História Purity - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Styles, One Direction
Tags Casamento, Drama, Harry Styles, Lily Collins, One Direcrion
Visualizações 272
Palavras 2.452
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei!!!
Estou conseguindo administrar minhas duas fanfics, embora isso esteja exigindo muito de mim e do meu tempo, mas fazer o que, não é mesmo?
Eu estou mais adiantada com os capítulos de Purity do que Amianto, mas vou tentar atualizá-las semanalmente pra vocês, meus nenês.

Ontem, minha bff ficou me enchendo a paciência e brigando comigo (o dia inteirinho) porque eu não postei esse capítulo, e deixei para hoje! Então, Ariele, eu te dedico novamente esse capítulo, para que você pare de me perturbar, amém! 😌

Espero que gostem desse capítulo, nos vemos lá embaixo 💋

Capítulo 2 - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction Purity - Capítulo 2 - Capítulo 1

O movimento em minha casa ficou frequente devido estarmos a apenas uma semana do meu casamento. Meu noivo e eu poucas vezes nos vimos desde quando ele me fez o pedido oficial. Meus pais se encantaram com o anel e lamentaram não estarem presentes na hora em que ele de fato me pediu em casamento.

- Acho tudo isso um pouco exagerado. — Lisa torceu o nariz enquanto olhava meu anel de noivado.

Lisa era minha amiga dos tempos do colegial, a única no qual eu realmente me sentia à vontade para contar do meu drama de me casar sem ter vontade.

Ela era realmente bonita, Harry claramente a escolheria se pudesse. Seus cabelos eram negros e lisos, chegando até sua cintura. Sua pele branca fazia um enorme contraste com o cabelo e seus olhos eram azuis, quase tão incríveis quanto os verdes de meu noivo. Seus traços eram gentis e finos, como se fossem desenhados perfeitamente sob medida.

- Você é tão nova para se casar. — Revira os olhos. – Sem contar que ainda não aproveitou nada, nem tomou o primeiro porre, nunca beijou um desconhecido na boate e em seguida trepou com ele no banheiro... você não viveu! — Ela quase grita e se joga no colchão. Minhas bochechas ruborizam só de pensar em viver alguma dessas experiências.

- Não acho que preciso passar por isso antes de me casar... — Suspiro. – O problema aqui é que eu tenho que me casar, mesmo não querendo.

- Você não viveu adequadamente para estar diante de um casamento, Eve. Seus pais jogaram sua adolescência fora gastando em aulas de violoncelo e te mantendo refém de um casamento em benefício próprio. — Em partes ela tinha razão. Mas uma coisa serviu dessas aulas, eu pude me apaixonar mais pelas músicas clássicas e os instrumentos. Tocar violoncelo era uma válvula de escape para minha triste e melancólica realidade.

A porta se abre levemente e Verônica entra no quarto. Sua expressão séria e de poucos amigos me fizeram endireitar a postura. Lisa apenas continuou deitada como se não ligasse. Minha mãe a olha com reprovação antes de se virar para mim.

- Eveline. Precisamos que desça até a sala para experimentar o vestido de noiva. Agora. — Me coloquei de pé e Lisa fez o mesmo.

- Estou louca para ver como será seu vestido. — A morena sorriu gentilmente e eu a devolvi o gesto.

Quando cheguei na sala, haviam dois vestidos em manequins diferentes. No local haviam várias pessoas, com fitas métricas e alguns alfinetes nas mãos.

- Separei os mais bonitos para que escolhesse, meu bem. — Minha sogra sorriu de orelha a orelha.

Eu não sabia o que dizer então sorri de lado para ela, com menos entusiasmo. Olhei para os dois manequins tentando decidir qual dos dois eu iria usar no meu grande dia.

Ambos eram lindos. Um era extremamente elegante, com rendas na parte superior e descia num tule perfeito. Já o outro, no qual me chamou mais a atenção, era um pouco mais simples e nada brilhante. Seu tecido era diferente de todos os vestidos de noivas que já tinha visto por aí. Haviam detalhes em linhas suaves dando um pequeno contraste com todo aquele branco, um pequeno laço dando forma à cintura e suas mangas eram soltinhas.

Caminho em direção ao meu preferido. Com certeza seria esse.

- Vejo que gostou mais desse modelo. — Anne sorriu. – Eu escolheria o outro, mas esse também é lindo. — Ela vem ao meu lado e deposita sua mão no meu ombro. – Quer ajuda para se vestir? — Eu queria poder recusar, mas apenas assenti afirmativamente. 

Os outros que estavam na sala, retiraram com cuidado o vestido que escolhi. Dou uma olhada para Lisa que acena dizendo que irá me esperar na sala.

- Se troque no escritório de seu pai, querida. — Mamãe falou e eu e Anne seguimos para o local designado.

Após fechar a porta e ficar apenas de lingerie na frente da minha sogra, ela me ajudou com o vestido, que estava um pouco largo na cintura e ombros, fazendo com que ele caísse a cada respirada que eu dava. Sem contar no comprimento que estava um pouco maior do que deveria estar.

- Você está deslumbrante. — Viro meu rosto para encará-la e posso vê-la conter lágrimas no olhar. Anne estava emocionada, dava para ver em suas expressões.

- Obrigada. — Digo baixo e abro um sorriso cortês.

Quando voltamos para a sala, tive que aguentar os gritinhos histéricos de Lisa sobre o quanto aquele vestido tinha me caído bem. Os elogios frequentes de minha mãe, o chororô de minha sogra e as alfinetadas das demais pessoas que ajustavam o vestido no meu corpo. Depois de alguns minutos como cobaia, pude enfim voltar para o escritório para me trocar.

Me olho no grande espelho da sala de meu pai. Encaro meu reflexo e tento parecer mais apresentável. Já que minha cara de noiva feliz ia de mal a pior.

Meu corpo era magro demais até para um vestido de noiva feito para magras, vejo isso pelo tanto de alfinetes o reajustando o tecido em meu corpo.

- Isso está sensacional. — Me viro rapidamente em direção à voz rouca que soa à minha direita.

Harry estava encostado na janela, perto da mesa de meu pai. Seus sorriso era contagiante e ele mantinha seus braços cruzados na altura do peito.

- O-o que você... como entrou aqui? — Por algum momento me pergunto se ele não estava aqui desde que me troquei e sinto minhas bochechas arderem.

- A janela estava aberta, então... — Ele se aproxima e meu cérebro parece entrar em pane.

- Há quem diga que, dá azar o noivo ver a noiva vestida, antes do casamento. — Falo o que me vem à cabeça, ele estava tão perto. Senti minha respiração falhar por alguns segundos.

Seus olhos verdes estavam fixos nos meus e em seus lábios, habitava um pequeno sorriso insistente. Seus dedos deslizaram sobre minha clavícula, passando entre as mangas do vestido.

- Então eu suponho que terei de tirá-lo... — Ele encostou sua boca na curva do meu pescoço, depositando um pequeno beijo demorado.

Pude sentir os pelos do meu corpo se eriçarem, e se antes me faltava oxigênio, agora então eu já nem respirava.  Nunca cheguei tão perto do sexo oposto assim, esse foi o toque mais íntimo já tive. Antes que eu pudesse dizer algo ele se afastou, mas ainda mantinha seu olhar sobre mim e sem dizer mais nada, apenas saiu por onde havia entrado.

Corri até a janela para fechá-la, vai que alguém me surpreenda enquanto eu estiver me trocando.

Tiro o vestido com calma para não desfazer as marcações dos alfinetes e me visto o mais rápido que consigo.
Volto para a enorme sala de visitas e entrego o vestido para um dos ajudantes.

- Lhe caiu como uma luva. — Minha mãe sorri para mim. – Agora só precisa de alguns ajustes finais. — Ela esfrega suas mãos em meus ombros.

- Eu espero que o vestido esteja aqui até no máximo final de semana. — As ordens de Anne ecoaram pela sala e o aglomerado de pessoas assentiram com a cabeça, correndo para sair daqui o mais rápido.

- Eu preciso de um banho, com licença. — Me desvencilho do toque de minha mãe e subo as escadas até meu quarto, sendo seguida por Lisa.

Respiro fundo quando fecho a porta atrás de mim, com a aproximação da data, meu coração ia se comprimindo cada vez mais e meus nervos ficavam à flor da pele.

- Aquele vestido ficou realmente maravilhoso em você. — Ela se joga na cama e me encara.

- Não, não ficou! — Aumento o tom de voz. – Eu fiquei horrível, você viu o tanto de ajustes? Eu... eu estou péssima, meu corpo está péssimo, como posso me casar assim? Eu nem ao menos quero me casar! Eu... — Os braços longos de Lisa me envolvem em um abraço e eu me permito chorar. Seus dedos acariciam meus cabelos enquanto eu molho sua blusa com minhas lágrimas.

- Shh... vai ficar tudo bem. Se acalme. — Tento regular minha respiração e parar de chorar. – Quer saber? Tome seu banho, vamos sair! — Ela se afasta e me empurra até o banheiro. A olho confusa.

- O que? Onde vamos? — Pergunto e ela da seu típico sorriso de quem vai aprontar.

- Bom, no momento tudo que posso lhe contar é: você vai dizer à sua mãe que vai dormir lá em casa. Agora tome um banho antes que eu vá aí te dar. — Lisa me lança uma piscadela e fecha a porta do banheiro.

Faço o que ela pediu. Tiro minha roupa e encho a banheira para tomar um banho. Espero não demorar tanto e confesso que minha curiosidade está me matando. Sei que minha mãe não me deixaria sair de casa hoje, nem em dia nenhum, foram raras as vezes que dormi fora.

Saio da banheira e torço o cabelo, para que a maior quantidade de água escorresse pelo ralo. Me enrolei na toalha branca com alguns bordados em dourado e volto para o quarto.

Vejo Lisa mexendo em meu closet, passando os dedos finos pelos panos.

- Você realmente aparenta ter quarenta anos. — Revira os olhos e suspira. Dou uma risadinha e visto minha lingerie, sendo seguida por uma saia até o joelho e um suéter de lã preto com pequenas listras brancas.

- Isso é sério? — Reclama. – Você parece a dona de alguma igreja evangélica.

- É só o que tenho no meu armário, Lisa. — Digo um pouco insegura. Procuro por minha meia-calça de linha fina e meu par de sapatilhas preta.

- Se estiver procurando por suas meia-calças eu escondi. — Olha para suas unhas enormes pintadas de vermelho.

- Lisa! — Repreendo-a. Ela tinha essa mania chata de esconder minhas peças de roupas.

- Você já está com um ar inocente demais, não precisa mais disso! Sem contar que não combina em nada para onde vamos. — Ela pisca enquanto tira sua blusa, ficando apenas de sutiã.

- Onde vão? — A voz máscula invade meu quarto. Arregalo os olhos e me viro em direção à porta para ver quem era.

- Primeiramente... você sabe que não se deve invadir o quarto de uma mulher, não sabe? Ela pode estar trocando de roupa. — Lisa sorri com ironia e se aproxima dele. Os dois não desviam o olhar um do outro e eu posso jurar que senti meu estômago revirar. Harry abaixa o olhar para o tronco desnudo de minha melhor amiga.

- Quem é você? — Em sua voz, havia um resquício de raiva e curiosidade.

- Melhor amiga de Eveline. — Pisca. – Quase irmã. — Ela passa os olhos pelas tatuagens à mostra de meu futuro marido. – E você?

Ouço um pequeno riso escapar dos lábios de Harry, deixando à mostra suas hipnotizantes covinhas.

- O noivo dela. — Sorri encarando os olhos de esmeraldas de Lisa. Eles com certeza esqueceram de minha presença aqui.

Depois de alguns segundos se encarando, Lisa volta até a cama e retira de dentro de sua mochila, uma regata de lantejoulas douradas, o que combinou perfeitamente com sua calça jeans preta com rasgos nos joelhos e seu coturno preto envernizado.

Harry pela primeira vez desde que chegou, olhou para mim. Havia um misto de raiva em seu olhar, não conseguia decifrar muito bem.

- Posso falar um segundo com você? — A voz carregada de sotaque e raiva soa em meus ouvidos me fazendo respirar fundo.

Passo os olhos por Lisa rapidamente e a vejo rir debochada para meu noivo, enquanto o mesmo mantinha um olhar frio sobre mim.

- Hã... claro, tudo bem. — Dou um pequeno sorriso e solto uma respiração que mal sabia que estava prendendo.

Ele sai para fora do quarto e eu o acompanho. Fecho a porta do meu quarto e vou até Harry, que está encostado na parede do corredor. Penso em dizer algo, mas ele já me lança um olhar e começa a falar.

- Você não vai sair com essa... garota, não é mesmo? — Fico um tempo tentando analisar a situação, franzo o cenho.

- Lisa? — Solto um pequeno sorriso. – Não, eu vou apenas dormir em sua casa hoje. — Seguro minhas mãos na frente de meu corpo e permito-me olhar dentro de seus olhos.

- Não, você não vai. — Ele bufa e passa as mãos em seus cabelos, os puxando levemente, mas logo me lança um sorriso sombrio. – Não quero que vá, Eveline. Me entendeu?

Fico um tempo tentando entender o que de fato Harry está querendo, ou quem ele pensa que é para mandar assim em mim, vendo que nem casados somos ainda.

Ouço a porta do quarto ser aberta e Lisa caminha levemente em nossa direção, com sua mochila nas costas.

- Vamos? Já falei com a senhora Cooper e ela te liberou hoje, rapunzel. — Abre um sorriso amigável, antes de olhar para meu noivo e fechar a cara.

- Ela não vai. — Diz Harry e apesar de sua voz ser calma, eu conseguia perceber sua irritação.

Lisa cruza os braços e sorri sarcástica.

- Claro que não. — Pisca para ele. A morena me puxa pelo braço e me faz segui-la.

Tento olhar para meu noivo antes de descer as escadas, mas ele não me devolve o olhar, o que de certo modo me incomoda.

Eu não sei o que foi esse momento entre os dois, a ousadia de minha melhor amiga, ou até mesmo o jeito de Harry em querer me proibir de fazer as coisas, seja quais elas forem.

Depois de descer todos aqueles lances de escada, antes de abrir a enorme porta da frente, damos de cara com minha mãe.

- Posso saber ao que se deve toda essa pressa, Eveline? — Verônica passa os olhos carregados de reprovação para Lisa, antes de se virar para mim.

- E-eu só... — Gaguejo de modo perceptível. Não sei mentir ou muito menos omitir algo de minha mãe. Na verdade, descobri que sou uma péssima mentirosa.

- Estamos com sono e cansada, senhora Cooper. — Lisa boceja falsamente e sorri em seguida para minha mãe.

Verônica mantém sua desconfiança no olhar.

- Não quero que vá dormir tarde e esteja aqui antes das dez da manhã. — Diz ríspida. Apenas balanço a cabeça afirmativamente para minha mãe.

- Tchauzinho senhora Cooper. — Lisa passa a mão pela maçaneta abrindo a porta. Me arrisco em dar uma última olhada para trás. Encontro meu noivo, parado no último degrau da escada, me olhando de cima enquanto mantém seus pulsos fechados, acompanhados de uma expressão apática.

Tento sorrir para ele mas a madeira escura tampa minha visão, indicando que a porta foi fechada e eu me mantenho do lado de fora da casa.

Respiro fundo ao saber que a noite estava apenas começando.


Notas Finais


ESPERO DO FUNDO DO MEU CORAÇÃO QUE TENHAM GOSTADO.
O link do vestido eu deixarei para o dia do casamento, que já está bem próximo!

Essa é como imagino a amiga de Eveline, Lisa: https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/originals/bc/b9/fa/bcb9fa5d4b4585791c9cc40945e9c1cf.jpg (mas claro que vocês podem se sentirem livres para imagina-la como quiserem)

Beijinhos, vejo vocês nos comentários! 💋❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...