História Purple daughter - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Five Nights at Freddy's
Personagens Bonnie the Bunny, Chica the Chicken, Foxy the Pirate, Freddy Fazbear, Golden Freddy, Mangle, Marionette, Mike Schmidt, Nightmare Bonnie, Nightmare Chica, Nightmare Foxy, Personagens Originais, Plushtrap, Purple Guy, Springtrap, Toy Bonnie, Toy Chica, Toy Freddy
Tags Five Nights At Freddy's
Exibições 17
Palavras 1.216
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Terror e Horror, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 23 - Eu... E ... Plushie?


-Assim, a Fada transformou Pinóquio em um menino de verdade. E este viveu muito feliz com o seu pai, Gepeto, e com o amigo grilo. - Fechei o livro após terminar de contar a história do Pinóquio para Plushie. - Agora vai dormir, já é tarde. - ele se deitou e coloquei a coberta nele.-Boa noite.

-Boa noite, Eva. - desliguei a luz e fechei a porta.

Essa semana eu acabei ficando com os turnos noturnos e os diurnos, Scott teve um problema com o aniversario do parente dele e teve que ficar por mais tempo. Admito eu estava com sono, mas eu precisava deixar tudo organizado para não ter nenhum problema com os animatronics.

-Filha onde está meu neto? - perguntou meu pai. Como eu sempre cuido do Plushie e sempre estou com ele por perto ele acabou virando meu "filho". - Achei que ele ia participar hoje.

-Seu "neto" está dormindo. Ainda tem um PlushTrap em bola roxa. - falei

-Ainda está muito feio? - perguntou ele fazendo cara feia

-Não, admito que exagerei, mas ainda está meio feio. Vai, vamos trabalhar, pai. - Ri e fomos assustar as pessoas, ainda me pergunto por que que as pessoas pagam para assustar elas. Não posso reclamar eu ganho disso, olhei para o lado e vi Freddy vindo em minha direção. - Oi achei que já estava dormindo.

-Perdi o sono.

-Com o que? - perguntou meu pai friamente.

-Para de ser chato, não vou ter um caso com ele. - falei. -Pelo menos não agora. -falei baixinho.

-O que? - os dois falaram juntos, meu pai perplexo e Freddy com um sorriso no rosto.

-Nada! Nada, esquece, eu estava falando comigo mesma. Eu sou louca! Me deixa ser feliz!

Depois disso voltamos a conversar sobre nada desse assunto. A semana passou rápido e houve muita música, sorrisos e risadas. Plushie melhorou e voltou a trabalhar, ele era uma gracinha, prometi que sexta eu o levaria tomar sorvete junto ao meu pai aqui perto. Era quinta-feira e ouvi alguém me chamar, mas não achei de onde vinha:

-Eva! - Gritou Freddy. - A Baby! Ela voltou, fugiu da prisão na verdade, mas enfim ela está aqui.

-Eva você vai ficar bem não vai? Estou com medo. - falou Plushie

-Calma, vou ficar bem e você também. -as luzes começaram a piscar. - Freddy , o PlushTrap. - ele se colocou atrás dele e eu fiquei na frente do coelho. Sem perceber algo me acerta na cabeça e vejo que é a menina palhaça, cai no chão e meus olhos foram fechando. A ultima coisa que vi foi Freddy vindo até mim e Baby aproximando uma faca de meu pescoço.

Minha vida passava na minha frente, quando acabou me vi em uma sala negra. Eu não sabia onde estava, eu ouvia sussurros indecifráveis, senti algo me puxar quando abri os olhos vi que eu estava no quarto do Plushie. Fechei os olhos de novo para me acostumar com a claridade do quarto, logo depois me sentei na cama e esfreguei minha mão no rosto. Levantei-me e fui me ver no espelho ver meu estado, eu juro que Baby tinha me decapitado, eu precisava ver como eu estava. Arregalei os olhos ao ver que eu não era mais eu e sim Plushie.

Eu estava no corpo do coelhinho, me mexi para ter certeza. Sim, eu era Plushie. Meu Deus! O que aconteceu? Tentei me lembrar , porém, o que achei foi algumas memórias de Plushie como o dia que nos conhecemos e o primeiro dia de trabalho dele, claro que tudo na visão dele. Pude sentir as emoções dele a alegria era grande em ambas as memórias. Ao olhar de novo no espelho vi que na porta havia um bilhete, fui até ele e comecei a ler:

"Bom dia Eva,

sou eu o PlushTrap.E se está lendo isso é por que a operação da Puppet deu certo, estou mesmo esperando que tenha funcionado, ela colocou sua alma em mim. Não quero que você fique triste e nem os outros então me ofereci para te salvar agora pouco, depois que a menina palhaça arrancou sua cabeça fora Freddy me levou até N. Freddy e voltou para ajudar o SpringTrap em dar uma surra na Baby. Agora está todo mundo conversando sobre você e chorando, sentimos sua falta, já fam uma semana que você morreu. Bem tenho que ir é hora de te salvar.

Assinado PlushTrap"

Lágrimas desciam meu rosto rapidamente, não acredito que ele fez isso por mim. Vou sentir muita falta dele, ele não precisava fazer isso. Demorou até que eu parasse de chorar e depois que minha cara de choro passou fui andando pela pizzaria e não encontrei ninguém nos corredores ou em nenhuma outra sala da pizzaria. Decidi procurar nos quartos, tentei usar o teletransporte e não funcionou, bufei e fui andando mesmo. O primeiro quarto era do Pl... É meu, o segundo de Fredy. A porta estava meia aberta, eu conseguia ouvir seu choro desesperado, com dó bati na porta e entrei. A surpresa dele era visível pelo rosto, ele não se movia:

-Oi, antes que pergunte ou esfregue os olhos sim sou eu. - fui até ele dando-lhe um abraço. Humph minhas mão não se encontravam que braços pequenos. - Por quanto tempo dormi? Na hora que acordei eu estava começando a ficar cheia de pó.

-Eva...- ele finalmente me abraçou - Você...

-Sim, eu estou aqui no corpo do Plushie. - falei sorrindo fazendo o sorrir também.

-Eu preciso avisar os outros.

-Calma me responde primeiro depois eu te espero na minha sala.

-Um mês, você dormiu por um mês. Agora deixa eu avisar os outros.

-Sim, eu vou espera-los na minha sala.

-Certo. - Ele correu até o corredor e começou a gritar que eu havia acordado enquanto eu ia para minha sala correndo. Chegando lá encontrei meu pai, ele não estava aqui quando vim procura-lo. Cheguei perto dele -  Sentiu minha falta? 

-Ai cacete! Que susto! - meu pai gritou e comecei a rir - O que faz aqui Plushie?

- Plushie, oi? Pai sou eu. - ele levantou a sobrancelha. Tentei me teletransportar de novo e dessa vez deu certo fui para no outro lado da sala. - Yay deu certo! - ele arregalou os olhos e veio correndo me abraçar

-Filha! - um grande sorriso estava estampado no rosto dele. - Senti sua falta sim. Os outros já sabem que está aqui?

-Não sei, Freddy estava gritando que eu tinha voltado no corredor.

-Melhor conferir. - ele nos teletransportou e Freddy quase trombou com a gente.

-Eles não acreditaram. - falou o urso, pedi para que esperasse um instante e comecei a gritar.

-Gente! Chega de chororô (é assim que escreve?)! É hora de animar essa merda! Então vamos saindo dos quartos e vamos comer alguma coisa! Estou com fome! - Bonnie foi o primeiro a sair

-Freddy para de falar que ela ... -Ele parou de andar e arregalou o olho - Eva! - Ele veio correndo.

-Eva! É mesmo você! - T. Bonnie e T. Chica vieram correndo, depois os outros também me abraçaram. Depois fomos até a ala da noite e gritei as mesmas coisas. A reação da maioria foi a mesma dos animatronics da manhã.


Notas Finais


Gente, sinto muito, mas estou sem ideia de como continuar a fic então vamos ficar por aqui
Espero que tenham gostado da fic e até a próxima!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...