História Puro Sangue[Editando] - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, Cl, G-Dragon, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, T.O.P, V
Tags Bangtan Boys, Lobisomem, Menção 2seok, Menção Jikook, Menção Skydragon, Menção Yoonmin, Namjin, Universo Alternativo, Vampiros
Visualizações 461
Palavras 6.054
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi pessoas! Aqui estou eu postando minha primeira fic sobre BTS, bem, tem vários outros personagens além dos meninos, e tem bastante gente do EXO, mas o foco maior é neles mesmo. A sinopse foi oq veio na cabeça no momento, espero que não esteja tao ruim.
Boa leitura!

Capítulo 1 - Begin


Fanfic / Fanfiction Puro Sangue[Editando] - Capítulo 1 - Begin

Jin

BaekHyun me puxava pelo braço, enquanto corríamos pelo corredor, querendo chegar logo na sala de aula. Hoje é o primeiro dia de aula do nosso último ano no colégio, e ele está mais animado do que nunca, já eu, só estou me sentindo como se fosse um dia como qualquer outro. Como em todos os anos passados nessa escola cheia de malucos e professores chatos, que só de ouvir as vozes te dão sono. Mas vamos SeokJin, talvez esse ano não seja tão ruim quanto o anterior.

- Chegamos! - o mesmo gritou, assim que entrou pela porta da sala 12. Ele é sempre tão escandaloso, isso é fato.

- Lá vem o Baek fazendo barulho - Hyuna, que estava sentada numa cadeira um pouco atrás do meio da sala, disse revirando os olhos, enquanto o Byun de cabelos tingidos de vermelho formou um biquinho nos lábios.

- Hey Baek e Jin! Venham aqui, tem lugar! - JongDae apontou para as cadeiras um pouco atrás do meio da sala, na segunda fileira do lado direito da sala. Eu iria preferir me sentar mais na frente, mas eram duas, das poucas cadeiras ainda vagas.

- Vem logo Jin! - Baek me puxou pelo braço. Ele poderia simplesmente me deixar andar sozinho, mas não reclamei.

- Jinnie! - Hyuna levantou, me abraçando e me chamando pelo meu apelido mais comum. A de cabelos castanhos quase me matou asfixiado, só me largando quando percebeu que eu não estava respirando.

- Só você mesmo, Hyu! - dei um riso soprado, me sentando na cadeira que, consequentemente ficava a frente da de um cara que, estuda nesse colégio desde o ano passado(pelo que me disseram). Nunca cheguei a falar diretamente com ele, só sei que seu nome é Kim Namjoon, ele não é de se enturmar com ninguém. A pele um pouco bronzeada, os olhos escuros e profundos, me dão arrepios, e os cabelos loiros meio platinados "brilhando" pelo efeito da luz, bagunçados de um jeito insensível. Ele ergueu o olhar, e meu olhar foi de encontro ao seu, me dando calafrios. Resolvi não olhar mais para trás, não quero acabar tendo pesadelos com esse cara estranha.

- Jinnie, a Amber e o Hoseok chegaram! - Baek levantou, quase gritando enquanto abraçava a morena, Amber Liu, e junto dela, meu melhor amigo, Jung Hoseok. 

- Jin! - Hoseok me avistou assim que passou pela porta, ele sorriu e vi suas covinhas aparecendo, e então caminhou até mim. Seus fios castanhos balançaram com o vento que penetrou o vidro aberto da janela e seus olhos castanho-escuros brilharam, dando a ele uma aparência ainda mais bonita. Me levantei e o abracei forte, fazia alguns dias desde de que tínhamos nos visto, ainda nas férias.

- HAHA! - ele gargalhou, forçando a voz mais do que o normal, parecia estar rouco. - Como é bom te ver de novo! - ele sorriu mais ainda, como se não falássemos a anos. Aigoo, Hobi é sempre tao dramático.

- É bom te ver também, Hobi - levei a mão a boca, abafando uma risada, e minhas bochechas pinicaram um pouco ao recuperar o ar para meus pulmões após o riso. Vi Hobi olhar sobre meu ombro enquanto estávamos de pé, olhando de relance para...Kim Namjoon, mas por que será? Bem, ele sempre foi indiferente com ele. Mas nunca contou nada sobre ele para mim. Estranho.

- Jin, e eu? Não ganho abraço? - Amber fez biquinho, cruzando os braços. Dei uma risadinha, desviando de Hobi, que fez um muxoxo e se sentou.

- Claro que ganha, sua lindo! - ri soprado, fazendo cara de bobo e arrancando risos de todos, como sempre. Abracei Amber, logo me separando e sorrindo mais uma vez.

- Você cresceu, Jin - ela disse rindo debochado, enquanto bagunçava meus cabelos castanhos. Mas ela disse a verdade, pois eu já estava maior que si, o contrário do passado.

- O que está acontecendo? - o professor chegou, anunciando o fim da festa. Baek fez uma expressão de cachorro sem dono, abaixando a cabeça, deixando os cabelos cobrirem um pouco a visão para seus olhos, enquanto ele fazia um biquinho, caminhando e se sentando em seu lugar. Mas antes que o professor pudesse fechar a porta, alguém pós a mão na frente.

- Espera aí! - falou. Eu não sei quem é, mas está bem atrasado. O professor pareceu não gostar nada do atraso, tomando uma expressão séria em su rosto.

- Yoongi! - ouvi a voz atrás se mim chamar a pessoa que entrou pela porta, a voz era de Kim Namjoon(voz bem grossa, tenho que ressaltar). Ele estendeu a mão, mostrando ao recém chegado a direção onde estava. O tal Yoongi é magro e baixo, cabelos castanho-escuros(mídia) levemente bagunçados, junto com um parte de olhos de uma cor escura, cujo não identifiquei por estar longe dele, mas julguei serem negros, profundos, e a pele era extremamente branca. 

Sua pele era tão branca, que ri baixinho ao associa-lo a um vampiro.

 

Autor

Yoongi foi encarado pelo professor. O mais velho estava se braços cruzados, mirando o de cabelos castanhos seriamente, esperando a explicação que o mesmo com certeza iria lhe dar.

- Desculpe-me pela demora, eu tive um... - ele virou o rosto e encarou firmemente o Kim loiro, voltando o olhar para o professor logo depois, limpando a garganta anes de prosseguir. - ...contratempo irritante. Encontrei um conhecido... - Yoongi suspirou, e então o mais velho suavizou a expressão, deixando o castanho passar por si.

- Tudo bem, hoje é o primeiro dia, então passa. Mas que isso não se repita - o professor fechou a porta, e em uma fração de segundos, o castanho já estava se sentando na cadeira e pondo as mãos sobre a carteira que ficava ao lado da de Namjoon.

- Oi cara - Namjoon deixou um sorriso de canto escapar. - Que bom que você está aqui, achei que você não iria conseguir chegar... - ele disse em sussurros quase inaudíveis. Mas que para Yoongi, eram mais do que claros.

- É bom te rever. Essas semanas foram cansativas... - Yoongi também sussurrou, logo voltando sua atenção para o que o professor estava dizendo. Hoseok virava o rosto para trás a todo instante, observando Namjoon e Yoongi de um jeito indiferente, tremendo os lábios como um cão raivoso várias vezes, enquanto os dois riam de sua expressão desgastada, trocando palavras algumas vezes.

As horas foram passando, e o intervalo chegou para eles. Jin, Hoseok, Amber, BaekHyun, JongDae(Chen) e Hyuna foram conversando até chegarem em uma mesa, se sentando nela sem deixar o papo ir embora. O Kim sentia falta das conversas com os amigos, ou simplesmente de suas bobagens. Pois nas férias não os via muito, além de Hoseok, que estava sempre que podia em sua casa.

- Vocês lembram daquela vez que, o Jin escorregou no chão da sala de aula, e caiu no lixo? - JongDae riu, fazendo SeokJin e todos os outros rirem enquanto lembravam do momento cômico, e trágico para o amigo. As conversas constrangedoras eram hábito natural de todos ali.

- É, Chen? - chamou-o pela apelido enquanto levantava uma sombrancelha, como se o ameaçasse. - Mas e então, vocês lembram do dia em que, o Baek empurrou o nosso querido Chen, fazendo ele tropeçar dos próprios pés e então, ele acabou caindo de quatro na frente do professor de química? - Jin riu sua risada "limpa vidraça", e foi seguido por todos, enquanto Chen escondia o rosto com a  touca da jaqueta preta. Odiava lembrar do mico que passará, principalmente pelo fato de, o professor ter ficado traumatizado depois daquele dia, evitando o jovem por achar que ele tinha problemas.

- A gente tem probleminhas - disse Amber, mordendo um pedaço do seu hambúrguer, enquanto todos concorvama, cessando as risadas. Hoseok não tirava os olhos de Jin, que tentava entender o forte olhar do Jung sobre si. Eram amigos desde a infância, por conta da amizade de seus pais, mas o Kim vinha a tempos percebendo algo de estranho no Jung, principalmente quando o mesmo olhava para si de maneira estranha.

- Preciso falar com você... - Hoseok apenas mexeu os lábios, mas SeokJin entendeu muito bem o que ele queria dizer. Mesmo estranhando, acabou por concordar.

- Oh yeah! - BaekHyun começou a cantar, assim que colocou os fones de ouvido. Fazendo todos na mesa o olharem. Era fato que, seu amor por música estava estampado em sua testa, mas as vezes os amigos se assustavam com os "surtos" de "cantor" que o mesmo dava as vezes.

- Cala essa boca, Baek! - Chen tapou a boca de Baek com as mãos, aproveitando que estava ao lado dele. O Byun resmungou algo incompreensível, mirando Chen com um olhar assassino, mas que nada abalou o mesmo.

- Deixa ele cantar, o cara gosta de música, e as vezes surta. Mas, o que podemos fazer? - Hyuna falou, e todos riram do tom brincalhão da mesma.

- Sim, mas não precisa gritar e estourar os tímpanos dos amigos, né! - disse Chen, levando os dedos aos ouvidos, apenas para fazer cena.

- Aigoo! Você que tem a voz quebra vidro, Chen! - Baek revirou os olhos, e novamente todos riram.

- Eu tô até gostando de ouvir a voz do Baek cantando. - Hoseok disse descontraído, e todos os encararam, como se ele tivesse falado algo bizarro. - O que foi gente? Tem alguma coisa na minha cara? - perguntou, passando a mão pelo rosto. Jin revirou os olhos, rindo do jeito bobo do amigo.

- Esquece! - todos responderam em uníssono.

 

 

Namjoon

Hoje o dia está sendo bom, Yoongi finalmente está de volta depois de vários dias. Ja estava achando que algo tinha lhe acontecido. Conversamos até chegar no pátio, e em segundos, Kwon JiYong e Lee ChaeRin estavam do nosso lado, fazendo seu papel de casalzinho apaixonado, deixando u e Yoongi segurando as velas, para variar. ChaeRin tem cabelos loiros, pele amorenada e usa lentes contato verdes em seus olhos. G-Dragon, é como Kwon gosta que o chamem, tem seus cabelos tingidos de um tom ruivo-alaranjado, tomando parte da testa do lado direito de seu rosto, e em seus olhos lentes de cor castanho-médio. Nos sentamos em uma mesa longe de, onde o Sol pudesse alcançar, pois ninguém queria machucar os olhos com aquela luminosidade irritante.

- Yoongi, você não é um cara de atrasos, o que aconteceu? - perguntei, de uma maneira descontraida. Ele suspirou, encarando as próprias mãos, mas logo voltando a olhar para algum ponto qualquer.

- Eles continuam atrás de você, e nos querem como troféus também, Nam - suspirou, olhando em meus olhos. O cansaço era perceptível em seu rosto um tanto abatido, como se não tivesse parado um minuto sequer durante todo o tempo que esteve fora.

- Hyung, obrigado - pus minha mão sobre seu ombro, sorrindo de canto, e ele retribuiu com um leve sorriso.

- Não a de que, meu irmão - desde que conheci Yoongi, somos irmãos de consideração segundo ele. Eu vivo com a família formada pelo hyung, Park JungSu a alguns séculos, desde que me ajudaram a muitos anos atrás. Uma casa enorme, um tanto afastada do restante das casas do bairro em que moramos. Apenas precaução para que não nos perturbem.

- Namjoon, soube que a alguns cães na sala de aula de vocês, é verdade? - perguntou CL(apelido estranho que demos a ela), enquanto sorria de lado, tombando a cabeça no ombros de G-Dragon.

- É sim, - respondi, batendo os dedos sobre a mesa, dando uma fraca risada. - e eles fedem - completei, e todos, até mesmo Yoongi riram.

- É, uma sala cheia de cãezinhos! - disse Yoongi, com desdem. Vi os olhos do tal Hoseok virarem-se para nossa mesa, ele só faltou rosnar. Acabei rindo, e controlando a vontade de mostrar a língua para ele.

- Coitados de vocês, eles vão querer suas cabeças, - disse JiYong, rindo e passando o dedo pelo pescoço. Imitando uma lâmina. - vão querer brincar de pegar a bola com elas - ele deixou uma gargalhada escapar.

- Mais fácil acontecer o contrário - eu disse, virando meu rosto para conseguir a encarar Hoseok, que raramente tirava os olhos de nós. Acabei não me contendo, e lhe mostrei a língua, fazendo o mesmo franzir as sombrancelhas e bufar. Ele realmente parece um cãozinho irritado.

 

Autor

- O que foi, Hobi? - perguntou Amber, já imaginando o que estava acontecendo com o mesmo. Jung piscou os olhos algumas vezes, antes de olhar a morena e responder:

- Não é nada - ele pareceu acordar de um transe, o que fez a jovem suspirar. Não iria inistir nas paranóias do amigo.

- Ele deve ter fumado drogas. Essa é a única explicação  - disse Hyuna, com uma voz risonha.

- Ele fumou merda, isso sim - gargalhou Chen, sendo seguido por Hyuna, e apenas ela.

- Vocês não prestam gente! - falou Jin, pondo a mão na testa. As vezes sentia vergonha pelas coisas sem sentido que seus amigos diziam.

- Ninguém aqui presta, Jin! - riu Baek, tirando os fones de ouvido, e guardando no bolso. Então a conversa seguiu normalmente, mesmo Hoseok continuando um tanto estranho, principalmente com Jin. Logo todos estavam voltando para a sala de aula, o intervalo tinha acabado e, Hoseok não saia de perto de Jin de jeito nenhum, como se ele fosse desaparecer a qualquer momento.

- O que foi, Hobi? - perguntou o mais velho, assim que Hoseok virou para trás, já que senta na cadeira em frente do mesmo.

- Só estou te olhando, é proibido? - o mais novo pois o rosto sobre os braços, mal se importando com a aula de português.

- Ei! Calem a boca seu patifes, quero fazer minha lição em paz! - disse Amber, acertando um lápis em Hoseok, que resmungou descontente. Então se virou e voltou a fazer a lição. Namjoon apenas observou atentamente Hoseok e seus amigos, inevitavelmente se sentindo inquieto com a presença deles.

...

Quando o dia de aula finalmente terminou, Baek avisou a Jin que o pai de um outro amigo o levaria de carro, então não poderiam ir juntos. Amber mau deu bola para Hoseok, e foi embora junto de Chen, e logo Hyuna também se foi e só ficaram Hoseok e Jin em frente ao colégio.

- E então, quer que eu te leve até sua casa? Fica no caminho para a minha, então não seria problema - sugeriu o mais novo, com um sorriso de canto.

- Está bem - concordou sorrindo fraco. Eles seguiram, conversando bastante sobre vários tipos te assunto. Assim que chegaram na frente da casa se Jin, eles pararam.

- Acho que, tchau Hobi - Jin levantou a mão, esperando o toque da mão de Hoseok, mas foi abraçado ou invés disso.

- Tchau, Jinnie... - disse o mesmo, roçando o nariz sobre o pescoço de Jin, antes de solta-lo. O Kim ficou estático. 

- O...que está fazendo, Hobi? - Jin sentiu um arrepio estranho percorrer seu corpo, até chegar em suas bochechas pinicando levemente. Estava corado, sabia disso.

- Eu...queria dizer isso faz muito tempo... - Hoseok coçou a nuca. Era perceptível o nervosismo presente em si. A muito tempo queria dizer isso, mas as palavras sempde ficavam presas em sua garganta. - Eu gosto muito se você, hyung não só como amigo... - ele completou, enquanto suas bochechas adquiriam uma cor ruborisada.

- Hobi... - Jin ficou sem saber o que dizer. O Jung coçou a nuca, desviando o olhar.

- Era isso... - Hoseok balançou acenou, sorrindo se graça e dando as costas. - Até amanhã, hyung... - disse, saindo com a cara mais envergonhada possível, não permitindo que o mais velho falasse algo sobre.

- Até, Hobi... - sussurrou Jin, antes de entrar em casa. Estava confuso, isso era fato.

 

Jin

Entrei em casa, percebendo que minha omma não estava na sala. Subi as escadas pensando no que Hobi me disse, "gosto muito de você, não só como amigo...". Ele gosta de mim. O Hobi gosta de mim!? Como pode isso? Desde quando? Tantas perguntas! Nenhuma resposta. Isso só me deixa ainda mais confuso.

Entrei no meu quarto, largando a mochila no chão e me atirando em minha cama, pensativo. Peguei o celular do bolso, e vi que tinha uma mensagem não lida. Na verdade, acabei de recebe-lá.

[Hobi: Me encontre hoje às 20:00 naquela praça perto da minha casa, não ouse negar, beijo hyung!]

Li a mensagem com a voz dele em minha mente, não pude esconder um sorriso bobo quando vi.
- Jung Hoseok, você está me deixando muito confuso dessa jeito... - sussurrei para mim mesmo. Eu iria, só tenho que falar com minha omma, mas essa parte é fácil. 

Algumas horas se passaram, então falei com minha omma, e ela me liberou. Já está tarde então melhor trocar de roupa.

- Onde está minha camisa? - perguntei a mim mesmo, antes de achar minha camiseta preta de mangas longas em um canto do guarda-roupas, já estava com uma calça de jeans escuro, apenas joguei meu moletom rosa preta sobre o corpo, e coloquei o meu converse preto. Passei em frente ao espelho em cima da cômoda, arrumando meu cabelo de um jeito simples.

- Sempre lindo! - falei encarando meu reflexo. Não poderia negar a minha beleza, não é mesmo?

Sai do meu quarto e desci as escadas correndo, já passavam das 19:45. Dei um "tchauzinho" para minha omma, que estava na cozinha, então eu apenas sai sem dizer mais nada, já que meu pai não está em casa.  Fui andando mesmo, já que não é tão longe e eu não tenho idade para dirigir, né. Cheguei na parte do caminho onde estava tudo deserto e a área é rodeada por árvores, e tem uma calçada não muito larga, possibilitando a passagem de apenas uma pessoa, tive uma leve sensação de estar sendo seguido, mas continuei andando. Ouvi passos atrás de mim, agora eu tinha confirmado a sensação, estava chegando cada vez mais perto e meu coração quase saiu pela boca, antes de eu ser abordado.

- É um assalto! - o cara de capuz afirmou, segurando meu braço e apontando uma arma para mim. Ótimo, não poderia ter me metido em situação pior.

- Eu...eu não tenho nada! - falei a verdade, por que acabei de recobrar a memória. Esqueci a carteira e o celular em casa. 

- Seu idiota, não tô brincando! Passa tudo que você tiver aí! - ele parecia nervoso, enquanto roçando o cano da arma sobre meu peito, apenas fechei os olhos, tentando permacer calmo, antes de abri-los novamente. Vi um vulto acertar o tal homem, seguido de uma voz grossa, que me assustou pelo tom frio.

- Ameaçando civis inocentes, você deveria ter vergonha. Vagabundo! - não reconheci a voz de imediato mas, assim que vi o vulto, me dei conta. Era o tal Kim Namjoon. Por que ele estava me ajudando?

- De onde você veio, assombração!? - o ladrão pareceu assustado e ainda mais nervoso do que antes, observando bem o rosto de Namjoon. Estremeci ao ver os olhos do maior com um aspecto avermelhado em meio ao escuro. Namjoon estava do meu lado, e eu mal notei, ele me puxou para o lado, mas ouvi o dedo do ladrão no gatilho. Cai no chão, pondo a mão sobre meu braço esquerdo, assim que senti o impacto de um tiro.

- Argh! - gemi de dor, sentindo o sangue sobre o tecido do meu moletom. Minha visão ficou embaçada pela dor que percorreu meu corpo, e a única coisa que vi, foi Namjoon agarrando o ladrão, seguido de um som de, osso quebrando? Talvez eu esteja ouvindo coisas por causa da dor. Um grito fraco ecoou, depois mais nada de ouvi.

- Você está bem? - Namjoon caminhou até mim, e vi que ele limpava o canto da boca.

- Não... - sussurrei- ...o Hobi... - droga! Não posso deixar o Hobi esperando, e não estou com meu celular agora. Ótimo, ele vai achar que eu o ignorei.

- Esquece isso, agora o que importa é...você... - ele pausou um pouco a voz, assim que chegou mais perto de mim, parecia exitar a aproximação. Limpou a garganta, e se aproximou mais um pouco.

- Mas... - tentei protestar.

- Esquece, desse jeito você não vai a lugar nenhum, SeokJin - ele se abaixou, tocando no meu braço. Vi sua mão se sujar com meu sangue, assim que ele encostou sobre o lugar onde levei o tiro. Namjoon se levantou novamente, parecia tonto. Pela visão que tive enquanto estava no chão, pareceu que, o mesmo levou os dedos a boca, lambendo-os em seguida. Deve ser apenas impressão minha, por conta do escuro, essa dor desgraça deve estar me deixando grogue.

- Droga... - sussurrei. Ele caminhou até mim novamente, e me levantou em seu colo sem dizer nada, e sem pedir permissão. Não estava em poside reclamar, então me permiti por a cabeça sobre seu peito, sentido um calafrio. Ele é...gelado, deve ser culpa dessa friagem noturna, já que ele só está usando uma camisa preta, sem mangas. Só pode ser louco.

- Fique quieto, ou posso te deixar cair - ele disse nada delicado, e acabei por perceber que sua voz é realmente muito grossa, mas, suave em certos momentos.

- Nossa, como você é delicado... - sussurrei, sendo irônico. - Pra onde vai me levar? - perguntei.
- Para sua casa que não vai ser, provavelmente seus pais teriam um ataque se o vissem assim - ele acertou, eles com certeza vão surtar, se descobrirem. Suspirei pesado, fechando os olhos não sei por quanto tempo. Quando abri meus olhos, já estávamos em frente à uma casa enorme, praticamente uma mansão completamente branca. Um pouco distante do quarteirão onde moro, numa rua praticamente deserta.

 

Autor

Namjoon abriu a porta com uma das mãos, mas antes colocou Jin no chão, entrando a frente dele.

- HeeChul-hyung! - Namjoon chamou, e todos na sala olharam a pessoa atrás de si.

- Quem é esse? - um homem não muito alto, de cabelos negros e pele levemente pálida, perguntou um pouco sério, enquanto se levantava do sofá. Heechul.

- É meu...amigo do colégio - disse Namjoon, um tanto receoso.

- Por que ele está aqui, Namjoon? - Park JungSoo, chamado por todos de, LeeTeuk desceu as escadas, questionando. Era raro ele estar em casa uma hora dessas, estava sempre resolvendo assuntos de trabalho, e coisas não direcionadas a isso, mas que os outros não sabiam bem, além de Heechul.

- Ele...levou um tiro, e os pais dele não podem saber disso...eu acabei cruzando caminho com ele, por isso eu o trouxe aqui - disse, puxando Jin para a frente - Ele está vivo ainda, por isso o trouxe - brincou, mas ninguém riu, apenas o olharam sérios.

- Entendo, você quer minha ajuda... - HeeChul parecia tonto, assim como Namjoon minutos antes, e também LeeTeuk. O Park se retirou o quanto antes, subindo novamente as escadas, voltando para seu quarto.

- Perdão pelo incômodo... - sussurrou SeokJin, cabisbaixo. Seu rosto estava bem mais pálido, e ele tremia.
- Não tem problema - disse ChaeRin, se sentando no sofá ao lado de jiYong. Fora eles dois, Yoongi e Jimin, um garoto de cabelos negros e pele não chegando a ser pálida como a de Yoongi, estava olhando para Jin de cima a baixo, mas permaneceu calado.

- Venham por aqui, vou levar você até o meu escritório - falou HeeChul, aparentando estar apressado a tirar Jin dali.

 

Namjoon 

Não sei como explicar, o quanto o sangue dele é delicioso. Depois que provei um pouco aquele momento, me controlei, e ainda estou me controlando para não voar sobre seu pescoço, assim como todos nessa casa. Traze-lo aqui foi um erro, eu sei. Tenho certeza de que todos, inclusive HeeChul e LeeTeuk estão famintos uma hora dessas. Entramos no escritório de HeeChul, e fechei a porta em seguida.

- Tire a camisa - ordenou HeeChul, que estava tenso, mas ele sabe se controlar melhor que qualquer um aqui, é um dos mais velhos entre nós. SeokJin tirou o moletom, e como não estava conseguindo tirar a camiseta sozinho, eu o ajudei com os olhos colados nele. Jin é magro, sua pele alva me deixa vidrado em si, e seu cheiro me agrada. Nunca encontrei mortal com sangue tão delicioso e com cheiro tão atrativo. Seus cabelos castanhos balançaram para lá e para cá, enquanto ele balançava junto, com certeza estava tonto pela perda de sangue e dor, então acabei por me aproximar mais de si.

- Preciso pegar minha maleta, volto em um instante - HeeChul abriu a porta, saindo por ela. Ele é médico, um ótimo médico, não sei como ele consegue conviver com os mortais sem atacar ninguém, realmente é controlado ao extremo. Seu profissionalismo e dedicação a profissão são admiráveis.

Minha camisa estava suja de sangue, então resolvi tira-la, SeokJin vidrou os olhos em mim, talvez porque agora eu esteja menos pálido do que quando nos vimos na aula hoje, já que eu não estou sobre aquele efeito de luz horrível.

- Eu ainda não te agradeci... - ele sussurrou. Sua voz era melodiosa, tenho que admitir.

- Não precisa - falei, jogando minha camisa no lixo do escritório. HeeChul não iria se importar. SeokJin paralisou os olhos sobre meu corpo, talvez eu seja mais musculoso do que penso, já que ele mordeu o lábio e virou o olhar assim que pus as mãos sobre a cintura. Estava com uma calça jeans caída, deixando a mostra a barra preta de minha cueca, e bem, um tamanho bem avantajado sobre minha calça, não permitiram que SeokJin deixasse de olhar. Sendo realista, apenas isso.

- Dói muito? - perguntei, chegando mais perto. Não me pergungem porque, mas eu apenas queria ficar ainda mais perto dele.

- Agora, nem tanto... - ele disse, pondo a mão sobre o braço esquerdo. O cheiro de seu sangue, está me deixando louco...louco como nunca antes. Me abaixei, ficando na altura de seu rosto, me aproximando sem que ele dissesse nada, meu nariz foi de encontro a seu pescoço, cheirando-o lentamente. Ele arrepiou, soltando um resmungo, sem proferir uma única palavra e quando percebi, minhas mãos estavam sobre suas coxas. Minha boca encostou sua pele e minha língua ansiou sentir mais daquele mesmo gosto. 

SeokJin suava e eu sentia a tenção em seu corpo, percebi seu dentes serrados e seus músculos contraídos. Fiquei entre suas pernas, ajeitando meu corpo ao dele, minhas mãos seguravam suas pernas, fazendo ele abri-las cada vez mais. Minha mão direita foi até sua nuca, o puxando para mim, enquanto meus dentes já se preparavam para uma mordida feroz, senti sua mão sobre meu peito, vi seus olhos fechados enquanto minhas frias mãos percorriam partes de seu corpo. 

- Você...é frio - ele sussurrou, e sua voz saiu fraca. Ele parecia fraco, talvez pela perda de sangue.

- Eu sei... - sussurrei, mordiscando sua orelha sem pensar. Estava fora de mim esse momento m

- Pare... - ele disse, mas seu corpo, diferente de suas palavras, parecia me chamar para ainda mais perto.

- Você tem um cheiro...tão bom - meus lábios percorriam todo o pescoço de SeokJin, enquanto sua respiração se tornava mais acelerada.

- Por favor...pa-pare, Kim Namjoon... - ele suspirou pesado, e dessa vez, meus dentes roçaram sobre sua pele. Ao ter lucidez novamente, e perceber o que estava fazendo me levantei bruscamente

- Perdão! - falei, passando a mão pelo meu rosto. O que eu tinha acabado de fazer? Agi como um descontrolado, e quase ataquei SeokJin.

- O...o que estava fazendo? - ele baixou a cabeça, olhando para o chão. SeokJin percebeu meu olhar sobre si e, pos a mão sobre a calça, mesmo assim percebi o volume sobre ela, então ele...estava se excitando?

- Eu...não sei... - me virei de costas, não o encarando diretamente. Não conseguia o encarar depois disso.

- Voltei, perdão pelos minutos de demora - HeeChul entrou na sala, com uma maleta em mãos - Espero não ter demorado de mais - ele se aproximou de SeokJin.

- Ele está bem? - peguntei, por impulso. HeeChul pos a mão sobre a testa de SeokJin.

- Céus! Ele está ardendo em febre. Com certeza perdeu muito sangue - após as palavras de HeeChul, SeokJin desmoronou desmaiado e, antes de cair no chão, corri e o segurei.

- O que vai acontecer? - perguntei, um tanto eufórico. Ele tinha mesmo que desmaiar? 

- O ponha sobre minha mesa - HeeChul tirou os papéis de cima da mesa do escritório. Eu o levantei em meu colo, o colocando em cima da mesma, assim como ele pediu.

- Eu tenho que dar a anestesia primeiro, sabe que mortais sentem dor facilmente - ele disse, abrindo a maleta e pegando uma seringa com um líquido quase transparente.

- Hobi... - SeokJin parecia delirar, e disse o nome daquele bastardo, droga...por que estou me sentindo tão irritado? Talvez o motivo seja, eu odiar aquele licantropo maldito.

HeeChul o anestesiou, e pegou um bisturi na maleta logo depois, enquanto eu não sei o porque mas, acariciava o cabelo de SeokJin. Depois de alguns minutos, HeeChul já estava passando antisséptico sobre a ferida, logo depois a costurou lentamente e delicadamente, depois com paciência fez um curativo. Eu apenas observava tudo, ainda tentando cair em mim, sobre o que tinha feito.

- Ele vai demorar alguns minutos para acordar, melhor leva-lo para seu quarto, antes que alguém apareça por aqui... - falou, abrindo a porta, e o respondi antes que saísse:

- Tudo bem - peguei SeokJIn no colo, caminhando para fora do escritório. Ainda lentamente, seguindo até meu quarto, enquanto encarava a expressão serena no rosto de SeokJin. Depositei-o sobre minha cama, com bastante cuidado, ele parece ser tão frágil. Alguns minutos se passaram, e não consegui tirar os olhos dele, não sei por qual motivo. Ele acordou depois de quase uma hora.

- Onde eu tô? - pois a mão sobre a testa, encarando todo o espaço a sua volta.

- No meu quarto, bela adormecida. Já esqueceu? - falei, olhando-o com uma cara tediosa.

- Não muito - suspirei aliviado. - Minha cabeça... - ele reclamou, se sentando na cama. Franziu a testa, e fechou o olhos, enquanto a mão massageva o ponto que ele dizia doer.

- Você deve estar com frio - deduzi, já que ele estava sem sua camisa e jaqueta.

- Sim... - ele sussurrou, fazendo com que eu me levantasse. Abri meu guarda-roupas, e peguei uma de minhas camisetas e junto, um moletom preto que não serve mais em mim(já que eu sou enorme, e as que uso atualmente ficariam enormes nele).

- Toma! - joguei sobre ele, sem nenhuma delicadeza.

- Obrigado - ele sorriu fraco, colocando a camiseta com dificuldade e depois o moletom. Nesse tempo, não consegui tirar o olho de si. Até que o corpo dele é bonito, mqs isso nao importa.

- E o seu amigo, como fica? - perguntei, sem o mínimo de interesse. Queria apenas fugir do clima tenso que estávamos.

- Verdade! - ele se recordou - O Hobi pode estar me esperando ainda, preciso avisar a ele que... - antes que ele continuasse, estendi a mão, e sobre ela estava meu celular.

- Toma, ligue para ele - falei, pegando e vestindo uma camisa logo depois.

- Obrigado... - ele pegou. Não me importei com o que ele estava conversando com o tal Hoseok mas, como não a possibilidade de evitar, consegui escutar tudo com meus ouvidos apurados. Jung Hoseok parecia um cãozinho de guarda, não me surpreenderia ele aparecer na janela do meu quarto perguntando sobre o SeokJin.

- E então? - perguntei, desinteressado.

- Ele quase enlouqueceu, me questionando a todo instante. E...gritou quando eu disse que, você me ajudou, Namjoon... - não sei porque, mas ele sempre faz o possível para desviar o olhar quando ele fala comigo. É como se seus olhos vissem mais do que deveriam ver de mim.

- Entendo, mas não acha melhor ir para casa agora? - novamente fiz uma pergunta, tentando corta r o clima tenso.

- Sim, já passou da minha hora mesmo. Já causei muito trabalho a vocês - ele se levantou, me entregando o celular.

- Eu posso levar você até sua casa - sugeri, me surpreendendo. Eu normalmente só falaria para a pessoa ir embora, e não me importaria. Mas sinto que, não posso deixar ele desprotegido. -  Uma hora dessas, melhor ir acompanhado, SeokJin - completei, desviando o olhar.

- Eu vou aceitar - ele sorriu amigável. Fomos até casa de SeokJin em silêncio, apenas ouvindo o som de nosso passos. Após alguns minutos, já estávamos alguns metros da casa do mesmo, e então preferi não seguir em frente.

- Eu tô caindo fora, espero que fique bem... - falei, dando de ombros.

- Obrigado por me ajudar, Namjoon - mesmo estando escuro, com minha visão sobre humana, consegui ver perfeitamente as bochechas de SeokJin tomarem um tom ruborizado. Ele é fofo, tenho que admitir.

- Por nada - falei de maneira tediosa.

- Sua jaque... - o interrompi.

- Pode ficar com ela, não serve mais em mim. Bem, tchau - dei as costas e sai andando, sem pronunciar mais nada. Consegui escutar perfeitamente o que ele disse em seguida; "esse cara é tão estranho", e ri baixinho do tom confuso em sua voz. Assim que percebi que, SeokJin já estava dentro de sua casa, corri mais rápido que qualquer ser vivo, e cheguei em casa em uma fração de segundos.

Eu só queria entender, o que aconteceu comigo?

 

Autor

SeokJin passou pela porta, e seus pais que estavam na sala, não o viram, aproveitou e correu as escadas até seu quarto, entrando sem fazer barulho. Tirou a roupa, e foi imediatamente tomar um banho, tendo cuidado com o curativo em seu braço.

- Aquele cara...o que diabos ele estava fazendo aquele momento? - Jin estava pensativo, enquanto a água morna caia sobre seu corpo nu, tendo a certeza de que Namjoon pensou que ele havia esquecido o acontecimento...indevido. Mas isso foi aoe apenas o que ele fez o pensar. O vapor tomava conta do banheiro, deixando o box embaçado.

- Aqueles mãos e, aquela boca...Tão frio... - Jin falava para si mesmo, tocando seu pescoço na área onde Namjoon o havia tocado. E assim ele ficou por alguns minutos, sorte a sua ter um banheiro dentro do quarto, pois se não, sua mãe já o teria tirado de baixo da água aos puxões.

- Filho! - a mãe de SeokJin bateu na porta, assim que ele saiu de dentro do banheiro, fazendo o mesmo correr e pegar um camisa de manga longa azul escura, se vestindo rapidamente.

- Oi omma... - disse, abrindo a porta, ainda com a toalha em volta da cintura.

- Já chegou e nem fez barulho - disse a mãe de Jin, rindo leve. Era perceptível a semelhança de seu sorriso aí do filho.

- É, tô até pensando em virar espião! -  disse, fazendo uma pose engraçada, e rindo depois.

- Bobo! Vou deixar você se vestir em paz então... - a mais velha beijou-lhe a bochecha, logo saindo. 

- Ufa! - suspirou aliviado, e logo voltou a se vestir. Jin deitou-se na cama, pegou a jaqueta de Namjoon e ficou olhando para a mesma por um tempo. Tinha um cheiro um tanto amadeirado, másculo diria ele. Acabou por leva-la para perto do rosto, cheirando o tecido, antes de deixa-la sobre o criado mudo. Seu celular vibrou, então o pegou, vendo uma mensagem de Hoseok.

[Hobi: Amanhã, vou te abraçar até seus ossos quebrarem! Tô louco pra ver você, saber se está bem. Um beijo no coração <3] 

Leu a mensagem com um sorriso bobo no rosto.

- O Hobi é um bobo mesmo - sorriu de canto, deixando celular sobre a cama, se preparando para cair no sono.

Precisava descansar, e colocar a confusão de pensamentos no lugar. Afinal, o que Kim Namjoon estava querendo fazer?


Notas Finais


E então? Caso tenha algum erro de escrita, é pq não devo ter revisado a fic direito, então podem me falar caso vejam erros. Acho que o próximo não demora pra sair. Beijos de luz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...