História Purple Eyes - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Hayden Romero, Isaac Lahey, Jackson Whittemore, Liam Dunbar, Lydia Martin, Malia Tate, Mason Hewitt, Melissa McCall, Mieczyslaw “Stiles” Stilinski, Scott McCall
Exibições 314
Palavras 1.649
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Segundo capítulo!

Gentem estou apaixonada pelas ideias que estou tendo para fic <3 Ainda não decidi com que frequência postarei os capítulos mas juro que não demorarei muito.
Escrevo essa aqui, e outras 4 fanfic's ( No perfil do wattpad, o user o mesmo caso queiram saber ) e apesar de ser uma desocupada total, é cansativo escrever sem parar dbjmbdjbeh mas eu sou retardada e ainda sim escrevo 5 fanfic's de uma vez edaí?

É só isso, já estou divagando aqui e ngm quer saber daa minha confusão mental.

Boa leitura :3

Capítulo 2 - Diferente é um nome bonito para esquisita


Acordei ás cinco da manhã com um sonho estranho, não me lembrava bem dos detalhes apenas sei que estava correndo por uma floresta e então encontrei uma garota caída aos pés de uma árvore - ou parte dela, já que a mesma estava cortada e só restava um enorme tronco - raízes se enroscavam no corpo da menina e sua única proteção eram algumas folhas secas que tampavam pouco de seu corpo, a garota parecia ter brotado do chão, ou da árvore para ser mais exata.

Pensando já em um novo quadro agarrei meu amado e fiel caderno de desenhos e um lápis para desenhar no papel e depois passar para uma tela.

Comecei a rabiscar devagar, tomando o máximo de cuidado e lembrando-me dos mínimos detalhes. Passei horas desenhando até que o despertador finalmente tocou. Eu estava quase terminando então apenas marquei a página e empurrei o caderno para dentro da mochila, com a intensão de terminá-lo em alguma aula chata.

Caminhei até o banheiro do meu quarto e tomei um banho quente demorado, saí enrolada na toalha e entrei no closet que estava uma bagunça total.

Peguei minha roupa que consistia em um macaquinho jeans, um top preto rendado e uma botinha preta de salto.

Penteei meus cabelos deixando os cachos largos nas pontas e coloquei uma tiara de flores vermelha, passei uma batom qualquer da mesma cor, e por fim coloquei uma gargantilha que encontrei jogada pelo chão.

Joguei a mochila em um dos ombros e antes de sair troquei a capinha do meu celular para uma que combinasse mais com a roupa.

Desci as escadas pulando de dois em dois degraus e corri para a cozinha, estava faminta.

— Bom dia, Sum .- Cumprimentou Gui assim que entrei no cômodo.

— Bom dia, onde está nossa mãe? .- Perguntei me sentando sobre o balcão enquanto pegava o cereal e a tigela que estavam ao meu lado.

— Não veio para casa, está de plantão .- Explicou pegando o leite e servindo para mim.

— Não é novidade .- Revirei os olhos colocando uma colher cheia de cereal na boca.

— Soube que jogam lacrosse aqui .- Comentou me fazendo franzir o cenho.

—  La- oque? .- Disse e ele riu.

—  Lacrosse, é um jogo típico da cidade, acho que vou fazer teste para o time.

—  Você nunca jogou esse troço, aposto vinte dólares que só vai passar vergonha.

—  Feito, agora cala boca e vamos logo .- Ele tomou a tigela de minhas mãos e trocou por uma maçã. — Come isso no caminho, não quero chegar atrasado.

— Por que não posso comer meu cereal no caminho? .- Perguntei e recebi um olhar mortal dele.  — Também não quero comer maçã, se eu desmaiar por falta de energia a culpa é sua.

Coloquei a maçã de volta na fruteira e pude ouvi-lo resmungar um "dramática" enquanto descia do balcão e o seguia.

Guilherme destrancou seu carro e eu entrei no banco do carona, ele é  único que tem um carro pois minha mãe vendeu o meu depois de eu quase capota-lo em uma rodovia.

Liguei o rádio e Warrior - Imagine Dragons  começou a tocar, meu gêmeo e eu passamos o tempo todo cantando em plenos pulmões enquanto ríamos sem motivos.

Quando chegamos a escola Gui estacionou e nó descemos juntos, a escola é grande e do lado de fora há alguns alunos o estacionamento estava todo lotado de carros importados á caminhonetes surradas, do lado do carro de Guilherme estava um jipe azul até que fofinho mas bem mal-tratado.

Algumas pessoas pararam para encarar e cochichar mas eu apenas dei de ombros e grudei no braço do meu irmão o arrastando pelos corredores lotados de alunos que nos encaravam como se fossemos pedaços de carne, até que finalmente encontrarmos a secretaria, como sou uma pessoa educada ( Sintam a ironia ) nem bati na porta apenas girei a maçaneta e entrei.

Atrás do balcão uma mulher morena por volta de seus quarenta anos sorria para nós dois.

— No que posso ajudar vocês? .- Ela perguntou revesando o olhar entre mim e Gui.

—  Alunos novos, Summer e Guilherme Westlee .- Eu respondi apoiando os antebraços no balcão e batucando minhas unhas pintadas de preto sobre o mesmo.

—  Ah, claro! .- Ela revirou alguns papeis e então nos estendeu nossos horários e armários. — O diretor pediu pra avisar que qualquer comportamento inadequado não será perdoado, senhorita Westlee

Bufei alto e revirei os olhos, Guilherme me deu uma cotovelada nas costelas e eu o fuzilei antes de colocar um sorriso doce no rosto.

—  Prometo não me meter em problemas .- Pisquei os olhos como uma criança e a mulher sorriu satisfeita.

—  Tenho certeza que não irá .- Ela confirmou sorrindo para mim. — Boa sorte, queridos.

Nós passamos pela porta e eu imediatamente troquei meu sorriso por um carranca mal-humorada.

—  Você me assusta .- Guilherme disse e eu ri. — Aquela mulher deve ter te achado a pessoa mais meiga do mundo, com um simples sorriso e algumas piscadinhas.

—  É o meu rostinho .- Fiz biquinho para ele que negou com a cabeça. — Super fofa não acha?

Guilherme se despediu de mim para procurar seu armário e eu fiz o mesmo começando a caminhar pelos corredores a procura daqueles malditos numerosinhos.

—  Desisto .- Bufei me escorando em uma parede quando o sinal já havia tocado e eu ainda não tinha achado meu armário.

Uma garota ruiva toda embelezada parecendo algum tipo de super modelo saiu de dentro do banheiro feminino e me encontrou resmungando mil e um palavrões.

—  Precisa de ajuda? .- Ela questionou sorrindo simpática e eu quase lhe dei uma resposta mal educada, porém ela parecia sincera.

— Yeah, acho que alguém sequestrou meu armário .- Zombei e ela soltou uma risadinha. — Summer Westlee, novata.

Ela segurou minha mão em um cumprimento e então se apresentou:

—  Lydia Martin, posso dar uma olhada? .- Ela indicou o papel que eu segurava e eu o entreguei, a mesma passou os olhos por ele e então voltou a olhar para mim — Sei onde é seu armário e temos a primeira aula juntas, é só me seguir.

Ela não esperou resposta apenas se virou jogando os brilhantes cabelos ruivos e eu a acompanhei.

Paramos em frente ao meu novo armário e eu o abri encontrando alguns livros já lá dentro, peguei o de biologia avançada - que seria minha próxima aula - e o de filosofia - que seria a terceira - na segunda aula teria Arte então não precisaria de livros.

Continuei seguindo Lydia até a sala dessa vez e logo paramos em frente a porta, a ruiva bateu e a professora a abriu com a cara amarrada pelo atraso.

—  Estava ajudando Summer a encontrar seu armário, ela é nova .- Lydia explicou e a expressão da professora suavizou um pouco.

—  Senhorita, por favor se apresente .- A professora pediu quando entrei na sala e eu revirei os olhos, típico.

—  Summer Westlee, 17 anos, vim de San Diego .- Resumi muito brevemente enquanto aquele bando de curiosos me encaravam, principalmente os garotos cheios de hormônios que encaravam-me de forma maliciosa pela roupa que eu vestia.

—  E por que se mudou? .- Um garoto magricela sentado ao lado de Lydia perguntou e eu estreitei meu olhos em sua direção, não causando nenhum medo. Droga de aparência fofa!

— Minha mãe foi transferida pra cá, ou eu vinha com ela, ou morava na rua .- Disse sem paciência o que casou algumas risadinha e uma careta no garoto que perguntara.

— Tudo bem, como todos já tem duplas espero que não se importe de ficar sozinha .- A professora disse e eu dei graças por isso e caminhei até uma bancada vazia.

A professora se virou para o quadro e começou a passar algumas formulas que teríamos de misturar depois, já havia feito aquilo na antiga escola então nem dei muita atenção e puxei o caderno de dentro da bolsa e o abri na página do meu desenho.

Estava quase pronto, tudo parecia muito real e eu não sei por que mas queria que ele ficasse idêntico ao meu sonho, agarrei o lápis no estojo e comecei a dar alguns detalhes ao rosto da jovem deitada sobre a árvore.

Os olhos fechados e longos cílios se destacando contra a bochecha, ela tinha nariz fino e um tanto empinado, os lábios pequenos e em forma de coração, bochechas salientes e o cabelo era extremamente liso mesmo estando espalhado pelas folhas e galhos.

Depois de todo o solo e a garota estarem completos me foquei no céu escondido pelas árvores, Comecei o esboço de uma lua cheia que se destacava por entre as árvores.

Alguém bateu a porta mas eu estava tão entretida no desenho que não me preocupei em levantar os olhos, nem quando senti a presença de alguém sentando-se na mesma bancada que eu.

— Desenho legal .- A voz levemente familiar me fez tirar o cabelo da frente do rosto e encarar o garoto que esbarrara em mim na noite anterior.

— Obrigada .- Disse fechando o caderno rapidamente e ele apertou um pouco os olhos parecendo desconfiado, analisei-o devagar e ele pareceu fazer o mesmo comigo.

—  Sou Scott, Scott Mccall .- Ele estendeu a mão em cumprimento e eu a segurei.

—  Summer Westlee.

—  É um nome diferente .- Ele comentou sorrindo e eu dei de ombros.

— Diferente é quase meu sobrenome .- Disse pensando nos mus sonhos bizarros, nas pessoas que desenho sem conhecer e nos meu olhos naturalmente violetas que ás vezes brilham, diferente é só um jeito bonito de dizer esquisita.

Ele riu suavemente e eu sem nenhuma paciência para nada me virei para frente novamente e rolei os olhos, seriam longas horas trancada nesse lugar.

Scott pareceu entender que eu não estava afim de conversar e também se virou anotando em seu caderno tudo que a professora passava enquanto eu apenas batucava as unhas de leve na bancada a minha frente.

 


Notas Finais


Roupa da Summer : http://www.polyvore.com/summer_purple_eyes_tw/set?id=209376573

Espero que gostem, não esqueçam dos comentários e dos favoritos haha <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...