História Purpose - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Jeremy Bieber, Justin Bieber
Tags Amor, Justin Bieber, Purpose
Exibições 178
Palavras 1.132
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Resolvi postar hoje.
Não esqueçam da notas finais!

Me desculpem se houver erro e se saiu pequeno o capítulo.

Capítulo 10 - Incrível as semelhanças


Fanfic / Fanfiction Purpose - Capítulo 10 - Incrível as semelhanças

JUSTIN BIEBER ON

- Então como foi? -  minha mãe perguntou assim que entrei em casa.
- A senhora estava me esperando,  ou está sem sono? -  passei por ela indo me sentar no sofá ao seu lado.
- Os dois,  mas agora me conta
- Foi ótimo o jantar, os pais da são ótimas pessoas, e ela... Bom ela se parece muito com a Jane mãe.
- Como assim se parece com a Jane? -  franziu o cenho sem entender.
- Acredita que até ela troca as mãos, assim como a Jane fazia. -  sorri assim que me lembrei.
- Isso é normal Justin, acha que não existe uma pessoa no mundo que nunca fez isso.
- Eu - ela me olhou - eu nunca troquei.
- Você me entendeu. Agora conta mais sobre as semelhanças que você diz que tem entre as duas.
- Ate a sobremesa dela favorita é sorvete de Chuck mankey. Quando ela apareceu com a bandeja com os copos eu fiquei surpreso, a senhora sabe que são,  tipo são raras pessoas que gosta desse sorvete, e o estranho foi que ela disse que faz pouco tempo que ela havia experimentado.

      *FLASHBACK ON*

- Há quanto tempo este é seu sorvete favorito? - perguntei.
- A pouco tempo. Sempre gostei de baunilha, mas um dia eu estava aqui esperando minha mãe chegar do mercado e entre as sacolas eu vi o pote de sorvete, na hora eu nem consegui pensar. Não sei porque, mas senti uma vontade de experimentar, então depois que tomei o pote quase todo sozinho, ele se tornou o meu favorito. - Ela tomou mais um pouco do sorvete e me olhou.

        *FLASHBACK OFF*

- Isso é verdade, eu particularmente não gosto.  -  Ela riu. -  Mas o que mais aconteceu?
- A senhora vai me achar doido, mas quando eu fui me despedir dela, era como se eu estivesse tocando a Jane e não a Hope. foi tão estranho que por um momento achei que ela estava ali na minha frente.
- Justin você ainda está abalado com a morte da Jane, e conhecer a Hope que está com o coração dela só vai piorar as coisas.  - Ela se aproximou acariciando minha mão.
- Ela me fez sorrir, sorrir de verdade quando falou sobre lobisomem. - disse.
- Lobisomens? 
- Sim, por causa do brilho da lua, foi engraçado. De algum modo ela me fez bem por alguns minutos quando estávamos a sós.
- Apenas não acho uma boa idéia você ficar simulando as conhecidencias entre a Hope e Jane.
- Quando a senhora conhece - lá, vai mudar totalmente de idéia.
- Como assim conhece - lá Justin?
- Convidei ela pra vim jantar conosco, é claro a senhora vai concordar e irá fazer a melhor comida do seu livro de receitas.
- Eu vou?
- Mas é claro que vai, se não, não me chamo Justin Bieber... espera isso não fez sentido né?  ou fez? -  tentei segurar a risada.
- Pelo o visto ela realmente te fez bem essa noite.
- Uhum,  então estamos combinandos?
- Pode escolher o dia. - Ela se levantou ficando na minha frente. - Agora eu vou dormir,  boa noite meu amor.
- Boa noite mãe.

     [...]
  Uma semana depois...

- Bom dia Hope. -  eu havia acordado com uma deposição enorme e enquanto me dirigia até o meu escritório resolvo ligar pra Hope, eu já havia decidido o dia do jantar.
- Bom dia, quem é?  -  sua voz saiu rouca, com certeza eu havia a acordado.
- Sou eu Justin, te acordei não é?  -  soltei uma risada.
- Justin? - ouvi um barulho, provavelmente algo teria caído.  - Meu Deus, espera aí. .. pronto eu derrubei o abjurar sem querer, mas você me ligando,  aconteceu alguma coisa?
- Não,  esta tudo bem, como você está?
- Bem, bom só um começo de resfriado que tenho que evitar que piore, e você?
- Estou ótimo.  - dei uma pausa.  -  Pelo o jeito o nosso já far vai ter que ficar pra outro dia.
- Jantar? Meu Deus eu me esqueci.
- Não tem problema, será que você melhora até amanhã?
- Irei tentar.
- Por favor, se caso não der pra você ir me avise ok? eu vou entender.
- Só é um começo de resfriado, só tenho que ficar na cama o tempo todo.
- Posso te buscar amanhã as 20:00 horas?
- Sim, quer que eu leve algo?
- A escolha é sua. - sorri olhando o relógio no meu pulso.  - Hope vou ter que desligar, depois conversamos mais ok? -  paguei o taxista e desci do carro. Caminhei em direção a entrada do prédio.
- Tudo bem.
- Então Tchau Hope.
- Tchau Jus.
  Assim que ela disse aquilo meu corpo paralizou  em meio ao grande salão do prédio, simplesmente minha saliva não descia.
- Justin? Cara você está bem ? - pisquei meus olhos várias vezes encontrando o Ryan parado na minha frente.- Você está parado aí feito uma estátua uns dez minutos, aconteceu alguma coisa?
- Aconteceu, vamos para minha sala.
   
   Entramos no elevador e apertei o botão do vigésimo andar. Fiquei calado o tempo todo junto com o Ryan,  o elevador parou e nos dois saimos indo pra minha sala, me sentei na poltrona atrás da mesa e Ryan na minha frente.
- Pode começar, conheceu a ... como é mesmo o nome dela? - ele franziu o cenho tentando se lembrar.
- Hope... Hope Hastings. - disse.
- Isso mesmo, como foi?
   Eu havia contado tudo pro Ryan, desde do começo até o telefonema que acabara de acontecer. Até do arrepio que senti quando ela me tocou pela primeira vez,  e das conhecidencias entre as duas.
- Por isso que você ficou igual uma estátua lá em baixo? 
- Você sabe muito bem Ryan, que só a Jane me chamava de Jus.
- Eu sei disso, mas cara ela gosta de sorvete sabor chunky monkey, isso não é tão raro de se ver.
- Você tinha que ver ela contando as coisas, o modo de usar as mãos enquanto conta, é do mesmo jeito que Jane.
- Você não está exagerando não?
-Olha pra minha cara Ryan e vê se estou exagerando. -  ele me encarou.
- É não está. - coçou a nuca. -  Mas isso deve ser normal em alguns casos de transplante.
- Tipo, uma pessoa a cada 1 milhão, não é?
- Quase isso, mas não podemos negar que isso é estranho.
- Verdade, e que tal você ir jantar conosco amanhã? assim você verá com os seus próprios olhos que não estou exagerando.
- Pensei que não iria me chamar, minhas esperanças já estavam acabando.
- Combinado.

  [...]


Notas Finais


Acham que a fanfic tá enrolada?
Tá faltando alguma coisa?
Ou esse tema tá cliché de mais que ninguém tá gostando?
Eu estou tentando fazer de tudo pra vocês gostarem.
tá que minha fic não é uma soul rebel famosa, ou como a AFG, mas espero que tenham entendido o tema, um transplante de coração com memórias celulares.
Os capítulos tem sim visualizações, mas e os comentários ? Gente a conta no animespirit é grátis !!!! Vamos fazer e estimular o escritor a escrever.
Vocês não imaginam o tanto que é bom você postar um capítulo e ter pessoas dizendo que gostaram, comentando e tudo mais.
Agora, se vocês não gostaram da fic, eu irei continua - lá até o último capítulo, mesmo sem ninguém ler.
Obrigada pelos os comentários do capitulo anterior, e claro os favoritos ♥
Xoxo da leidy ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...