o motivo, Arthur. - Respondeu simples, sem tirar os olhos das luzes.

- Luck... - Arthur pensou bem no que iria falar, pois sabia que o garoto estava prestes a entrar no mês mais difícil de sua vida. - Não acha estranho a K9 sempre sumir assim do nada? - Disse confuso.

- Pensei que era o único que pensava assim, mas eu já estou de olho nela. Qualquer deslize suspeito que ela der, eu vou pra cima. - Ditou friamente. - Tem alguma coisa nela que me deixa muito intrigado, mas não posso criar conclusões precipitadas.

- Claro, agora me diga, o que houve com você e o Gary?

- O de sempre, tivemos uma pequena discussão.

- Essa não parece que foi tão pequena.

Luck se virou pro rapaz, com um sorriso gentil. - Esta tudo bem, não precisa se preocupar. - Disse simples.

- Sempre que diz isso, eu me preocupo cada vez mais.

- Mas você sabe que não precisa, eu sei me cuidar e além do mais eu consultaria você se eu não estivesse bem. - Disse simples, voltando seu olhar para cidade.

(..........)

Os corredores do colégio estava lotado, os passos apressados, o som alto das vozes dos alunos e funcionários que se encontravam ali parecia estar com força total. Christian estava encostado no armário, tentando escutar seus próprios pensamentos o que estava sendo bem difícil. O garoto parecia ter acordado de  um transe quando Patrick se aproximou dele junto com Gary.

- Christian! - Disse animado.

- Patrick! Eu nem vi você chegar. - Disse simples, sorrindo gentilmente para ele. - Olá Gary.

Gary maneou com a cabeça, enquanto um sorriso amigável se formava em seu rosto. - É só eu que estou achando esse lugar cheio de mais? - Perguntou simples.

- Deve ser porque estamos entrando na primeira semana de primavera. - Alex disse simples, se aproximando deles. - O último dia de inverno é sempre o mais frio, então sugiro que durmam com mais cobertores, ou com alguém a mais. - Sorriu travesso, puxando Christian pela cintura depositando um selo em seus lábios.

- Alex! - Christian exclamou assustado, empurrando ele para trás. - Você enlouqueceu? - Disse trêmulo, percebendo o semblante confuso dos outros dois garotos que estavam ali.

- Isso foi meio desnecessário. - Patrick disse firme, desviando seu olhar para o lado.

- Sério que você vai começar? - Alex disse firme.

- Só fiz um comentário, ficou ofendido foi? - Retrucou irônico.

- Ah! Não, eu não sou obrigado a ver isso. - Christian disse emburrado. - Vem Gary, você parece ser o único que é normal por aqui. - Puxou o garoto pelo braço saindo dali, em direção a sala.

- Patrick, olha precisamos parar de ser assim, eu não gosto desse clima que fica toda vez que ficamos próximos, principalmente quando o Christian esta por perto. O que acha de fazermos as pazes? - Alex disse sincero.

- Certo, quer fazer as pazes comigo? Então prove, prove que dessa vez eu vou poder confiar em você. - Patrick disse firme.

- Espera ai? Você quer que eu faça o que? - Perguntou confuso.

- Não sei, você sempre foi bom em surpreender as pessoas, de o seu melhor, Alex. - Sorriu autoritário, caminhando em direção a sala.

Todos os estavam se arrumando dentro da sala, enquanto a professora chegava no local. A mulher que tinha por volta dos seus 30 e poucos anos sorriu animada por  ver os alunos, por baixo daquele rosto de autoridade se encontrava uma doce mulher.

- Olá classe, vocês parecem estar bem animados. - Disse alegre.

- Estamos quase entrando na primeira semana da primavera, é óbvio que estamos animados. - Angel disse rindo.

- Bom, vocês devem estar ciente que o grande baile de primavera esta pro vim. Por isso que eu e os outros professores entramos em um conceito de começar os preparativos antes do grande jogo. - Sorriu entusiasmada. - Cada ajuda e criatividade para decorar a escola vai valer como uma atividade, ou seja, caso alguém precise de nota é só ajudar na decoração. E também não vamos se esquecer de votar nos novos rei e rainha do baile.

- Novos? Desculpa professora mas eu sempre sou eleita a rainha do baile. - Angel disse convencida.

- Bom minha querida, parece que esse ano você vai ter uma nova concorrente. - Helen disse desafiadora, enquanto adentrava a sala junto ao diretor.

Gary deu um largo sorriso com a presença da garota ali, ela se virou para os garotos dando uma piscadela.

- Classe, como todos sabem a dois novos alunos na sala. Gary, poderia se apresentar? - O diretor disse simples.

O garoto se levantou acenando para todos ali, logo se sentando novamente. Helen revirou os olhos, e logo foi para frente da turma.

- Olá pessoal, eu sou Helen e caso vocês não gostem de mim, como nossa queria amiga... É qual seu nome mesmo fofa? - Disse irônica.

- Angel. - Christian disse sorrindo.

- Brigada more, então como eu ia falando. Caso não gostem de mim, como nossa queria amiga Angel, eu simplesmente vou tornar sua vida mais difícil; porque eu sou um amor de pessoa. - Helen disse convencida, caminhando para o fundo da sala, ela puxou uma  cadeira perto de Gary e Christian.

- Helen! Eu adorei o seu entusiamo, e a forma que interagiu com a turma. - Disse simples.

- Que isso prof, eu só fui eu mesma. - Respondeu como se aquilo fosse óbvio.

A professora sorriu, voltando a falar sobre o baile. - Certo, vocês tem até segunda pra começar a serem criativos, então me deixem orgulhosa nas idéias e na decoração. - Encerrou sua fala, batendo duas palmas. Ela se virou para lousa começando a fazer algumas anotações.

- O que esta fazendo aqui? - Gary sussurrou para ela.

- Pedi pro Luck me liberar, e também prometi que ficaria de olho em você. Ele também esta na cidade, estou pensando em chamar ele pro baile o que você acha? - Sussurrou de volta.

- Luck num baile? Boa sorte, você sabe muito bem que ele não é muito fã de festa.

- Ah! Mas ele pode mudar de ideia.

- Bom, não custa nada tentar.

- Você vai chamar o Patrick?

- Não sei, preciso ver se ele vai querer ir.

- Para de enrolar e pega logo ele!

- Helen!

- Algum problema? - A voz autoritária da professora assustou os dois.

- Não! - Responderam juntos.

- Parem de cochichar e prestem mais atenção na aula. - Disse firme.

Patrick estava concentrado na explicação da professora, o garoto se assustou ao sentir alguém tocar em seu braço.

- Calma, eu não mordo. Só o Chris. - Alex disse divertido.

- Haha, que engraçado Alex. - Respondeu emburrado. - O que você quer?

- Depois do baile vamos sair, eu você, Christian e o Gary ok? - Disse simples.

- Isso parece um encontro de casais. - Respondeu confuso.

- Cara, você é muito lerdo. Só diz que topa ok?

Ok, ok eu topo. - Olhou pra ele desconfiado, mas resolveu ignorar esse fato.


Notas Finais


É isso mores, espero que tenham gostado. O cap foi só pra encher linguiça, prometo que nos próximos eu vou deixar as coisas bem mais interessante ksksks. Até breve!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...